Um dos primeiros passos de quem pretende começar a investir no mercado financeiro é a identificação do seu perfil de investidor. Isso porque, a partir dessa informação, você saberá o seu nível de abertura aos riscos, fator essencial para direcionar suas decisões. 

Quem tem o perfil de investidor moderado, por exemplo, tende a buscar uma carteira mais equilibrada, considerando risco e retorno. Porém, é preciso compreender essa classificação e suas características para saber como identificar as melhores oportunidades para ela.  

Você quer saber mais detalhes sobre as características do indivíduo que possui o perfil de investidor moderado? Então continue a leitura deste artigo e confira! 

O que é o perfil de investidor e como identificar o seu? 

O perfil de investidor é um conceito que ajuda a entender as preferências e atitudes de cada pessoa no mercado financeiro. Como você viu, ele está relacionado com o grau de risco que um indivíduo aceita correr ao investir. 

Existem três perfis: o conservador, o moderado e o arrojado. Entre eles, o perfil conservador é o mais cuidadoso, procurando alternativas de investimento de menor risco e que permitam sacar o dinheiro rapidamente. 

Na ponta oposta, encontra-se o perfil arrojado. Ele é mais ousado e procura oportunidades de maior risco — com a expectativa de ganhar mais. Logo, quem tem esse perfil está ciente da possibilidade de perder o capital investido, embora busque formas de equilibrar essa ocorrência. 

Por sua vez, o investidor moderado é aquele que fica no meio-termo, buscando uma combinação entre segurança e rentabilidade no momento de investir. Dessa maneira, ele consegue aumentar o seu potencial de ganho, ao mesmo tempo que mantém alternativas seguras em carteira. 

Caso você não saiba em qual desses três perfis você se enquadra, basta abrir uma conta em uma corretora de valores. Ao tomar essa iniciativa, ela o enviará o teste de suitability, também conhecido como API (análise de perfil de investidor). 

Trata-se de um questionário com perguntas usadas para identificar seu conhecimento sobre o mercado, preferências, objetivos, entre outros fatores. Com base nas respostas dadas, será revelado o perfil em que você se enquadra. 

Genial Investimentos - Abra sua conta

Quais as principais características do investidor moderado?  

Depois de conhecer os variados tipos de perfil presentes no mercado, é válido conferir as principais características do investidor moderado. Esse conhecimento é muito importante, pois ele ajuda a identificar se você integra essa classificação. 

Como visto, o perfil moderado combina aspectos do investidor conservador e arrojado. Isso significa que ele busca investir considerando a segurança, mas procura se expor a mais riscos em determinadas oportunidades para obter uma rentabilidade maior em uma parcela de sua carteira.  

Considerando que os investimentos são embasados no tripé rentabilidade, segurança e liquidez, faz todo o sentido conferir como ficam esses três aspectos em relação ao investidor moderado.  

Veja cada um deles, separadamente! 

Rentabilidade 

No mundo dos investimentos, a rentabilidade é um atributo que está atrelado ao risco que a alternativa oferece. Dessa forma, quanto maior o risco envolvido, maior é a possibilidade de obter um retorno elevado. 

Essa ideia se justifica porque o investidor precisa ser recompensado pelo risco que ele está correndo. Por outro lado, investimentos mais seguros implicam em uma rentabilidade menor. Afinal, as chances de o investidor perder seu capital nessas aplicações são menores. 

Caso não houvesse essa relação entre risco e retorno nos investimentos, provavelmente todos os participantes do mercado buscariam apenas alternativas seguras. Nessa situação, não haveria razões para tomar riscos se o retorno dos ativos seguros fosse o mesmo dos arriscados, concorda? 

Por conta dessa dinâmica, é possível afirmar que o investidor com perfil moderado não se satisfaz apenas com a rentabilidade dos investimentos conservadores. Ele está disposto a correr um pouco mais de riscos para tentar obter um lucro mais significativo, mesmo que não haja garantias disso. 

Segurança 

Apesar de estar aberto a assumir um pouco mais de risco, o investidor moderado dificilmente comprometerá todo o seu capital. Portanto, a sua carteira tende a ser composta por uma mescla de investimentos em renda fixa e renda variável. 

