A FLAG Asset Management é uma gestora carioca fundada em 2012 por ex-sócios do Banco Pactual. Seus dois fundos de investimento são distribuídos pela plataforma da GENIAL e você pode investir neles com apenas um clique.

O mais moderado, o FLAG FIC FIM, é um multimercado que acumula alta de 47,54% de 1º de julho de 2015, quando sofreu uma reformulação na sua estratégia, até o fim de dezembro de 2017, contra 36,97% do CDI no mesmo período.

Já o fundo de ações FLAG FIC de FIA, que teve um dos melhores desempenhos entre os fundos distribuídos pela GENIAL no ano passado, acumula valorização de 123,27% contra 57,49% do Ibovespa desde seu início em janeiro de 2015 até o fim de dezembro de 2017.

Segundo o sócio e gestor do fundo de ações, Rodrigo Galindo, ambos os fundos foram pensados, desde o início, para serem voltados para investidores de varejo, com aplicação mínima inicial de apenas 5 mil reais.

Nesses tempos de juros baixos, os dois fundos surgem como oportunidades para quem deseja um potencial de rentabilidade maior. Afinal, não está mais dando para ganhar aquele 1% ao mês (ou mais) em aplicações conservadoras. Para isso, o investidor precisa correr um pouco mais de risco, e as principais oportunidades de 2018 estão na bolsa.

Conheça, a seguir, as estratégias e características dos dois fundos e para quem são recomendados:

FUNDOS FLAG FIC FIM

O multimercado FLAG FIC FIM é o fundo mais moderado da FLAG. Ele não faz operações de crédito privado e seu caixa é inteiramente lastreado em títulos públicos.

Sua política de investimentos permite operações com juros, moedas, ações e commodities. O objetivo é superar a taxa CDI, taxa de juros que acompanha a Selic.

A preferência da gestão é pelo investimento em ativos de alta liquidez. A liquidez do fundo para resgate também é alta. A liquidação do resgate ocorre em D+5, isto é, o investidor tem acesso aos recursos cinco dias úteis após pedir o resgate.

Segundo a FLAG, esse fundo é interessante para os investidores que até agora só investiram em renda fixa conservadora e desejam dar os primeiros passos em investimentos com um pouco mais de risco.

Em 2017, sua rentabilidade foi de 12,57%, contra um CDI de 9,93%. Embora tenha iniciado sua operação em 2012, a FLAG considera como data de início do fundo o dia 1º de julho de 2015.

Naquele ano, a gestora passou a contar com novos sócios, o que mudou bastante a estratégia do fundo. Sua rentabilidade acumulada desde então até o fim de dezembro de 2017 foi de 47,54%, contra um CDI de 36,97% no mesmo período.

O FLAG FIC FIM está investindo, no momento, entre 15% e 20% da carteira em ações. “Gostamos de bolsa para o médio prazo porque acreditamos que a perspectiva para a bolsa é positiva do ponto de vista dos fundamentos, pelas empresas estarem com maior capacidade de competitividade”, diz Rodrigo Galindo, sócio fundador da FLAG.

Além disso, diz Galindo, o fundo segue com uma aposta significativa em juros. “Acreditamos que a inflação vai seguir tranquila em 2018 e 2019. Acontece que, até janeiro de 2020, quando completar um ano de mandato do próximo presidente, a curva de juros futuros está precificando uma alta de juros de 3,5% [isto é, o mercado espera uma alta de juros de 3,5% até janeiro de 2020]. Achamos, entretanto, que é uma alta excessiva. Mesmo que um candidato de esquerda vença, dificilmente ele faria choque de juros nos primeiros seis meses do novo governo, ainda mais num ambiente de inflação baixa como devem ser esses próximos dois anos. Vemos aí uma oportunidade de ganho”, diz Galindo.

FLAG FIC de FIA

O fundo de ações da FLAG é uma opção mais arrojada, sendo destinado ao investidor com horizonte de médio e longo prazo e já acostumado com algum risco na carteira.

Cerca de 80% da carteira do fundo é composta por ativos de alta liquidez, e 20% são voltados para operar midcaps (empresas de médio valor de mercado), para não deixar passar oportunidades.

A liquidez do fundo também é alta, com resgate ocorrendo em D+10, isto é, em dez dias úteis a partir do pedido de resgate.

O FLAG FIC de FIA teve uma das melhores performances entre os fundos distribuídos pela GENIAL em 2017. Sua valorização no ano foi de 31,59% contra 26,86% do Ibovespa. Desde o seu início, em janeiro de 2015, até o fim de dezembro de 2017, a alta foi de 123,27% contra 57,49% do Ibovespa no mesmo período.

Sua estratégia se baseia na escolha de ações de setores específicos a partir de projeções macroeconômicas, prática que está no DNA da FLAG. “Trata-se de um fundo que opera por tema macroeconômico”, resume seu gestor, Rodrigo Galindo.

