Macarena Onelink Baixe o App

Para lidar com as finanças e os investimentos de forma adequada às suas necessidades, é preciso compreender os diferentes indicadores que influenciam no cenário econômico do país. Por isso, vale a pena entender o que é e como funciona o IBC-Br. 

Esse é um indicador central para a determinação e previsão de importantes características da economia nacional, como o PIB e a Selic. Entretanto, muitas pessoas não sabem ao certo como ele funciona e quais são os seus impactos na economia. 

Quer entender o que é o IBC-Br, como ele funciona e como ela afeta a vida do investidor? Então continue a leitura deste artigo! 

O que é IBC-Br? 

Criado em 2003 e utilizado em âmbito nacional a partir de 2010, o IBC-Br é o Índice de Atividade Econômica do Banco Central. Ele tem como intuito demonstrar como está o ritmo da economia nacional ao longo dos meses. Mais especificamente, ele foi criado para servir como uma proxy do PIB em frequência mensal, permitindo um diagnóstico mais rápido da economia, visto que o PIB é divulgado trimestralmente.

Por exemplo, esse indicador aponta se há evoluções ou retrações na economia do país. Assim, ele contribui para a previsão do resultado do PIB (Produto Interno Bruto) para determinado período. 

Contudo, embora o IBC-Br seja calculado pelo Banco Central do Brasil (Bacen), esse índice não pode ser considerado como um dado oficial do PIB. Na verdade, o PIB é um indicador diferente — calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Apesar disso, ambos os indicadores são passíveis de atualizações a qualquer momento do ano, sendo referenciais importantes da economia nacional. No caso do IBC-Br, é comum que a análise seja feita a cada mês. 

Assim, o índice tende a ajudar na antecipação dos movimentos da atividade econômica. Por esse motivo, é comum que o IBC-Br seja considerado nas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom). Esse comitê tem o intuito de, entre outras medidas, definir a Selic, taxa básica de juros da economia brasileira. 

Dessa maneira, o IBC-Br interfere em diferentes questões econômicas do país. Afinal, ele sinaliza o ritmo da atividade econômica doméstica e impacta a percepção da saúde fiscal do Governo Federal. 

Qual a importância desse indicador? 

Depois de entender o que é o IBC-Br, é necessário compreender sua importância para a economia. Nesse aspecto, a construção do IBC-Br foi motivada para suprir a necessidade de um indicador agregado de atividade econômica que tivesse frequência mensal. 

O objetivo era permitir que a economia do país fosse avaliada e sintetizada em um contexto de decisões de política monetária. Como o IBC-Br é publicado cerca de quarenta e cinco dias após o mês de referência, ele se torna um importante indicador para as decisões do Copom

Por isso, algumas das principais funções do IBC-Br são: 

  • orientar o Banco Central no controle da inflação; 
  • influenciar na definição da meta da taxa básica de juros para a economia nacional; 
  • auxiliar na leitura que o mercado brasileiro tem da economia brasileira, bem como nas estimativas para o PIB. 

Também é preciso considerar que o IBC-Br influencia na forma como investidores estrangeiros avaliam a segurança da economia brasileira. Isso porque esse indicador faz parte do cálculo do risco-país. 

Qual é a relação entre o IBC-Br e o PIB? 

Como você viu, o IBC-Br é um indicador da economia nacional que também está ligado a outros índices relevantes. Um exemplo é o PIB. Como existe certa correspondência entre o IBC-Br e o PIB, algumas pessoas chegam a confundir os dois indicadores. 

Contudo, não se trata de conceitos iguais. É necessário compreender que, embora ambos sejam importantes para a economia, eles são diferentes. O PIB e o IBC-Br utilizam conceitos, frequência de cálculo e metodologias distintas. 

Enquanto o Índice de Atividade Econômica é divulgado mensalmente, o PIB é publicado trimestralmente pelo IBGE. Ainda que o IBC-Br possa indicar uma tendência de resultado do PIB, não é possível afirmar que ele é uma prévia do Produto Interno Bruto.  

Além disso, por conta da metodologia utilizada para o cálculo do PIB, existe certa defasagem no resultado trimestral.  

