Tomar decisões de investimento exige planejamento, análise de informações e entendimento do cenário. Porém, muitas pessoas simplificam tudo isso ao serem afetadas por um comportamento conhecido como efeito manada. 

Ele acontece diante da tomada de decisão sem que haja uma reflexão verdadeira e, por isso, pode trazer riscos elevados. A boa notícia é que é possível evitar esse comportamento, reduzindo os impactos que ele pode causar. 

Neste artigo, você saberá o que é o efeito manada e entenderá como agir para impedir que ele prejudique sua carteira. Confira! 

O que é o efeito manada? 

A psicologia estuda o efeito manada como um comportamento humano comum diante de atitudes coletivas. Ele representa a tendência apresentada pelas pessoas de replicarem as ações de um determinado grupo, em busca dos melhores resultados mediante a tomada de decisão. 

Ele se aplica a diversos cenários no cotidiano, como o fato de a opinião pública poder ser alterada devido a posicionamentos de pessoas influentes. Esse comportamento também existe no mercado financeiro, em especial em relação aos investimentos. 

Como ele funciona? 

O funcionamento do efeito manada depende do comportamento em grupo ou em blocos. Quanto maior ou mais influente for o grupo que age, mais intensa será a capacidade de mobilizar outras pessoas a fazerem o mesmo. 

Em um exemplo no mercado financeiro, imagine que Warren Buffett, um dos maiores investidores da história, dê uma entrevista e recomende fortemente a compra de ações de uma empresa. 

Mesmo sem avaliar os indicadores ou refletir sobre a decisão, é provável que muitos optem por investir na bolsa de valores nesse exato ativo. Afinal, confiam na percepção de quem fez fortuna na bolsa e acreditam ser uma excelente oportunidade. 

Quanto mais pessoas investirem no papel, mais ele tende a se valorizar. Então, mesmo quem não tiver visto a recomendação inicial, poderá se sentir inclinado a comprar para não perder a chance de obter lucros. 

Esse é um exemplo de efeito manada. Nesse caso, a decisão não é construída individualmente e, sim, com base na influência de alguém ou no comportamento geral de um grupo. 

O efeito manada é um dos responsáveis pela ocorrência de circuit breaker — a interrupção da bolsa de valores diante de grandes quedas. Em um cenário de crise ou incerteza, uma parcela dos investidores começa a se desfazer dos ativos — e muitos deles o fazem de maneira precipitada. 

Isso gera uma reação em cadeia de investidores que não querem ficar por último e, teoricamente, com os maiores prejuízos. Como consequência, mais pessoas vendem os ativos, ampliando a força vendedora e causando quedas ainda mais significativas na bolsa, o que pode levar à interrupção. 

Quais são os riscos do efeito manada? 

Como você pode perceber, entre os principais riscos e impactos do efeito manada estão as perdas que podem ser geradas pela tomada de decisão inadequada. 

Quem apresenta um comportamento de manada durante uma queda do mercado pode acabar se desfazendo do ativo sem uma estratégia por trás. Logo, gera uma venda a um preço menor — que pode estar abaixo do preço de compra e causa prejuízo. 

Em muitos casos, os resultados negativos após uma queda pontual podem ser revertidos, mas é preciso aguardar com o ativo na carteira. Com a venda, há a consolidação da perda, afetando o retorno. 

As perdas também podem acontecer pela compra incorreta. Quem adquire um ativo em um momento em que boa parte do mercado o está comprando, provavelmente, paga mais caro que o necessário. Como consequência, o desempenho futuro será afetado. 

Por que é importante conhecer esse conceito? 

A melhor maneira de evitar as consequências indesejáveis do efeito manada é conhecendo como ele acontece e o que pode causar. Portanto, entender o conceito é uma parte essencial para proteger sua carteira e sua estratégia, impedindo que você tenha esse comportamento sem perceber. 

Ao compreender como o mecanismo funciona e como impacta a tomada de decisões, você conseguirá definir com mais clareza se entrar ou sair de um investimento na renda variável é mesmo a melhor escolha, por exemplo.  

Esse é um conhecimento que o ajudará a ter mais autonomia ao investir. Além disso, é uma forma de driblar os riscos de maneira consciente, você terá a chance de não seguir a manada e proteger mais a sua carteira. 

Como evitar o efeito manada? 

Considerando que agora você sabe o que é o efeito manada e o que ele pode causar, é fundamental descobrir como evitá-lo. Um dos pontos essenciais consiste em entender que a sua tomada de decisão deve ser prioritariamente individual. 

É possível conhecer as notícias do mercado, avaliar análises de especialistas e acompanhar as tendências. Porém, na hora de tomar decisões, o que mais deve pesar é a sua estratégia. Então é crucial considerar seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros. 

Isso ajuda a entender como você se comporta diante da volatilidade do mercado, evitando que assuma riscos que o deixem desconfortável. Ainda, há outras indicações para lidar com o efeito manada.  

Veja! 

Tenha capacidade analítica 

Uma técnica central para fugir do efeito manada é saber obter suas próprias conclusões sobre oportunidades e ameaças do mercado financeiro. Para tanto, é fundamental usar informações relevantes para fazer escolhas. 

Quanto maior for sua capacidade analítica, mais seguro você se sentirá a respeito das suas decisões e menos será impactado pelo comportamento externo. Assim, será mais fácil definir como proceder com o investimento em ações ou em outros ativos. 

Reforce seu controle emocional 

O comportamento de manada tem um impacto psicológico muito grande, já que é natural não querer perder uma oportunidade que todos aproveitam ou ser deixado para trás. Porém, o caminho da maioria nem sempre é a direção certa. 

Portanto, é preciso trabalhar seu controle emocional, acreditando na sua estratégia e em suas análises. Isso dará mais segurança para manter suas decisões, mesmo que sejam contra a tendência. 

Diversifique a sua carteira 

Diversificar os investimentos é uma estratégia que permite diluir os riscos e até aumentar o retorno do portfólio. A ideia é fazer com que seus recursos não estejam concentrados em um só ou em poucos ativos. 

A diversificação ajuda a evitar o efeito manada porque você sentirá impactos menores com o movimento de um ativo específico. Dessa maneira, é mais fácil não se impactar pelo medo ou pela ganância, tomando decisões mais objetivas. 

Como você viu, o efeito manada é um comportamento humano bastante comum, mas que pode prejudicar seus investimentos. Com essas dicas, será possível prevenir esse tipo de armadilha e proteger seus resultados. 

Na hora de investir, o ideal é contar com uma corretora de qualidade. Abra sua conta conosco e seja Genial!

Comentários