Com o crescimento e popularização do mercado de criptomoedas, muitos investidores têm se perguntado como investir em bitcoin. Sendo o principal ativo do segmento, essa moeda virtual desperta a atenção daqueles que buscam ampliar seu potencial de rentabilidade.

Desse modo, é cada vez mais comum ver brasileiros buscando alternativas para se expor às criptomoedas. Contudo, a forma tradicional de realizar esse investimento traz consigo certos riscos. Por isso, oportunidades regulamentadas podem ser mais interessantes.

Ainda, o entendimento sobre a lógica desse mercado é essencial para que os investimentos sejam feitos com mais estratégia. Desse modo, nós, da Genial, explicaremos neste artigo como investir em bitcoins.

Acompanhe a leitura!

O que são criptomoedas?

A primeira etapa para entender como investir em bitcoin é compreender o funcionamento do mercado de criptomoedas. Afinal, embora seja um tópico central de inúmeras discussões e projeções, ele ainda está se estruturando.

Em um primeiro momento, é possível traduzir o conceito de criptomoedas para moeda virtual. Ou seja, é um dinheiro que existe apenas no ambiente digital. No entanto, para que você possa entender esse termo com mais clareza, é interessante dividir os elementos que a compõem.

Assim, as criptomoedas surgem a partir da junção das palavras “criptografia” e “moedas”. O nome indica que existe tecnologia por trás da criação de novas moedas. Nesse contexto, muitos criptoativos funcionam a partir da tecnologia blockchain.

O blockchain é um sistema moderno que permite uma maior agilidade, transparência e segurança para diversas transações — que não necessitam de um intermediário. Ele consiste em uma cadeia de blocos que envolvem diversos computadores em todo o mundo.

Dessa maneira, o principal diferencial das criptomoedas para as moedas fiduciárias — como o dólar ou o real — está em sua descentralização. Isso significa que não há um órgão regulador que atue sobre esse mercado.

Quais são as suas principais características?

Após entender o que são as criptomoedas, é importante compreender suas principais características. Afinal, a sua lógica de funcionamento é um dos aspectos que têm atraído investidores para elas.

Entenda!

Descentralização

Como você viu, a característica primária e central das criptomoedas está em sua descentralização. Como não há um organismo superior capaz de controlá-las, as moedas virtuais são consideradas independentes e livres.

Privacidade

Além da descentralização, a privacidade é outro aspecto relevante das criptomoedas. Embora as negociações com o blockchain sejam transparentes — com negociações públicas — a rede não expõe os usuários envolvidos.

Preço não controlado

A maioria das moedas digitais não é controlada por um Banco Central ou Governo de países. Assim, seu preço segue livremente a lei de oferta e demanda. Isso é visto como vantagem por muitos investidores e especuladores.

O que é o bitcoin?

No mercado de criptomoedas, o maior destaque é o bitcoin. Esse ativo, além de ser o precursor do mercado, é um dos grandes responsáveis pelo crescimento e estruturação do nicho.

Saiba mais sobre ele!

Quando surgiu?

O bitcoin surgiu no ano de 2008 — logo após a crise dos subprimes. O intuito foi ser uma alternativa ao mercado financeiro tradicional. A moeda foi desenvolvida por um criador ou grupo que se apresentou com o pseudônimo de Satoshi Nakamoto.

Ele publicou o documento “Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System” em um fórum sobre criptomoedas — cujo conceito já era discutido antes desse ativo. A tecnologia por trás do bitcoin foi implementada na mesma época.

Como funciona?

Como você viu, as criptomoedas são um tipo de moeda que existem apenas no ambiente virtual. Dessa forma, o bitcoin funciona a partir de sua rede blockchain. Essa plataforma, além de permitir transações utilizando o ativo, também registra todas as movimentações.

Assim, ela traz uma maior transparência para todo o sistema. Além disso, a rede é descentralizada. Logo, não há um mecanismo ou órgão regulador que precise autorizar as transações. Todo o processo é conduzido pela própria blockchain.

