Organizar as finanças é um objetivo de muitos brasileiros — e diversas pessoas aproveitam o início de um novo ano para buscar essa meta. Com isso, a estabilidade financeira tem muito significado para quem está em busca de mais tranquilidade.

Afinal, ter uma relação mais estável com o dinheiro permite aproveitar uma série de vantagens, como evitar o endividamento e realizar seus sonhos. Logo, vale a pena conhecer dicas para alcançar esse objetivo em 2023.

Você sabe o que significa a estabilidade financeira pessoal e como chegar até ela? Confira a leitura e veja 10 passos!

O que é estabilidade financeira?

A estabilidade financeira é um princípio ou conceito que significa ter mais segurança e tranquilidade na sua vida financeira. Nesse caso, você não precisa se preocupar, por exemplo, se a sua renda mudará muito em pouco tempo ou se você terá mais gastos do que esperava.

Uma vida financeira instável, por outro lado, apresenta mais riscos e problemas. Isso acarreta diversas outras dificuldades, como endividamento, gastos descontrolados, renda insuficiente para o seu custo de vida e até problemas emocionais e de relacionamento interpessoal.

Por isso, ter estabilidade financeira permite se sentir melhor, mesmo diante de eventuais questões externas. Ou seja, a estabilidade não significa não enfrentar imprevistos, mas sim ter melhores condições de passar por eles com tranquilidade.

Desse modo, você pode ter uma vida financeira equilibrada, ainda que passe por alguma crise ou o país enfrente um cenário econômico ou político desafiador, por exemplo.

É importante frisar que viver tranquilo não tem relação com o tipo de emprego ou necessariamente com a sua renda. É possível ter estabilidade financeira sendo concursado público ou empreendedor, por exemplo.

Da mesma maneira, você pode estar seguro e tranquilo independentemente se tem uma renda mais baixa ou mais alta. Logo, esse não é um privilégio apenas de pessoas ricas.

Por que muitas pessoas estão procurando se estabilizar financeiramente?

Infelizmente, o Brasil é conhecido por ter muitas pessoas sem estabilidade financeira. Na verdade, nosso país tem altas taxas de endividamento e de problemas relacionados ao dinheiro. Mas a situação pode mudar.

Nos últimos anos, tem sido cada vez mais comum que as pessoas busquem educação financeira e até comecem a investir. Isso está acontecendo porque elas têm o desejo de se estabilizar financeiramente, cuidar da própria carreira e montar um patrimônio.

Essas práticas trazem diversas vantagens. Afinal, tendo uma vida financeira estável você pode viver sem tantas preocupações e realizar planos — como comprar um carro ou uma casa, pagar a educação dos filhos, viajar, se aposentar bem etc.

As finanças estáveis também significam que você não será controlado pelo dinheiro, mas terá controle sobre ele. Isso facilita muito suas decisões, tanto de carreira como de vida pessoal. Como resultado, o dinheiro deixa de ser uma fonte de preocupação constante.

Buscar mais estabilidade permite, ainda, que você tenha um custo de vida menor do que a sua renda. Esse cuidado traz mais segurança diante de imprevistos e faz com que você não entre na estatística do superendividamento.

Como conseguir alcançar a estabilidade financeira em 2023 com 10 passos?

Agora que você sabe o que é a estabilidade financeira e por que muitas pessoas estão buscando esse objetivo, vale a pena conhecer dicas que ajudarão a conquistá-lo.

Confira 10 passos para isso!

1. Busque educação financeira

A trajetória até conquistar a sua meta passa necessariamente por conhecimento. Se você não entende sobre sua relação com o dinheiro e não sabe o que é a educação financeira, será difícil conquistar estabilidade ao lidar com as finanças.

Isso acontece porque, por mais que você tenha a intenção de mudar de vida, pode esbarrar em certos erros ou deslizes por falta de informação. Nesse sentido, é fundamental buscar ajuda para entender como cuidar melhor do seu dinheiro.

A educação financeira pode permitir que você compreenda o tema e tenha ferramentas que sejam úteis na organização. É o caso de planilhas ou aplicativos de controle financeiro. Além disso, você pode aprender a economizar e investir.

Também vale a pena entender quais são as emoções que estão envolvidas na sua vida financeira. Afinal, as decisões que você toma não são apenas racionais. Existem crenças que influenciam naquilo que você faz a cada dia — e impactam suas finanças.

