Investir no mercado acionário pode se tornar uma tarefa desafiadora quando não se sabe como selecionar uma ação entre as centenas disponíveis. Já investidores experientes costumam embasar suas decisões a partir da leitura de indicadores fundamentalistas, como o market cap. 

A análise prévia desse indicador permite ampliar a visão sobre o tamanho e a importância da emissora do papel para o mercado. Logo, é possível ter uma noção se o investimento nela atende às suas expectativas e necessidades.  

Você quer saber mais detalhes sobre o market cap e como ele funciona? Então veja neste artigo o seu conceito e como adotá-lo ao investir! 

O que é market cap? 

A expressão market cap é a abreviação de market capitalization, que significa capitalização de mercado, na tradução. Esse é um conceito muito usado na B3 (a bolsa de valores brasileira), especialmente no segmento de ações, para medir o quanto uma empresa vale. 

Portanto, o indicador tem relação com a quantidade de ações emitidas pela organização e o preço dos papéis no momento da análise. Desse modo, o seu resultado não é fixo, uma vez que ele sempre muda conforme as oscilações do papel. 

Vale destacar que a precificação de uma ação ou empresa observa, entre outros fatores, a lei da oferta e demanda. Nesse sentido, quanto mais pessoas estiverem interessadas em um papel, maior tende a ser seu preço. Do contrário, a tendência é a cotação do ativo cair. 

Na prática, o market cap representa o quanto os investidores estão dispostos a pagar pela empresa, ou seja, ele revela o seu valor de mercado no momento da análise. Esse pode ser um bom ponto de partida para as suas escolhas, concorda? 

Qual é a importância do indicador para quem investe? 

Agora que você sabe o que é market cap, vale entender qual é sua importância para quem investe. Para o investidor, o indicador é útil porque reflete a percepção do mercado sobre o valor de uma empresa listada. 

Assim, as organizações com alto market cap tendem a ter mais visibilidade, liquidez e solidez financeira — o que pode gerar maior confiança e segurança para os investidores. Normalmente, elas são companhias que já estão estabilizadas em seus segmentos, possuindo menos espaço para crescimento. 

Por outro lado, empresas com baixo valor de mercado podem oferecer melhores oportunidades de crescimento e valorização. No entanto, elas tendem a apresentar mais volatilidade e incerteza — e têm maiores chances de serem impactadas em períodos de crise. 

Nesse sentido, o investidor pode usar o market cap para escolher as ações que mais se encaixam nas suas estratégias. O indicador também pode ser usado no balanceamento do seu portfólio, já que é possível combinar empresas de diferentes tamanhos, buscando equilibrar o risco de cada uma delas. 

Como o market cap é calculado? 

Após entender a importância do market cap para o investidor, chegou o momento de aprender como ele é calculado. A conta é simples, bastando multiplicar o preço de uma ação pelo número total de ações emitidas pela companhia avaliada. A fórmula é: 

Market cap = quantidade total de ações x preço unitário da ação 

Para facilitar a compreensão desse cálculo, vale considerar um exemplo prático. Imagine que uma companhia abriu o seu capital na bolsa recentemente, tendo emitido 150 milhões de ações ON (ordinárias). Agora, considere que cada papel esteja cotado a R$ 8, veja como ficaria a conta: 

Market cap = 150.000.000 x 8 

Market cap = 1.200.000.000 

Nesse exemplo, a companhia terá um market cap de R$ 1,2 bilhão. Apesar de essa quantia ser expressiva, a organização fictícia seria considerada uma small cap (baixa capitalização). Ou seja, ela seria uma empresa pequena, quando comparada às demais listadas na bolsa. 

Desse modo, caso você quisesse se tornar o único acionista do negócio, precisaria desembolsar essa quantia financeira para conseguir comprar todos os seus papéis. Contudo, para exercer o controle administrativo da organização, não é preciso comprar todas as suas ações, ok? 

Na verdade, é necessário adquirir uma quantidade de papéis que garantam um peso significativo nas assembleias e votações da empresa. Já se o seu interesse é receber renda passiva, você poderá comprar apenas os lotes necessários para satisfazer essa busca — lembrando que não há garantia de ganhos, certo? 

Genial Investimentos - Abra sua conta

Como utilizar o market cap para investir? 