Na renda fixa, ele seleciona aplicações que oferecem uma rentabilidade previsível e maior segurança para seu capital. No entanto, é pertinente notar que essas aplicações apresentam um potencial de ganhos limitado, pois costumam estar vinculadas às taxas de juros e à inflação. 

Já na renda variável, ele procura investimentos que têm o potencial de proporcionar retornos superiores, ainda que envolvam um maior nível de risco. Nesse cenário, o retorno não é garantido, e existe a possibilidade de ele enfrentar perdas.  

Por essa razão, o investidor de perfil moderado costuma alocar uma parcela específica de seu capital nesse tipo de investimento, sempre com uma perspectiva de longo prazo em mente. Afinal, o tempo contribui para diminuir os efeitos da volatilidade, o que, consequentemente, diminui os riscos. 

Liquidez 

A liquidez é um conceito fundamental para o investidor moderado, pois ela indica a facilidade de transformar um investimento em dinheiro disponível. Desse modo, quanto mais líquido for um ativo, mais rápido ele pode ser vendido ou resgatado. 

Por outro lado, um ativo com baixa liquidez pode demorar mais para ser negociado e convertido em recursos disponíveis. O investidor moderado procura balancear esse fator no momento de escolher seus investimentos, combinando alternativas com diferentes graus de liquidez.  

Assim, é comum que sua carteira tenha ativos mais líquidos para situações de emergência ou oportunidades que surgem no mercado. Porém, outra parte do portfólio pode ser composta por investimentos com menor liquidez e que ofereçam maior rentabilidade ao longo do tempo.  

O objetivo é encontrar um nível de liquidez que permita ao investidor moderado lidar com imprevistos e aproveitar chances de ganho no mercado, além de potencializar seus resultados. Você entende que essas abordagens fazem sentido no seu caso? 

Quais as estratégias de investimento para esse perfil? 

Agora que você sabe quais são as principais características do perfil de investidor moderado, é possível surgir dúvidas sobre as estratégias que são utilizadas por quem tem essa postura. Você viu que ele busca uma carteira equilibrada, certo? 

Mas não há somente uma forma de colocar essa ideia em prática. Na verdade, as estratégias podem variar de acordo com as circunstâncias pessoais, objetivos e tolerância ao risco de cada investidor. 

Então, confira algumas alternativas de investimento que costumam ser encontradas nas carteiras de investidores moderados! 

Títulos do Tesouro Direto 

O Tesouro Direto é um programa do Governo Federal que permite a compra e venda de títulos públicos federais pela internet. Eles são aplicações de renda fixa, possuindo as condições de rentabilidade definidas no momento da contratação. 

Veja como pode ser a rentabilidade nessas alternativas: 

  • prefixada: o investidor sabe exatamente quanto receberá no vencimento do título; 
  • pós-fixada: o rendimento está atrelado a um indicador econômico, como a taxa Selic;  
  • híbrida: é a mescla das duas formas de retorno anteriores, ou seja, a rentabilidade do investimento é baseada em uma taxa fixa somada a um indexador econômico. 

Os títulos públicos são considerados os investimentos mais seguros do mercado. Isso porque eles são garantidos pelo Tesouro Nacional, que é o órgão responsável pela gestão da dívida pública federal. Ademais, a sua liquidez é diária, uma vez que o Governo garante a sua recompra.  

Contudo, tenha atenção: há alternativas com carência de 60 dias antes de proporcionar essa liquidez — o Tesouro RendA+ e o Educa+. Também há riscos relacionados à marcação a mercado no resgate antecipado. 

CDB 

Os CDBs (certificados de depósito bancário) são outros investimentos de renda fixa que podem atender à busca de equilíbrio dos investidores moderados. Eles funcionam como um empréstimo que o investidor faz a uma instituição financeira, recebendo juros em troca. 

O funcionamento da sua rentabilidade é semelhante à dos títulos do Tesouro Direto. Ademais, os CDBs podem ter variados prazos de vencimento e liquidez, dependendo das condições estabelecidas pela instituição emissora. 

Uma das vantagens do CDB é a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Esse é um fundo que garante a devolução de até R$ 250 mil por pessoa e por instituição, em caso de falência do seu emissor. Ainda há um limite global de R$ 1 milhão por CPF ou CNPJ, renovável a cada 4 anos. 

