Macarena Onelink Baixe o App

A evolução tecnológica traz diversas modificações no modo de vida e nos relacionamentos das pessoas. Uma promessa de disrupção relevante no ambiente digital é a utilização do metaverso: você sabe o seu significado?

Conhecer o conceito e saber como ele pode influenciar em negócios, interações pessoais e investimentos ajuda a identificar oportunidades e se adaptar. Nesse sentido, entender o metaverso se torna relevante para todas as pessoas interessadas em tecnologias.

Neste conteúdo, você aprenderá conosco o que é o metaverso, como ele funciona e quais são as suas oportunidades de investimento. Não perca!

Qual o significado de metaverso?

Apesar de ser uma palavra que ganhou destaque no mundo digital nos últimos tempos, o metaverso ainda pode ter um significado obscuro para muitas pessoas. Portanto, vale a pena esclarecer o que ele quer dizer.

O termo se popularizou com o Facebook, uma das maiores empresas mundiais ligadas a redes sociais e tecnologias. Essa companhia anunciou que pretende criar um metaverso próprio e, inclusive, alterou o seu nome para Meta.

Você pode entender o metaverso como uma evolução da usabilidade da internet. Atualmente, nós utilizamos esse espaço digital por meio dos nossos monitores, navegando por páginas web, conferindo o e-mail e interagindo em redes sociais, certo?

A ideia do metaverso é que a usabilidade do ambiente digital seja complementada com a propriedade dos ativos digitais, assim como a propriedade de seu perfil digital.

Nesse mundo digital, é possível acessar diversos locais — por exemplo, cidades virtuais, prédios, salas de reunião, jogos, entre outros. Contudo, para fazer isso, é preciso ter equipamentos próprios, como óculos de realidade virtual ou aumentada.

Dessa forma, podemos resumir o significado de metaverso como um momento no tempo em que a vida digital passe a ser tão importante quanto à vida real, podendo também ser representado em um ambiente de realidade virtual onde os usuários conseguem interagir com pessoas, executar serviços, fazer compras, entre outras possibilidades.

Vale ressaltar que o metaverso é um conceito, não uma empresa ou um local. Qualquer companhia de tecnologia ou mesmo pessoas físicas com conhecimento técnico podem criar o seu metaverso e abri-lo ao público.

Como ele surgiu?

O metaverso começou a se popularizar em meados da década de 2010, mas o conceito já tem mais de 30 anos. O termo foi utilizado no livro chamado Snow Crash, publicado por Neal Stephenson em 1990.

Contudo, nessa obra, o metaverso era apenas um conceito de ficção científica, que acabou se tornando realidade. Na verdade, os primeiros metaversos começaram a ser criados somente após 2010, principalmente por conta das tecnologias proporcionadas pelas criptomoedas.

Assim, vale ressaltar a importância do blockchain nos metaversos. Essa tecnologia surgiu em 2008, com a criação do bitcoin. Ele é um sistema descentralizado e independente, que cria um banco de dados global utilizando servidores particulares em todo o mundo.

O blockchain também permite que sejam criadas moedas de trocas e objetos únicos dentro do metaverso. Logo, os usuários podem negociá-los, comprá-los e realizar transações dentro do próprio ambiente virtual.

Como funciona o metaverso?

Depois de entender o que é o metaverso e como ele surgiu, você pode ter dúvidas sobre o funcionamento dessa tecnologia, não é mesmo? Conforme vimos, o metaverso pode ser acessado por meio de equipamentos específicos.

Alguns desses metaversos necessitam do uso de óculos de realidade virtual. Esses são equipamentos que projetam imagens para os usuários e captam movimentos do corpo para gerar interação. Assim, é possível ter uma visão em primeira pessoa dentro do metaverso, interagindo de forma plena com todo o ambiente.

A realidade aumentada é outra possibilidade que pode ser explorada por esse universo. Diferentemente da realidade virtual, ela permite que objetos do mundo real sejam utilizados e transformados digitalmente, gerando ainda mais interação dos usuários.

Contudo, a utilização de metaversos apenas com um monitor comum também é possível. Ela não gera uma interação mais realista, mas também permite acessar e interagir com os ambientes digitais.

Qual é a relação do metaverso com o mercado de investimentos?

Como o metaverso é uma tecnologia em expansão e que captura o interesse de grandes empresas, os investidores tendem a se perguntar se é possível se expor financeiramente a ele. Na verdade, não se pode investir diretamente no metaverso, tendo em vista que ele é um conceito.

Contudo, há maneiras indiretas de se expor ao metaverso e essa nova tecnologia. Nesse contexto, vale verificar quais empresas investem nessa tecnologia e podem crescer com a expansão do metaverso. Como você já viu, o Facebook — atualmente Meta — é uma dessas companhias.

Essa empresa já indicou que investirá na expansão do metaverso e quer torná-lo mais popular. Outras grandes companhias, como a Microsoft, a Epic Games e a Roblox, também têm interesse nesse universo digital.

Além de empresas, há possibilidade de se expor a criptomoedas e tokens digitais relacionados aos mais diferentes metaversos. Esses ativos virtuais são criados e utilizados nesse universo e não possuem lastro físico.

Eles têm oscilação de preço conforme a oferta e demanda de usuários, podendo criar uma oportunidade de aporte. Mas fique atento: essas não são indicações de investimentos, apenas informações a respeito de possibilidades para se expor ao metaverso, caso você tenha interesse.

Como investir no metaverso?

Se você se interessou em se expor ao metaverso por meio do mercado de investimentos, precisa conhecer os principais ativos e veículos disponíveis. O primeiro deles são as ações de empresas ligadas a esse conceito.

Como você viu, há companhias que estão investindo no metaverso e buscam obter resultados positivos com isso. Se elas tiverem capital aberto, você pode se tornar um sócio minoritário ao comprar papéis disponíveis na bolsa de valores brasileira, a B3.

No caso de empresas cujas ações são negociadas em bolsas internacionais, é possível avaliar a compra de BDRs. Os brazilian depositary receipts são certificados de depósito negociados na B3, mas lastreados em ativos de outros países.

Além disso, há a possibilidade de investir em exchange traded funds (ETFs), que são fundos de índice que acompanham um indicador de mercado. Um exemplo é o META11, da Hashdex, que pode ser encontrado na corretora Genial.

Por fim, não se esqueça de acompanhar as novidades sobre o metaverso e os criptoativos. Para isso, confira o podcast Mundo Cripto, da Genial. Desse modo, você terá mais informações para embasar as suas decisões de investimento.

Agora você já sabe qual é o significado de metaverso e como ele funciona. Como você viu, há formas de se expor a esse conceito indiretamente, mas sempre considere o seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros na composição da sua carteira. Quer contar com uma corretora de valores para ter acesso a plataformas de negociação de forma segura? Então conheça a Genial!

Comentários