Pouco a pouco a educação financeira tem se ampliado no Brasil. Mais pessoas estão se interessando em entender como usar melhor o dinheiro. Além disso, está ficando mais fácil encontrar alternativas de investimentos mais interessantes do que a poupança, por exemplo. 

Contudo, para alcançar um nível maior de desenvolvimento financeiro, é preciso se aprofundar. Quer entender tudo o que você precisa saber sobre a relação com o dinheiro na sua vida e no dia a dia da sua família?  

Então continue a leitura para conhecer os princípios da educação financeira. Ainda, aprenda a buscar as melhores fontes de informação que podem contribuir com a sua prosperidade.  

Confira! 

O que é educação financeira? 

Todas as pessoas precisam lidar com dinheiro de alguma forma. A maioria dos adultos recebe salários ou fontes de renda em troca do seu trabalho. Além disso, mesmo quem não trabalha ou gera renda diretamente tem alguma relação com as finanças. 

Crianças e adolescentes, por exemplo, convivem com o tema ao verem seus pais e responsáveis trabalhando e gerenciando as finanças da família. Assim, a educação financeira é um assunto relevante na vida de todos. 

Ela diz respeito à forma como as pessoas lidam com o dinheiro, estratégias de controle de gastos e alternativas de investimentos. E também vai além disso — tem relação com seu modo de trabalho e como a renda é gerada na sua vida. 

Afinal, o dinheiro não tem valor em si mesmo. Ele representa o valor de acordo com o que está relacionado. Por exemplo, ao trabalho que é feito para conquistá-lo e às condições que ele ajuda a prover em uma família. 

Assim, as finanças — e a educação financeira — estão ligadas à sua rotina, ao que você proporciona para sua família e aos sonhos que consegue realizar ao longo da vida. 

Qual é a importância da educação financeira? 

Compreendendo o conceito da educação financeira, fica fácil entender a relevância dela. Afinal, conduzir as finanças com eficiência pode trazer melhores resultados para a sua vida.  

Confira alguns benefícios relevantes! 

Qualidade de vida 

Como você viu, o dinheiro não tem valor em si mesmo. Quando falamos de educação financeira, estamos nos referindo mais a pessoas do que a dinheiro ou bens que podem ser comprados. Assim, cuidar melhor das finanças permite viver melhor. 

Quando sua renda e seus gastos então sobre controle, por exemplo, é possível ter mais qualidade na rotina. Você não precisa se preocupar com dívidas ou aumentar a carga de trabalho para buscar mais renda. Logo, é possível ter equilíbrio entre o esforço realizado e o retorno obtido. 

Muitas pessoas perdem qualidade de vida por não conseguir manter seu padrão de gastos com o que ganham mensalmente. Se não há educação financeira, o risco de ter altos custos e perder o controle é maior — trazendo preocupação e ansiedade. 

Realização de sonhos 

Ter mais conhecimentos sobre finanças também ajuda a realizar os seus sonhos. Afinal, o valor do dinheiro também tem relação com o que se conquista com ele — seja um carro que você deseja, uma casa para a família, uma viagem de férias etc. 

O consumo traz realizações e permite viver bem, com conforto e prazer. Mas isso acontece de maneira mais tranquila quando você sabe como usar o dinheiro com eficiência. Do contrário, pode ser que sua renda não seja suficiente para os seus objetivos. 

Inclusive, é comum que as pessoas deixam grandes sonhos de lado porque parecem muito distantes ou mesmo impossíveis. Mas, com educação financeira, é possível aprender a se organizar e ter um planejamento que transforme os projetos em realidade mais facilmente. 

Segurança em momentos de emergência 

Com a educação financeira, você se torna capaz de gastar menos do que ganha e ir poupando dinheiro. Esse montante ajuda a equilibrar suas finanças diante de momentos difíceis. É o caso de imprevistos que aumentam seus gastos ou de dificuldades que reduzem a renda.  

Para essas situações, há um conceito bastante conhecido entre educadores financeiros: a reserva de emergência. Ela representa um montante de, pelo menos, 6 meses dos seus gastos mensais. Assim, pode oferecer segurança e calma para lidar com urgências. 

