Macarena Onelink Baixe o App

Você já ouviu falar do FIC FIA? Com tantas siglas no mercado de investimentos, os interessados em realizar aportes podem ficar bastante confusos. Portanto, entender os conceitos envolvidos e saber como eles funcionam é o primeiro passo para tomar uma boa decisão de investimento.

Se você se deparou com essa alternativa e não entendeu como ela funciona, saiba que é bastante simples. Mas é preciso conhecer as características do FIC FIA e saber como escolher um fundo de investimento adequado para seus objetivos.

Ficou interessado no assunto? Então continue a leitura para entender melhor o FIC FIA!

O que significa FIC?

A sigla FIC significa fundo de investimento em cotas. Assim, para entender o seu funcionamento, você precisa conhecer os fundos de investimento.

Eles são veículos disponíveis no mercado financeiro, possibilitando o aporte por meio de plataformas de corretoras ou pela bolsa de valores, a depender do seu tipo.

A carteira do fundo é gerida por um gestor profissional e pode possuir diversos títulos e ativos. Além disso, há estratégias predeterminadas em relação às movimentações, objetivos e perfil de risco do fundo.

Vale saber que há diversos tipos de fundos de investimentos. Eles podem ser classificados conforme a sua estratégia de aportes, a composição da carteira, o tipo de gestão, o perfil de risco, entre outras questões.

Quem deseja participar dos resultados do fundo deve se expor à carteira montada pelo gestor por meio da compra de cotas. Elas representam uma fração ideal do patrimônio do fundo e variam de preço conforme as movimentações de mercado.

Ainda, há fundos que distribuem dividendos, como os fundos de investimento imobiliário. Dessa maneira, os cotistas também conseguem uma renda passiva por meio desse investimento, quando há lucros no período de apuração.

Em relação à classificação quanto à composição da carteira, você encontrará os FICs. Eles montam o seu patrimônio, majoritariamente, com cotas de outros fundos de investimento. Eventualmente, os FICs podem ter outros ativos e títulos em carteira, conforme as regras do veículo.

O que significa FIA?

Agora que você já sabe o que é um FIC, fica mais fácil entender o conceito de FIA. Essa é a sigla para fundo de investimento em ações. Ou seja, ele também é um tipo de fundo de investimento e funciona da mesma maneira que você já aprendeu.

A classificação utilizada se dá em relação à composição da carteira, assim como no caso dos FICs. Nos FIAs, ou fundos de ações, o fundo pode investir, principalmente, em ações de empresas de capital aberto e ativos relacionados.

Desse modo, esses fundos investem em ações conforme a estratégia determinada previamente. Eles podem, por exemplo, segmentar os investimentos — focando em determinados setores, categorias de empresas ou expectativas de rentabilidade.

Também há diversos perfis de risco para os FIAs. Afinal, existem ações que são mais voláteis e aquelas de empresas mais sólidas e, consequentemente, com menos oscilações. Com isso, cada fundo pode ter estratégias que priorizem um ou outro grupo de papéis.

Por se tratar de um investimento de renda variável, não há garantias em relação à rentabilidade obtida por esses fundos. Afinal, o desempenho de cada ação depende de fatores da economia, das empresas e também do comportamento de investidores e especuladores.

Ademais, os FIAs possuem um benchmark, ou seja, um parâmetro de ganhos. No entanto, os gestores não garantem essa rentabilidade. Na verdade, o benchmark serve como um norte para o profissional, que efetuará as negociações visando alcançar os ganhos propostos ou superá-los.

No segundo caso, é comum que os fundos de ações cobrem uma taxa de performance. Ela é aplicada quando a rentabilidade do fundo supera o desempenho do benchmark em determinado período. Assim, a taxa funciona como um bônus ao gestor responsável.

O que é um fundo FIC FIA?

Sabendo o que significam essas duas siglas e o seu funcionamento, você poderá conhecer os FIC FIAs. Como é possível imaginar pelo significado dos termos, eles são fundos de investimento em cotas de fundos de ações.

Ou seja, esses fundos alocam os seus recursos, majoritariamente, comprando cotas de outros fundos de ações. Dessa forma, eles conseguem se expor a fundos diferentes, com frações do patrimônio de diversos FIAs.