Existem diferentes formas de usar o market cap para investir. Afinal, o tamanho da empresa pode dizer muito a seu respeito, apesar de esse não ser o único indicador a ser avaliado.  

Confira, a seguir, os principais usos desse indicador! 

Dimensionar empresas 

O uso do market cap é bastante comum para dimensionar e separar as companhias em três principais grupos: small caps, mid caps e blue chips.  

Entenda mais sobre cada um deles! 

Small caps 

Como você aprendeu, as small caps são empresas de menor capitalização, com valor de mercado variando entre US$ 300 milhões e US$ 2 bilhões. Muitas vezes, essas são organizações que abriram o capital recentemente, embora isso não seja uma regra.  

As suas ações são caracterizadas pela baixa liquidez e alta volatilidade. Ademais, por estarem em fase de expansão, é comum que elas reinvistam seus lucros e não tenham o hábito de distribuir dividendos. 

Mid caps 

Essas são as companhias de média capitalização da bolsa de valores, com valor entre US$ 2 bilhões a US$ 10 bilhões — ou seja, empresas que já evoluíram, mas não têm um market cap tão elevado. Os seus papéis costumam ter maior liquidez, mas podem passar por períodos de grande oscilação. 

Desse modo, as mid caps costumam ter mais estabilidade que as small caps. No entanto, por contarem com certo nível de consolidação, o potencial de valorização de suas ações também costuma ser menor. 

Blue chips 

O termo blue chip vem do pôquer, no qual as fichas azuis são as mais caras. As empresas que levam essa denominação são as maiores corporações do mercado. Nesse caso, o market cap costuma ser superior a US$ 10 bilhões. 

Esses atributos fazem com que as blue chips, geralmente, sejam visadas para investimento e menos afetadas pelas flutuações do mercado. Além disso, as ações blue chips tendem a ter mais liquidez e podem pagar dividendos de maneira recorrente.  

Avaliar o potencial de crescimento da empresa 

O market cap costuma ser utilizado para avaliar o potencial de crescimento de uma empresa. Companhias com um valor de mercado muito elevado, por exemplo, tendem a expandir mais lentamente.  

Isso porque elas já costumam ocupar uma posição de liderança no segmento em que atuam. Nesse contexto, essas organizações tendem a enfrentar uma concorrência maior, além de terem menos espaço para expandir a sua fatia de mercado. 

Ademais, é normal que elas tenham estruturas complexas e burocráticas, o que pode dificultar a inovação e a agilidade na tomada de decisões. Também há grande expectativa por parte dos investidores quanto aos seus resultados, aumentando a pressão sobre a sua atuação. 

Em contrapartida, empresas que apresentam um baixo market cap costumam ter mais chances de expansão. Como elas normalmente possuem estruturas simples e flexíveis, isso pode facilitar a adaptação às mudanças do mercado e a implementação de novas ideias e soluções. 

Como essas companhias estão buscando o crescimento e reconhecimento no mercado, elas podem investir em novos produtos ou tecnologias e tomarem a vanguarda do seu segmento. Por outro lado, as chances de o negócio se deparar com prejuízos e ter dificuldades em se reerguer são maiores. 

Comparar empresas do mesmo setor 

Outra forma de usar o market cap se dá na comparação de empresas do mesmo setor. Por exemplo, imagine que você queira investir em organizações do setor petrolífero. Ao usar esse indicador, você saberá qual delas possui maior quantidade de ações disponíveis. 

Tenha em mente que quanto maior a quantidade de ações da empresa em circulação, mais pulverizada tende a ser a sua administração. Já companhias com menos papéis em negociação podem ter uma quantidade menor de acionistas.  

Essa é uma informação relevante e capaz de orientar o investidor que deseja participar da administração do negócio. Também é possível usar o indicador para encontrar qual é a companhia que apresenta maiores resultados, entre diferentes empresas do mesmo segmento e tamanho. 

Destaca-se que a distribuição de dividendos está condicionada à realização de resultados positivos por parte da empresa. Assim, avaliar quais companhias conseguem trazer lucros com frequência poderá elevar as chances de recebimento do provento — embora não haja garantias, como você viu. 

Diversificar a carteira 

O indicador é um critério útil para diversificar um portfólio de investimentos. Essa é uma estratégia bastante conhecida e utilizada no mercado. Ela consiste em investir em mais de um ativo, para não concentrar todo o risco de sua carteira em uma só alternativa. 

