Se você tem se dedicado a estudar sobre o mercado de ações, certamente já ouviu falar sobre os dividendos. Eles aparecem em aplicações de longo prazo, em forma de remunerações para os acionistas. São a solução ideal para quem investe em companhias que tendem a apresentar resultados significativos no futuro, pois permitem ao investidor receber em função do crescimento da empresa da qual se tornou parceiro.

Entretanto, essa explicação é ainda muito vaga para quem pretende mergulhar de vez no Universo da Bolsa de Valores. Se este é o seu caso, fique atento às informações que aparecerão na sequência e veja o que é necessário saber sobre dividendos.

Inscreva-se no nosso canal do YouTube

Como funcionam os dividendos?

A primeira informação que você precisa ter acesso a respeito desse tema é que os dividendos são repasses. Eles fazem parte do lucro das empresas e são direcionados aos seus acionistas. Isso é determinado pela chamada Lei das Sociedades Anônimas (nº 6.404), que obriga a distribuição de parte do lucro líquido entre os sócios.

Os repasses podem ser feitos por meio de juros sobre capital próprio, quando o valor é tributado pela Receita Federal, ou por meio de dividendos, que possuem isenção de Imposto de Renda. Existem outras formas de repasse, como as bonificações, por exemplo, que acontecem quando o pagamento é feito na forma de novas ações.

Saiba Mais: Como Declarar Dividendos no Imposto de Renda?

Em resumo, os dividendos são um tipo de repasse dos lucros das empresas para seus acionistas. Esse repasse é obrigatório, uma vez que o investidor se torna parceiro da companhia quando compra uma ação, tendo direito a parte dos seus resultados.

Como os repasses são feitos?

Nas Assembleias Gerais, as empresas analisam seus resultados financeiros para em função deles, determinarem como e se será feito o repasse de proventos. A lei determina um mínimo de 25%, entretanto, é possível que esse valor seja diferente em função dos interesses da gestão e das exigências do empreendimento.

Questões como a necessidade de melhorar a estrutura do empreendimento e a possibilidade de adquirir novas empresas obrigam a gestão a reinvestir parte do dinheiro obtido no próprio negócio, o que pode ser interessante para que a companhia cresça de maneira sustentável e futuramente apresente melhores retornos para seus investidores.

Por isso mesmo, a menor distribuição de dividendos não quer dizer que a empresa é ruim, assim como a maior distribuição nem sempre significa que a empresa é boa, pois o repasse pode estar associado a uma estratégia para impedir a saída de investidores.

Como funciona a agenda de repasses?

Os repasses são definidos por cada empresa. É possível que eles sejam feitos mensalmente, trimestralmente ou semestralmente. Analisando o histórico de distribuição de cada organização, é possível estimar se ela tende a manter essa frequência ou não. Vale lembrar que, em renda variável, rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

Empresas do setor elétrico e do setor bancário, estão entre as que costumam se destacar no mercado em relação ao repasse de dividendos. Investir nesse tipo de negócio pode ser interessante considerando os resultados apresentados nos últimos anos e as tendências para o futuro.

Como funciona os proventos?

As empresas podem oferecer diferentes tipos de benefícios para seus acionistas. Quando esses recursos são repassados de acordo com a participação do acionista no negócio, sem que ele precise gastar mais por isso, dizemos se tratar de proventos.

As companhias fazem isso quando não há necessidade de tomar medidas para se recuperar no mercado; é uma forma de seduzir atuais e novos investidores.

Entre os mais comuns tipos de proventos estão os Juros sobre capital próprio (JSCP) e os dividendos. A diferença é que nos dividendos, a empresa arca com o valor referente ao imposto de renda e faz o repasse aos acionistas, o que não acontece com os JSCP. Nesse tipo de repasse, o tributo fica sob responsabilidade do investidor.

Acionistas de empresas têm direito a uma parte do lucro obtido por elas. Esse repasse, chamado de provento, é geralmente feito na forma de dividendos, garantido pela Lei das Sociedades Anônimas (nº 6.404) e corresponde a pelo menos 25% do valor arrecadado.

Na prática, os proventos significam o recebimento, por acionistas, de participação nos resultados das empresas nas quais investem. Há proventos de diversos tipos, os dividendos são um deles. Esse tipo de repasse significa uma oportunidade: é possível usar esse dinheiro para gerar renda extra, caso o investidor tenha uma participação significativa no mercado de ações, ou ainda,  reinvestir o valor em sua carteira, aumentando a participação para, em função disso, colher melhores resultados no futuro.

Como ocorrem os pagamentos?

Depende de cada empresa a determinação de como serão realizados os pagamentos dos dividendos, que podem acontecer a cada três, seis ou 12 meses. Na maioria dos casos, a operação é anual e o valor referente à participação do acionista cai direto na sua conta corrente, sem que ele precise fazer qualquer tipo de procedimento. Pesquisar a respeito da periodicidade dos pagamentos é algo que pode ajudar o investidor a escolher melhor suas aplicações.

Entretanto, existe um processo para viabilizar esse repasse. Primeiramente, o conselho administrativo da companhia se reúne para verificar se existe lucro no período em questão e decidir como se dará o repasse aos acionistas. Uma vez autorizada, a operação precisa ser protocolada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para, então, as informações referentes a datas e valores de pagamento serem divulgadas.

Quais empresas pagam dividendos e quanto?

A já citada na Lei das Sociedades Anônimas (nº 6.404) que determina que as empresas precisam repassar ao menos 25% do seu lucro para os sócios, valor que pode variar de acordo com a realidade e os interesses de cada companhia. Isso tem a ver com a necessidade de capital que elas têm para realizar suas atividades e expandir suas ações.

Ao determinar o valor do repasse, o montante é dividido pelo total de ações da empresa, resultando no que chamamos de dividendos por ação. Assim, o investidor recebe o valor correspondente à quantidade de ações que possui em seu nome.

É natural que empresas que apresentam mais solidez no segmento em que atuam paguem dividendos superiores aos pagos por companhias que ainda estão crescendo. Novos negócios precisam garantir previsibilidade no fluxo de caixa para, então, distribuir melhor seus lucros. Por isso, é mais comum investir nas que já possuem histórico positivo no mercado.

Inscreva-se no nosso canal do YouTube

Por que os dividendos podem ser estratégias de longo prazo?

Os dividendos têm tudo a ver com as estratégias de investimento de longo prazo, afinal, eles ajudam a tornar a rentabilidade de um ativo maior com o passar dos anos.

De fato, adquirir ações pensando nos dividendos pode ser considerada uma estratégia conservadora para quem procura fazer o dinheiro render sem ter que ficar constantemente avaliando as oscilações do mercado. Grandes investidores costumam considerar os dividendos na escolha de seus ativos, pois ainda que os resultados demorem a aparecer, eles tendem a ser expressivos.

Como escolher ativos capazes de render bons dividendos?

É preciso montar a sua carteira de investimentos considerando os setores em que as empresas atuam e avaliando se existe potencial de crescimento para uma companhia no segmento. Além disso, deve-se ter em mente o histórico da atividade em questão. Acertando na escolha e trabalhando com estratégias realistas, você pode garantir uma renda extra interessante com o passar dos anos.

O mercado de ações é volátil, o que pode representar riscos especialmente para o investidor despreparado. Se a sua ideia é investir pensando nos dividendos, lembre-se que determinado ativo pode oscilar de maneira positiva e negativa em curto e médio períodos, mas isso não significa que você deva se livrar dele em momentos ruins, afinal, a sua estratégia deve gerar frutos no longo prazo.

O segredo é ignorar eventualidades que podem afetar momentaneamente os preços das ações e ter foco nos balanços das empresas. São estes documentos que apontam se existe ou não potencial para o seu crescimento.

Inscreva-se no nosso canal do YouTube

Como saber se a empresa paga bons dividendos?

Existem algumas ferramentas que podem ajudar nessa análise, como os indicadores. Vale lembrar que eles não representam a verdade absoluta em relação a esse tipo de tema, mas podem ser muito úteis como comparativos de mercado.

Entre os mais utilizados estão:

  • O Dividend Yield, que calcula a relação entre os dividendos pagos e o valor da ação multiplicados por 100;
  • O ROE (sigla para Return of Equity), que divide o lucro líquido pelo patrimônio líquido, revelando quanto foi o retorno sobre o patrimônio líquido;
  • O Dividend Pay Out, que indica a porcentagem de lucro líquido repassado pela empresa aos acionistas em um período em especial, dividindo o valor repassado do lucro todo da empresa.

Maiores ações que pagaram dividendos em 2021

Antes de analisarmos quem são as possíveis campeãs no quesito dividendos para o próximo ano, é importante sabermos quais empresas foram destaque nos últimos 5 anos. Como análise retroativa, utilizaremos o valor de mercado das companhias no primeiro dia útil do ano e no dia 21/12/2021.

Por conta das incertezas decorrentes da pandemia, alguns setores mais perenes acabaram optando por não pagar tantos dividendos em 2020, mas em 2021 acabaram recompensando seus acionistas.

A seguir são apresentados os dividendos pagos por ação das empresas que compõem o índice Bovespa em 2021:

Maiores ações que pagaram dividendos em 2021
Maiores ações que pagaram dividendos em 2021

Maiores ações que pagaram dividendos em 2022

Com o cenário desafiador para este ano, o fator juros no Brasil e no mundo deverá influenciar bastante nas estratégias das empresas sobre a distribuição de dividendos.

