Seja no mundo dos negócios ou dos investimentos é interessante se guiar pelo exemplo de pessoas que atingiram o sucesso. Um exemplo que atende a ambos os critérios é o empresário e investidor Martin Lorentzon. Você já o conhece? 

Graças às suas ideias e visão empreendedora, milhares de pessoas têm acesso a músicas, shows, podcasts, eventos ao vivo, entre outros, direto de um smartphone ou computador. Isso é possível por meio do aplicativo Spotify, criado por ele em 2006. 

Infográfico Martin Lorentzon

infográfico Martin Lorentzon

Sven Hans Martin Lorentzon é um empresário sueco conhecido por ser o cofundador da Tradedoubler e Spotify.  

Acompanhe este infográfico para conferir um pouco da história desse empresário! 

1969 — Nascimento 

Martin Lorentzon nasceu em 1 de abril de 1969, na aldeia de Åsenhöga, na região de Gnosjö, na província de Småland, na Suécia. 

1990 a 1995 — Formação acadêmica 

Ele se formou em engenharia civil e tem mestrado em ciências e engenharia pela Chalmers University of Technology, onde também recebeu o título de doutor honorário. 

1995 — Início da carreira 

Lorentzon iniciou a sua carreira como estagiário na Telia, uma empresa de telecomunicações sueca. Naquele ano, ele se mudou para o Vale do Silício, onde trabalhou na Alta Vista e na Cell Ventures. 

1999 — Abertura da sua primeira empresa 

Junto a Felix Hagnö, Lorentzon abriu uma empresa de marketing de afiliados baseada em desempenho para anunciantes e editores, a Netstrategy. Em 2000, ela passou a chamar Tradedoubler 

2006 — Aquisição da Advertigo 

A Tradedoubler adquiriu o serviço de publicidade Advertigo, de Daniel Ek. Pouco depois, Lorentzon deixou o conselho de diretores e vendeu sua participação por 70 milhões de dólares. 

2008 — Lançamento do Spotify 

Junto a Daniel Ek, Lorentzon criou o Spotify, visando trazer soluções para o mercado da música que estava em decadência. 

2011 — 1 milhão de assinantes 

Rapidamente o Spotify alcançou a marca de 1 milhão de usuários pagantes, expandindo o seu mercado para os Estados Unidos e outros países. 

2012 — Estratégia de sucesso 

Após ingressar no mercado norte-americano, a base de clientes do Spotify chegou a 15 milhões, sendo 4 milhões pagantes. 

2013 — Lorentzon deixa o Spotify 

Sob a justificativa de buscar novos desafios e passar mais tempo com sua família, Lorentzon deixou o Spotify

2013 a 2023 — Projetos pessoais e investimentos 

Desde então, Lorentzon passou a focar em projetos pessoais. Ele também investe, mantendo em carteira ações do Spotify e da Cervantes Capital — uma empresa de investimentos especializada em tecnologia e startups. 

Quem é Martin Lorentzon? 

Sven Hans Martin Lorentzon é um empresário sueco conhecido por ser o cofundador da Tradedoubler e Spotify. Ele nasceu em 1 de abril de 1969, na aldeia de Åsenhöga, região de Gnosjö, província de Småland, na Suécia. 

Em 1970, a sua família se mudou para o distrito de Hestra, na cidade Borås, Suécia. Um detalhe interessante é que a região é famosa por ter algumas ruas com nomes de instrumentos musicais — como a Sonata Street, a Mandolin Street e a Harpo Street. 

De certo modo, a música esteve em torno do Lorentzon desde a sua infância. Com ela, o empresário conseguiu criar um império — embora os nomes das ruas sejam apenas uma coincidência em sua história. 

Destaca-se que, no primeiro trimestre de 2022, o Spotify tinha por volta de 422 milhões de usuários e gerou uma receita em torno de 2,66 bilhões de euros

Qual sua trajetória no mundo dos negócios? 

Depois de aprender quem é Martin Lorentzon, vale conferir como se deu a sua trajetória de sucesso no mundo dos negócios. Confira abaixo: 

Infância e adolescência 

Filho de uma professora e um economista, desde pequeno Martin Lorentzon tinha uma visão empreendedora. Na escola primária Särlaskolan em Borås, ele teria dito aos colegas de classe que se tornaria um bilionário ao vender uma caixa de fósforos para cada pessoa da China

No ensino médio, ele frequentou o departamento técnico de Sven Eriksons Gymnasie. Embora, na adolescência, Lorentzon gostasse de se divertir e ir em festas, ele sempre priorizava a educação. 

Graduação e mestrado 

Em 1990, Lorentzon iniciou os seus estudos na Chalmers University of Technology, onde se dedicou à economia industrial e se formou em engenharia civil. Posteriormente, ele obteve um mestrado em ciências e engenharia, recebendo também o título de doutor honorário. 

Além disso, Lorentzon frequentou cursos de economia na Gothenburg School of Business, Economics and Law. Ele aprofundou ainda mais seus conhecimentos em economia na Stockholm School of Economics, bem como participou de cursos de retórica e argumentação na Stockholm University. 

