Gerenciar corretamente o seu dinheiro é essencial para alcançar bons resultados no seu cotidiano. Para isso, uma das etapas fundamentais envolve definir os objetivos de curto, médio e longo prazo.

Afinal, eles servem para orientar a sua tomada de decisão e o aproximam da realização dos seus planos. Porém, só há como aproveitar esses e outros benefícios se você souber determinar corretamente as suas metas financeiras.

Por esse motivo, nós, da Genial Investimentos, elaboramos este artigo com 7 dicas para você definir seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Assim, você entenderá quais pontos devem fazer parte do seu planejamento.

Continue a leitura e veja como definir e alcançar os resultados de interesse com os investimentos!

O que são objetivos financeiros?

Os objetivos financeiros são resultados que você deseja alcançar em relação ao uso do dinheiro. Logo, eles incluem tanto as formas como você pretende usar os recursos como o que você espera obter em relação ao seu patrimônio.

Deixar de pagar aluguel, por exemplo, é um objetivo financeiro. Afinal, o processo envolve se comprometer com a compra de um imóvel, o que impacta seu orçamento.

Assim, um objetivo financeiro é bastante dinâmico e envolve mais que poupar determinada quantia. Ele também pode incluir fazer certos gastos com um propósito em mente ou realizar investimentos em busca de determinado retorno.

Quais são as classificações dos objetivos segundo o prazo?

Agora que você conhece o que são os objetivos financeiros, vale a pena compreender como eles são classificados, conforme o tempo que é preciso para alcançá-los. Assim, você poderá entender quais planos e realizações se encaixam em cada alternativa de investimento.

Entre as classificações, estão as metas de curto, médio e longo prazo. Cada uma traz possibilidades e características próprias. Desse modo, você pode defini-las de maneira consciente, pensando em quando consolidar os resultados.

Na sequência, veja quais são as particularidades de cada tipo de meta financeira e como elas funcionam!

Curto prazo

Os objetivos de curto prazo são aqueles realizáveis em um período de até 1 ano. Ou seja, nessa parte estão incluídos os planos que são mais simples e que não exigem uma dedicação tão prolongada para serem realizados.

Entre os planos de curto prazo podem estar: encerrar uma dívida, poupar determinada quantia para a viagem de férias, fazer uma compra menor etc. Com eles, você tem visibilidade sobre o que deve ser realizado em até 12 meses.

Médio prazo

Já os objetivos de médio prazo são aqueles realizáveis em até 5 anos. Por isso, eles são considerados de complexidade intermediária, pois exigem mais esforços e planejamentos que os objetivos de curto prazo.

Entre as possibilidades, estão planos como terminar de montar a reserva de emergência, abrir o próprio negócio, pagar uma qualificação profissional e outros.

Longo prazo

Enquanto isso, os objetivos de longo prazo são os mais complexos entre as classificações. Eles são realizáveis em períodos a partir de 5 anos, podendo superar uma década.

Logo, fazem parte dessa categoria planos como atingir a independência financeira, obter renda passiva para a aposentadoria, consolidar patrimônio, etc. Assim, eles exigem mais consistência e disciplina para serem alcançados.

Por que é importante definir suas metas antes de investir?

Como você viu, os objetivos financeiros servem como alvos para direcionar sua vida financeira. Logo, eles são especialmente relevantes para fazer o gerenciamento adequado e estratégico do seu dinheiro.

Além disso, vale a pena notar que definir planos e prazos é essencial antes de começar a investir. Na prática, eles servem como um mapa e ajudam a orientar quais devem ser as suas escolhas ao alocar os recursos.

Com essas metas estabelecidas, você saberá qual investimento poderá ajudá-lo a realizar cada plano. Assim, o rendimento do seu dinheiro será utilizado de maneira mais estratégica para atender a cada necessidade.

Ainda, definir os objetivos antes de investir evita que você se exponha desnecessariamente aos riscos. Se você aliar prazos maiores com investimentos mais rentáveis, por exemplo, é possível reduzir parte dos riscos. Assim, fica mais fácil alinhar as escolhas ao seu perfil de investidor.