Construção de patrimônio  

O ponto central da educação financeira é fazer melhor uso dos recursos disponíveis, certo? Por isso, é preciso pensar não apenas no sustento do seu padrão de vida atual, mas também do planejamento do seu futuro. 

Buscar se educar financeiramente envolve conseguir equilibrar o presente e o futuro no seu orçamento. Desse modo, é possível construir um patrimônio que traga mais tranquilidade e ofereça uma perspectiva positiva para você e sua família. 

E isso vai além de adquirir bens de consumo, como um carro confortável ou um imóvel. É preciso, ainda, pensar em ter um patrimônio financeiro. Ele permitirá que você não tenha quedas do padrão de vida diante de imprevistos ou da aposentadoria, por exemplo. 

Multiplicação do montante ao longo do tempo 

Além de construir patrimônio, é possível multiplicá-lo pela ação da rentabilidade de investimentos. Por isso, ao pesquisar sobre educação financeira é comum encontrar a ideia de fazer seu dinheiro trabalhar por você. O que isso significa? 

Na sua rotina normal, você trabalha para gerar a renda que consome durante o mês, certo? Se parte dessa renda for reservada em um investimento, é possível que ela gere mais dinheiro. O montante investido pode render juros e ir gerando a chamada renda passiva. 

Ela representa um dinheiro que você tem sem precisar de esforço direto para conquistá-lo. No longo prazo, é possível multiplicar bastante os valores investidos — pois os juros compostos se acumulam e fazem bastante diferença no seu capital. 

Maior liberdade de escolha 

Por fim, um benefício trazido por tudo isso que você viu até aqui é, sem dúvida, a maior liberdade de escolha. Se você tem um orçamento flexível e um patrimônio sendo construído, fica mais simples tomar decisões. 

Por exemplo, escolher para onde viajar com a família nas férias pode ser mais fácil se há mais dinheiro disponível. Considerando uma reserva de emergência e outros montantes investidos, você tem mais liberdade até mesmo para tomar decisões na carreira. 

E, em um cenário de independência financeira, é possível reduzir ou zerar a carga de trabalho sem afetar a sua renda. Isso porque nesse contexto a renda passiva já é capaz de sustentar seu custo de vida — não sendo mais necessário buscar a renda ativa do trabalho. 

Assim, no curto, médio e longo prazo, a educação financeira pode ajudar você e sua família a viverem com mais conforto e disposição. 

Como a educação financeira tem crescido no Brasil? 

No Brasil, é possível perceber que cada vez mais pessoas estão falando sobre dinheiro e compartilhando dicas de gestão financeira. Isso tem ampliado as possibilidades de educação financeira — o que pode trazer diversos benefícios, como você viu. 

Parte do interesse da população pelo assunto tem sido potencializado pelo desenvolvimento da tecnologia e da aceleração digital. Também aumento o número de profissionais que atuam em finanças. Com isso, há maior conscientização sobre o tema.  

Quando se fala de investimentos, a poupança ainda é a aplicação mais popular no país. Contudo, ela geralmente apresenta desvantagens em relação a alternativas mais rentáveis e tão seguras quanto. Assim, muitas pessoas têm descoberto essas novas opções. 

Além dos investimentos seguros, os investidores estão despertando o interesse também por alternativas de maior risco. É o que reflete números cada vez maiores de investidores na bolsa de valores

Entretanto, apenas uma pequena parcela dos brasileiros é composta por investidores. Isso significa que ainda existe muito trabalho a ser feito até a maioria atingir maturidade em relação à gestão saudável das próprias finanças. 

Como aumentar sua educação financeira? 

Você quer aproveitar esse movimento de educação financeira no Brasil e viver as vantagens que viu até aqui? Para isso, é preciso desenvolver uma mentalidade que conduza à prática diária de hábitos financeiros positivos.   

A seguir, confira as principais recomendações para qualquer pessoa desenvolver a competência de uma gestão financeira saudável! 

Busque livros sobre o assunto 

A educação financeira envolve aprender o assunto. Por isso, é preciso aproveitar oportunidades únicas de aprendizado. Uma das principais fontes de informação no tema são os livros.  

