Os juros servem como um tipo de remuneração e costumam estar associados ao risco nos investimentos. Ou seja, quanto mais riscos são assumidos, maiores são os juros, como forma de compensação. Para entender melhor o tema, é preciso saber qual é a diferença entre juros simples e juros compostos. 

Compreender essa distinção é essencial porque os resultados que cada um deles oferece são bem diferentes. Na prática, isso pode interferir na rentabilidade do investimento e em muitas das suas decisões financeiras. 

Então que tal saber diferenciar juros simples e juros compostos? Continue a leitura e descubra! 

O que são juros simples? 

Para começar, vale a pena saber que os juros correspondem a uma taxa que incide sobre um montante, gerando um acréscimo ao valor. No caso dos juros simples, essa mecânica funciona sempre em relação ao dinheiro inicial investido. 

Para entender como os juros incidem sobre um montante inicial, considere um valor de R$ 100,00 e juros simples mensais de 10%. Os 10% do total correspondem a R$ 10,00 e essa parcela se mantém constante, sendo aplicada ao longo do tempo. 

Sendo assim, no primeiro mês, o resultado será de R$ 110,00. No segundo, de R$ 120,00. No terceiro, de R$ 130,00. No décimo, de R$ 200,00 — e assim sucessivamente. Logo, mesmo com o crescimento do dinheiro aportado, os juros são aplicados sempre ao valor inicial. 

O que são juros compostos? 

Já o conceito de juros compostos também é comumente conhecido como juros sobre juros. Essa expressão se deve ao fato de esse tipo de juro render sobre valores corrigidos pela aplicação anterior de juros. Assim, o crescimento é exponencial. 

Para ficar claro, pense no mesmo exemplo dos R$ 100,00, com 10% de juros ao mês. Contudo, agora utilizaremos os juros compostos. No primeiro mês, o resultado é igual ao dos juros simples: R$ 110,00. 

Porém, no segundo mês os 10% incidem sobre o novo número (R$ 110,00) e não mais sobre o valor inicial. Então 10% passam a ser R$ 11,00 e não mais R$ 10,00. Como consequência, o novo montante será de R$ 121,00, contra R$ 120,00 nos juros simples. 

No terceiro mês, o resultado será R$ 133,10, contra R$ 130,00 nos juros simples. Portanto, é justo dizer que os juros compostos aceleram o acúmulo de valores, pois rendem sobre uma base que é cada vez maior. No longo prazo, a diferença é substancial. 

Como se calculam juros simples e compostos? 

Para facilitar o cálculo dos juros simples e compostos, é interessante recorrer à fórmula de cada um. No caso dos juros simples, a equação é a seguinte: 

M = C (1 + i x t) 

Nela, M corresponde ao resultado total acumulado, C é o montante inicial, i é a taxa de juros e t é o tempo em dias, meses ou anos, dependendo da taxa. 

Para os juros compostos, a fórmula é dada por: 

M = C (1 + i) ^ t 

Com essas fórmulas, você consegue calcular o resultado esperado em qualquer período, podendo comparar os valores. 

Qual a diferença entre juros simples e juros compostos? 

Como você viu, a fórmula de juros simples e compostos não é a única diferença entre eles. A principal distinção é o impacto que cada tipo de incidência causa. No caso dos juros simples, o aumento do montante tende a ser mais lento. 

Nos juros compostos, o crescimento é mais rápido pelo acúmulo dos valores ao longo do tempo. Também há uma alteração no impacto do tempo. Para os juros simples, faz pouca diferença o período de incidência, pois o montante inicial é sempre igual.  

Assim, quanto mais passa o tempo — considerando os juros compostos, maior é a base sobre a qual incide a taxa. Além disso, vale saber que os juros simples já não são utilizados para calcular o rendimento dos investimentos ou das taxas de empréstimos. Nesse cenário, apenas os juros compostos são válidos. 

Quais as vantagens dos juros compostos no investimento? 

Considerando que os juros compostos aceleram o acúmulo de resultados, eles são capazes de gerar montantes maiores. Em uma dívida isso pode ser perigoso, já que faz com que o débito fique muito maior com o passar do tempo.  

Porém, os juros compostos também podem ser aliados. Como você viu, eles podem ajudá-lo em relação aos investimentos, porque favorecem a construção de patrimônio. Quanto maior for o impacto dos juros compostos, mais fácil será acumular os recursos que você deseja obter, certo? 

Eles são especialmente importantes para o investidor de longo prazo. Afinal, com um tempo maior, a base sobre a qual incidem os juros se torna cada vez maior. Consequentemente, o rendimento cresce e o patrimônio avança em nível exponencial. 

É preciso destacar que os juros compostos não estão limitados à renda fixa. Quem investe na renda variável com exposição à economia real também aproveita a aplicação deles. Desse modo, toda carteira de investimentos pode se beneficiar desse mecanismo de remuneração. 

Como usar os juros compostos a favor da sua acumulação de capital? 

Sabendo qual é a diferença entre juros simples e juros compostos, fica claro que a incidência de juros sobre juros acelera os resultados.  

Como o processo favorece o processo de rentabilidade nos investimentos, é interessante saber aproveitar o mecanismo para conseguir um desempenho melhor com a carteira. 

Na prática, significa que o caminho nem sempre é buscar investimentos com rendimentos maiores. Isso ocorre porque retornos maiores são acompanhados por riscos mais elevados — e nem sempre essa característica está alinhada ao seu perfil de investidor e a seus objetivos. 

Em vez disso, é melhor recorrer à consistência. Investir com aporte mensal, por exemplo, favorece a aplicação de juros compostos. Afinal, a cada mês a base estará maior, levando a um rendimento mais elevado. Somando ao funcionamento dos juros, o acúmulo de capital é reforçado. 

Também é importante focar no longo prazo. O tempo trabalha a favor dos juros compostos. Assim, investir por períodos maiores faz com que seu capital se multiplique e se torne mais fácil atingir os objetivos. 

Além disso, a diversificação da carteira é outro ponto central. Ela é útil para diluir os riscos e aumentar o potencial de ganhos. Com perdas de impactos menores, será possível reforçar a base sobre a qual incidem os juros, o que favorece a performance. 

Depois de conferir as informações desse artigo, você aprendeu qual a diferença entre juros simples e juros compostos. Aplique esse conhecimento à sua estratégia de investimentos e aproveite um potencial maior de resultados e de acúmulo de patrimônio. 

Para começar a investir e fazer o seu capital render desde já, abra sua conta conosco e venha ser Genial!

Comentários