Esperamos que o setor ligado às commodities deve continuar como destaque na distribuição de dividendos por conta do ciclo positivo das commodities, o que possibilita uma forte geração de caixa, ao mesmo tempo que não foram feitos grandes investimentos nos últimos anos para aumento da capacidade produtiva.

Por outro lado, setores influenciados no ano passado pela movimento de alta da Selic (Construção Civil, Varejo e Small Caps) devem aproveitar esse ano para manter seus níveis de alavancagem ao mesmo tempo que querem estar disponíveis para eventos de M&A (Fusões e Aquisições), e assim não devem ser destaque na distribuição de dividendos. Esperamos que grandes bancos mantenham suas políticas de distribuição de proventos, para atrair investidores mais conservadores em um ano de grande volatilidade. O mesmo movimento deve ocorrer no setor elétrico, com destaque para as transmissoras de energia, que seguem sendo beneficiadas pela inflação mais alta.

A seguir são apresentadas as projeções de dividendos do consenso para as empresas que compõem o índice Bovespa em 2022:

Maiores ações que pagaram dividendos em 2022
Maiores ações que pagaram dividendos em 2022

Como calcular os dividendos?

Imagine que uma pessoa possui 300 ações de uma empresa que paga R$ 2 por ação. Assim, na conta simples, multiplicamos 300 por 2 e chegamos a R$ 600 a serem recebidos por esse investidor.

Para entender como funciona o repasse medido em porcentagem, basta multiplicar o percentual pelo valor da ação da empresa e a quantidade de ações do investidor. Dessa forma, sendo a quantidade de ações de um investidor igual a 200, o percentual de dividendos de 4% e o valor por ação de R$ 25, teríamos 200 X 4% X 25 = R$ 200.

Como usar bem os dividendos?

O ideal é usar os dividendos para aumentar a sua renda passiva reinvestindo. Isso é, usar esse repasse para reinvestir em ações, visando ao aumento dos lucros. Não é necessário reaplicar o dinheiro na mesma empresa de onde ele saiu. É possível usar esse recurso para melhorar a sua participação em outras organizações.

A ideia é que os dividendos sirvam para melhorar e diversificar a sua carteira, garantindo assim maior segurança no mercado de renda variável e maiores possibilidades de lucro em longo prazo.

Vale destacar: com o passar dos anos, os resultados de uma empresa tendem a oscilar. Em alguns momentos, pode ser mais interessante que elas reinvistam seus lucros visando a melhoria de suas atividades e, em outros, que façam um repasse maior para seus acionistas. Assim, o ideal é ter uma estratégia montada para fazer dos momentos de maiores repasses, oportunidades para aumentar a sua participação em bons negócios.

Como montar uma carteira de dividendos?

Uma dica para quem pretende investir é montar uma carteira de dividendos. Quando você passa a ser parceiro de um conjunto de empresas diferentes, em vez de se concentrar em apenas uma, ainda que o potencial de uma companhia não seja atingido, você terá outros ativos capazes de trazer resultados no futuro.

Por isso, fique de olho no que as empresas oferecem e não se esqueça de avaliar o cenário em que elas atuam, considerando elementos como a gestão, o mercado e a própria tendência de compra do consumidor. Identificando uma possível lucratividade no horizonte, investir pode representar a sua chance de crescer junto com uma organização promissora.

Enfim, os dividendos são importantes dentro de uma estratégia de investimento de longo prazo, por isso, devem ser parte da carteira dos bons investidores. Comece a considerá-los na formação da sua e confie na ação do tempo.

Conheça as carteiras recomendadas do projeto Genial Analisa, disponibilizadas todos meses recomendações de ações e fundos imobiliários através de uma equipe de analistas de ponta Filipe Villegas e Isabella Suleiman.

Saiba como investir pensando em dividendos

Comece identificando seu perfil de investidor e pesquise sobre as empresas, priorizando companhias com histórico positivo no pagamento de dividendos, mas tendo atenção ao seu potencial para o futuro.

Em seguida, avalie o Dividend Yield das companhias. Sendo elevado, procure saber se existe perspectiva para que ela se mantenha de forma sustentável no mercado. É recomendável também fazer a análise fundamentalista das ações, considerando o balanço financeiro daquela empresa.

Ao escolher os ativos que mais interessam, não deixe de recorrer a uma corretora de valores como a Genial Investimentos para começar a aplicar o seu dinheiro.

Enfim, os dividendos representam uma possibilidade de o investidor obter renda extra na Bolsa de Valores. Fique atento aos índices que revelam quais são as empresas que mais se destacam nesse repasse e comece a investir com critérios.

Se você deseja investir em dividendos, abra agora a sua conta na Genial gratuitamente ou se preferir baixe o nosso app e dê o seu primeiro passo nos investimentos.

Planilhas e Aplicativos

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Lançamento App 30

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa