Quem especula na bolsa de valores normalmente está à procura de uma estratégia que lhe permita lucrar no curto prazo. Ganhar muito e perder pouco é uma das premissas que guiam essa atividade, e o desenvolvimento de um setup trader pode auxiliar a atingir esse objetivo.

Como o mercado é cíclico e muda com frequência, é comum que o trader precise ajustar o seu setup de tempos em tempos. No entanto, seja para desenvolver ou modificar uma estratégia, o especulador precisa deter conhecimento, tempo de tela e bastante disciplina.

Você quer conhecer mais a respeito do setup trader? Então acompanhe este artigo e veja qual é o segredo por trás de uma estratégia eficaz!

O que é especulação?

Caso você seja novo no mercado ou esteja estudando a respeito, é possível que ainda não conheça a fundo o conceito de especulação. Logo, vale a pena começar retomando essa atividade.

No mercado financeiro, a especulação é a prática de comprar e vender ativos ou derivativos financeiros com o objetivo de lucrar no curto ou curtíssimo prazo. Essa é uma forma de tentar ganhar dinheiro rápido com pequenas variações de preços.

Por exemplo, se um especulador identifica a possibilidade de valorização de uma ação, ele realiza sua compra para, posteriormente, vendê-la mais caro. Na hipótese de sua previsão se confirmar, o seu lucro será a diferença entre o preço de compra em relação ao de venda do papel.

Assim, não importa para o especulador se a ação adquirida era de uma empresa de qualidade ou prestes a falir. O que normalmente motiva a tomada de decisão é a possibilidade dos preços se movimentarem para que ele consiga aproveitar oportunidades para lucrar.

Nesse sentido, a especulação não pode ser confundida com investimento. Quem investe costuma ter uma visão de longo prazo. Via de regra, a preferência do investidor é se manter sócio de empresas que tenham uma boa saúde financeira e perspectiva de crescimento no futuro.

Ademais, a especulação na bolsa de valores não se limita à compra e venda de ações. Na verdade, é possível fazer trades com fundos imobiliários (FIIs), fundos de índice (ETFs), câmbio, contratos futuros, opções e diversas alternativas.

Quais as estratégias de especulação mais comuns?

Você viu que o especulador consegue lucrar no mercado com a variação de preços, no curto ou curtíssimo prazo. Conheça as principais estratégias utilizadas para fazer isso:

Day trade

O day trade refere-se à operação que é aberta e encerrada no mesmo dia. Com isso, não é importante saber se ela durou o dia inteiro, se foi feita em questão de horas ou minutos. Caso a compra e a venda tenham se dado no mesmo pregão, será considerada como day trade.

Por ser bastante dinâmica, a estratégia day trade exige bastante concentração e rapidez do especulador. Muitas vezes, ele passa o dia todo acompanhando o mercado para identificar as melhores oportunidades de operar e lucrar.

Grande parte dos day traders opera setups em contratos futuros de índice e dólar, e suas versões mais acessíveis (mini índice e o mini dólar). Isso por conta da alta volatilidade desses derivativos, o que permite a realização de operações com maiores margens de lucro.

Scalping

O scalping é uma estratégia dentro do day trade, pois ela também é uma operação iniciada e encerrada no mesmo dia. Porém, são negociações muito rápidas, que duram poucos minutos ou segundos. Logo, elas tendem a ser mais curtas que o day trade comum.

Considerando essa dinâmica, é normal que os operadores de scalping tenham setups específicos para cada movimentação. Isso porque em determinadas ocasiões a volatilidade do mercado aumenta, permitindo a realização de trades sequenciais ou repetidos na mesma região de preços.

Quem é adepto do scalping não obtém grandes lucros com as variações de preço, especialmente considerando que as operações são encerradas em intervalos muito curtos. No entanto, isso é compensado com o aumento do número de compras e vendas.

Por exemplo, enquanto um day trader faz uma operação para ganhar R$ 100 o scalper trader pode fazer dez operações menores, ganhando R$ 10 em cada. A lógica é que às vezes é mais fácil elaborar um setup que pague R$ 10 a desenvolver um em que possa ser obtido R$ 100.

Swing trade

O swing trade é uma estratégia que dura um tempo maior que no day trade. Usualmente, são operações que começam em um dia e encerram no dia seguinte ou em poucas semanas. Isso dá uma margem de tempo maior para o trader programar suas entradas e saídas.

Portanto, diferente do day trade o especulador não precisa encerrar a sua operação até o final do pregão, nem acompanhar o mercado o dia todo. Com isso, é normal que o swing trade seja realizado por aqueles que exercem alguma outra atividade e não podem se dedicar exclusivamente à bolsa.

