Na hora de investir e operar na bolsa de valores, o mercado à vista não é a única possibilidade. Se você quiser proteger a carteira ou mesmo explorar a volatilidade pode recorrer aos contratos do mercado futuro. Entre as alternativas, vale a pena saber o que é mini índice. 

Com tal modalidade, há a chance de investir na valorização ou na queda do principal indicador do mercado de Ações brasileiro. No entanto, é preciso saber como tudo funciona para tomar decisões adequadas e alinhadas com os seus objetivos. 

Quer descobrir todas as características relacionadas a essa possibilidade? Venha conosco da Genial e confira as informações deste post! 

O que é e como funciona o mercado futuro? 

O mercado futuro é diferente do mercado à vista porque, como o próprio nome revela, prevê a realização de uma operação visando uma data no futuro. Logo, a liquidação não acontece em breve – como no mercado à vista, mas com um período especificado em contrato. 

Trata-se de uma escolha da renda variável que se distingue do mercado de Ações. Afinal, no mercado à vista, você adquire um ativo e, logo após o prazo de liquidação, passa a ter o investimento na sua carteira. 

O que são os contratos futuros? 

A operação no mercado futuro é possível por meio dos contratos futuros. Eles são acordos entre duas partes. Os preços e as datas são acordados no momento da assinatura. 

Então os resultados visam uma data futura, mas o acordo, em si, é fechado no momento da contratação. Novamente, é diferente do investimento em Ações, por exemplo, que depende apenas da emissão de ordens de compra e de venda. 

Ao longo da duração do contrato futuro, há o ajuste diário, em que há uma realização parcial de lucros e prejuízos, de acordo com a variação em relação ao pregão anterior. Os lucros são depositados na sua conta na corretora e os prejuízos são debitados dela. 

Ao final do contrato, há a última realização e você poderá conhecer se o valor acumulado, ao longo do tempo, foi positivo ou negativo.  

Quais são os tipos de contratos existentes? 

Por causa da variedade de ativos e derivativos disponíveis no mercado, os contratos futuros podem ser diversos. Há os contratos ligados a commodities, como boi gordo, milho ou café, por exemplo. Também existem os contratos de moedas, como o dólar, e os contratos de índice. 

A principal diferença entre eles, como se pode ver, é o ativo objeto do contrato. Cada um apresenta características específicas, como a quantidade mínima que deve ser investida, as datas de vencimento e a forma de operar. 

O que é contrato de índice? 

Como visto, entre os tipos de contratos futuros há os chamados contratos de índice. Basicamente, eles permitem negociar derivativos associados a índices de mercado. Na bolsa brasileira, o principal deles é o Ibovespa, que é um índice de Ações que representa as empresas mais negociadas. 

Nessa alternativa, o contrato mínimo de índice futuro deve ser fechado em cinco contratos. O valor depende de uma conversão entre pontos e reais, que costuma ser de 1 para 1. Essa modalidade é conhecida como índice cheio e pode não ser tão acessível a investidores de menor capital. 

E o que é mini índice? 

A partir do contrato de índice cheio passa a existir o chamado contrato de mini índice futuro. Como o próprio nome revela, é uma alternativa que também está atrelada a indicadores de mercado, mas que é menor que o modelo cheio. 

Um contrato de mini índice Ibovespa, por exemplo, exige investimento mínimo de 1 lote, em vez de 5 deles. Como referência, cada ponto custa uma fração do valor cheio. Então, na prática, é preciso fazer um investimento inicial menor. 

Para alocar valores nesse contrato, basta encontrar o ticker do contrato de mini índice no home broker e finalizar a negociação. Ele estabelece uma negociação dos movimentos do Índice Ibovespa. Logo, é possível operar para lucrar tanto na valorização quanto na queda do indicador. 

Para que serve o contrato de mini índice? 

Além de saber o que é mini índice, é interessante reconhecer quais são as suas funcionalidades. Ele pode servir, primeiramente, para fazer hedge ou proteção de carteira.  

Ao alocar seus recursos de modo a se prevenir da queda do índice, por exemplo, você pode proteger sua carteira de Ações da variação negativa. Afinal, o contrato trará ganhos, caso a baixa da bolsa se concretize. 

Os contratos futuros também podem servir para especulação. No caso, o objetivo não é esperar a data de vencimento, e sim operar com foco nas oscilações de preços. Como é uma alternativa com bastante liquidez, é relativamente simples realizar negociações de curto prazo.  

Então, dependendo da sua estratégia, é possível lucrar com flutuações no desempenho do Ibovespa. Diante da possibilidade de queda, pode-se usar o que chamamos de venda a descoberto. A ideia é vender um contrato que você não possui, mas que acredita que passará por desvalorização. 

Depois, basta recomprá-lo dentro do horário limite. Se a venda tiver ocorrido por um preço mais alto que a compra, há um ganho consolidado. Desse modo, aproveita-se a volatilidade e é possível usá-la a seu favor. 

Por que vale a pena conhecê-lo? 

Você acabou de ver que o mercado futuro pode ser uma alternativa para quem deseja obter diversificação de investimentos e, assim, equilibrar os riscos da carteira. Ao mesmo tempo, ele também oferece oportunidades para especuladores. 

Por envolver um nível maior de volatilidade, é possível aumentar o potencial de ganhos por também ampliar os riscos assumidos. Mas, claro, tudo depende da forma de operá-lo — o que demanda conhecimento. 

Conhecer o que é mini índice e como esses contratos funcionam possibilita novas oportunidades. Como os contratos menores são mais acessíveis, podem servir para quem começa a atuar agora na modalidade ou tem capital menor para aportes. 

Além disso, você pode operar alavancado. Ou seja, pode operar quantidades financeiras que não dispõe no momento. Para tanto, basta apresentar uma margem de garantia, que será acionada caso a sua conta na corretora não tenha os recursos para realizar eventuais prejuízos. 

Sabendo o que é mini índice, portanto, você tem a chance de usar esses contratos no mercado futuro e fazer proteção de carteira ou especulação. Se essa alternativa fizer sentido para você, vale a pena conhecê-la a fundo e explorar todas as suas possibilidades! 

Quer começar a operar no mercado futuro? Abra a sua conta conosco e venha ser Genial

Comentários