Pessoas com o perfil arrojado costumam buscar oportunidades que possam oferecer alto lucro, mesmo que o risco também seja elevado. É o caso de quem investe em renda variável, como em ações, cotas de fundos imobiliários (FIIs) e outros ativos disponíveis na B3 (bolsa de valores brasileira).

Mas você sabia que, além das alternativas convencionais, existe o mercado Forex? Ele também oferece oportunidades para quem tem maior apetite aos riscos. Nesse ambiente, você pode expor o seu capital às variações de preços de moedas de diferentes países.

Ficou interessado nessa possibilidade de rentabilizar o seu capital em um mercado diferente do convencional? Confira o que é e como funciona o mercado Forex.

Boa leitura!

O que é o Forex?

O termo Forex (ou FX) é a forma abreviada de foreign exchange market, ou mercado cambial estrangeiro. Como o nome indica, trata-se de um ambiente para a negociação de moedas de diferentes nações.

Ele foi criado em 1971, diante do colapso do sistema de Bretton Woods — que definia o dólar como única moeda de reserva internacional com lastro no ouro. Esse sistema estava em vigência desde 1944, a partir de um acordo formulado entre 45 nações aliadas durante a 2ª Guerra Mundial.

No entanto, a degradação das finanças norte-americanas no período, incluindo-se o déficit comercial e a inflação crescente nos Estados Unidos, fez o dólar cair. Diante disso, muitos países e investidores começaram a demandar a troca de suas reservas em dólar pelo ouro.

Com a economia debilitada, os EUA não conseguiram cobrir a paridade da moeda com o metal precioso. Dessa maneira, o presidente estadunidense à época, Richard Nixon, decidiu encerrar o sistema de Bretton Woods, acabando com a convertibilidade do dólar em ouro.

Com isso, muitos países deixaram de ter um câmbio fixo embasado no dólar e passaram a adotar o câmbio flutuante — pareado a outras moedas internacionais. Essa mudança permitiu a criação de um mercado para câmbio de moedas, o Forex.

O crescimento do FX foi bastante rápido ao longo do tempo. Atualmente, ele é um dos mercados mais líquidos e voláteis existentes, contando com a participação de grandes instituições, empresas e especuladores do mundo todo. Interessante, não é mesmo?

Quais são as principais características do mercado Forex?

Agora que você sabe o que é e como surgiu o mercado Forex, vale conferir quais são as suas principais características. Um dos principais aspectos do FX é o seu funcionamento 24 horas, 5 dias por semana.

Diferentemente da B3 que, em geral, funciona em horário comercial em dias úteis, no Forex, as operações começam às 22h de domingo e se encerram às 22h de sexta-feira. A escolha desse horário de funcionamento visa acompanhar a abertura e fechamento das principais bolsas de valores do mundo, como:

  • Nova York (Estados Unidos);
  • Londres (Inglaterra);
  • Tóquio (Japão);
  • Sydney (Austrália).

O Forex também é caracterizado por ser um mercado 100% virtual. Isso significa que é possível acessá-lo de qualquer lugar do globo, bastando ter um dispositivo conectado à internet e contar com o intermédio de uma corretora de valores.

Vale dizer que o Forex é considerado o mercado com maior liquidez do mundo. Em finanças, esse termo se refere à velocidade com que se pode converter um investimento em dinheiro disponível. No mercado FX, dificilmente você terá dificuldades para conseguir uma contraparte para as suas negociações.

Outra característica desse mercado é a existência de spreads menores que em alguns ativos encontrados na bolsa de valores. O spread é a diferença entre o preço de compra e o de venda de um ativo, indicando o valor de custo para entrar e sair de uma operação especulativa.

Apesar do baixo spread, o mercado FX também é conhecido por sua alta volatilidade. Como esse é um mercado que conta com a participação de grandes instituições, empresas e especuladores do mundo todo, o volume financeiro movimentado traz grandes oscilações de preços no intraday.

Como funciona esse mercado?

Se você se interessou pelas informações acerca do mercado FX, é importante conferir como ele funciona. Diferentemente de uma bolsa de valores comum, em que são negociados ativos e commodities de diferentes tipos, no FX, as transações são restritas aos pares de moedas.

Nesse contexto, você pode negociar pares de moedas como o real-dólar (BRL-USD), dólar-euro (USD-EUR), euro-libra (EUR-GBP), libra-iene japonês (GBP-JPY), entre outros. A proposta é ter ganhos com as negociações de troca entre o par escolhido.

É comum que essas operações sejam de curto prazo (especulação), aproveitando a valorização ou desvalorização de uma moeda frente a outra. A primeira, conhecida como moeda base, é utilizada para negociar a segunda, chamada de moeda cotada.