A educação financeira, no mundo e no Brasil, já oferece uma variedade de obras interessantes.  Há títulos consagrados de fácil acesso que podem ser um ponto de partida para a descoberta de uma série de outros domínios em finanças e investimentos.  

Alguns dos mais populares, são: 

  • “Pai Rico, Pai Pobre”, de Robert Kiyosaki; 
  • “O Homem Mais Rico da Babilônia”, de George Samuel Clason; 
  • “Os Segredos da Mente Milionária”, de T. Harv Eker; 
  • “O Investidor Inteligente”, de Benjamin Graham. 

Consuma conteúdos e faça cursos 

A internet é outra fonte relevante de conteúdos sobre educação financeira. Não é difícil encontrar boa informação de maneira gratuita por meio de uma busca rápida. Contudo, é importante estar atento à precisão e à qualidade das informações encontradas.  

Você pode garantir maior cuidado na seleção do conteúdo conferindo a origem das publicações. Um exemplo de materiais produzidos com rigor são aqueles que nossa equipe, da Genial Investimentos, oferece para você.  

Temos diversos artigos sobre educação financeira em nosso blog. E você também pode contar com cursos certificados para aumentar sua educação financeira. Aprender com quem já tem conhecimento e experiência na área é um ótimo caminho. 

Monte um planejamento financeiro 

Para colocar a educação financeira em prática você precisa de um planejamento financeiro. Ele permite usufruir das vantagens relacionadas à organização das finanças e aos bons hábitos no uso do dinheiro. 

O primeiro passo é olhar para o seu orçamento pessoal. Você pode acompanhá-lo como preferir, seja em anotações no papel, planilhas ou aplicativos. Vale a pena considerar os recursos tecnológicos disponíveis, pois facilitam cálculos e automatizam lançamentos.  

Considere as seguintes atividades no seu planejamento financeiro: 

  • anote todas as entradas e saídas de dinheiro; 
  • separe rendas e gastos por categoria; 
  • rastreie todas as despesas fixas e variáveis; 
  • controle o consumo, reduzindo o que não é prioridade;
  • faça projeções do futuro lançando as despesas fixas e estimadas; 
  • planeje o consumo na forma de metas e objetivos a curto, médio e longo prazo (férias, viagens, lazer etc.); 
  • negocie suas dívidas; 
  • construa sua reserva de emergência; 
  • poupe para investir com propósito; 
  • faça aportes regulares na sua carteira de investimentos

Tenha uma estratégia de investimento 

Ao aumentar sua educação financeira, surgem diversas oportunidades de investimento para você. Logo, é preciso saber como elas funcionam. Investir sem conhecimento pode lhe expor a riscos grandes e, inclusive, comprometer os resultados do seu planejamento. 

Por isso, o primeiro passo para o investimento cuidadoso é considerar seu perfil de investidor. Ele diz respeito a sua abertura ou não para correr riscos. Pessoas mais conservadoras buscam a segurança, enquanto moderados e arrojados podem procurar ativos mais arriscados. 

Como cada investimento tem um nível de risco, é preciso conhecer sua tolerância para escolher o mais adequado. Além disso, você deve também definir seus objetivos e os respectivos prazos. Desse modo, pode encontrar os investimentos mais alinhados com cada um. 

Conheça investimentos 

Entre as alternativas do mercado financeiro, você encontrará dois grupos principais: a renda fixa e a renda variável. Se você tiver dúvidas sobre alguma opção, vale a pena contar com uma assessoria de investimentos. Os profissionais podem apresentar possibilidades e esclarecer suas perguntas. 

Algumas opções da renda fixa incluem: 

Já na renda variável alguns exemplos são: 

Neste conteúdo, você aprendeu o que é educação financeira e viu como cuidar das suas finanças. Então pode utilizar as informações para ter uma maior organização do seu fluxo de renda. Não deixe de continuar estudando para tomar decisões cada vez mais inteligentes sobre seu dinheiro! 

Quer ter acesso a mais conteúdos como este e continuar cultivando sua educação financeira? Acompanhe nosso trabalho nas redes sociais. Estamos no TwitterInstagramFacebookYoutube e Linkedin!

Comentários