Com o aumento da concorrência e até das vendas online, novas soluções no campo financeiro surgiram e se popularizaram. Entre elas, estão formas de pagamento, oportunidades de investimentos e outras áreas. No varejo, uma solução que se tornou comum é o cashback.

Diante da popularização desse método, cada vez mais consumidores passaram a valorizar esse benefício em suas compras. Além disso, muitas empresas recorrem a novos mecanismos para disponibilizar essa modalidade, buscando atrair e fidelizar o público.

Mas, afinal, você sabe o que é cashback? Neste artigo, nós, da Genial Investimentos, explicamos o que é esse mecanismo, como ele funciona e se o cashback é vantajoso em seu planejamento financeiro.

Aproveite a leitura!

O que é cashback?

O cashback é um programa de recompensas no qual as pessoas recebem de volta uma determinada quantia após uma compra ou movimentação financeira. Inclusive, em tradução livre para português, o termo significa “dinheiro de volta”.

Para entender melhor, imagine que você deseja comprar um smartphone novo e viu que determinada loja online oferece 10% de cashback para compras à vista. Ou seja, se você adquirir um celular por R$ 2 mil, receberá R$ 200 de volta.

Apesar de ser similar, é importante entender que o cashback não é, necessariamente, um desconto. Afinal, usando o exemplo acima, você precisaria desembolsar os R$ 2 mil para comprar o smartphone à vista e só após fazê-lo teria acesso ao dinheiro de volta.

Apesar de ter ganhado popularidade a partir da década de 2010, o cashback não é uma prática nova. Os primeiros programas com esse tipo de benefício começaram nos Estados Unidos e na Europa ainda nos anos 1990.

Uma das pioneiras dessa prática foi a norte-americana Ebates, que oferecia cerca de 25% de cashback para clientes que compravam online em sites parceiros. Ao longo dos anos, o negócio chamou a atenção de diversas outras empresas, que fizeram colaborações com ela.

A Ebates conseguia rastrear a jornada do usuário para se certificar que ela tinha participação naquela venda e recebia um percentual da transação do site parceiro. Diante do sucesso, ela foi adquirida em uma transação bilionária em 2014 pela japonesa Rakuten.

Como esse mecanismo funciona?

Agora que você conheceu um pouco mais da história do cashback, vale a pena compreender melhor como o mecanismo funciona. Afinal, em um primeiro momento, você ainda pode confundi-lo com outras vantagens concedidas aos consumidores.

Até aqui, foi possível perceber que o cashback envolve o direito de receber dinheiro de volta após fazer uma compra, certo? Ou seja, você paga o preço cheio em determinada transação e recebe uma porcentagem do valor no futuro.

A quantia devolvida varia segundo as condições estabelecidas pela empresa que oferece o programa de cashback. Por exemplo, um estabelecimento oferece 5% de cashback em todas as compras, enquanto outro faz com que a porcentagem dependa do valor do pedido.

Após a conclusão da compra, o programa de cashback rastreia a transação e aguarda a validação da loja parceira. Esse processo costuma levar algum tempo, já que o estabelecimento precisa confirmar a compra e verificar se não houve cancelamentos, devoluções ou uso de cupons não autorizados.

Uma vez que a compra seja validada, o cashback será creditado para o usuário. Ele pode ser encaminhado direto para a conta corrente, em uma plataforma de cashback ou mesmo em bônus na loja, dependendo das regras do programa.

Quais são os tipos de cashback existentes?

Além dos pontos que você já viu, é interessante destacar que existem diferentes tipos de cashback. Entre os principais exemplos estão:

  • livre: é aquele que dá mais flexibilidade para o cliente. Ele receberá o dinheiro de volta e poderá utilizá-lo da forma que for mais estratégica em sua rotina financeira;
  • exclusivo: depende das regras do programa e costuma limitar as opções de uso do cliente, como definir o uso para uma compra futura na mesma empresa ou unidade;
  • social: está atrelado a determinada causa social com a qual o consumidor pode contribuir com a compra. Ou seja, em vez de receber uma parte do valor pago, o cliente tem a chance de fazer uma doação para uma instituição com a qual se identifique.

Embora esses três tipos sejam os principais, existem outros modelos de cashback que as empresas adotam. Por exemplo, o cashback também pode ser escalonado e quanto maior for a compra, maior será a porcentagem de cashback oferecida.

É o caso de uma loja que dá 2% de cashback para compras até R$ 100, 4% para compras entre R$ 100 e R$ 200, e assim por diante.

Como ganhar cashback?

Após saber que existem diferentes tipos de cashback, outro ponto de destaque é entender que há maneiras distintas de você conseguir ganhar dinheiro de volta em suas compras. A seguir, veja quais são as principais alternativas!

Plataformas especializadas

Existem diversas plataformas especializadas em programas de cashback, que operam sob uma lógica similar àquela da Ebates que você viu. No Brasil, há exemplos como Méliuz, PicPay, Ame Digital e diversos outros.

Nesse tipo, você precisa se inscrever na plataforma. Com a conta aberta, você terá acesso ao portfólio de sites parceiros do programa, que podem oferecer as mais diversas regras de cashback para suas compras.

Para ter acesso ao benefício, é preciso fazer a compra pelo site da plataforma, app ou link de acesso disponibilizado por ela. Essa é a maneira que o programa tem para rastrear a transação e garantir que você seguiu todas as regras.

Ainda, as plataformas podem oferecer programas de assinatura para os clientes. Aqueles que optam por pagar uma mensalidade ao programa têm acesso a benefícios exclusivos, como cashbacks mais altos.

Os ganhos das plataformas especializadas também vêm da parceria com as lojas. Elas podem receber um percentual da compra por terem ajudado no processo de conversão do cliente, funcionando como uma espécie de comissão.

Cartão de crédito

Outra maneira de receber cashback é com cartões de crédito. Muitos bancos e instituições financeiras oferecem o dinheiro de volta como um benefício para os clientes que usam seus cartões.

Desse modo, cada vez que você usa o cartão para fazer uma compra, uma porcentagem da fatura é devolvida em forma de cashback. Os cartões de crédito podem oferecer cashback em todas as compras ou em categorias específicas, como supermercados, postos de gasolina ou restaurantes.

Assim como acontece com os programas especializados, as regras variam conforme o tipo de cartão. Uma prática comum de muitas instituições financeiras é o cashback progressivo, prevendo diferentes faixas de pagamento.

Ademais, muitos cartões de crédito têm lojas próprias, formadas por ofertas de parceiros que oferecem cashback. Ao fazer a compra por meio desse ambiente, você recebe uma parte dos recursos de volta.

Promoções

As próprias lojas também podem oferecer programas de cashback para seus clientes. Um exemplo é quando um e-commerce oferece dinheiro de volta para os consumidores em determinados produtos.

Nesse contexto, o cashback tende a vir em formato de bônus para outras compras — gerando desconto no futuro. A loja também tem a chance de fazer parcerias com a instituição financeira do cliente para viabilizar a entrega do dinheiro de volta.

Quais são as vantagens do cashback para os consumidores?

Receber cashback pode ser oportuno para a sua rotina de compras. A principal vantagem dele é a oportunidade de economizar dinheiro em suas transações, já que você reduz o custo líquido da movimentação ao receber uma parte da quantia de volta.

Ele também viabiliza compras mais inteligentes, já que o cashback pode incentivar você a refletir melhor sobre a compra. Quando há a oferta de dinheiro de volta em determinada loja, há mais chances de você comparar o produto em diferentes sites e ver qual é o mais vantajoso, concorda?

Ainda, o cashback permite que os clientes tenham mais dinheiro disponível para futuras compras. Ao acumular esses retornos, você pode usá-los para obter descontos em outras movimentações, gerando mais economia.

Também é uma vantagem combinar o cashback com outras promoções. Por exemplo, há como usar um cartão que acumula pontos em um site que dá cashback, usufruindo dos aspectos positivos dos dois benefícios.

Como as empresas se beneficiam dos programas de cashback?

Além dos benefícios para os clientes, oferecer dinheiro de volta é vantajoso para as empresas. Isso vale tanto para aquelas plataformas especializadas em cashback quanto para lojas que fazem parcerias com elas.

Primeiramente, a oferta de cashback costuma ser uma estratégia eficaz para atrair novos clientes. Os consumidores são cativados pela oportunidade de receber uma parte do gasto de volta, o que pode incentivá-los a escolher uma determinada marca em vez de seus concorrentes.

O cashback também serve como um incentivo para compras maiores. Sabendo que receberão uma porcentagem de volta, os clientes muitas vezes se sentem incentivados a adicionar mais itens ao carrinho para se beneficiar do retorno.