Após selecionar o par e fazer uma operação, será realizada a compra de uma e, em simultâneo, a venda da outra. Se o mercado adotar o mesmo sentido da operação escolhida, o especulador terá lucros. Caso contrário, ele estará diante de prejuízos.

Por ser um mercado incerto e volátil, grande parte dos participantes evita manter posições por muito tempo. Ademais, não há a compra efetiva dos ativos, mas apenas a negociação de troca entre as moedas do par escolhido.

Nesse contexto, as negociações no mercado Forex observam apenas a liquidação financeira, não sendo possível estipular a operação com liquidação física. Os lucros ou prejuízos são debitados diretamente na conta da corretora utilizada na operação.

No entanto, é importante saber que o Forex não é regulamentado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Esse fator não indica que fazer operações nele seja proibido, mas que as corretoras de valores nacionais não podem oferecer o FX como modalidade de investimento.

Já as instituições estrangeiras não têm autorização para captar clientes por meio de anúncios de operações no mercado Forex em solo brasileiro.

Quais são as possibilidades de ganho no mercado Forex?

Como você viu, o mercado Forex é bastante utilizado por especuladores. Diferentemente de um investidor, que é conhecido por assumir posições de longo prazo no mercado, o especulador (ou trader) visa extrair lucro das variações de preços dos ativos negociados em períodos menores.

Considerando que as operações costumam ser rápidas — minutos, horas ou poucos dias — é possível abrir posições em ambos os sentidos do mercado (compra ou venda). Posiciona-se na compra o especulador que acredita na valorização da moeda cotada sobre a moeda base.

No sentido inverso, o trade que pensa que a moeda cotada desvalorizará em comparação à moeda base se posiciona na venda. O ganho será realizado se o mercado fluir no sentido da operação realizada.

Exemplo prático de compra

Para entender as possibilidades de ganho no mercado Forex, suponha que o especulador projete que o dólar valorizará frente ao real. Nesse sentido, ele realiza uma operação de compra com a paridade BRL/USD. Caso o dólar esteja custando R$ 5,00, a paridade estará em US$ 0,20.

Imagine que o trader comprou R$ 2.000,00 em dólar (o que equivale a US$ 400,00). Agora, considere que o preço do dólar aumentou para R$ 5,30 e o trader queira encerrar a operação. A venda dos US$ 400,00 a R$ 5,30, totalizaria R$ 2.120,00.

Ou seja, nessa hipótese, sem considerar os custos da operação, o montante de lucro obtido seria de R$ 120,00. Agora, caso o operador tivesse realizado uma operação de venda nesse mesmo cenário, o seu prejuízo seria dessa mesma quantia (R$ 120,00).

Exemplo prático de venda

Visando a contextualização de um exemplo de lucro na venda, imagine que o trader projete a queda do euro frente ao real para os próximos dias. Diante disso, ele decide abrir uma operação de venda, valendo-se da paridade BRL/EUR.

Suponha que no dia da venda, o euro esteja cotado a R$ 5,51, indicando uma paridade de 0,18 €. Nessa hipótese, a venda de R$ 1.000,00 seria equivalente a 181,48 €. Caso a previsão esteja certa e a cotação da moeda europeia caia para R$ 5,38, o fator de lucro será de R$ 23,64.

Isso porque o trader vendeu 181,48 € a R$ 1.000,00 e recomprou a mesma quantidade pagando R$ 976,36. Logo, a diferença entre o preço da venda e compra é creditada em sua conta. Vale dizer que se a operação inicial fosse de compra, a queda do preço do euro traria o prejuízo de R$ 23,64.

Por que o Forex não é regulamentado no Brasil?

Ao chegar até aqui, você deve estar se perguntando: por que um mercado que movimenta trilhões de reais por dia não é regulamentado no Brasil? Na verdade, a resposta é bastante simples: não existe uma legislação que permita o funcionamento desse tipo de mercado no país.

Nesse sentido, não há uma entidade responsável por supervisionar ou fiscalizar esse tipo de operação. Muitos argumentam que a dificuldade de regulamentação no país está associada à complexidade do mercado FX, que envolve transações sujeitas à jurisdição de diferentes países.

Dessa maneira, a falta de regulamentação exige maior atenção por parte dos operadores desse mercado. Afinal, a característica pode ampliar o risco de fraudes e golpes, por exemplo, podendo gerar prejuízos expressivos.

Quais são os riscos de operar nesse mercado?

Ainda que o mercado Forex exista há muito tempo e seja conhecido por sua liquidez e volatilidade, ele traz riscos que não podem ser negligenciados. Então veja o que é necessário considerar antes de ingressar nesse mercado!