Cada elemento dessa cadeia de blocos está interligado. Com isso, cada operação fica registrada na rede e, consequentemente, protegida. Desse modo, é muito difícil conseguir realizar fraudes no sistema.

Quais as outras criptomoedas disponíveis?

Embora seja a principal do mercado, o bitcoin não é a única criptomoeda disponível para que você saiba como investir. Nesse universo de ativos existem diversas alternativas — cada uma com sua própria lógica de funcionamento.

Conheça algumas delas!

Ether

Após o bitcoin, a ether é a principal criptomoeda do mercado. A sua criação se deu em 2015 e, diferentemente do bitcoin, ela não surgiu como um tipo de moeda para os usuários, mas sim como uma plataforma tecnológica.

A ethereum é o sistema onde pessoas podem negociar contratos inteligentes e autoexecutáveis que usam protocolos virtuais. Dessa maneira, é possível acessar instrumentos financeiros na criptomoeda ether e também utilizar a tecnologia para outras práticas.

Litecoin

Com criação em 2011, o litecoin caracteriza-se por compartilhar a mesma lógica de funcionamento do bitcoin. Desse modo, tal qual seu predecessor, essa criptomoeda transmite e registra suas operações na rede descentralizada de sua blockchain.

Contudo, o que diferencia o funcionamento dessas duas moedas está na velocidade. As transações na plataforma do litecoin são mais rápidas que no bitcoin. Assim, a criptomoeda pode apresentar maior praticidade para investidores iniciantes desse mercado.

Ripple

Um dos principais aspectos do ripple é funcionar como uma moeda e também uma plataforma. O seu diferencial está em permitir a transferência de valores independentemente do tipo de moeda. Com isso, é possível usá-la para transferir dólares, por exemplo.

Quais as vantagens e os riscos de investir em criptomoedas?

Como em todos os investimentos e negociações de especulação, há oportunidades e riscos envolvidos em moedas digitais. Desse modo, conhecê-los é fundamental para que você faça investimentos de forma mais segura e consciente.

Entenda!

As vantagens

Um dos principais benefícios de se investir em criptomoedas, como o bitcoin, está em seu potencial de valorização. Como são especulativas, é possível perceber variações positivas que dificilmente outro ativo do mercado tradicional poderá equiparar.

Além disso, elas podem ser interessantes para estratégias de diversificação de investimentos. Por isso, pode ser vantajoso para investidores que, além de buscarem novas alternativas, desejam adicionar opções que não façam parte do mercado tradicional.

Ademais, o fato de as criptomoedas não apresentarem vínculo com Governos, Bancos Centrais ou demais órgãos reguladores pode ser visto como um ponto positivo. Afinal, uma crise política ou instabilidade econômica em uma nação não exercem influência direta no preço desses ativos.

Outra característica vantajosa das criptomoedas está na velocidade e na segurança das transações. Como você viu, as movimentações com bitcoin não necessitam de intermediário — o que traz maior agilidade.

Nesse contexto, o funcionamento do sistema contribui para criar um ambiente também imune a fraudes ou golpes. Por fim, vale destacar que elas não estão expostas ao controle cambial — como acontece com as moedas fiduciárias. Os preços variam de acordo com a oferta e a demanda.

Os riscos

No entanto, o investimento ou especulação com criptomoedas pode trazer riscos que devem fazer parte da análise do investidor. O principal aspecto para isso está em sua alta volatilidade. Como são especulativas — e expostas à oferta e demanda — suas cotações oscilam constantemente.

A falta de controle governamental é outro ponto que precisa ser destacado como risco. Mesmo representando uma maior liberdade, a não regulamentação faz com que as criptomoedas possam variar sem qualquer tipo de interferência.

A falta de regulação específica também abre margem para que em algum momento seja criada uma regulação desfavorável às criptos. Por exemplo, caso a negociação seja proibida a menor demanda pode impactar negativamente os preços. Um exemplo é o da China que em 2021 proibiu a negociação de criptomoedas no país, gerando uma grande desvalorização das criptomoedas.