A estratégia vencedora em 2017, por exemplo, baseou-se no investimento em ações dos setores de consumo e infraestrutura.

O fundo começou a investir em ações de empresas ligadas ao consumo em novembro de 2016, baseado nas projeções da FLAG de inflação controlada e queda de juros em 2017. Até maio do ano passado, quando ocorreu o vazamento da delação da JBS, o fundo investiu em papéis como Multiplan, BRMalls, Arezzo, Pão de Açúcar e Cyrela.

Após o vazamento da delação da JBS, que aumentou significativamente o nível de risco dos mercados, as ações de empresas do setor de infraestrutura, que já haviam rendido bons ganhos ao fundo em 2016, sofreram um baque. Isso fez com que o fundo diminuísse um pouco sua posição no setor de consumo para se voltar para esses papéis.

“De lá para cá, mantivemos um mix desses dois temas. O de infraestrutura corresponde mais ou menos a 25% da carteira do fundo, e o de consumo abarca cerca de 60% da carteira. O resto está em histórias específicas – bancos e alguma coisinha em saúde”, diz Galindo.

As perspectivas para ambos os setores em 2018 continuam boas. O gestor espera que as companhias de infraestrutura realizem vendas de ativos que acabaram, por algum motivo, não ocorrendo em 2017. Já para o setor de consumo, Galindo acredita que há oportunidade de compra, pois as ações acabaram de passar por uma “realização de lucros importante”.

“Nossa expectativa para 2018 é de que seja um ano de inflação ainda baixa e com crescimento econômico em torno de 2,5%, 3,0%. E boa parte desse crescimento virá do consumo”, diz o gestor.

FLAG FIC FIM
Aporte inicial: 5 mil reais
Movimentação mínima: 1 mil reais
Taxa de administração: 1,86% a.a. com taxa de administração máxima de 2,50% a.a.
Taxa de performance: 20% sobre o que exceder 100% do CDI
Resgate: Cotização em D+4 úteis e liquidação em D+1 útil após a data de cotização.

FLAG FIC de FIA
Aporte inicial: 5 mil reais
Movimentação mínima: 1 mil reais
Taxa de administração: 2,00% a.a.
Taxa de performance: 20% sobre o que exceder 100% do Ibovespa
Resgate: Cotização em D+7 úteis e liquidação em D+3 úteis após a data de cotização.

Conheça mais sobre a história, as estratégias e os diferenciais da FLAG Asset Management nesta entrevista com Rodrigo Galindo, sócio fundador da FLAG e gestor do fundo de ações da gestora carioca.

Advertência

Selo da AnbimaEste material tem propósito informativo, não consistindo recomendação financeira ou estratégica para investimentos. A Geração Futuro pode efetuar alterações no conteúdo deste documento a qualquer momento. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não necessariamente foram auditadas. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do Fundo Garantidor de Créditos – FGC.

A rentabilidade divulgada não é liquida de impostos. Para a avaliação de performance de fundo de investimento é recomendada uma análise de no mínimo 12 (doze) meses. LEIA O PROSPECTO E O REGULAMENTO ANTES DE INVESTIR EM QUALQUER FUNDO DE INVESTIMENTO. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. A comparação da rentabilidade dos Fundos com os respectivos indicadores econômicos se trata de mera referência econômica, e não meta ou parâmetro de performance.

FLAG FIC FIM: iniciou atividades em 01/07/2015, P.L. em DEZEMBRO de R$ 157.743.776,15 e P.L. Médio 12 Meses R$ 136.919.087,57. No MÊS sua rentabilidade foi de 2,07% contra 0,57% do CDI. No ANO acumulou uma rentabilidade de 12,57% contra 9,93% do CDI e ao longo dos últimos 12 meses acumulou uma rentabilidade de 12,57% contra 9,93% do CDI. A rentabilidade acumulada desde o início foi de 47,54%, enquanto o CDI acumula no mesmo período 36,97%. O FUNDO ACIMA É DESTINADO AO PÚBLICO EM GERAL.

FLAG FIC de FIA: iniciou atividades em 02/01/2015, P.L. em DEZEMBRO de R$ 57.076.287,91 e P.L. Médio 12 Meses R$ 30.749.372,53. No MÊS sua rentabilidade foi de 4,67% contra 6,16% do Ibovespa. No ANO acumulou uma rentabilidade de 31,59% contra 26,86% do Ibovespa e ao longo dos últimos 12 meses acumulou uma rentabilidade de 31,59% contra 26,86% do Ibovespa. A rentabilidade acumulada desde o início foi de 123,27%, enquanto o Ibovespa acumula no mesmo período 57,49%. O FUNDO ACIMA É DESTINADO AO PÚBLICO EM GERAL.

Publicado por Genial

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Contentários