No entanto, nessa estratégia, o trader fica posicionado entre os pregões. Assim, ele estará mais suscetível aos riscos de acontecimentos que podem impactar o mercado enquanto ele está fechado. Por exemplo, notícias sobre a economia mundial, questões políticas, alterações legislativas etc.

Outra diferença entre as estratégias é a tributação sobre o ganho de capital. No day trade, incide uma alíquota de 20% de Imposto de Renda (IR), sem isenções. Já no swing trade, o percentual é de 15% e na operação com ações há isenção para um volume de vendas mensal inferior a R$ 20 mil mensais.

Position

Por fim, o position trade é uma estratégia em que as operações são realizadas com intervalos mais espaçados que no swing trade. As operações podem durar várias semanas, meses ou até anos. O período será definido com as análises do especulador.

O trader que opera essa estratégia costuma buscar lucros maiores se pautando em tendências mais longas, aproveitando os ciclos do mercado. Ele também se beneficia da mesma tributação e isenção (no caso de operar ações) do swing trade.

Embora o position trader também faça o uso de setups, é comum adicionar elementos da análise fundamentalista para escolha dos ativos e das operações. Dessa maneira, algumas questões qualitativas sobre o ativo a ser operado podem ser determinantes para sua tomada de decisão.

O que é um setup trader?

Depois de conhecer o conceito de especulação e ver as principais estratégias relacionadas a essa prática, chegou o momento de entender o que é o setup trader.

Ele consiste nas técnicas utilizadas pelo especulador para executar suas operações no mercado financeiro. Ou seja, o setup é o conjunto de parâmetros definidos pelo trader para comprar ou vender um ativo ou derivativo financeiro.

Nele, por exemplo, o operador terá definido o gatilho de entrada. Isto é, o que precisa acontecer no mercado para que ele abra a operação. Também será configurado qual é o stop gain e o stop loss a ser utilizado. Ou seja, quando o trade deverá ser encerrado com lucro ou prejuízo.

A configuração do setup normalmente é feita com base em padrões ou figuras gráficas pertencentes à análise técnica. Desse modo, assim que o gráfico fizer uma formação gráfica específica, o trader executa a operação, seguindo o que foi configurado no setup.

Cada operador elabora o setup de modo a atender às suas necessidades. Logo, é uma ferramenta bastante pessoal, podendo ser considerada a assinatura do trader ou o seu jeito de operar. Por conta disso, pode acontecer de um setup funcionar bem para alguns e não para outros.

Existem traders, por exemplo, que aceitam tomar mais risco em troca de um potencial de retorno maior — bem como os que operam quantias financeiras elevadas. Logo, um setup que atende a esse público pode não funcionar para quem tem um capital menor ou não está tão aberto aos riscos.

Assim, é importante saber como criar o seu próprio setup, ou adaptar um setup já criado à sua realidade e objetivos financeiros. E isso poderá ser visto ao longo deste conteúdo!

Saiba Mais: Objetivos Financeiros: Como se planejar antes de investir

Qual a importância de se ter um setup trader?

Um setup trader é importante em diversos sentidos. Dentre as principais razões está a padronização de suas operações. Ter motivos para entrar e sair de operações elimina o fator emocional dos trades — que geralmente atrapalha bastante o especulador.

Muitos traders perdem dinheiro por tomar decisões influenciados pela emoção. É o caso do chamado “trade de vingança”, quando o operador quer recuperar uma perda financeira que teve. Ou também quando segue o comportamento de outros operadores (efeito manada).

Essas ocorrências tendem a diminuir com o uso de um setup. Isso porque será necessário o mercado apresentar algum cenário específico, “motivando” a realização da operação. Enquanto isso não ocorre, caberá ao operador aguardar — evitando abrir trades pautados na emoção.

Além disso, o setup trader permite que você tenha o controle sobre a relação risco e retorno dos seus trades. Quando suas operações são embasadas em interpretações subjetivas, é possível que você encontre dificuldades em controlar seus ganhos e perdas.

Nessa situação, você até poderá ter trades vencedores, mas, quando houver um trade perdedor, ele pode fazer com que todo o lucro obtido seja devolvido. Ao utilizar um setup, é possível fixar tanto os ganhos quanto as perdas.

Dessa forma, você poderá restringir seus trades àqueles que possuem uma relação de risco retorno positiva. Ou seja, que objetivo de lucro seja maior que o valor aceito de perda. Logo, ainda que você se depare com um prejuízo, ele poderá ser compensado com os trades que derem certo.

Qual o segredo por trás de uma estratégia eficaz? 

Sabendo agora o que é o setup trader e sua importância, ainda é preciso conferir o segredo por trás de uma estratégia eficaz. Ter esse conhecimento pode servir como um guia para você montar suas estratégias e adaptá-las para ter maiores chances de sucesso.

