O mercado acionário é um ambiente onde se pode investir nas ações das mais variadas companhias. Como forma de trazer maior transparência e organização, a bolsa de valores classifica esses ativos por setores — e conhecê-los pode auxiliar você na hora da tomada de decisão. 

Comparar companhias de um mesmo setor — no âmbito da análise fundamentalista — permitirá que você escolha as ações de empresas que estejam mais alinhadas ao seu perfil de investidor e objetivos. Em especial, se o seu foco é o investimento em ações pensando no longo prazo. 

Para entender melhor sobre esse assunto, nós da Genial, preparamos um conteúdo completo esclarecendo o que são os setores da bolsa de valores e os principais existentes.  

Não deixe de conferir! 

O que são os setores da bolsa? 

Os setores da bolsa são classificações utilizadas para dividir as companhias de capital aberto de acordo com o seu ramo de atividade. Eles existem para trazer uma maior transparência, organizar as ações que estão listadas e também para ajudar a mensurar o crescimento de cada área. 

Saiba mais! 

Estrutura 

A estrutura utilizada pela B3 — a bolsa de valores brasileira — para a classificação setorial foi criada observando, especialmente, os tipos e os usos dos produtos ou serviços desenvolvidos pelas empresas. Além disso, essa divisão busca atender os seguintes objetivos: 

  • Permitir uma visão sobre as empresas que atuem em estágios similares da cadeia produtiva, ainda que exerçam atividades diferentes; 
  • Fornecer uma identificação mais objetiva dos setores de atuação das empresas; 
  • Facilitar a localização dos setores de atuação das companhias; 
  • Estar próximo dos critérios utilizados no mercado internacional. 

Ademais, também são analisados os produtos ou serviços que mais contribuem para a formação das receitas dessas empresas. Assim, as companhias são agrupadas no mesmo setor quando é identificada a semelhança nas atividades. 

Empresas de participação 

As empresas de participação são aquelas que tem o controle sobre as participações de outras organizações — também chamadas de holdings. Normalmente, elas são criadas para assegurar bens e direitos da companhia principal, assim como obter benefícios sucessórios e fiscais. 

Para que elas sejam classificadas setorialmente precisam ter dois terços, ou mais, de suas receitas destinadas ao respectivo setor. Caso não atinjam essa fração, elas são categorizadas como “holdings diversificadas”. 

Reclassificação 

Vale a pena saber que a B3 reclassifica periodicamente a estrutura setorial e a classificação das empresas. Mesmo porque, com o tempo, as companhias podem alterar suas fontes de receitas ou ter os critérios de avaliação modificados. 

Quais são os principais setores existentes na bolsa brasileira? 

Após conhecer o que são os setores da bolsa de valores e como é feita a classificação setorial das companhias veja agora quais são os principais setores no mercado nacional! 

Materiais básicos 

As empresas classificadas nesse setor atuam com a extração, produção e comercialização de matéria-prima. Dentre as companhias mais conhecidas no segmento incluem Vale, Braskem, Gerdau, Duratex, Unipar entre outras.    

Muitas dessas empresas têm suas receitas atreladas ao dólar, haja vista serem grandes exportadoras de materiais que integram os subsetores abaixo:  

  • Madeira e papel; 
  • Embalagens; 
  • Produtos químicos; 
  • Mineração; 
  • Siderurgia e metalurgia; 
  • Materiais diversos. 

Bens industriais 

O setor de bens industriais está entre os maiores da bolsa. Isso porque parte do desenvolvimento do país depende da produção industrial de maquinários, equipamentos, construção, transporte, etc.  

Destacam-se nesse setor companhias como a Embraer, Ecorodovias, Gol, Azul, entre outras. Seus subsetores são: 

  • Máquinas e equipamentos; 
  • Construção e engenharia; 
  • Material de transporte; 
  • Comércio e serviços. 

Comunicação 

O setor de comunicações inclui grandes empresas que atuam com telecomunicações, internet, telegrafia e telefonia fixa. As companhias incluídas nesse setor são Oi, Tim, Telefônica Brasil e Telemar Norte. 

Também estão presentes empresas que atuam no segmento de produção e distribuição de filmes e programas de TV, como a Cinesystem e Eletromídia.  

O setor da comunicação é subcategorizado em: 

  • Mídia; 
  • Telefonia fixa; 
  • Telecomunicações. 

Consumo cíclico 

O setor do consumo cíclico é composto por empresas que costumam ter o seu desempenho atrelado às variações econômicas como inflação, taxa de juros, desvalorização da moeda, e outros fatores voltados à economia. 

Em períodos de crescimento econômico essas empresas tendem a elevar seu faturamento, já que o consumo com viagens, vestuário, entre outros aumenta. Em momentos de crise, por outro lado, é esperado que o faturamento caia, já que nessas ocasiões são priorizados gastos essenciais. 

Fazem parte desse setor companhias como Loja Renner, Magazine Luiza, Via (antiga via varejo), Marisa, CVC, Movida, Localiza, Tenda, MRV e diversas outras. 

Suas subcategorias são: 

  • Tecidos, vestuário e calçados; 
  • Automóveis e motocicletas;
  • Utilidades domésticas; 
  • Hotéis e restaurantes; 
  • Construção civil; 
  • Viagens e lazer; 
  • Diversos. 

Consumo não cíclico 

Ao contrário do setor cíclico, as empresas que integram esse segmento não estão diretamente relacionadas com as variações no campo da economia. Isso porque muitos de seus produtos são considerados essenciais — como alimentação, higiene pessoal, saúde, etc. 

São incluídas nesse setor empresas como Ambev, Camil, JBS, BRF, Minerva, Natural, Bombril, Marfrig, São Martinho, Pão de Açúcar, entre outras. 

As subcategorias são: 

  • Produtos de uso pessoal e de limpeza; 
  • Comércio e distribuição; 
  • Alimentos processados; 
  • Agropecuária; 
  • Bebidas. 

Financeiro 

Na B3 o setor financeiro é muito forte, sendo um dos que mais influenciam no índice Bovespa (Ibovespa) — que é um termômetro do mercado brasileiro. Integram o setor instituições financeiras e os bancos que atuam no país. 

São destaques no setor os maiores bancos, tais quais Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil, além de empresas como Porto Seguro, Sul América, Iguatemi, Multiplan e outras. 

Seus subsetores na B3 são: 

  • Serviços financeiros diversos; 
  • Securitizadoras de recebíveis; 
  • Intermediários financeiros; 
  • Holdings diversificadas; 
  • Exploração de imóveis; 
  • Previdência e seguros. 

Petróleo. Gás e Biocombustíveis 

Um setor de bastante relevância para o país é o de petróleo, gás e biocombustíveis. Participam dele empresas como a Petrobras, Petro Rio, Ultrapar, Cosan, Dommo e outras. Ao contrário dos demais, ele não é subcategorizado. 

Viu como funciona a classificação dos setores da bolsa de valores? Ao conhecê-las você terá maior facilidade em encontrar os melhores setores para investir — e poder comparar o desempenho das empresas de um mesmo setor para investir na mais alinhada ao seu perfil e objetivos financeiros.  

Gostou deste conteúdo? Aumente ainda mais seus conhecimentos sobre a bolsa lendo também o post mercado de balcão: o que é e como funciona!

Comentários