Outro risco relevante no contexto brasileiro é a falta de segurança institucional. Como não contam com regulamentação, o investidor pode operar com instituições que não são fiscalizadas — o que aumenta as chances de ser vítima de fraudes.

Qual a forma tradicional de investir em bitcoin?

Diferentemente do que muitos possam acreditar, não existe apenas uma maneira de se expor ao mercado de criptomoeda. Contudo, a primeira e ainda mais tradicional acontece via exchange. Essa empresa atua como uma espécie de corretora de moedas digitais.

Desse modo, quem tem conta em uma dessas plataformas pode comprar e vender criptoativos. O cliente terá acesso a uma vasta gama de criptomoedas para fazer seus investimentos. A própria exchange pode atuar como instituição custodiante também.

No entanto, embora seja possível traçar um paralelo entre as exchanges e as corretoras de valores, existem diferenças significativas entre elas. Esses pontos estão relacionados principalmente à lógica de funcionamento de cada uma.

Uma corretora de valores brasileira precisa atender a normas determinadas pelo Banco Central (BC) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Essas instituições também trabalham como reguladoras, garantindo maior segurança para os investidores.

Com as exchanges esse processo não existe. Em oposição ao que acontece nas corretoras, elas não precisam atender às mesmas normas . Desse modo, quem investe fica mais suscetível a golpes, como o de pirâmides financeiras.

Como investir em bitcoin de forma regulamentada?

Como você viu, investir em bitcoin diretamente pela exchange pode não ser a melhor escolha em termos de segurança. Além da volatilidade, os investidores ficam expostos a possibilidades de fraudes.

Assim, pode valer a pena conhecer oportunidades mais seguras e práticas para se expor ao mercado de criptomoedas sem abrir mão da segurança institucional. Confiras as principais a seguir!

ETFs

Uma das principais oportunidades para investir em criptomoedas é por meio de um exchange traded fund (ETF), ou fundo de índice, negociados na bolsa de valores. Esse é um veículo de investimento que se destaca por sua gestão passiva — isto é, que busca replicar os resultados de um indicador.

Dessa forma, os ETFs de bitcoin caracterizam-se por acompanhar índices que medem os resultados dessa moeda. No Brasil, a principal gestora desses fundos é a Hashdex, que é responsável por dois fundos de índices centrados em bitcoin: HASH11 e BITH11.

O HASH11 é o primeiro ETF dessa categoria no mercado brasileiro. O seu objetivo é replicar os números do Nasdaq Crypto Index (NCI), dos Estados Unidos. Esse é um dos mais relevantes indicadores do mercado global de criptomoedas.

O BITH11, por sua vez, ganha destaque por ser o primeiro fundo de índice brasileiro 100% voltado para o bitcoin. Contudo, o seu diferencial está em priorizar as práticas de sustentabilidade — sendo um ETF verde. Os seus resultados são de acordo com o Nasdaq Bitcoin Reference Price.

Fundos de criptomoedas

Fora da bolsa valores também é possível encontrar diversos fundos de criptomoeda. Assim como ETFs, esses fundos apresentam um gestor que administra a carteira de acordo com a estratégia. Geralmente, a gestão é ativa — ou seja, o profissional busca superar o benchmark.

Nesse contexto, os fundos variam conforme o objetivo. Existem diferentes níveis de exposição para o mercado de criptomoedas — indo de 20% até 100%. Portanto, é imprescindível que o investidor conheça a estratégia antes de iniciar seus aportes.

A Hashdex também é responsável pela gestão de fundos desse tipo. Entre eles estão:

  • Hashdex 20 Nasdaq Crypto Index FIC FIM;
  • Hashdex 40 Nasdaq Crypto Index FIC FIM;
  • Hashdex 100 Nasdaq Crypto Index FIM IE;
  • Hashdex Bitcoin Full 100 FIC FIM.

Os fundos podem ser interessantes por permitirem que o investimento em bitcoin aconteça com a segurança de uma instituição que acompanha as normas da CVM. Assim, os riscos de cair em golpes ou fraudes diminuem.