Fundos de investimento 

Os fundos de investimento são modalidades de investimentos coletivos. Ao investir neles, o interessado adquire cotas que representam uma fração do patrimônio do fundo. A carteira desses veículos é montada por um gestor profissional, valendo para todos os seus cotistas. 

Também é papel do gestor se valer de estratégias que possam alcançar os objetivos do fundo. Como cada um deles conta com as suas próprias diretrizes, é possível encontrar no mercado fundos que se diferenciam pelo nível de risco, rentabilidade esperada e composição da carteira. 

Alguns dos principais tipos de fundos são: 

  • FIAs (fundos de ações); 
  • FIIs (fundos imobiliários); 
  • FIM (fundos multimercado); 
  • ETFs (exchange traded funds ou fundos de índice); 
  • Fundos DI; 
  • Fundos cambiais. 

LCIs e LCAs 

As LCIs e LCAs (letras de crédito imobiliário e do agronegócio) são investimentos de renda fixa que se assemelham aos CDBs. Elas são emitidas por instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central e contam com a garantia do FGC. 

A principal diferença entre esses investimentos é que as LCIs e LCAs estão relacionadas a operações de crédito ligadas ao setor imobiliário e ao setor agropecuário, respectivamente. Isso significa que os recursos captados são usados para financiar atividades desses segmentos.  

Além disso, as LCIs e LCAs oferecem uma vantagem tributária para os investidores pessoa física, pois elas são isentas de IR (Imposto de Renda) sobre os rendimentos. O benefício permite uma atuação maior dos juros compostos sobre o montante investido. 

Debêntures 

As debêntures são títulos de dívida emitidos por empresas que precisam captar recursos no mercado financeiro. Ao comprar uma debênture, o investidor se torna um credor da companhia e recebe juros pelo empréstimo.  

As debêntures podem ser uma opção interessante para quem busca diversificar a carteira e obter rendimentos maiores que outras aplicações de renda fixa. Isso porque elas tendem a ser mais arriscadas, por não contarem com a proteção do FGC ou do Tesouro Nacional. 

Nesse sentido, se a empresa emissora não honrar seus compromissos, o investidor pode ter dificuldade em reaver o capital investido. Por essa razão, é relevante analisar a saúde financeira e a reputação da empresa antes de investir em debêntures. 

Ações 

Outro investimento que costuma compor o portfólio de quem possui o perfil de investidor moderado são as ações. Elas representam parte do capital social de uma companhia. Ao comprar os papéis de uma empresa, você se torna um acionista do negócio.  

Desse modo, você assume os riscos inerentes à volatilidade das ações no mercado, mas pode se beneficiar dos resultados positivos que ela obtiver. Os ganhos podem se dar a partir da distribuição de proventos, como dividendos — que são parte do lucro empresarial distribuído entre seus sócios. 

Também é possível realizar ganhos com a venda de papéis, após a sua valorização ou com a locação das ações mantidas em carteira. Existem diferentes estratégias que podem ser adotadas por quem tem o perfil moderado quando se fala em investimento na bolsa de valores. 

Como otimizar seu portfólio sendo um investidor moderado? 

Para um investidor moderado, otimizar seu portfólio significa buscar uma combinação de ativos que ofereça um bom retorno com um nível adequado de risco, como mencionado. Para tanto, existem algumas estratégias específicas que podem ser utilizadas. 

Confira quais são as principais! 

Diversificação de ativos 

A diversificação de investimentos consiste em alocar seus recursos em mais de um tipo de ativo. Mas isso não significa que as escolhas sejam realizadas sem nenhum critério ou pulverizadas. Na verdade, é preciso decidir estrategicamente. 

É comum a procura por alternativas que possam apresentar resultados diferentes, mesmo que elas sejam submetidas às mesmas condições de mercado. Esse é o caso de investimentos que estão descorrelacionados ou apresentam uma correlação negativa. 

Essa abordagem ajuda a diminuir o efeito de eventos negativos que possam afetar determinada classe ou tipo de ativos, preservando a estabilidade da carteira. Diante da diversificação, mesmo que você enfrente alguma baixa, ela não afetará todo o seu portfólio. 

Avaliação do seu perfil de risco pessoal 

Embora o teste de suitability possa indicar que o seu perfil é moderado, dificilmente você terá o mesmo nível de abertura aos riscos de outros investidores dessa mesma classificação. Isso acontece em razão de diferenças quanto à situação financeira, objetivos, experiência e outras. 