Outra diferença é que o IBC-Br apresenta uma perspectiva mais limitada. Isso acontece porque o índice avalia apenas os bens e serviços ofertados pela produção brasileira. Já o PIB considera outros aspectos, sendo mais complexo.  

Logo, as distinções acontecem ainda que seja possível encontrar similaridades em projeções para o setor da indústria, agropecuária e serviços. Assim, os dois indicadores não são sinônimos. Diante disso, para ter uma visão aprofundada da economia, é necessário considerar ambos nas suas análises. 

Qual a diferença entre o IBC-Br e o PIB? 

Agora que você compreende a relação entre o IBC-Br e o PIB, vale a pena considerar a diferença entre eles. Como visto, os dois são referenciais importantes para analisar a situação da economia no país, mas apresentam metodologias de análise distintas.  

Assim, é essencial entender as suas diferenças. Para isso, confira as informações a seguir: 

IBC-Br calculado pelo Banco Central 

Como você sabe, esse índice foi criado como referência para avaliar o ritmo da atividade econômica brasileira mês a mês. Nesse aspecto, ele serve como orientação política para o controle da inflação, influenciando as decisões do Copom. 

Outro aspecto diferencial a ser levado em questão é que o IBC-Br considera a trajetória de variáveis que são consideradas bons indicadores do desempenho de setores-chave da economia. Por exemplo: 

  • indústria; 
  • agropecuária; 
  • serviços. 

PIB calculado pelo IBGE 

O PIB é um indicador analisado pelo IBGE que tem como base de cálculo o somatório dos bens e serviços produzidos na economia brasileira em determinado período. Para isso, o cálculo considera a produção da agropecuária, da indústria, dos serviços e os impostos na produção. 

Ademais, o PIB considera a demanda do mercado. Nesse sentido, ele computa os dados de consumo da população e do Governo, assim como os investimentos, além de exportações e importações. Isso faz do PIB um cálculo mais complexo, ainda que apresente defasagens. 

Portanto, existem certas variações na metodologia adotada pelo IBC-Br e pelo PIB. Diante disso, é possível dizer que o IBC-Br apresenta uma tendência do PIB. Porém, é preciso ter em mente que o movimento pode não se concretizar. 

Como esse índice funciona? 

Além de analisar as diferenças em relação ao PIB, é necessário saber como o IBC-Br funciona. Você viu que ele considera o volume de produção agropecuária, de serviços industriais, além dos impostos sobre a fabricação de produtos. 

Entretanto, existem outros dados acerca do Brasil que são relevantes para a sua composição. Confira quais são eles! 

Pesquisa Industrial Anual (PIA) 

A Pesquisa Industrial Anual, é realizada pelo IBGE com o intuito de identificar as características estruturais básicas do segmento empresarial da atividade industrial no País. Além disso, são analisadas as transformações ocorridas ao longo do tempo. 

Nesse processo, são percebidos aspectos como os dados sobre o número de pessoas ocupadas, os salários, custos, bem como receitas e despesas. Outro ponto analisado é o valor da produção e o valor da transformação industrial. 

A divulgação do conjunto de informações colhidas nessa pesquisa serve como referência para a análise das atividades que compõem esse setor econômico. Essa situação, por sua vez, subsidia as estimativas macroeconômicas do Sistema de Contas Nacionais (SCN). 

Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 

Já a Pesquisa Anual de Serviços, também realizada pelo IBGE, tem como objetivo avaliar as características estruturais básicas do segmento empresarial da atividade de serviços no Brasil.  

Assim, ela analisa o número de pessoas ocupadas nesse segmento, bem como o valor dos salários, as receitas, despesas e valor adicionado. 

De forma semelhante ao PIA, a PAS percebe as transformações ocorridas no segmento. Dessa maneira, seus resultados contribuem para que as estimativas do SCN sejam realizadas com precisão. 

PNAD Contínua 

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) analisa informações conjunturais sobre as tendências e flutuações da força de trabalho brasileira.  

Ademais, ela tem como objetivo fornecer informações continuadas sobre a maneira como a população brasileira é inserida no mercado de trabalho. 

Por isso, os dados obtidos por meio dessa pesquisa são de grande valia tanto para analisar a situação contemporânea da realidade do trabalho no país quanto para estimar a perspectiva para o futuro da economia. 

Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) 

Outra pesquisa relevante para a formulação do IBC-Br, é a Pesquisa Agrícola Municipal. Ela investiga os principais produtos das lavouras brasileiras — sejam temporárias ou permanentes. 

Esses são dados importantes porque fazem referência a uma produção de grande relevância econômica. Afinal, a produção agrícola municipal é base para a exportação nacional e para composição da cesta básica do brasileiro. 

Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) 

Por fim, a Pesquisa Mensal de Serviços produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento do setor de serviços do país. Para isso, é analisada a receita bruta de serviço nas empresas formalmente constituídas, que têm 20 ou mais pessoas empregadas. 

Nessa análise são consideradas as atividades de serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Portanto, a PMS é um indicador importante para avaliar um dos segmentos-chave para o desempenho da economia nacional. 

De que maneira o IBC-Br impacta o mercado nacional? 

Até aqui você entendeu as principais informações a respeito do que é o IBC-Br e como ele funciona. Entretanto, além de compreender esses aspectos, é necessário ter clareza a respeito da maneira como o indicador afeta o mercado nacional. 

Sobre esse quesito, vale a pena prestar atenção nos impactos do IBC-Br em diversos fatores. Veja os principais exemplos: 

Determinação da taxa Selic 

O primeiro impacto do IBC-Br na economia diz respeito à sua influência na taxa Selic. Vale saber que, para determinar a meta da Selic, o Comitê de Política Monetária se reúne a cada 45 dias.  

Nessas reuniões são analisadas diferentes características da economia brasileira, bem como as perspectivas e objetivos da política monetária. Logo, entre os dados analisados, está o IBC-Br. 

Portanto, esse indicador influencia o valor da Selic, gerando diversos impactos no mercado nacional. O motivo para isso é que essa taxa serve como referência para os juros praticados no país. Ou seja, quando ela aumenta, os juros nos contratos tendem a subir. 

Essa situação afeta, por exemplo, a obtenção de empréstimos e outras formas de crédito. Assim, quando a Selic está baixa, os juros que o consumidor terá de pagar tendem a ser menores, o que estimula o consumo. Por outro lado, se a taxa sobe, os juros pagos também serão maiores.  

Ainda, saiba que a Selic pode ser utilizada para o controle da inflação. Se os empréstimos ficam mais baratos, por exemplo, isso pode gerar um aquecimento da economia. Isso aumenta o fluxo do dinheiro e, consequentemente, o consumo. Nesse caso, a inflação tende a subir. 

Por outro lado, caso a Selic esteja alta, ocorre o oposto. A tendência é que aconteça uma diminuição no fluxo de dinheiro devido ao encarecimento do crédito. Essa realidade costuma fazer com que a inflação diminua. 

Rentabilidade dos investimentos 

O IBC-Br também impacta a rentabilidade dos investimentos. Como visto, esse indicador influencia na determinação da taxa básica de juros. Esta, por sua vez, pode interferir nos resultados dos investimentos. 

Isso ocorre principalmente em relação às aplicações de renda fixa. Diversos títulos pós-fixados têm como referência a Selic ou índices próximos a ela, como o Certificado de Depósitos Interbancário (CDI)

Ademais, a maior ou menor atratividade da renda fixa gerada pelas movimentações da Selic pode afetar a procura pelos investimentos da renda variável, como ações, fundos imobiliários etc.  

Risco-país 

Por fim, um terceiro aspecto que pode ser afetado pelo IBC-Br é o risco-país. Esse é um identificador utilizado para determinar qual o nível de estabilidade existente em determinado país. Para tanto, ele considera questões políticas, econômicas e sociais do local analisado. 

Como o IBC-Br demonstra como está o crescimento econômico do Brasil, ele serve como uma referência das capacidades de o país honrar suas obrigações financeiras. Assim, ele se torna especialmente importante para investidores estrangeiros que pretendem investir aqui. 

Você conseguiu compreender o que é o IBC-Br e qual sua importância para entender a situação econômica do Brasil? Saber o que esse indicador significa pode fazer toda a diferença na hora de escolher suas estratégias nos investimentos. Portanto, vale a pena estudá-lo! 

Quer ter acesso a informações e análises de qualidade sobre os principais indicadores da economia? Então acesse a Genial Analisa!

Comentários