Além disso, esses veículos configuram-se em modalidades coletivas. Portanto, a presença do gestor profissional garante que a estratégia do fundo será seguida e que todos os cotistas poderão participar desse processo.

Quais as vantagens de investir em fundos de bitcoin?

Você entendeu que não é preciso abrir conta em uma exchange para investir em bitcoins, não é mesmo? Mas, afinal, por que pode ser mais vantajoso investir em um fundo de criptomoedas ou um fundo de índice para se expor a esse mercado?

Entenda as vantagens!

Segurança

A principal das vantagens de realizar o investimento em fundos está na segurança. Como você viu, diferentemente das exchanges, as instituições envolvidas nos fundos precisam atender a muitos requisitos para estarem em funcionamento. Assim, são alternativas mais seguras.

Corretoras como a Genial, além de cumprirem todas as demandas, passam por supervisões regulares para garantir conformidade em seus processos. Práticas como essa não são comuns em exchanges. Assim, o investidor enfrenta menos riscos nas corretoras de valores.

Transparência

Outro ponto interessante do investimento em fundos a partir de corretoras está na transparência. Como você viu, essas instituições devem atender diversos requisitos para funcionarem. Isso também inclui o contrato de parceria feito com cliente.

Esse, por sua vez, explicita todos os detalhes do acordo. Desse modo, caso exista algum tipo de descumprimento dessas, há como buscar a Justiça. Com as exchanges, embora existam contratos, os termos podem nem sempre estar claros — e não há fiscalização.

Compatibilidade com o perfil

Por fim, as corretoras também são importantes pelos investimentos compatíveis ao seu perfil. Nas exchanges, ao abrir sua conta, você tem acesso a todos os criptoativos que estão disponíveis para compra.

Contudo, esse processo muitas vezes não passa por nenhum tipo de filtro. Assim, o risco de fazer um investimento sem alinhamento com seu planejamento é mais alto. Com as corretoras, se torna mais fácil identificar as oportunidades do mercado de acordo com os seus objetivos.

Qual o passo a passo para investir em bitcoins?

Ao saber que o mercado de criptomoedas — liderado pelo bitcoin — tem chamado a atenção de diversos investidores, muitos se perguntam como investir e acessar esse universo. Se for do seu interesse, é preciso entender como estar apto a aproveitar as possíveis oportunidades.

Conheça o passo a passo para investir em criptomoedas, como o bitcoin!

Entender o seu perfil de investidor

A primeira etapa consiste no entendimento sobre o seu perfil de investidor. Essa questão, inclusive, será determinante para a definição de todas as suas estratégias de investimentos — não apenas com as criptomoedas.

Nesse cenário, existem três tipos principais de perfis: conservadores, arrojados e moderados. Cada um deles apresenta suas próprias preferências de investimento e, consequentemente, podem investir em alternativas distintas.

Os investidores conservadores são aqueles que priorizam a segurança — mesmo que isso signifique menor rentabilidade. Desse modo, como o bitcoin é bastante volátil, dificilmente ele fará parte de uma estratégia de investimentos conservadora.

Os investidores arrojados, por sua vez, investem com foco no maior potencial de rentabilidade. Dessa maneira, eles apresentam uma maior tolerância a riscos. Assim, é possível que esse perfil se interesse por oportunidades com o bitcoin e as criptomoedas.

No meio termo entre os dois perfis existe o investidor moderado. Ele consegue combinar as características de ambos, mesclando segurança e potencial de rentabilidade. Logo, também podem se interessar de forma equilibrada pelas criptomoedas.

Fazer um planejamento financeiro

Após entender o seu perfil de investidor, você deve dar atenção ao planejamento financeiro. Essa fase é importante para fazer com que seus investimentos em bitcoin sejam realizados com estratégia.

Ao se planejar, verifique quais são as suas possibilidades financeiras e quanto de dinheiro pode ser aportado em bitcoins. Lembre-se de que esses ativos contam com oscilação significativa. Logo, é preciso considerar esse aspecto no seu planejamento.

Traçar objetivos

O próximo passo consiste em traçar objetivos e prazos. Desse modo, com o seu planejamento em mãos, será possível fazer exercícios de projeção para entender o momento em que você estará e os resultados que busca atingir.