2. Organize-se financeiramente

Depois de dar o primeiro passo, será hora de organizar as finanças. Se você ainda não tem nenhum hábito de organização, é preciso dar o primeiro passo. Se isso já fazia parte da sua rotina, é necessário ver o que precisa ser mudado para ter mais efetividade no processo.

Uma boa dica é montar um orçamento, compreendendo qual é a sua renda e quais são os seus gastos. Nesse sentido, você pode anotar as movimentações financeiras em uma agenda, planilha de computador ou aplicativo financeiro.

Depois de registrar todas as informações, busque analisar o uso que você faz do dinheiro. Veja se ele está satisfatório ou se é preciso mudar decisões que você tem tomado. Vale a pena, por exemplo, colocar teto de gastos para despesas variáveis. Com isso, fica mais fácil manter o controle do orçamento e fazer sobrar dinheiro.

3. Tenha bons hábitos financeiros

Ao conhecer o seu orçamento, você provavelmente perceberá que certos gastos existem por conta de maus hábitos financeiros. Alguns exemplos são: fazer compras por impulso, não planejar os gastos, usar muito o cartão de crédito etc.

Quando você identificar hábitos problemáticos, pare um momento para analisá-los e avaliar como é possível modificar o cenário. Um bom comportamento para desenvolver é checar toda semana o saldo bancário e a fatura do cartão de crédito.

Ter mais contato com suas contas já ajuda a tomar melhores decisões e evitar gastos não planejados. Além disso, você pode ter o hábito de fazer uma lista de compras para evitar gastar dinheiro por impulso.

4. Pague suas dívidas

Como você viu, as dívidas são um problema comum no Brasil — e podem causar muitos prejuízos. Isso porque elas envolvem juros e aumentam o seu saldo devedor. Ademais, se endividar aperta o seu orçamento e pode causar limites na obtenção de crédito no mercado.

Desse modo, o ideal é manter todas as suas contas em dia e evitar parcelamentos e dívidas. Mas, se você já tem pendências no momento, seu foco deve ser quitá-las para organizar seu orçamento com mais tranquilidade sem elas.

Nesse contexto, um caminho interessante é buscar a negociação de dívidas. Em muitos casos há a chance de aproveitar descontos e pagar bem menos do que o valor devido.

Se você tem muitas dívidas, vale priorizar as que têm juros maiores. Com isso, é possível economizar, pois os juros deixam de impactar seu orçamento. E se as dívidas são muito longas, não desanime. Adotando um bom plano, a cada mês você estará mais perto de quitá-las e resolver o problema.

5. Trace metas e objetivos financeiros

Além de pagar as dívidas, você deve ter outros objetivos financeiros. Eles são úteis para guiar suas decisões e aumentar a motivação para seguir no planejamento financeiro estipulado. Então não deixe de listar suas metas.

Para que elas sejam guias melhores, é preciso ter metas específicas. Você pode utilizar o método SMART para montar objetivos de maneira mais clara e diminuir as chances de desistir deles em 2023.

O método orienta que você estabeleça metas:

  • específicas: você deve saber exatamente o que quer. Exemplo: ter um patrimônio investido;
  • mensuráveis: é preciso conseguir acompanhar a realização da meta. Então você deve estabelecer, por exemplo, que deseja um patrimônio de R$ 100 mil. Assim, você saberá quanto está poupando e quando chegou à meta;
  • atingíveis: a meta precisa ser realista e possível de acontecer. Se o valor de R$ 100 mil é muito alto para conseguir, você precisa rever o objetivo;
  • relevantes: quanto mais relevante for sua meta, mais motivado você estará para realizá-la. Por isso, você deve querer ou precisar mesmo montar o patrimônio, por exemplo;
  • temporais: por fim, é preciso estabelecer um prazo para a realização da meta. Exemplo: chegar aos R$ 100 mil em 2024.

6. Evite gastos desnecessários

Depois que você tiver estabelecido metas para realizar em busca da estabilidade financeira, será preciso se organizar para conquistá-las. Tenha em mente que registrar os objetivos no papel é apenas uma etapa inicial. O mais difícil é colocá-los em prática.

Para isso, você deve adotar estratégias de economia. Pense bem: se todo o seu dinheiro é utilizado ao longo do mês, não sobrará nada para realizar suas metas. Logo, é indispensável evitar gastos desnecessários e controlar as saídas de dinheiro.