Confira!

Conheça o mercado

Uma das formas mais efetivas de se ter êxito em uma atividade é aprofundar seus conhecimentos acerca dela e de tudo que a envolve. Desse modo, a pessoa que busca sucesso na especulação deve conhecer o mercado, o que faz os preços movimentarem, o ativo que pretende operar etc.

A bolsa de valores é um ambiente onde compradores e vendedores se encontram para negociar ativos e derivativos financeiros. Os preços se movimentam de acordo com a lei da oferta e demanda — e entender essa dinâmica é fundamental para a escolha do ativo que será operado.

Como vimos, a proposta da especulação é aproveitar a oscilação do mercado para ganhar com a diferença de preços entre a compra e a venda. Portanto, dificilmente você conseguirá obter lucro se os preços não se movimentarem.

A lei da oferta e demanda nos ensina que quanto maior for o interesse sobre um ativo, maior será a volatilidade do seu preço. Quando um produto está esgotando em uma feira, por exemplo, é esperado que seu preço suba. Isso porque a escassez forçará o interessado a pagar mais caro.

E o mesmo acontece no cenário contrário. Quando muitos vendem o mesmo produto, é normal que os preços caiam. Afinal, um dos vendedores precisará abaixar o preço, caso tenha urgência em vender. E essa mesma dinâmica acontece na bolsa de valores.

Desse modo, o trader precisa estar atento aos ativos e derivativos que tenham muitos interessados, seja na ponta compradora ou na vendedora. Desse modo, suas chances de encontrar operações serão maiores, e poderá ser elaborado um setup de acordo com a volatilidade de cada ativo.

Entenda as teorias acerca do mercado

Outra maneira de agilizar seu processo de aprendizagem sobre a bolsa é estudar o conhecimento deixado por pessoas que já tiveram contato com ela. Muitos nomes já passaram pelo mercado e escreveram sobre suas experiências. Entre os mais importantes destaca-se Charles Dow.

Charles Henry Dow foi um jornalista estadunidense que, no ano de 1884, criou o que ficou conhecido como a “Teoria de Dow” ao analisar a compra e venda de ações no mercado norte-americano. A teoria aborda 6 princípios, são eles:

1. O mercado desconta tudo

Dow verificou que todos os acontecimentos são instantaneamente descontados nos preços. Logo, assim que uma informação é disponibilizada para o mercado, ela impacta nos preços de compra e venda de todos os ativos e derivativos negociados.

2. O mercado se move em tendências

Segundo esse princípio, o mercado se move em tendências de alta, baixa ou lateral que intercalam com o tempo. Além disso, elas podem ser divididas em primária (movimentos longos), secundária (correções dos movimentos primários) e terciária (movimentos leves ao torno da secundária).

3. As tendências têm 3 fases

Para Dow, cada tendência apresenta 3 fases distintas. A primeira é de acumulação (quando traders experientes se posicionam). A segunda é de participação pública (quando outros operadores se posicionam) e a terceira é de distribuição (quando os traders experientes desfazem suas posições).

4. Médias confirmam tendências

Segundo Dow, médias e índices confirmam tendências entre si. A média é um indicador que aponta a movimentação média dos preços. E o índice é um indicador que mede o desempenho de um setor ou um grupo de ativos. Caso eles apontem para a mesma direção, a tendência estará confirmada.

5. O volume confirma a tendência

A ideia por trás desse princípio é de que uma tendência somente será forte se for acompanhada de grande volume financeiro. Nesse sentido, a ausência de volume pode indicar pouca força, portanto, a tendência não estaria confirmada.

6. As tendências continuam até serem revertidas

O último princípio da teoria refere-se à premissa de que uma tendência persistirá até que seja substituída por outra.

Depois que os princípios de Charles Dow foram reunidos e compilados em livros sobre o mercado, a sua teoria se tornou a base da análise técnica moderna. E é utilizada até hoje por especuladores do mercado. Logo, ela pode servir como pilar para seus setups trader.

Estude a análise técnica

A análise técnica, também conhecida como análise gráfica, é uma forma de ler o mercado através de figuras gráficas. Ela surgiu no século XVIII, por meio do comerciante japonês Munehisa Honma, que operava no mercado futuro de arroz de Dojima no Japão.

Honma anotava os preços dos cupons de arroz a cada dia de negociação. Para facilitar o entendimento, ele passou a desenhar figuras — conhecidas hoje como candlesticks (velas). Elas representavam o preço de abertura, fechamento, máxima e mínima diária.

Ao analisá-las ao longo do tempo, Honma percebeu que alguns padrões se repetiam e, após eles ocorrerem, era possível deduzir as próximas movimentações de preços. Dessa forma, ele passou a se posicionar de forma antecipada em negociações e começou a ter êxito nos seus trades.