Especialmente para um mercado volátil, como é o caso do bitcoin, essa atenção aos objetivos é essencial. Como as variações são constantes, é preciso que exista a certeza do alinhamento com a sua estratégia.

De modo geral, objetivos de curto prazo podem não se beneficiar de investimentos de maior risco. Isso porque a chance de resgatar dinheiro com prejuízo nesse período aumenta. Então pode ser mais seguro investir no bitcoin como um aporte de longo prazo.

Criar uma reserva de emergência

Antes de fazer investimentos de risco mais alto é preciso garantir que você tenha sua reserva de emergência. Esse capital pode ser utilizado para cobrir eventuais urgências e imprevistos financeiros que exijam adaptação.

Mesmo sendo um aspecto importante para os investimentos, é comum encontrar investidores com dúvidas sobre como estruturar a reserva. Além disso, não é raro encontrar quem a deixa parada na conta corrente.

O ideal é que esse montante seja investido em um título seguro e de alta liquidez. Dessa forma, além de apresentar uma rentabilidade, ele poderá ser acessado rapidamente por cobrir as emergências que acontecerem na sua vida.

Outro aspecto importante da reserva de emergência está no seu valor. É importante que ela represente, no mínimo, seis meses de custos. Dessa maneira, será possível contar com um patrimônio para lidar com dificuldades.

Isso ajuda a ter mais segurança ao se expor a um mercado volátil, como o de bitcoin e criptomoedas. Com a reserva, você poderá fazer investimentos mais tranquilos sabendo que, em casos de necessidade de dinheiro, não precisará liquidar as moedas.

Conhecer as alternativas do mercado

Agora chega o momento da análise do mercado. Será durante essa fase que você se dedicará a avaliar todas as alternativas disponíveis e, de acordo com o seu perfil de investidor e objetivos, encontrar as que apresentem maior alinhamento.

Entre os ETFs, por exemplo, você já conheceu o HASH11 e o BITH11, ambos geridos pela Hashdex. O BITH11, inclusive, tem todo o seu portfólio atrelado totalmente ao bitcoin. Além dos dois, existem outros fundos de índice voltados para moedas digitais, como:

  • QBTC11;
  • QETH11;
  • ETHE11

O mesmo vale para os fundos de investimento negociados fora da bolsa. Como os veículos apresentam diferentes níveis de exposição ao bitcoin e as demais criptomoedas do mercado, é preciso clareza para encontrar aqueles que apresentam maior alinhamento com suas expectativas.

Fazer o investimento

Após todas essas análises e projeções de cenários, você está mais preparado para realizar seus investimentos. Desse modo, mesmo com toda a volatilidade do mercado e os riscos envolvidos, é possível alocar seu capital de maneira mais estratégica.

Na hora de decidir, considere a diversificação da sua carteira. Essa estratégia consiste em adicionar diferentes ativos para o seu portfólio com objetivo de diluir riscos e variar possibilidades de retorno.

Em uma carteira concentrada em bitcoin, por exemplo, uma queda na cotação traria um forte impacto. Mas em um portfólio diversificado, mesmo que o bitcoin apresente uma má performance, o impacto pode ser controlado.

Como começar agora a investir?

Depois de conhecer mais sobre o bitcoin e o mercado de criptomoedas, você pode avaliar se tem interesse em investir. Para aportar, é essencial que você conte com uma corretora que possa oferecer essas oportunidades — como a Genial.

Por meio da nossa plataforma, você poderá analisar e investir em ETFs e nos fundos de criptomoedas atrelados ao bitcoin. Assim, será capaz de aproveitar o potencial que esse mercado pode atingir.

Como vimos, o bitcoin pode apresentar características interessantes em seu funcionamento. Entretanto, fazer esse investimento por meio de uma exchange costuma trazer mais riscos. Desse modo, contar com uma corretora pode ser importante para fazer aportes mais seguros.

Quer investir em moedas digitais? Conheça os fundos de criptoativos da Hashdex!

Comentários