CDB 220% do CDI com liquidez diária.

Uma das premissas do mercado de investimentos é a relação entre risco e retorno. A ideia é que riscos maiores podem levar a retornos maiores e vice-versa. Porém, nem sempre a relação é linear — e é necessário medir a atratividade de um investimento. Nesse sentido, o índice de Sharpe pode ajudar. 

Com esse indicador, você poderá fazer uma análise de investimentos quanto aos ganhos que oferecem em relação aos riscos que apresentam. Para tanto, é fundamental saber como calculá-lo e como realizar a avaliação. 

Neste artigo, nós, da Genial Investimentos, apresentamos tudo o que você precisa aprender sobre o Índice de Sharpe para utilizá-lo. Veja! 

O que é o índice de Sharpe? 

O economista norte-americano William Sharpe foi ganhador do Nobel de Economia e uma de suas contribuições foi uma medida de avaliação entre risco e retorno de investimentos. A esse indicador deu-se o nome de índice de Sharpe. 

O indicador, também conhecido como Sharpe Ratio, consiste em um cálculo que compara o ganho de um investimento com um retorno livre de risco. A diferença é avaliada em relação à volatilidade da carteira, tornando o indicador útil para medir quantitativamente o desempenho diante dos riscos. 

Para que serve o índice de Sharpe? 

O principal objetivo do Índice de Sharpe é mostrar se vale a pena assumir certos riscos para obter um determinado desempenho. Ou seja, ele busca definir se a tomada de riscos maiores resultou em uma rentabilidade maior e equivalente. 

Além disso, ele visa estabelecer uma comparação entre investimentos. Ao comparar o índice de Sharpe de dois fundos de investimento com o mesmo retorno, é possível saber qual assumiu menos riscos, por exemplo. 

Já ao comparar o índice Sharpe de dois investimentos com o mesmo nível de risco, você poderá saber qual rendeu mais e foi mais eficiente em gerar resultados. 

Como calcular o índice de Sharpe? 

Para conhecer o indicador financeiro de forma completa, é interessante saber qual é a fórmula do índice de Sharpe e como usá-la. Para chegar ao resultado, utiliza-se a seguinte equação: 

Índice de Sharpe: = (Ri – Rf) / σi  

Entenda o que significam as variáveis da fórmula: 

  • Ri = retorno do investimento que é observado; 
  • Rf = retorno do investimento livre de risco; 
  • σi = volatilidade do investimento observado. 

Nesse caso, o retorno do investimento observado é a sua taxa de juros ou o ganho histórico. Porém, tenha em mente que o desempenho passado não garante resultados no futuro. 

Já o Rf, no mercado de investimentos brasileiro, pode ser dado pela taxa Selic, que é aplicada sobre a renda fixa. A volatilidade do investimento, por sua vez, é uma medida estatística, em relação às oscilações no preço e sua intensidade. 

Quais informações o índice pode trazer para o investidor? 

Por meio da fórmula, há como notar que o índice de Sharpe fornece um conhecimento relevante para o investidor basear a sua tomada de decisão. 

É possível saber, por exemplo, qual é o impacto da volatilidade do ativo. Quanto maior ela for, maior tende a ser o risco assumido. Se o retorno não acompanhar esse aumento, o resultado do indicador será baixo e, como você verá adiante, pode tornar o ativo pouco atraente. 

Também é uma forma de entender como os investimentos se comparam a alternativas de renda fixa que rendem pela Selic. Como são conservadores, esses são títulos que podem ser tomados como base, já que não é oportuno correr mais riscos para ter um resultado igual ou menor do que eles.  

Como o índice de Sharpe pode impactar as decisões de investimento? 

Devido às informações que oferece para o investidor, o indicador criado por William Sharpe pode ter um profundo impacto nas decisões de investimento. Com ele, você saberá se é interessante ou não assumir riscos e se o desempenho é compatível com a segurança da qual se abre mão, por exemplo. 

Também é possível entender qual investimento, na comparação entre diversas alternativas, atende melhor aos seus objetivos e equilibra risco e retorno de modo eficiente. Ademais, você pode usar essa medição para acompanhar a volatilidade da sua carteira, fazendo os ajustes necessários ao longo do tempo. 

Como analisar o índice de Sharpe? 

Tão importante quanto conhecer o indicador é compreender como fazer a avaliação do índice de Sharpe. Afinal, como você viu, ela poderá impactar sua decisão de investimento. Então, após fazer os cálculos, saiba que, quanto maior o índice Sharpe, melhor será a relação risco retorno desse investimento. Ou seja, ele irá oferecer será um investimento mais eficiente, oferecendo um melhor resultado frente ao seu benchmark por unidade de risco (volatilidade) observada. 

Ou seja, se você comparar dois fundos equivalentes, aquele com o índice de Sharpe maior pode se tornar mais interessante, por exemplo. Um número elevado também representa uma capacidade de gerar mais resultados em relação aos riscos assumidos. Por isso, é essencial fazer essa avaliação. 

Portanto, em linhas gerais, quanto menor for o índice Sharpe, menos atraente costuma ser o investimento. Isso porque um número baixo significa que o investidor assume muitos riscos, mas não tem maiores possibilidades de obter ganhos muito superiores à renda fixa, por exemplo. 

Já o índice de Sharpe negativo merece atenção máxima. Na prática, a única forma de ele ser obtido é se o retorno livre de risco for maior que o ganho do investimento. Assim, esse é um sinal de que se corre mais riscos para ganhar menos que uma alternativa conservadora e mais segura. 

Qual é o índice de Sharpe ideal? 

Ao falar nesse indicador, é comum que os investidores queiram saber qual é um bom número para o índice de Sharpe. Porém, a verdade é que não existe um parâmetro mínimo, que defina quando um investimento se torna atraente ou não. 

O seu uso mais eficaz é por meio da comparação entre os resultados obtidos com diversos ativos. É com essa avaliação que você poderá ter uma ideia de qual é a escolha mais alinhada às suas necessidades. 

Ainda assim, não se deve utilizar o índice como único elemento para a tomada de decisão acerca dos investimentos. Outros critérios devem ser considerados — como perfil de investidor e objetivos financeiros — para compor a carteira da maneira adequada. 

Como você notou, o índice de Sharpe é importante para oferecer informações sobre a relação de risco e retorno dos investimentos. Por meio do seu cálculo e, principalmente, da comparação de resultados, é possível tomar decisões mais embasadas e estratégicas. 

Quer fazer escolhas melhores para a sua carteira? Aumente seus conhecimentos sobre investimentos ao acompanhar nossos conteúdos no InstagramYouTubeLinkedInTwitter e Facebook!

Comentários