Vale saber que o FIC FIAs não têm, necessariamente, um número mínimo ou máximo de fundos nos quais eles podem investir. Então existem aqueles que se expõem apenas a cotas de um ou dois fundos de ações, por exemplo. Já outros fundos são mais diversificados.

Ao entender essa dinâmica, muitas pessoas se perguntam por que existem FICs que investem em cotas de apenas um fundo de ações. Isso acontece, principalmente, porque existem FIAs que permanecem por um longo tempo sem a emissão de novas cotas.

Assim, esses fundos ficam fechados para negociação por muito tempo. Logo, muitos investidores não conseguem acessá-los diretamente. Nesse cenário, os FIC FIAs permitem acessar diversos fundos de ações nos quais os investidores não conseguiriam realizar aportes.

O mesmo vale para FIAs que têm cotas com um alto preço, ou negociam apenas lotes compostos por muitas cotas. Assim, o aporte inicial pode se tornar inacessível para investidores com menos poder aquisitivo, a menos que eles negociem os FICs.

Quais são as principais características de um FIC FIA?

Também vale a pena saber quais são as principais características dos FIC FIAs. Com essas informações, a sua decisão de investimento será facilitada — tendo em vista que você conhecerá com mais profundidade as possibilidades de aporte.

Confira a seguir:

Rentabilidade

Uma das características mais relevantes de um investimento é a sua rentabilidade. Você certamente tem desejo de saber quais são os ganhos possíveis com um FIC FIA, não é?

Como já vimos, esse é um investimento de renda variável, então não há uma previsibilidade de rentabilidade. As ações e, consequentemente, os fundos de investimento em ações, têm oscilações de preço conforme a oferta e demanda dos investidores.

Logo, quanto maior é o volume de compras em determinado momento, maior tende a ser o preço. Em caminho inverso, se há um alto volume de vendas acima da demanda, a cotação costuma cair. Além disso, vários fatores podem afetar a oferta e demanda no mercado.

Alguns cenários que influenciam no volume de negociações são:

  • situações de crise no Brasil;
  • eventos internacionais relevantes;
  • crises ou mudanças em setores da economia;
  • divulgação de resultados das empresas.

Contudo, o investimento em ações e FIAs não é uma estratégia sem embasamento. Existem diversas maneiras de analisar as ações e traçar expectativas em relação à rentabilidade esperada.

Além disso, os gestores e analistas divulgam documentos sobre as suas análises, mostrando o que esperam dos movimentos nos próximos períodos.

Desse modo, você pode fazer suas próprias análises ou avaliar os relatórios de gestores e analistas para entender o que esperar em relação à rentabilidade do fundo. Com isso, há chances de potencializar a segurança, mas sempre tendo em mente que não há garantias de retorno.

Gestão

Outra característica importante em relação ao FIC FIA é a gestão. Como vimos, ela é efetuada pelo gestor profissional ou equipe de gestores. Na maioria dos casos, ele tem liberdade para realizar as negociações que entender mais adequadas para a carteira, segundo a estratégia do fundo.

Dessa forma, os cotistas não têm a possibilidade ou a incumbência de dar sugestões e interferir nas negociações realizadas. Por isso, você deve avaliar quem é o gestor, sua experiência e os resultados obtidos para saber se confia na qualidade técnica do profissional.

Vale saber, ainda, que a gestão de um fundo pode ser ativa ou passiva. No primeiro caso, o gestor realiza negociações constantes e sempre busca potencializar a rentabilidade da carteira, conforme as estratégias e objetivos propostos.

Nesses casos, é comum a cobrança da taxa de performance, que você já conhece. Afinal, o gestor não mede esforços para buscar os melhores resultados, protegendo o patrimônio em caso de movimentos negativos ou buscando mais ganhos.

Por outro lado, na gestão passiva o gestor tem apenas a incumbência de montar a carteira conforme as regras propostas pelo fundo e tentar alcançar o benchmark. Esse tipo de gestão é mais comum em FIC FIAs que alocam os recursos em cotas de apenas um fundo de ações.

Nesses casos, não há muitas negociações ou estratégias mais avançadas para proteção e potencialização da rentabilidade. A ideia é manter a carteira de uma forma que siga o outro fundo por meio da alocação em suas cotas.