Portanto, os objetivos financeiros servem para orientar a sua tomada de decisão. A partir deles, você poderá escolher se deseja investir no curto, médio ou longo prazo e quais são os investimentos mais adequados para cada momento.

7 Dicas para definir objetivos de curto, médio e longo prazo

Até aqui, você compreendeu o que são os objetivos de curto, médio e longo prazo. Agora, é essencial entender como estabelecer suas metas —o que o ajudará a criar um plano de investimentos no mercado financeiro.

A seguir, confira 7 dicas para definir suas metas financeiras para diferentes prazos e saiba como fortalecer o seu planejamento!

1. Analise o seu orçamento

Antes de partir para a definição do que você deseja alcançar, é preciso entender qual é a sua situação atual. Especialmente no caso dos objetivos de curto prazo, é crucial ter atenção com o contexto presente para que ele esteja de acordo com as expectativas.

Para tanto, é interessante analisar o seu orçamento, considerando as entradas e saídas de dinheiro no mês. Assim, é possível compreender qual é a sua capacidade financeira, como são seus hábitos em relação ao dinheiro e onde melhorar.

Elaborar e estudar o orçamento também é importante para saber quais são os custos que podem ser cortados. Afinal, para realizar os objetivos financeiros, será preciso poupar recursos ao longo do tempo, conforme as suas possibilidades.

2. Liste seus planos e sonhos

Depois de fazer uma análise da sua vida financeira, é necessário listar os seus sonhos e planos principais. A intenção é compreender quais objetivos financeiros estão entre as prioridades e como eles devem ser distribuídos entre os diferentes prazos.

Pense, por exemplo, que você deseja começar a investir. Esse plano pode ser de curto prazo, pois você pode começar com alternativas seguras e líquidas para a sua reserva de emergência. Se você já tiver o montante poupado, também é possível adotar outras estratégias para compor a sua carteira.

Já se um dos seus planos for complementar a aposentadoria pública, o objetivo será de longo prazo. Então vale a pena categorizar aquilo que você deseja alcançar para entender como as realizações podem se dividir ao longo do tempo.

Essa etapa também é indispensável para conhecer o que realmente faz sentido para você. Afinal, nem todo mundo deseja investir com o objetivo de tirar um ano sabático, por exemplo.

Logo, o exercício de autoconhecimento financeiro é fundamental para entender como será a disposição das suas metas financeiras.

3. Considere a metodologia SMART

O próximo passo para estabelecer seus objetivos envolve o uso da metodologia SMART. Ela prevê os atributos que as suas metas devem apresentar, tornando-as mais adequadas e fáceis de serem analisadas.

Nesse caso, cada um dos seus objetivos deve ser:

  • específico (specific — S): defina claramente o que você pretende alcançar, sendo que cada realização corresponde a um objetivo;
  • mensurável (measurable — M): estabeleça um indicador que sirva para medir o objetivo. Desse modo, é possível acompanhar o alcance da meta;
  • alcançável (attainable — A): determine metas que possam ser atingidas, considerando o tempo até a conclusão e os recursos disponíveis;
  • relevante (relevant — R): escolha objetivos que realmente poderão contribuir para a sua vida financeira e para a realização dos seus sonhos;
  • temporal (time based — T): atribua um período específico para a conclusão das metas.

Então, imagine que um dos seus interesses é construir patrimônio. Definir apenas esse resultado como meta não o ajudará a tomar decisões estratégicas e orientadas.

Em vez disso, você pode pontuar que deseja acumular R$ 100 mil em um período de 10 anos, a partir dos investimentos realizados em renda fixa e renda variável. Logo, essa é uma meta com todos os atributos SMART e que, por isso, oferece mais clareza para o seu planejamento.

4. Equilibre os prazos dos seus objetivos

Ao definir os objetivos de curto, médio e longo prazo, também é interessante equilibrar os períodos para alcançar as metas. Ou seja, em vez de selecionar apenas objetivos de curto ou de longo prazo, por exemplo, vale a pena traçar planos para os diferentes momentos da vida.

Isso é importante porque se você definir somente objetivos de curto prazo, será inviável construir bases para um futuro sólido e próspero. Já se focar apenas no longo prazo, poderá perder a motivação por não ver resultados em pouco tempo.

Do ponto de vista dos investimentos, ter metas financeiras de curto, médio e longo prazo também é ideal. Dessa forma, você conseguirá diversificar a carteira com base no tempo, o que poderá ajudá-lo a reduzir parte dos riscos.

5. Alinhe as metas financeiras com os investimentos

Como você viu, definir objetivos financeiros é bastante relevante para o momento de investir. Afinal, é por meio deles que você consegue direcionar a estratégia de alocação dos seus recursos. Ao mesmo tempo, é importante alinhar as metas aos investimentos — em vez de fazer apenas o caminho contrário.

Para entender melhor, considere que você deseja obter renda passiva mensal. Para isso, pode valer a pena recorrer a investimentos de renda variável que distribuem dividendos, como ações e fundos imobiliários.

No entanto, o risco dessas alternativas é maior, devido às incertezas de mercado. Nesse caso, o longo prazo costuma ser mais indicado para evitar os impactos da volatilidade.

Portanto, faz sentido adaptar esse objetivo ao longo prazo — mesmo que fosse interessante começar a receber a renda extra antecipadamente. Assim, você conseguirá atuar de modo mais estratégico.

6. Defina os objetivos de maneira holística

Quando você for estabelecer suas metas financeiras também é essencial focar em uma visão ampla e em como os diferentes elementos se relacionam. Sendo assim, você não deve apenas definir objetivos isolados. Em vez disso, é preciso pensar em como eles se relacionam e como fazê-los trabalharem juntos.

Pense, por exemplo, que você tem o interesse de planejar a aposentadoria. Esse será seu objetivo de longo prazo, mas você terá que definir um objetivo de médio prazo — referente à construção da reserva de emergência, por exemplo.

Além disso, será preciso ter objetivos de curto prazo referentes à eliminação das dívidas e ao início das economias mensais. Ao estabelecer esses objetivos de forma interligada, você favorece o plano de ação e cria as condições para alcançar os resultados estratégicos.

7. Reveja os seus objetivos financeiros

Tão importante quanto determinar os seus objetivos para os diferentes prazos é entender que eles podem não ser definitivos. Afinal, suas necessidades e possibilidades mudam, bem como as condições do mercado ou os seus sonhos.

Por isso, vale a pena rever seus objetivos financeiros periodicamente. Desse modo, você garante que eles estejam alinhados ao que você realmente pretende alcançar em cada momento da vida. Também é uma oportunidade para ajustar seu plano de ação, de acordo com as condições atuais.

Se você tiver um orçamento mais flexível e maior capacidade de investimentos, por exemplo, certos objetivos de médio prazo podem ser realizados em curto prazo. Em outros casos, pode fazer sentido adiar um objetivo para priorizar outra realização. Logo, realize uma análise periódica para fazer os ajustes necessários.

E depois de definir meus objetivos financeiros?

Após conferir essas dicas, você descobriu como encontrar e definir claramente seus objetivos financeiros. A partir desse ponto, é preciso elaborar um plano de ação. Afinal, isso garante que os seus objetivos se transformarão em resultados concretos.

Portanto, com os objetivos financeiros, você deve começar a definir sua estratégia de investimentos. Na prática, é preciso escolher investimentos alinhados com cada prazo e com o seu perfil de investidor.

Nos objetivos de curto prazo, por exemplo, é mais interessante focar em investimentos seguros e, se possível, com maior liquidez. No longo prazo, você pode se interessar em investir em títulos com vencimentos mais distantes ou em ativos de renda variável, desde que as escolhas estejam alinhadas com o seu perfil.

Além disso, o indicado é montar uma carteira diversificada. Assim, é viável usar os investimentos como ferramentas estratégicas para alcançar os resultados de interesse.

Após conferir essas 7 dicas, agora você sabe como definir seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Dessa forma, será possível estabelecer suas metas de maneira clara, de modo a realizá-las a partir dos seus investimentos e do bom uso do seu dinheiro.

Gostou dessas informações? Para colocar sua estratégia em prática e buscar bons resultados, abra sua conta conosco e seja Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!