Logo, é importante que você faça uma análise do seu perfil de risco pessoal. Com base nessa avaliação, você pode ajustar sua alocação de ativos para que ela esteja de acordo com suas expectativas e necessidades. 

Destaca-se ainda que o seu perfil pode mudar ao longo do tempo. A tendência é que, com o passar dos anos, a pessoa crie maior maturidade e mude suas preferências e o seu apetite aos riscos. Portanto, crie o hábito de fazer reavaliações periódicas para ver se o seu perfil não mudou. 

Uso do balanceamento dinâmico 

O balanceamento dinâmico é uma metodologia que consiste em definir uma alocação estratégica com base em suas expectativas de retorno e risco. Depois, é feito o acompanhamento para identificar se é necessário rebalancear a carteira mantendo a sua distribuição inicial. 

Por exemplo, imagine que você invista 50% do seu capital em renda fixa e 50% em renda variável. Agora, suponha que as alternativas de renda variável tiveram uma expressiva valorização, passando a representar 60% do seu patrimônio investido. 

Com base na técnica do balanceamento dinâmico, você poderá realizar o lucro em parte desses ativos para voltar à proporção de 50/50. De todo modo, destaca-se que esses percentuais são apenas exemplos, não sendo indicação ou sugestão para que eles sejam adotados. 

Como identificar boas oportunidades de investimento? 

Até aqui, você já viu quais estratégias são usadas pelo investidor com perfil moderado e como seu portfólio pode ser otimizado, mas falta saber como identificar boas oportunidades de investimento. Uma das formas de alcançar esse objetivo é se atualizar periodicamente. 

Essa prática se refere à constante observação do cenário econômico e às tendências que influenciam os diversos segmentos do mercado financeiro. Manter-se atualizado permite que você esteja preparado para as mudanças no cenário. 

Dessa forma, você poderá aproveitar as oportunidades emergentes ou sinais de riscos iminentes assim que eles acontecem. Ao fazer esse acompanhamento, é possível tomar decisões mais informadas e ajustar sua carteira sempre que necessário. 

Ter disciplina e perseverança também são atributos que precisam ser incorporados no seu dia a dia. Esse cuidado evitará que você tenha reações impulsivas baseadas em emoções momentâneas ou em flutuações de curto prazo no mercado.  

Em vez disso, você permanecerá fiel aos seus objetivos, aderindo a uma abordagem consistente e ponderada. A disciplina e a consistência ao longo do tempo criam uma base sólida para a construção e preservação do seu patrimônio. 

Qual o papel da Genial nesse processo? 

Além do conhecimento e dicas que você aprendeu, contar com o apoio de uma corretora de valores completa pode ser um grande diferencial na sua jornada. Por esse motivo, vale a pena abrir a sua conta na Genial Investimentos

Ao se cadastrar pelo app ou em nosso site, você recebe apoio gratuito de um assessor de investimentos. Esse profissional possui o conhecimento necessário para responder suas dúvidas e apresentar as alternativas que se encaixam no seu perfil e objetivos.  

Dessa maneira, você poderá tomar decisões com base em informações atualizadas. Conosco, você tem acesso à Genial Analisa uma plataforma exclusiva com recomendações e análises de investimento feitas por especialistas certificados pelo mercado. 

Pronto para descobrir o Genial Analisa?

Dê um passo em direção ao seu sucesso financeiro! Explore análises detalhadas, educação financeira de qualidade e insights exclusivos no Genial Analisa. Descubra como você pode tomar decisões de investimento mais informadas e estratégicas.

Clique aqui para começar sua jornada rumo ao conhecimento financeiro!

Nela, você encontra relatórios sobre ações, renda fixa, fundos imobiliários, criptomoedas, cenário econômico, notícias e muito mais. Esse material poderá ajudá-lo a refinar as suas escolhas no mercado. 

Neste artigo, você aprendeu o que significa ter um perfil de investidor moderado e quais são suas principais características. Ao conhecer os investimentos que costumam estar presentes na carteira desses investidores, é possível entender melhor as suas estratégias para otimizar seu portfólio. 

Quer investir em uma das alternativas mencionadas neste post? Abra a sua conta conosco e veja como podemos ajudá-lo a atingir seus objetivos financeiros! 

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!