Estágio e trabalho 

Em 1995, Lorentzon deu início a um estágio na empresa de telecomunicações sueca, Telia. Na sequência, ele se mudou para São Francisco, nos Estados Unidos, quando passou a trabalhar no escritório na região do antigo mecanismo de busca AltaVista, da empresa Overture Services. 

Durante sua estadia no Vale do Silício, ele teve a oportunidade de conviver com empreendedores talentosos do setor de tecnologia. Eventualmente, Lorentzon conseguiu um emprego na Cell Ventures, uma empresa de investimentos.  

Foi nessa época que ele conheceu Felix Hagnö, filho dos proprietários da marca de roupas sueca chamada Joy. Pouco tempo depois, os dois abriram seu primeiro negócio de sucesso: a Netstrategy. 

Netstrategy/Tradedoubler 

Criada em setembro de 1999, a Netstrategy foi a primeira rede europeia a oferecer serviços de marketing de afiliados baseados em desempenho para anunciantes e editores. O seu rebranding ocorreu em 2000, quando a companhia passou a se chamar Tradedoubler. 

No final daquele ano, a empresa já contava com mais de 260 programas de afiliados em múltiplos segmentos e mais de 70.000 afiliados. Em 2001, ela recebeu o prêmio Swedish Guldmusen, na categoria de “Novata de TI do ano”. 

Outras premiações se deram em 2002 e 2004, quando a Tradedoubler ganhou os prêmios Achievement Award e Export Hermes. O primeiro foi dado em reconhecimento ao sucesso da companhia e o segundo por ser a melhor empresa exportadora da Suécia. 

Em 2005, a companhia abriu seu capital na Nasdaq (National Association of Securities Dealers Automated Quotations) Estocolmo. A partir de então, a organização passou a adquirir negócios menores, como o serviço de publicidade Advertigo, criado por Daniel Ek. 

Visando iniciar um novo negócio com Ek, em 2006, Lorentzon deixou o conselho de diretores da Tradedoubler, vendendo suas opções de ações da empresa por 70 milhões de dólares. Uma parte do montante foi usada para a criação e manutenção do Spotify. 

Spotify 

O Spotify foi registrado em 2006 em Estocolmo, na Suécia, a partir do investimento inicial de 1 milhão de euros por parte de Lorentzon. O seu nicho de atuação era o mercado musical que estava em declínio na ocasião, em decorrência do aumento da pirataria. 

A companhia teve prejuízos no início, considerando as dificuldades que os empresários tiveram em encontrar parceiros comerciais e adquirir licenças musicais. Nos primeiros anos de funcionamento, Lorentzon gastou dinheiro próprio para custear salários, escritórios e diretos musicais. 

Em decorrência da experiência prévia com a Tradedoubler, que se viu próxima à falência mais de uma vez, Lorentzon continuou a acreditar no projeto.  

Porém, o Spotify só começou a funcionar como plataforma de streaming em 2008. Com a parceria firmada com a Universal, EMI Music e outras gravadoras importantes de modo experimental, o serviço começou a ganhar notoriedade. 

Em 2011, a companhia atingiu a marca de 1 milhão de assinantes pagantes em toda a Europa. Na época, ela contava com uma base em torno de 6 milhões de usuários que usavam o serviço gratuitamente, subsidiado por anúncios. 

No final daquele ano, a plataforma deu um novo passo ao expandir seus serviços nos Estados Unidos. Para ganhar mercado, os serviços eram oferecidos de graça para novos usuários durante seis meses. 

Em agosto de 2012, a revista norte-americana Time noticiou o aumento da base de clientes para 15 milhões de usuários ativos, sendo 4 milhões assinantes pagantes. O sucesso permitiu que a companhia expandisse para diversos outros países. 

Lorentzon atuou como CEO (Chief Executive Officer) no Spotify até 2013 e permaneceu no conselho de administração por mais três anos. Em 2023, a plataforma de streaming era a mais popular do mundo, estando presente em pelo menos 65 países. 

Como Lorentzon transformou a indústria musical com o Spotify? 

Na década de 2000, a pirataria era um problema que atingia o mundo todo, especialmente na Suécia — onde surgiu o portal Pirate Bay. O site era focado em fornecer versões piratas de programas, filmes e músicas. 

Acontece que muitas vezes os arquivos continham vírus e programas maliciosos para roubar dados bancários e informações dos usuários. Ainda assim, diversas pessoas preferiam baixar esses conteúdos a pagar por eles, em especial devido ao seu alto preço. 

Naquele tempo, predominava o modelo de aquisição de conteúdo. Ou seja, o interessado em ouvir uma música normalmente tinha que adquirir o álbum no qual ela estava inserida. Isso porque, às vezes, o preço de adquirir apenas 1 título era próximo ao preço de compra do álbum. 

Analisando esse cenário, Lorentzon e Ek visualizaram a criação de um serviço que atenderia às demandas do setor musical e de seus usuários — o streaming de áudio. Nesse contexto, o Spotify foi idealizado sob o modelo de pagar para ter acesso ao conteúdo e não para adquiri-lo. 

Para o usuário, o serviço traria o benefício de permitir o acesso a uma grande biblioteca de títulos por um preço menor do que o de aquisição de cada um deles. Ainda, por ser um serviço acessado em uma plataforma confiável, ele eliminava o risco de ter o dispositivo infectado por vírus. 

Em relação àqueles que atuavam no setor musical, essa era uma forma de oxigenar o segmento. Afinal, o Spotify pagaria royalties cada vez que uma música fosse tocada em seu serviço. Então mesmo os usuários que não pagassem pelos serviços gerariam royalties devido às propagandas. 

Nesse contexto, o modelo de música sob demanda proporcionou uma nova forma de monetização para artistas e gravadoras, transformando a indústria musical. 

Por que Lorentzon deixou o Spotify e o que ele fez após isso? 

Após o sucesso do Spotify, Martin Lorentzon decidiu deixar sua posição como presidente do conselho em 2013. Na ocasião, ele citou a necessidade de passar mais tempo se dedicando à vida pessoal e a vontade de buscar novos desafios. 

Entretanto, o empreendedor permaneceu como membro do conselho da empresa e manteve um interesse significativo em seu sucesso contínuo. Depois de deixar o cargo de CEO do Spotify, Lorentzon ingressou no Projeto de Bolsas do Príncipe da Suécia. 

Como parte desse projeto, ele realizou visitas a escolas secundárias, universidades e faculdades, visando inspirar as próximas gerações a adotar uma mentalidade mais empreendedora — como a sua. 

Ainda naquele ano, Lorentzon se tornou membro do conselho da Telia, a empresa de telecomunicações na qual ele foi estagiário em 1995. Sua atuação no conselho ocorreu até 2018. No período, ele tornou-se membro da Real Academia Sueca de Ciências da Engenharia. 

Nessa entidade, o empresário passou a promover a colaboração e o intercâmbio entre Governo, pesquisadores e empresas do país. Em 2023, ele vivia sozinho no distrito de Vasastan, Estocolmo, Suécia, em um apartamento na comunidade de estação de esqui de Åre. 

Qual sua relação com economia e investimentos? 

Depois de conferir a história de sucesso do empresário Martin Lorentzon, talvez você esteja se perguntando qual é a sua relação com economia e investimentos, correto? 

Como você viu, Lorentzon demonstrou ter uma visão de longo prazo em diferentes projetos. Por ter trabalhado com telecomunicações, ele viu o potencial que a internet oferecia e se mudou para o Vale do Silício para aprender sobre tecnologia. 

Na época, ele também aprendeu sobre investimentos e não mediu esforços para abrir a sua primeira empresa — a Tradedoubler — em sociedade com pessoas que já tinham uma bagagem no mundo dos negócios. 

Com o êxito da companhia, Lorentzon continuou a empreender e investir em variados setores. Por diversificar seus investimentos, ele conseguiu encontrar Daniel Ek, com quem teve a ideia de criar o Spotify.  

Sua experiência na Tradedoubler e no Spotify, entre outras empresas, o tornaram uma figura respeitada no setor de tecnologia e empreendedorismo — além de uma referência no universo dos investimentos. 

Além de possuir ações do Spotify, em 2023, Lorentzon era o maior acionista da Cervantes Capital, uma empresa de investimentos especializada em tecnologia e startups. Sua capacidade de identificar oportunidades de investimento fez dele um participante ativo na cena econômica.  

Segundo a revista Forbes, em 2023, a fortuna de Lorentzon estava avaliada em 3,7 bilhões de dólares. Em premiações pessoais, o empreendedor possui o título de sueco internacional do ano (2014) e o prêmio Affärsbragden (The Business Achievement) do jornal Svenska Dagbladet (2015). 

Quais as filosofias a serem aprendidas com Lorentzon? 

Considerando o caminho trilhado por Lorentzon para alcançar uma riqueza considerável, é possível destacar as filosofias que o empresário seguiu. A primeira delas se concentra na aquisição de conhecimento. 

Ao longo de sua vida, Lorentzon estudou assuntos como economia, tecnologia, retórica e linguagem. A partir desses aprendizados, ele conseguiu identificar oportunidades e inovar um setor que estava em declínio nos anos 2000. 

Quanto ao empreendedorismo, vale enfatizar a relevância de buscar soluções que possam atender tanto a uma empresa quanto ao usuário final. Assim, aumentam as chances de fazer com que o negócio seja interessante e viável financeiramente. 

No campo dos investimentos, observa-se a relevância da diversificação. Se não fosse a busca por diferentes modelos de negócios, é provável que Lorentzon não tivesse chegado ao setor musical e ao sucesso do Spotify.  

Portanto, pensar fora da caixa e testar novas ideias pode ser um passo para se estar mais perto do sucesso. Ademais, ter o apoio de pessoas experientes tende a encurtar esse caminho. Por isso, quando se fala em investimentos, você pode contar com a Genial Investimentos

Quer começar a investir com o suporte de profissionais qualificados? Abra a sua conta na Genial Investimentos e confira

Genial Investimentos - Abra sua conta

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!