Falta de regulamentação no Brasil

Operar no mercado Forex no Brasil sem a devida regulamentação pode ser um grande risco. Muitos indivíduos acreditam que negociar nesse ambiente seria semelhante às operações de ativos na bolsa de valores, mas isso não é verdade.

Aquele que investe ou especula em alternativas regulamentadas está resguardado por instituições como o Bacen (Banco Central) e a CVM. Diante disso, as operações cambiais realizadas no ambiente da bolsa de valores trazem riscos menores do que no FX.

Como não há regulamentação da CVM relacionada ao Forex, não existem garantias institucionais que ofereçam segurança às transações. Por esse motivo, os especuladores brasileiros interessados nesse mercado precisam abrir contas em corretoras estrangeiras.

Contudo, essa prática gera riscos significativos, como a dificuldade de compreender informações importantes sobre as operações ou as suas regras. Também fica mais difícil obter o ressarcimento de valores, caso o trader tenha algum problema operacional.

Além disso, a natureza virtual do mercado Forex permite que os seus dados pessoais sejam expostos na internet. A falta de uma instituição centralizadora e fiscalizadora aumenta o risco de fraudes e golpes financeiros.

Alta volatilidade

Além da falta de regulamentação no Brasil, a volatilidade das negociações de câmbio é outro aspecto que aumenta significativamente o risco do mercado Forex. Ainda que a volatilidade seja fundamental para o trader, esse fator em larga escala pode ser prejudicial.

As moedas estão entre os ativos mais suscetíveis a variações no curto ou curtíssimo prazo, o que pode gerar perdas substanciais para especuladores. Tenha em mente que o Forex é usado por investidores institucionais e grandes corporações, que movimentam milhões de reais diariamente.

Grandes movimentações financeiras podem ter um impacto direto sobre os especuladores com menos recursos. Se eventualmente o trader estiver operando quando acontecer uma movimentação relevante contrária à sua posição, as chances de ele realizar prejuízos serão maiores.

Afinal, dificilmente ele terá capital suficiente para manter uma posição desfavorável por muito tempo. Por exemplo, durante a pandemia de covid-19 (em 2020) muitos especuladores buscaram montar posições de compra do dólar, acreditando na alta da moeda no período de crise.

Porém, naquele momento, a moeda americana acabou desvalorizando frente a diversas moedas estrangeiras importantes. Nesse cenário, muitos especuladores tiveram grandes prejuízos ao adotar essa posição, enquanto aqueles que se posicionaram contra o dólar aproveitaram oportunidades de lucros.

Portanto, a alta volatilidade do FX representa um risco significativo para quem deseja participar dele. Esse aspecto pode atingir especialmente aqueles que não têm muitos recursos e operam alavancados, como você verá adiante.

Riscos alavancados

Outro tipo de risco que pode atrapalhar o especulador no Forex se dá em razão da alavancagem. Esse é um sistema que permite ao especulador operar uma quantia financeira muito superior à mantida na sua conta. Em geral, seria uma espécie de empréstimo oferecido pela corretora.

Diversas corretoras estrangeiras de FX apresentam uma grande margem de alavancagem para os seus clientes, o que aumentaria a possibilidade de obtenção de ganhos multiplicados. O que nem sempre fica claro é que as perdas também poderão ser alavancadas.

Por exemplo, existem instituições que oferecem multiplicadores de alavancagem de 100 a 500 vezes o valor operado. Desse modo, com R$ 2.000,00 em conta, seria possível operar um volume financeiro equivalente a R$ 200.000,00 ou R$ 1.000.000,00, respectivamente.

Tomando como base o exemplo de compra que você viu, em que o lucro operacional foi de R$ 120,00. Se a operação fosse feita com alavancagem de 100 vezes, o ganho ficaria em torno de R$ 12.000,00 com apenas uma operação.

Embora essa premissa seja tentadora, é válido considerar que os prejuízos também podem alcançar ser igualmente potencializados. Por isso, é importante verificar se o uso da alavancagem faz realmente sentido no seu caso, bem como procurar formas de se proteger para evitar grandes prejuízos, combinado?

Como operar nesse mercado do Brasil?

Conhecendo os riscos desse tipo de investimento, o próximo passo é aprender como fazer isso diretamente do Brasil. Se você estiver interessado em ingressar no FX, precisará abrir conta em uma corretora de valores estrangeira.

Essa é uma etapa que demanda bastante cautela, uma vez que existem hackers e golpistas que aproveitam a falta de regulamentação e fiscalização do Forex para aplicar golpes. Então fique atento aos dados solicitados na abertura de conta, a existência de reclamações na internet contra a corretora, canais de atendimento ao cliente etc.

