O mercado de renda variável pode remunerar muito acima da renda fixa. Isso acontece porque, enquanto nos produtos de renda fixa o investidor empresta dinheiro a uma empresa ou para o governo em troca do pagamento com juros no prazo acordado, no caso da renda variável, o que ocorre é que a pessoa se torna sócia de um determinado empreendimento, podendo receber quando ele gerar lucro.

Isso vai além da lógica simplista de compra e venda de ativos. De fato, os grandes investidores do mercado não têm o costume de vender suas ações a todo momento: eles procuram investir em empresas interessantes para lucrar com sua distribuição de lucro.

O acionista

O mercado de ações é o espaço no qual os ativos podem ser negociados. Uma ação nada mais é do que uma fração de uma empresa. Sendo assim, ao comprar uma ação, o investidor precisa ter o objetivo de lucrar com o crescimento da companhia na qual investe, pois é de acordo com o lucro dela que ele poderá ser remunerado.

Essa é uma maneira interessante de fazer o dinheiro render muito acima da inflação sem ter que se dedicar à gestão empresarial. Quando a pessoa investe em uma empresa que apresenta lucros constantes, ela também passa a receber uma remuneração constante.

Formas de remuneração

Ao lucro repassado para os acionistas damos o nome de provento. Um provento pode ser pago em forma de dinheiro ou de ações. Quando as empresas pagam em dinheiro, geralmente os benefícios são dividendos ou juros sobre o capital próprio. Quando pagam em ações, são subscrições ou bonificações.

De uma maneira geral, podemos dizer que investir em ações que pagam dividendos é uma boa estratégia para evitar prejuízos com a oscilação constante das empresas na bolsa de valores e em longo prazo gerar renda passiva. O segredo é conferir o histórico de pagamentos que as companhias apresentam e avaliar se existem perspectivas para que isso se mantenha no futuro.

Na sequência, falaremos mais detalhadamente a respeito dos principais tipos de remuneração.

Dividendos

Por lei, as empresas devem repassar no mínimo 25% de seus lucros aos acionistas. Assim, para lucrar com dividendos você precisa investir em uma companhia capaz de gerar lucro.

Funciona da seguinte maneira: ao conferir o lucro em determinado período, a empresa faz um rateio no qual divide o montante entre uma parte que vai para novos investimentos, outra que serve para formar reservas e uma terceira que será o pagamento de proventos.

A periodicidade dos proventos pode ser mensal, trimestral, semestral ou anual e é determinada no estatuto da empresa.

Juros sobre capital próprio (JCP)

A principal diferença dos chamados Juros sobre capital próprio (JCP) em relação aos dividendos diz respeito ao Imposto de Renda. No caso dos dividendos, cabe à empresa efetuar o pagamento de impostos sobre os lucros. Já no caso dos JCP, o acionista precisa pagar 15% do Imposto de Renda na fonte.

Para as empresas, os JCP podem representar um recurso contábil interessante para diminuir a incidência de impostos, uma vez que os pagamentos são realizados antes do lucro líquido.

Bonificações

Acontecem, na maioria das vezes, quando o retorno ao investidor se dá no repasse de ações, não de dinheiro. Isso porque podem existir bonificações em dinheiro de maneira eventual, caso seja do interesse da empresa.

As bonificações geralmente são resultado da incorporação de reservas ao capital social da empresa quando repassadas aos acionistas de acordo com a quantidade de ações em seus nomes.

O valor a ser recebido como bonificação pelo acionista deve ser deliberado em assembleia geral e, quando o repasse é feito em forma de ação, passa a representar um aumento de capital social da companhia.

Subscrição

A subscrição é um direito. Ele é concedido aos acionistas para que possam adquirir novas ações por um valor previamente determinado.

Na prática, o direito de subscrição permite ao acionista exercer ou não sua preferência de compra de novas ações. Assim, sempre que a empresa aumentar seu capital, o acionista passa a ter melhores condições para manter seu percentual de participação no negócio. É uma forma de valorizar o investidor que já apoia a companhia.

Como são feitos os pagamentos

Os proventos são pagos pela empresa, logo, eles são depositados de acordo com a forma como o investidor fez o investimento. Na maioria das vezes, isso acontece via corretora de valores. É na sua conta na corretora que ele receberá o valor referente aos proventos, sob responsabilidade da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC).

As empresas não são obrigadas a determinar datas para informar como serão feitos os pagamentos, embora elas sejam obrigadas a fazer o repasse. Geralmente, as companhias divulgam um calendário com as chamadas “data com” e “data ex”, que na prática significam o dia limite para o investidor ter posse das ações para ter o direito de receber os dividendos (data com) e quando os proventos já estão alocados (data ex).

Assim, uma ação de 100 Reais que gera proventos de 10 Reais com data com fixada na sexta-feira, dia 1, por exemplo, só será paga para quem tiver as ações até essa data, não valendo para as datas seguintes.

O dividend yeld

É possível avaliar se uma empresa é boa para pagar dividendos ou não. Basta usar o dividend yeld (rendimentos de dividendos), um indicador de performance empresarial, ou seja, um índice referente às bonificações de uma empresa. Assim, quanto maior é o DY, maior é o lucro que a companhia repassa para seus investidores.

Vale lembrar que por lei as empresas precisam repassar ao menos 25% de seu lucro, mas é possível que esse número seja maior, o que faz com que o investimento em companhias com histórico positivo em relação ao repasse seja mais interessante.

Enfim, investir bem é investir com informações para amenizar os riscos e aumentar a possibilidade de sucesso. Conhecendo as formas de remuneração existentes você pode escolher o caminho mais vantajoso para os seus interesses e assim alcançar os melhores resultados no mercado de ações.

Quer saber mais sobre o mundo dos investimentos e aprender a ganhar dinheiro? Então conheça os investimentos que geram renda mensal.

abra sua conta

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *