Macarena Onelink Baixe o App

Os investimentos alternativos podem trazer diversas oportunidades para quem acredita no desenvolvimento de certos mercados. Neste contexto, você pode se interessar pela relação que existe entre as Criptomoedas e os games.

Você sabia que esses dois conceitos podem se completar e, inclusive, trazer chances de investimento? Contudo, antes de realizar aportes e operações, é fundamental conhecer o significado de cada um e entender como funciona o mercado.

Quer saber mais? Nós, da Genial Investimentos,explicaremos como as Criptomoedas e os games se relacionam e como é possível investir neles. Aprenda conosco!

Como funciona o mercado de games?

“Games” é uma palavra inglesa que significa “jogos”. Ela é geralmente utilizada para se referir aos jogos eletrônicos, de video games ou computadores. Dessa forma, esse é um conceito bastante conhecido atualmente.

Os primeiros jogos eletrônicos foram criados ainda nos anos de 1970, por meio dos fliperamas. No final dessa década, também foi lançado, comercialmente, o primeiro videogame compacto — conhecido como Atari.

Com o passar dos anos, os games foram se expandindo e chamando a atenção de outros públicos. Como resultado, eles não são mais passatempos apenas de criança. Assim, o mercado movimenta uma indústria bilionária com novos lançamentos e campeonatos.

Segundo uma reportagem da CNN, em 2020, os games arrecadaram quase 180 bilhões de dólares mundialmente. Essa marca foi maior que toda a arrecadação dos serviços de streaming e de esportes juntos.

A acessibilidade e a popularidade dos games também fez surgir o conceito de eSport. O termo trata dos campeonatos e das competições relacionadas aos jogos. Inclusive, os eSports movimentam um mercado expressivo.

Além dos próprios jogadores e dos games relacionados, há toda uma indústria de entretenimento por trás dos campeonatos. Eles são acessados mundialmente por plataformas de streaming e outros serviços correlatos.

Uma das últimas novidades a respeito dos jogos eletrônicos foi a expansão dos games para os blockchains. Esses sistemas são os mesmos pelos quais  diversas Criptomoedas são negociadas — e isso possibilitou uma revolução nos jogos, como você verá adiante.

O que são as Criptomoedas?

Além dos games, você precisa entender o conceito de Criptomoedas. A primeira  foi criada em 2008, por uma pessoa, ou grupo, utilizando o pseudônimo de Satoshi Nakamoto. Por conta disso, não se sabe quem  é ou se realmente é apenas uma pessoa.

Na época, Satoshi Nakamoto lançou um documento explicando os funcionamentos do Bitcoin e do blockchain, lançando a primeira Criptomoeda.

A ideia das Criptomoedas, em geral, é servir como uma moeda de troca e pagamento de forma descentralizada e independente. Desse modo, elas não possuem lastro físico — existindo apenas virtualmente, em um sistema que não é controlado por governos ou entidades centralizadas.

Com isso, as Criptomoedas podem operar livremente e ser utilizadas como pagamento em qualquer estabelecimento que as aceite. Para que esses ativos digitais funcionem, é preciso um sistema. Normalmente, é utilizado o blockchain.

Esse é um banco de dados descentralizado e criado de forma autônoma. Para dar efetividade a essa descentralização, não há um servidor central ou oficial, sendo que qualquer usuário pode fazer parte da rede.

O blockchain funciona por meio de correntes de blocos de informação. Cada bloco é criptografado e contém informações de transações de Criptomoedas e outros dados. O bloco também possui dados de diversos outros blocos.

Logo, para um bloco ser modificado — quando ocorre uma transação, por exemplo —, é preciso que ocorra uma validação de dados. Como essas informações são espalhadas em computadores do mundo todo, é mais difícil ocorrerem fraudes e modificações maliciosas.

Como funciona o investimento em Criptomoedas?

Você já entendeu o que são e como funcionam as criptomoedas. E, se você costuma se atualizar sobre o mercado financeiro e de investimentos, deve ter ouvido falar no aporte em Criptomoedas — principalmente Bitcoin—, não é mesmo?

Apesar de ser uma alternativa atraente, é preciso entender os detalhes desse aporte antes de investir. Em primeiro lugar, vale lembrar que a maior parte das criptomoedas não possui lastro em outras moedas, nem controle governamental.

Por isso, o movimento dos preços costuma ser descorrelacionado de outros mercados. Na prática, a variação da cotação se dá conforme a oferta e a demanda dos investidores e usuários. Se há muitas pessoas adquirindo determinada moeda, e poucas vendendo, o preço tende a subir.

Por outro lado, quando há  movimento alto de venda e pouca demanda, a cotação cai. Dessa maneira, os criptoativos variam livremente conforme o volume de negociações no mercado. Assim, a oferta e a demanda são influenciadas por casos concretos e pelos sentimentos dos investidores.

Quando ocorre uma situação geopolítica com consequências econômicas relevante, como a guerra entre Rússia e Ucrânia, a demanda por criptomoedas pode subir, tendo em vista as restrições monetárias. Já quando há mais instabilidade no mercado das moedas, o volume de vendas pode aumentar, reduzindo o preço.

Portanto, o investimento e a especulação com Criptomoedas buscam tirar proveito dessas movimentações, em busca do lucro. Em decorrência de sua volatilidade e imprevisibilidade, elas são consideradas de alto risco.

Como as moedas digitais se relacionam com os games?

Após entender o conceito de games e Criptomoedas, você deve estar curioso para saber a relação entre esses mercados, certo? Como vimos, os games evoluíram, e muitos  começaram a ser programados por meio do blockchain — a mesma plataforma que permite a operacionalização de Criptomoedas.

Isso trouxe uma possibilidade interessante nesse meio. Os games baseados em blockchain podem criar e utilizar Criptomoedas próprias, além de ter NFTs (non-fungible tokens). Eles são ativos individuais e únicos, com valor intrínseco.

No caso das Criptomoedas, elas podem servir como a moeda de dentro do jogo. Ou seja, se os jogadores quiserem comprar um item no próprio game, conseguirão utilizar a cripto criada. Elas também costumam ter valor para outros jogadores e, portanto, são trocadas entre os usuários.

Para entender melhor, imagine um jogo de corrida de carros. Cada carro é um NFT — eles são únicos e possuem um valor agregado. Além disso, o jogo de corrida pode ter uma moeda própria. É com ela que os jogadores compram os carros para competir.

Então, quem deseja começar a jogar, precisa ter o NFT de um carro. Por exemplo, o jogador pode comprar as Criptomoedas do jogo para trocá-las por um carro e começar a jogar. Vale ressaltar que muitos desses jogos são “play to earn” — termo em inglês que significa “jogar para ganhar”.

Assim, enquanto você joga, também ganhará as Criptomoedas do game. Mas cada jogo baseado em Criptomoedas e NFTs tem o seu próprio funcionamento. As alternativas podem ter missões específicas, ranking de colocados, batalhas, itens valiosos e outras particularidades.

Por que é importante acompanhá-los?

Ao conhecer as Criptomoedas, os games e a relação desses conceitos, vale saber a importância de acompanhar o mercado relacionado a eles. Isso pode ser interessante tanto para investidores quanto para especuladores.

O principal motivo é que os games baseados em Criptomoedas e NFTs podem trazer oportunidades de investimento e especulação. Esses criptoativos, apesar de servirem somente para compras e transações dentro dos jogos, têm valor financeiro.

Afinal, quem utiliza esses jogos para ganhar as moedas — atitude conhecida como “farmar” — precisa ter os NFTs e dedicar tempo ao jogo. Como eles são “play to earn”, as Criptomoedas são obtidas pela própria interação dos usuários.

Dessa maneira, os jogadores podem tanto utilizar as moedas recebidas no próprio jogo quanto trocá-las por outros ativos, como Criptomoedas mais famosas. Isso gera uma forma de especulação que pode atrair interessados em criptoativos.

Ademais, caso o jogo esteja em alta, com muitos jogadores e usuários, as suas moedas tendem a se valorizar. Como você sabe, o preço varia conforme o volume de negociações, então é possível estudar esses movimentos para buscar ganhos.

Contudo, vale ressaltar que o mercado de criptoativos possui um alto risco para os especuladores. Afinal, as oscilações dependem de diversos fatores e situações imprevisíveis. Ainda, como os jogos são independentes, também há possibilidades de fraudes por parte dos criadores.

Mas existem alternativas de investimentos voltadas para pessoas com um perfil menos arrojado ou que não buscam, necessariamente, especulação. Os Exchange Traded Funds e os Fundos de Criptomoedas, por exemplo, podem expor o investidor indiretamente aos ativos digitais voltados aos games.

É possível investir nas Criptomoedas de games?

No tópico anterior você já notou que há alternativas de investimentos ligadas às Criptomoedas de games. Como este assunto é bastante requisitado, vale entender mais sobre cada possibilidade de investimento.

A seguir, você conhecerá os ETFs e os BDRs. Confira:

ETFs

ETF é a sigla para Exchange Traded Fund. No Brasil, ele também é chamado de Fundo de Índice. Trata-se de um fundo de investimento que busca espelhar os resultados de um índice do mercado financeiro escolhido pelo veículo.

Para isso, os ETFs montam um patrimônio de proporções iguais à carteira teórica do índice. Os recursos são administrados por um gestor profissional de forma passiva. Ou seja, ele movimenta os ativos conforme o índice escolhido, a cada rebalanceamento.

Os investidores que desejam participar do veículo podem comprar cotas — que representam uma fração do patrimônio do ETF e variam de preço conforme os movimentos da carteira e do índice.

No Brasil, as cotas dos ETFs são negociadas por meio da Bolsa de Valores — a B3. Assim, após o lançamento do fundo, as cotas podem ser negociadas entre investidores por meio do mercado secundário da Bolsa.

Vale destacar que os ETFs podem seguir diversos índices do mercado financeiro, abrangendo diversos segmentos, setores, áreas e economias. Entre eles, estão aqueles indicadores que acompanham Criptomoedas e outros ativos digitais.

Logo, o investidor consegue se expor ao mercado de criptoativos por meio de uma alternativa regulamentada e com segurança institucional. Contudo, vale ressaltar que o mercado de criptos é bastante volátil, então este ainda é um investimento para quem tem mais resistência aos riscos.

BDRs

Por fim, uma maneira de se expor internacionalmente às Criptomoedas de games e a outros ativos digitais é por meio de BDRs. A sigla significa Brazilian Depositary Receipt,  são Certificados de Depósito de valores mobiliários de outros países.

Desse modo, os BDRs funcionam como recibos atrelados a ativos internacionais, que podem ser Ações, Títulos de Dívida ou Cotas de ETFs. Para isso, uma instituição depositária compra os ativos estrangeiros e fica responsável pelo depósito e pela guarda destes.

Essas instituições  podem emitir os BDRs na Bolsa brasileira — há uma variação de preço atrelada a esses ativos. Vale saber que, uma vez emitidos os certificados, a instituição não tem mais autonomia para negociar os ativos atrelados a eles, garantindo segurança aos investidores.

Entre os BDRs listados, você pode encontrar aqueles atrelados a ETFs de Criptomoedas negociados no exterior. Logo, será possível ter uma exposição às alternativas sem precisar realizar aportes internacionais diretamente.

Como você viu, as Criptomoedas e os games têm uma relação que pode interessar diversos investidores. Se você quiser se expor a esse mercado, não se esqueça de analisar bem as alternativas e de contar com uma boa corretora de valores.

Ficou interessado nesses aportes? Então, vem para a Genial!

Comentários