Lembre-se de que não será possível ter todas as garantias oferecidas por uma corretora de valores regulamentada no Brasil. Dessa maneira, caberá a você procurar a instituição que atenda às suas necessidades e anseios em relação ao Forex.

Como existem centenas de corretoras em diferentes países, verifique qual delas oferece segurança, suporte, taxas acessíveis e plataformas operacionais eficientes. Confira se há possibilidade de alavancagem e se a instituição aceita a abertura de conta por estrangeiros.

Afinal, vale a pena entrar no mercado Forex?

Depois de verificar como o Forex funciona, os riscos envolvidos e como acessá-lo, a dúvida que falta ser respondida é se vale a pena entrar no mercado FX? Como em qualquer outro tipo de investimento, não há uma resposta única para esse questionamento.

Isso porque a decisão de participar do mercado Forex deve considerar o perfil de investidor e os objetivos financeiros de cada pessoa. Como você notou, as operações realizadas no Forex são de alto risco, seja por conta da volatilidade, falta de proteção institucional, risco da alavancagem etc.

Nesse contexto, esse tipo de alternativa tende a se enquadrar entre aqueles que possuem o perfil arrojado. Já no que diz respeito aos objetivos, o mercado FX costuma abrigar o interessado em obter ganhos rápidos — o especulador.

Se você tem objetivos de construir patrimônio a longo prazo, talvez seja melhor buscar alternativas em mercados menos voláteis e mais seguros. Mas se você entender que as operações no mercado Forex se enquadram no seu perfil e objetivos, é interessante aprender estratégias voltadas à especulação. O uso da análise técnica é indispensável para o trader.

Ela consiste na leitura das movimentações de preço por meio de figuras gráficas e indicadores técnicos. Esse tipo de análise contribui para a tomada de decisão de entrar ou sair de uma operação, bem como ajuda você a buscar a proteção do seu capital.

Existem outras formas de se expor ao câmbio, além do Forex?

Considerando que as operações realizadas no Forex são concentradas em pares de moedas, talvez você tenha o interesse em saber se existem outras formas de se expor ao câmbio. A resposta é positiva, pois na própria bolsa de valores é possível fazer operações atreladas à cotação de moedas estrangeiras.

Sendo assim, você pode buscar o investimento ou a especulação em ativos que têm o seu preço impactado pela variação cambial. A vantagem é que você estará operando em um mercado regularizado, fiscalizado e protegido por diferentes instituições, além de contar com o suporte de uma corretora com atuação local.

Confira algumas alternativas presentes no mercado nacional atreladas ao câmbio!

Fundos cambiais

Caso você tenha interesse em investir e construir seu patrimônio no longo prazo, poderá se interessar pelos fundos cambiais. Eles são veículos de investimentos coletivos encontrados nas plataformas de corretoras como a Genial Investimentos.

Esses fundos são geridos por um profissional habilitado para atuar no mercado — o gestor. Ele fica responsável por montar a carteira do fundo com ativos ligados ao câmbio — como opções de moedas, contratos futuros, ativos dolarizados, entre outros.

Fundos de índice

Os fundos de índice (ETFs) também são modalidades de investimentos coletivos, com cotas negociadas na bolsa de valores. Por meio desses veículos, o interessado se expõe aos resultados de uma carteira montada para acompanhar a performance de um índice de mercado.

Como muitos deles replicam índices internacionais, compostos por ativos cotados em moedas estrangeiras, os seus resultados tendem a acompanhar a variação cambial. Ou seja, essa é uma forma indireta de se expor à cotação de moedas estrangeiras, sem precisar tirar seu capital do Brasil.

Mercado futuro

Na hipótese de você ter interesse em especular no mercado cambial, é possível operar no mercado futuro de moedas estrangeiras. Nesse ambiente, o trader assume uma posição (comprada ou vendida) com base nas suas projeções quanto à cotação de uma moeda no futuro.

Diariamente, a B3 ajusta a posição de todos os participantes com base em uma média ponderada das negociações havidas no dia — o chamado ajuste diário. Os operadores são creditados ou debitados conforme a diferença de preço da sua posição com o ajuste.

A partir da leitura deste artigo, foi possível entender o que é o Forex e suas características. Então não deixe de avaliar o seu perfil e objetivos, além dos riscos envolvidos, antes de decidir participar desse mercado. Caso queira investir em alternativas mais seguras na B3, conte com a Genial.

Deseja começar seus investimentos no mercado financeiro brasileiro com a Genial Investimentos? Abra já a sua conta e receba gratuitamente o suporte de um assessor de investimentos!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book Trader

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa