CDB 220% do CDI com liquidez diária.

Ao comprar um bem ou pagar um imposto mais elevado, você já se perguntou se valia mais a pena pagar à vista ou parcelado? A resposta não é tão simples quanto pode parecer, pois não existe necessariamente uma opção mais vantajosa. 

A decisão depende da análise de cada situação. Ponderar as alternativas é importante, principalmente quando se tem dinheiro suficiente guardado. No entanto, os cálculos só farão sentido se houver o benefício de um desconto para pagamentos à vista. 

Quer descobrir como escolher sempre a melhor alternativa entre parcelar ou comprar à vista? Então confira as dicas a seguir para aprender a calcular as possibilidades e garantir máximos descontos em suas compras e pagamentos.  

Boa leitura! 

O que avaliar antes de comprar à vista ou parcelado? 

É comum que as pessoas entendam pagamentos parcelados como uma oportunidade para reduzir o volume dos gastos no mês. Isso costuma dar a impressão de que sobra dinheiro. 

De fato, o parcelamento pode comprometer o fluxo financeiro mensal. Contudo, existem outros aspectos que precisam ser considerados para uma decisão. 

Um pagamento parcelado, por exemplo, pode significar custos maiores, pois o dinheiro tem valor no tempo. Assim, o preço do tempo — assim como dos riscos — é frequentemente dado na forma de juros. 

Por isso, é comum que o pagamento à vista seja mais barato, enquanto o pagamento parcelado apresente juros. Mas para saber qual opção é mais vantajosa para você, é preciso calcular oportunidades de economia e investimento. 

Isso pode ser feito com o cuidado de um planejamento financeiro. Confira! 

Planejamento financeiro 

Um planejamento financeiro bem estruturado é um dos recursos mais importantes para quem deseja tomar decisões inteligentes em relação a dinheiro. De outro modo, a incerteza sobre o consumo de uma renda no futuro pode acarretar dificuldades e gerar dívidas inconsequentes. 

Por isso, um plano orçamentário é a base para garantir um controle saudável da sua renda, o que pode proporcionar oportunidades valiosas na hora de escolher entre pagar à vista ou parcelado. Sendo assim, considere elaborar um orçamento pessoal que leve em conta: 

  • rendas totais; 
  • despesas fixas; 
  • despesas variáveis e estimadas; 
  • metas e objetivos; 
  • reservas para emergências e oportunidades de investimento. 

Como saber quando é melhor pagar à vista ou parcelado? 

Uma vez que você tenha clareza sobre seu dinheiro a partir de um planejamento para os meses seguintes, fica mais fácil avaliar as vantagens entre pagar à vista ou parcelado. Isso porque você saberá, por exemplo, se tem dinheiro para arcar com o valor total à vista sem se desorganizar. 

Porém, para garantir máximo aproveitamento da sua escolha, você precisará considerar uma alternativa de investimento em comparação com os descontos oferecidos.  

Entenda melhor com as dicas a seguir! 

Calcule os juros embutidos no parcelamento 

Você já entendeu que o dinheiro tem valor no tempo. Por isso, geralmente há um custo embutido no parcelamento. Mas nem sempre é possível conseguir descontos no pagamento à vista. Essa é uma situação comum em oportunidades de parcelamento sem juros. 

Nestes casos, optar pelo parcelamento pode ser mais interessante. Além de reduzir o impacto que o pagamento à vista tem sobre a renda do mês, você ainda pode aplicar o valor das parcelas em uma alternativa segura de investimento. 

Por outro, quando existe o benefício do desconto para pagamento à vista, é importante calcular o custo dos juros das parcelas. Esse valor deverá ser comparado ao retorno de um investimento seguro para determinar qual é a melhor opção entre pagar à vista ou parcelar. 

Compare os juros com a rentabilidade de uma aplicação financeira 

Depois de fazer o cálculo dos juros de uma prestação, você pode compará-lo ao rendimento de uma aplicação financeira. Por exemplo, o CDB (certificado de depósito bancário) de liquidez diária ou Tesouro Selic.  

A escolha do produto de investimento deve levar em conta sua liquidez e risco. Por isso, essas alternativas válidas para a comparação. Os produtos oferecem segurança e alta liquidez — permitindo resgate a qualquer momento. 

Dessa forma, você pode estimar o retorno do investimento considerando o período de pagamento das parcelas. Se os juros do pagamento parcelado forem superiores ao rendimento da aplicação, pagar à vista sai mais barato. 

Por outro lado, se o rendimento da aplicação superar os juros, é mais econômico aplicar o valor total da compra e ir pagando as parcelas enquanto o dinheiro investido rende. 

Lembre-se de considerar, no entanto, que o investimento neste caso, normalmente, tem prazos mais curtos. Por isso, a rentabilidade pode não ser suficiente para cobrir os benefícios do pagamento à vista. 

Veja um exemplo de quando pagar à vista 

Imagine uma compra no valor de 5 mil reais com 10% de desconto para o pagamento à vista, o que resulta em 4500 reais. Já um pagamento em 10 prestações equivale a 10 parcelas de 500 reais. 

Ou seja, o montante de 5 mil reais, na verdade, corresponde aos 4.500 reais — acrescido de 500 reais de juros durante um período de 10 meses. 

Para descobrir quanto esse acréscimo significa em juros percentuais, você deverá dividir o total em juros pelo valor à vista e multiplicar o resultado por 100. Dessa forma, temos que: 

Calculo para pagar à vista 
500 / 4500 * 100 = 11,11% 

Logo, para o parcelamento ser vantajoso, o rendimento da aplicação deverá oferecer um retorno líquido superior a 11,11% em um período de 10 meses.  

Considerando que a taxa básica de juros do país em julho de 2021 era inferior a 5% ao ano, nesse caso, seria mais barato pagar à vista. 

Confira um exemplo de quando pagar parcelado 

Considere agora uma compra de 10 mil reais parcelados em 18 vezes de 555,55. Se for concedido um desconto de 3%, o parcelamento será mais vantajoso. 

Isso porque o valor à vista dessa operação seria de 9700 reais. Avaliando os valores absolutos, 300 reais parece um desconto interessante. 

Porém, a taxa de juros dessa operação será de 0,32% ao mês se não houver pagamento de entrada, e de 0,37% ao mês se a primeira parcela for paga no ato da compra. 

Ambas as taxas podem ser menores que o rendimento das aplicações mais conservadoras. Em suma, valeria mais a pena deixar o dinheiro rendendo e ir pagando as parcelas aos poucos. 

Seguindo essas dicas, você agora saberá avaliar quando é melhor comprar à vista ou parcelado. Mas lembre-se de que parcelar requer o cuidado de controlar os gastos no futuro. Portanto, planeje suas finanças para garantir máxima economia em suas compras.  

Quer entender detalhadamente os fundamentos de um bom investimento? Então confira nosso curso com certificação e aprenda a investir o seu dinheiro!

Comentários