O ideal é focar no seu orçamento e acompanhar de perto os gastos que você faz. Além disso, não dê chance aos gastos desnecessários. Estabeleça um valor para poupar mensalmente e já tire esse montante da conta logo no início do mês.

Dessa forma, o dinheiro não ficará disponível, reduzindo as chances de fazer compras desnecessárias e se descontrolar.

7. Controle o uso do cartão de crédito

De nada adiantará organizar seu orçamento e separar um valor para poupar mensalmente se você pensar no cartão de crédito como um complemento da sua renda. Esse é um hábito ruim que faz muitos brasileiros se endividarem e enfrentarem problemas.

Por isso, controlar o uso do cartão é um passo necessário para sua estabilidade financeira. Se você tem muitos cartões, a dica é limitar o uso a apenas um.

Ainda, se a sua relação com o cartão de crédito atrapalha muito a conquista da estabilidade, considere parar de utilizá-lo. Preferir compras à vista é uma maneira de se organizar melhor e ter menos riscos de perder o controle do seu dinheiro.

8. Crie uma reserva de emergência

Quando você estiver com as finanças organizadas, o seu primeiro objetivo deve ser montar uma reserva de emergência. Ela é a base da estabilidade financeira, pois permite que você tenha dinheiro guardado para lidar com imprevistos.

Assim, mesmo que você enfrente uma crise, haverá um montante capaz de trazer segurança e tranquilidade. Para tanto, a reserva deve corresponder a, pelo menos, 6 meses do seu custo de vida. Então, diante de uma perda de emprego, por exemplo, é possível se sustentar enquanto busca outras fontes de renda.

Essa reserva pode ser investida para obter rendimentos e proteger contra a perda do poder de compra pela inflação. Mas é preciso saber como investir a quantia, pois ela deve ficar em segurança e você precisa ter fácil acesso a ela — ou seja, o investimento precisa ter liquidez diária.

9. Faça investimentos

Além da reserva de emergência, existem diversos outros investimentos que você pode fazer com o valor economizado mensalmente. A prática de investir ajudará muito a mudar suas finanças, ter mais dinheiro ao longo do tempo e conquistar seus sonhos.

Para isso, ao buscar educação financeira, você deve aprender sobre o mercado de investimentos. Nele, existem muitos detalhes que demandam compreensão. Por exemplo, há diversas alternativas para sua escolha, podendo envolver maior ou menor risco.

Conhecer o seu perfil de investidor ajudará a entender quais investimentos são mais adequados para o seu caso. Os perfis podem ser: conservador, moderado e arrojado — em ordem crescente de abertura ao risco.

Além do perfil, você deve entender sobre a renda fixa e a renda variável. Essas são as duas classes de investimento, envolvendo regras distintas. Entender o funcionamento delas e as opções disponíveis ajudará a tomar decisões mais acertadas ao investir.

10. Não desista

Ainda que o seu plano seja alcançar a estabilidade financeira em 2023, tenha em mente que esse não é um projeto de curto prazo. Você pode começar a conquistar isso agora. Contudo, a meta deve seguir sendo importante no seu planejamento a cada ano.

Portanto, não desista de mudar seus hábitos e de manter uma relação saudável com o dinheiro. Ainda que o objetivo pareça distante ou difícil, o que você faz hoje é muito relevante para o futuro. Começar o quanto antes é o melhor para ter resultados daqui a um, cinco ou dez anos.

Então, sempre que for preciso, reveja seus planos e busque mudanças positivas. Você pode desenvolver o cuidado de avaliar seu planejamento a cada ano ou semestre, por exemplo. Assim, fica mais fácil analisar os resultados e otimizar a organização das finanças.

Agora você sabe quais são os 10 principais passos para alcançar a estabilidade financeira em 2023. Ao colocar essas dicas em prática, é possível começar a trilhar o caminho para uma vida com maior tranquilidade em relação ao dinheiro.

Gostou deste conteúdo e quer começar a investir? Então abra uma conta na Genial!

Antonio Pandim Neto

Especialista de investimentos aqui na Genial há mais de dois anos. Premiado como Melhor Assessor Genial Pleno 2022 e Assessor Destaque 2021. Possui as certificações CEA, CPA 20, PQO e Green Belt.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!