A partir dos conhecimentos deixados por Honma surgiu a análise técnica, que é utilizada todos os dias por milhares de especuladores do mercado. Com ela, você poderá encontrar os melhores momentos para comprar e vender um ativo ou derivativo financeiro.

Conheça os padrões gráficos

Como você viu, a análise gráfica permite que o trader se antecipe a possíveis movimentos de preço. Mas, para isso acontecer, é preciso conhecer os padrões gráficos.

Desde a criação da análise técnica, variados padrões surgiram. Então você precisará estudar aqueles que fazem mais sentido para o seu operacional e que atendam aos seus objetivos financeiros. Cada padrão gráfico poderá embasar um setup trader.

No entanto, é preciso destacar que a ocorrência de um padrão gráfico não garante que os preços se movimentarão conforme o esperado. Traders mais experientes costumam dizer que “o mercado é soberano”. Ou seja, ele pode mudar de direção a qualquer momento e não deve ser subestimado.

Saiba gerenciar os riscos

Como você já deve presumir, o gerenciamento de risco é essencial em qualquer estratégia de especulação. Isso significa minimizar a sua exposição aos riscos da renda variável. Ainda que todo o investimento envolva um grau de risco, na especulação eles tendem a ser mais elevados.

Mesmo operando com setups ajustados e com boa relação risco e retorno, imprevistos podem acontecer. Nesse sentido, é importante saber quando parar. Entenda que dias de perda são comuns nessa atividade e se planeje para eles.

O seu objetivo como trader não deve ser nunca perder, mas tentar ganhar mais e perder menos. Portanto, sempre considere os riscos existentes antes de abrir uma operação. Além disso, ajuste o seu setup para que as perdas estejam dentro daquilo que você aceita perder.

Descubra indicadores que podem ajudar na estratégia

Assim como os gráficos e padrões evoluíram com o tempo, a tecnologia proporcionou diferentes ferramentas para auxiliar o trader na análise técnica. Entre elas estão os indicadores, que são linhas, desenhos, formas e dados plotadas nos gráficos com base em cálculos matemáticos.

Atualmente, o especulador tem à sua disposição uma série de indicadores técnicos. Eles são responsáveis por trazerem de forma simples e rápida informações que seriam complexas de obter se precisassem ser calculadas manualmente.

Você poderá utilizá-los para refinar as entradas e saídas no seu setup trader, confirmar tendências, reversões, etc. Dentre os mais conhecidos e utilizados estão: médias móveis, bandas de Bollinger, MACD, ADX, IFR, estocástico, HiLo, canais de Keltner e muitos outros.

Estabeleça um setup alinhado aos seus objetivos

Muitas pessoas começam a especular visando ganhar dinheiro rápido. Contudo, esses são os que mais estão suscetíveis a terem grandes perdas financeiras. Isso porque quando o trader olha somente para os lucros, geralmente esquece os riscos envolvidos.

Isso pode ser evitado ao traçar objetivos financeiros, uma vez que assim você poderá criar setups mais realistas e alinhados aos planos traçados. Muitos profissionais buscam ter um retorno sobre o capital alocado em percentuais — na faixa de 1% e 2% no day trade ou 3% e 5% no swing trade.

Contrate uma plataforma trade robusta

Quem busca ter alta performance no mercado precisa se valer das melhores ferramentas disponíveis. Embora seja possível a utilização do home broker para fazer a maioria das operações mencionadas, seu uso não costuma ser indicado — especialmente no day trade.

Atualmente, existem diversas plataformas que foram criadas com o propósito de atender às necessidades do especulador. Com elas é possível enviar ordens rápidas, acessar gráficos e diversos indicadores para auxiliar nas suas análises, assim você poderá extrair o máximo de qualquer setup.

Conte com uma corretora de valores

Para negociar na bolsa você necessariamente precisará estar vinculado a uma corretora de valores. Ela será a responsável por intermediar as suas negociações com os demais participantes do mercado. Logo, busque por aquela que presta o auxílio necessário para sua jornada como trader.

A Genial Investimentos fornece cursos, materiais educativos, e-books, assessoria de investimentos, além de diversas plataformas traders a custo zero. Nosso objetivo é facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil, de forma simples e prática.

Conclusão

Neste conteúdo, você viu a importância de um bom setup trader para especular na bolsa. Ademais, é necessário ter conhecimento sobre o mercado para conseguir configurar uma estratégia que atenda ao seu perfil e objetivos. Então não deixe de conferir os conteúdos da Genial para aprender mais! Quer começar a operar no mercado financeiro com as melhores plataformas do mercado? Abra já sua conta na Genial Investimentos, acesse a casa do trader e confira as opções disponíveis!

Comentários