Já as empresas especializadas em programas de cashback podem ganhar com as comissões ao viabilizarem vendas em sites parceiros. Outra estratégia, como você viu, é ter os planos de assinatura, os quais geram mais previsibilidade de receita para elas.

É melhor receber cashback ou pontos?

Apesar de o cashback ser um benefício que ganhou popularidade, existe outra possibilidade de ter vantagens com compras: a pontuação. Ela pode ser proveniente de gastos com determinados cartões ou compras em plataformas especializadas.

Assim como existem programas de cashback, há aqueles que trabalham com pontos. A lógica é similar: a plataforma faz parceria com lojas e rastreia a compra dos clientes. A diferença é que, em vez do dinheiro de volta, os gastos se transformam em pontos.

Já a pontuação recebida costuma ter diversos usos. Ela pode ser acumulada e usada para comprar produtos diretamente nas plataformas especializadas, por exemplo. Entre os exemplos de programas estão Livelo, Dotz, Esfera e outros.

A pontuação acumulada também pode ser transformada em milhas aéreas. Isso gera descontos na compra de passagens de avião para diversos destinos, por exemplo.

Nesse sentido, a decisão entre cashback e milhas depende de cada compra. Caso a oferta de cashback seja mais alta, ela pode ser mais vantajosa. Já se você tiver um objetivo para uso dos pontos, eles podem ser um caminho mais estratégico.

De qualquer forma, vale lembrar que você não precisa, necessariamente, optar por um ou outro. Caso seu cartão dê pontos, existe a chance de priorizar o cashback nas compras em plataformas e sites que oferecem a modalidade e ainda acumular a pontuação, por exemplo.

É interessante ter um cartão com cashback?

Até aqui, você viu que uma das formas de receber cashback é com o cartão de crédito. Mas será que vale a pena ter um cartão com esse benefício?

Apesar de o cashback ter aspectos que podem ser benéficos, há outros pontos para você avaliar, como seus hábitos. Se você é um consumidor frequente e realiza muitas compras com cartão de crédito, contar com essa funcionalidade pode ser positivo.

Contudo, você precisa saber quais são as políticas do cartão, como o percentual que ele oferece de cashback nas compras. Também é pertinente saber se há anuidade e se a instituição financeira tem regras de isenção para essa quantia. Afinal, a depender da anuidade e do valor gasto mensalmente, o benefício pode não ser realmente vantajoso. 

Como utilizar cashback?

Existem diversas formas de usar o dinheiro de volta das suas compras. Muitos programas de cashback permitem que você use o dinheiro acumulado como crédito em sua fatura do cartão, reduzindo o total a ser pago.

Outra forma de utilizar o cashback é transferindo o dinheiro para sua conta bancária, caso as regras permitam. A medida trará mais flexibilidade para usá-lo em outros gastos cotidianos.

Além disso, o cashback pode ajudar seus investimentos. Por exemplo, esse dinheiro extra que você terá em suas compras pode complementar suas aplicações e aportes mensais, auxiliando no seu acúmulo de capital.

Cashback vale a pena?

É sempre oportuno buscar condições vantajosas de pagamento antes de finalizar uma compra, não é mesmo? Seja um desconto para quitação à vista ou prazos mais amplos no parcelamento, por exemplo.

Nesse sentido, o cashback é outro benefício com diversos pontos positivos. Como você viu, ele reduz o total pago pela compra e ainda disponibiliza dinheiro de volta que pode ser usado em outras áreas do seu planejamento financeiro.

Entretanto, para saber se ele vale a pena, o primeiro ponto a avaliar é o percentual de retorno. Considere se ele é interessante e se é um diferencial na sua escolha.

Analise também as regras da promoção. Veja o prazo no qual você pode esperar para ter o dinheiro de volta, se ele ficará livre ou atrelado a outras movimentações, entre outros pontos.

Por fim, não deixe de se certificar de que a compra vale realmente a pena. A ocorrência de uma promoção pode estimular compras impulsivas, dando a entender que há muitos benefícios. Então você deve fazer gastos cautelosos e que sejam racionais.

Completando esta leitura, você entendeu o que é cashback e as vantagens que receber dinheiro de volta traz para seu planejamento financeiro e suas compras. Com essas informações, será mais fácil saber se o benefício vale a pena e buscar adotá-lo em suas compras.

Quer entender mais sobre organização financeiras? Veja a importância de uma planilha para acompanhar gastos e investimentos!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!