Muitas pessoas ficam confusas quando o assunto é CDB x CDI, principalmente quem está começando a investir agora ou ainda não investe. Se esse for o seu caso, tenha atenção, pois essas siglas aparecerão com frequência no seu dia a dia. 

Embora parecidos, os termos são bem diferentes. Para não confundir, é essencial conhecer os aspectos que envolvem cada um deles. Além disso, vale entender o papel do CDB e do CDI no âmbito dos investimentos. 

Neste artigo, nós da Genial Investimentos vamos ajudá-lo a entender o que são e quais as diferenças entre o CDB e o CDI. Vamos lá? 

O que é CDB? 

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. Ele é um produto de investimento oferecido por bancos privados. A emissão desses títulos é uma forma que as instituições financeiras têm de captar crédito para realizar suas operações. 

Os bancos podem utilizar o dinheiro para oferecer seus produtos financeiros, como financiamentos e empréstimos. Em troca do capital, eles remuneram o investidor com uma taxa de juros. 

Assim, investir em CDB é como emprestar dinheiro para uma instituição financeira. Por se tratar de renda fixa, o investidor já conhece as regras de rentabilidade no momento de realizar o investimento. 

Como funciona? 

O funcionamento do CDB, portanto, está relacionado ao sistema de empréstimo das instituições financeiras. Apesar de simples, é importante entender que nem todo Certificado de Depósito Bancário funciona da mesma forma. 

Por esse motivo, antes de fazer o investimento, é preciso verificar alguns parâmetros, como prazo de vencimento e rentabilidade do produto. A remuneração pode se dar de três formas principais: 

  • prefixada (você sabe exatamente quanto receberá no vencimento); 
  • pós-fixada (atrelada a algum indicador econômico); 
  • híbrida (combina uma taxa fixa e um indicador de referência). 

Quais são as características do CDB? 

As características dos CDBs dependem da instituição emissora. Dessa forma, cada banco define fatores como prazo de vencimento e rendimentos oferecidos. É comum que bancos menores ofereçam taxas de juros mais altas para atrais novos investidores. 

Conheça algumas das principais características de um CDB: 

Prazo de vencimento 

Ele indica por quanto tempo o seu dinheiro ficará investido. O prazo de vencimento também está diretamente relacionado com a rentabilidade. De modo geral, quanto mais tempo o valor estiver aplicado, mais ele renderá.  

Inclusive, a taxa de juros em prazos maiores costuma ser maior. Ao acessar a plataforma da sua corretora é possível encontrar diversas opções. Logo, você pode escolher de acordo com seus objetivos de curto, médio ou longo prazo. 

Liquidez 

Esse conceito representa a facilidade de resgatar o investimento e transformá-lo em dinheiro disponível para uso. É possível ter um CDB com prazo de vencimento de 2 anos, por exemplo, mas que oferece liquidez diária. 

Nesse caso, o investidor pode deixar o dinheiro rendendo pelos 2 anos, mas também pode solicitar a quantia a qualquer momento. Por outro lado, há outros cujo resgate deve se dar apenas no vencimento. Nesses, dizemos que a liquidez é baixa. 

Aporte mínimo 

Alguns bancos apresentam um limite mínimo de aplicação em seus CDBs menor, tornando o investimento mais acessível. Em alguns casos, é possível investir com quantias bastante reduzidas. Em outros, há a exigência de quantias maiores. 

Rentabilidades mais atrativas, normalmente, são associadas a aportes mínimos mais significativos. Títulos que exijam, no mínimo, R$5 mil de aplicação, por exemplo, podem oferecer taxas de juros maiores. 

Risco 

Como os CDBs podem ser emitidos por bancos e instituições financeiras de todos os portes, os riscos variam. No caso dos bancos mais sólidos, eles são menores. A qualidade da instituição oferece mais segurança para que os investidores sejam pagos sem problemas.  

Por outro lado, bancos menores tendem a apresentar maior risco de calote ou de falência. Contudo, em relação à segurança é possível contar com o fundo garantidor de crédito (FGC), considerando as regras e limites dele. 

O que é CDI? 

Agora que você sabe o que é CDB, pode entender o conceito de CDI. A sigla significa Certificado de Depósito Interbancário e está relacionada aos empréstimos que os bancos fazem entre si. Eles realizam essas transações com o objetivo de fechar o caixa positivo. 

Pensando em proteger o mercado financeiro, o Banco Central impede as instituições bancárias de fecharem o dia com saldo negativo. Assim, quando o saldo diário não fica equilibrado entre a quantidade de saques e depósitos, os bancos fazem um empréstimo com outra instituição. 

A taxa CDI culmina dos juros calculados a partir de uma metodologia definida pela Cetip (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos). Para isso, é levada em consideração a média de juros pagos entre os bancos. 

Como funciona? 

A Cetip registra diariamente todas as transações realizadas entre as instituições financeiras. Com isso, ela pode divulgar a cada dia quais foram as taxas de juros praticadas. A B3 realiza, então, o cálculo da média da taxa para chegar ao valor do CDI. 

Normalmente os juros praticados nessas operações são baixos, já que elas ocorrem entre dois bancos e duram apenas um dia. Para acompanhar o CDI é possível conhecer seu valor anual, que é obtido quando se chega ao número anualizado considerando os dias úteis. 

Qual a relação do CDI com os investimentos? 

Se você já analisou algum investimento, principalmente de renda fixa, pode ter visto que o CDI é utilizado como referência de rentabilidade de muitos produtos. Um exemplo deles é o CDB na modalidade pós-fixado. 

Assim, o CDI é um índice econômico muito utilizado para cálculo dos rendimentos. Um investimento que paga 100% do CDI, por exemplo, tem rentabilidade que acompanha as variações da taxa ao longo do tempo. 

Além dos produtos de renda fixa, a taxa CDI também pode ser utilizada como benchmark de certos fundos de investimentos. Ou seja, ela pode ser usada a nível de comparação com a atuação do gestor e os resultados da carteira do fundo. 

Os investidores podem, então, ter uma referência na hora de mensurar o desempenho de seus investimentos. Isso ajuda a basear as decisões de investimentos. 

Como você viu, CDB e CDI são conceitos distintos, mas têm certa relação. Por isso, é importante ter em mente cada um deles para começar a investir de forma inteligente. Assim, você poderá ter escolhas mais alinhadas aos seus objetivos e fazer seu dinheiro render mais! 

Sente-se mais preparado para começar a investir? Abra a sua conta conosco de forma fácil, rápida e sem custo! E aproveite para ter acesso a inúmeras alternativas de investimento em renda fixa e variável! 

Comentários