Taxas

Os FIC trazem diversas vantagens para os investidores, como o aporte facilitado em uma carteira administrada por um gestor profissional. Por isso, também há custos relacionados à manutenção desses veículos, remunerando os prestadores de serviços envolvidos nele.

A primeira taxa, cobrada em todos os fundos, é a de administração. Ela é divulgada como um percentual anual que incide sobre o patrimônio total do fundo, descontada proporcionalmente dos cotistas de forma automática.

Como você viu, também pode haver a taxa de performance. Ela costuma incidir sobre os fundos com gestão ativa, remunerando o gestor pelos resultados positivos alcançados acima do benchmark. Caso esse parâmetro não seja alcançado, não há cobrança da taxa naquele período.

Impostos

Os fundos de investimento também acarretam ao cotista o dever de recolher o Imposto de Renda. Cada tipo de fundo pode ter regras diferentes. Então é preciso ficar atento à regulamentação para não se surpreender com esses pagamentos.

No caso do FIC FIA, as regras sobre o Imposto de Renda são iguais aos FIAs. Ou seja, a tributação tem uma alíquota de 15% sobre a rentabilidade obtida com as cotas, independentemente do prazo de investimento.

Vale ressaltar que esse recolhimento é realizado pela própria instituição responsável pelo fundo. Assim, o investidor não precisa imprimir o DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) para fazer a quitação.

Além do Imposto de Renda, deve haver o pagamento de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Entretanto, ele só é aplicado se o prazo de investimento for menor que 30 dias. Se você fizer o resgate após esse período, não há cobrança do tributo.

Isso porque a alíquota do IOF é regressiva e vai de 96%, quando o resgate é em um dia, até ser zerada depois de 30 dias. Como você pôde ver, a cobrança pode ser bastante expressiva em resgates no curtíssimo prazo, mas a alíquota incide apenas sobre a rentabilidade.

Vale a pena investir em um fundo FIC FIA?

Depois de conhecer essas características acerca do assunto, você pode se perguntar: é interessante investir em um FIC FIA? Na verdade, essa é uma decisão individual, que deve considerar suas características pessoais como investidor e as alternativas disponíveis no mercado.

Veja o que você deve levar em conta nessa escolha:

Objetivos financeiros

O primeiro passo para avaliar se um FIC FIA é adequado para você é considerar seus objetivos financeiros concretamente. Nesse contexto, você deve entender que os investimentos servem para realizar sonhos e projetos.

Portanto, pense no que você deseja alcançar financeiramente, quanto esses objetivos custam e em quanto tempo você quer realizá-los. Tendo objetivos concretos, você conseguirá avaliar cada investimento para saber se eles podem ajudar nas suas metas.

Nesse ponto, é importante considerar os riscos atrelados ao aporte, a expectativa de rentabilidade, o horizonte de investimento e outros aspectos relacionados.

Perfil de investidor

Outra característica que permite entender se um FIC FIA vale a pena é o seu perfil de investidor. Ele demonstra como você lida com os riscos atrelados aos investimentos. O perfil pode ser conservador, moderado ou arrojado, conforme a resistência aos riscos.

No caso dos conservadores, é fundamental entender que o investimento em renda variável não traz garantias de resultados. Então talvez o risco do FIC FIA não seja adequado para esse tipo de perfil — ou a alocação deve ser de apenas uma pequena parte do patrimônio.

Por outro lado, os investidores moderados e arrojados já têm uma resistência maior a essa insegurança. Assim, se expor a fundos de ações por meio dos FICs pode ser mais adequado para o portfólio desses perfis.

Alternativas do mercado

Por fim, confira as alternativas de FIC FIAs do mercado. Lembre-se de que eles possuem regras, estratégias e objetivos diferentes. Dessa maneira, os veículos devem ser avaliados individualmente para que você possa decidir se algum deles se adéqua à sua carteira.

Pronto! Agora você já sabe o que é um FIC FIA e quais são as principais características desse tipo de fundo de investimento. Então é possível avaliar se eles fazem sentido para a sua carteira, sempre considerando as suas expectativas e necessidades. Quer ter acesso a diversos fundos de investimento com uma plataforma intuitiva e acessível? Então conte com a Genial!

Comentários