Entretanto, as escolhas não devem ser feitas sem seguir nenhum critério, já que, nessa hipótese, você estaria apenas pulverizando o seu capital. Na realidade, para conseguir diversificar sua carteira de maneira eficiente, é necessário escolher ativos descorrelacionados ou com correlação negativa. 

Isso significa selecionar alternativas que possam apresentar resultados diferentes, ainda que sejam submetidas às mesmas condições de mercado. Desse modo, investir em empresas de tamanhos e segmentos diversos permite equilibrar o risco e o retorno do portfólio. 

Também é possível diversificar considerando um horizonte de investimento longo e outro mais curto. Por exemplo, você pode aproveitar a volatilidade de papéis de small caps no curto prazo e equilibrar o risco com ações de blue chips que costumam ter maior estabilidade em prazos maiores. 

Mas lembre-se de que, apesar de o market cap ser um indicador conhecido e bastante utilizado no mercado, não é aconselhável o seu uso isoladamente. Afinal, existem diversos outros indicadores fundamentalistas e fatores a serem avaliados antes da tomada de decisão, combinado? 

Quais outros indicadores podem ser usados com o market cap? 

Ao chegar até aqui, você já aprendeu detalhes importantes sobre o uso do market cap. Porém, considerando que ele não deve ser o único fator para embasar suas decisões, é importante conferir quais outros indicadores podem contribuir com as suas análises

Veja os principais exemplos! 

ROE 

O ROE (return on equity) é um indicador que mostra a capacidade de uma empresa em gerar lucros com seu patrimônio líquido. Ele é calculado a partir da divisão lucro líquido empresarial pelo seu patrimônio líquido.  

Quanto maior for o ROE, mais lucrativa tende a ser a empresa, indicando que ela consegue gerar lucros com menos recursos próprios. 

P/VPA 

O P/VPA (preço/valor patrimonial por ação) é uma métrica que compara a cotação atual de uma ação com seu valor patrimonial por papel. A fórmula é a mesma levada em seu nome, ou seja, a divisão do preço pelo valor patrimonial por ação. 

Um P/VPA menor que 1 pode indicar que a ação está descontada, ou seja, o seu preço está abaixo do que o ativo vale. Já um resultado maior que 1 costuma mostrar que o papel está muito valorizado. 

P/L 

O P/L (preço/lucro) é um indicador que compara o preço atual da ação com o lucro que ela trouxe em um período, normalmente, nos últimos 12 meses. Ele é usado para determinar se uma ação está sendo negociada a um preço justo em relação aos seus ganhos.  

Um P/L baixo pode indicar que uma ação está subvalorizada, enquanto um P/L mais alto sugere que ela está sobrevalorizada. 

DY 

O DY (dividend yield) revela o retorno pago pela empresa em forma de dividendos. Ele é calculado a partir da divisão dos dividendos distribuídos nos últimos 12 meses pela cotação atual do papel. Um alto DY pode indicar que o repasse dos lucros é positivo em relação ao preço da ação no período. 

O seu uso é bastante comum entre os investidores que estão em busca de ativos que possam fornecer renda passiva. 

DP 

O DP (dividend payout) mostra a proporção dos lucros de uma empresa que é distribuída aos acionistas na forma de dividendos. Ele é calculado dividindo os dividendos pagos nos últimos 12 meses pelo lucro líquido obtido no mesmo período. 

Esse indicador ajuda a entender como a empresa utiliza os seus lucros: se ela costuma reinvestir na sua expansão e crescimento ou se ela prefere recompensar os seus acionistas. 

Além dos indicadores que você aprendeu, existem diversos outros dentro da análise fundamentalista. Logo, é importante continuar estudando sobre o assunto para identificar quais trazem as informações mais importantes para as suas estratégias de investimentos e objetivos, ok? 

Neste artigo, você aprendeu o que é o market cap e como ele pode ser usado para aprimorar as suas escolhas na hora de investir em ações. Ao contar com esse e outros indicadores da análise fundamentalista, você aumenta as suas chances de êxito no mercado acionário. 

Você quer investir em ações com uma corretora de investimentos completa? Abra uma conta na Genial Investimentos

Genial Investimentos - Abra sua conta

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Lançamento App 30

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!