Os fundos long biased consistem em uma modalidade de fundos de ações. Eles lançam mão de estratégias que lhes permitem ganhar não só com a alta nos preços dos papéis como também com a queda. Ou seja, podem ter ganhos mesmo em momentos de baixa do mercado.

Assim como quaisquer outros fundos de ações, os fundos long biased também precisam manter, no mínimo, 67% da carteira alocada em ações.

Mas enquanto alguns fundos, chamados de long only, mantêm apenas posições compradas – isto é, a compra da ação para ganhar com a sua alta –, os fundos long biased eventualmente também mantêm posições vendidas, que lhes permitem ganhos quando o preço do papel cai.

Dessa forma, os fundos long biased conseguem minimizar perdas ou ter resultados positivos em momentos de mercado em queda ou andando de lado. E mesmo em momentos de alta, podem aproveitar o mau desempenho pontual de uma ação para ganhar mais.

Aluguel de ações

A estratégia para ganhar na baixa é o aluguel de ações, também chamado de empréstimo de ações. Trata-se de uma operação realizada quando se acredita na desvalorização de um papel.

No aluguel de ações, o dono da ação (doador) empresta seu papel por um determinado prazo para um terceiro (tomador) em troca de uma taxa.

Em geral, o doador é um investidor de longo prazo, que não pretende vender suas ações tão cedo, mas que deseja minimizar eventuais perdas com a queda do seu preço por meio do aluguel de ações. Ao alugar seus papéis ele recebe uma taxa que reduz seu eventual prejuízo.

Já o tomador é um investidor que acredita que aquela ação vai desvalorizar e deseja lucrar como a queda. Ele aluga as ações do doador e as vende no mercado. O objetivo é recomprá-las a um preço mais baixo após a desvalorização para, então, devolvê-las ao doador.

A operação resultará em ganho para o tomador, caso os papéis de fato caiam, ou em prejuízo, caso subam.

O resultado da operação será a diferença entre o preço de venda e o preço de recompra da ação – descontadas, é claro, as taxas, como o aluguel pago ao doador.

Diferenças dos fundos long biased para os fundos long and short

Os fundos chamados de long and short também operam comprados (long) e vendidos (short), sendo capazes de ganhar com a queda do preço dos ativos. Mas eles são diferentes dos fundos long biased.

Os fundos long and short investem em pares de ativos, apostando na valorização de um e na desvalorização do outro. O fundo compra a ação subvalorizada e vende a ação sobrevalorizada, ganhando na diferença.

Com isso, o desempenho do fundo não está tão relacionado ao desempenho da bolsa, mas sim ao desempenho dos ativos uns em relação aos outros. Portanto, esses fundos sempre contarão com uma parcela comprada e outra vendida.

Além disso, a exposição dos fundos long and short à bolsa costuma ser menor que a dos fundos long biased. Alguns dos fundos long and short são classificados como fundos de ações, mas outros são fundos multimercados. Nesses casos, eles podem até mesmo não ter exposição alguma à bolsa, dependendo do momento de mercado.

Já os fundos long biased são fundos de ações, devendo investir no mínimo 67% da carteira na bolsa. Ou seja, eles obrigatoriamente investem em ações e costumam ter uma posição acionária maior que os fundos long and short.

Por outro lado, não necessariamente os long biased terão uma parte comprada e outra vendida. As posições vendidas são montadas quando o gestor acredita que uma determinada ação pode cair no médio prazo.

Mas se não houver tal oportunidade, pode não haver posições vendidas. O desempenho dos long biased está mais relacionado ao desempenho da bolsa que o dos long and short.

Long biased X Long only

Tanto os fundos long biased quanto os long only compram ações tomando como base os fundamentos da empresa e as perspectivas de ganho futuro.

Mas os long biased fazem operações vendidas de curto e médio prazo, em oportunidades eventuais. Assim, conseguem turbinar os ganhos e, nos momentos de mercado em baixa, aplacar as perdas ou mesmo conseguir um desempenho total positivo.

Isso confere aos fundos long biased maior flexibilidade em relação aos fundos long only, que só operam comprados e acabam usando operações com derivativos apenas para minimizar perdas.

Os long biased também tendem a ser menos voláteis que os fundos long only. Isto é, os preços de suas cotas oscilam menos. Assim, em momentos de queda no mercado, eles tendem a cair menos que os demais fundos de ações.

Em contrapartida, em momentos de alta no mercado, eles também tendem a subir menos que os fundos long only. Eventuais parcelas vendidas podem desacelerar a rentabilidade.

É importante notar que as operações vendidas, nos fundos long biased, não são usadas apenas para proteger a carteira das quedas, isto é, fazer hedge. Elas são também utilizadas para buscar ganhos maiores, havendo o risco de perda caso a ação vendida suba.

Os fundos long biased, portanto, são indicados para investidores arrojados, que busquem altos retornos no longo prazo. O indicador de referência para a rentabilidade desses fundos pode ser um percentual fixo acima da inflação ou um índice de bolsa.

Ficou interessado? Conheça os fundos de investimento que a GENIAL oferece e veja como avaliá-los!

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários