Macarena Onelink Baixe o App

As oscilações de preços na bolsa de valores podem servir para quem deseja obter ganhos em curto prazo — essa é a chamada especulação. Entre os ativos e derivativos e as estratégias, é possível buscar as melhores ações para fazer swing trade, por exemplo.

Com essa abordagem, há como explorar os movimentos do mercado para lucrar — mas sem precisar fazer operações diariamente. Para tanto, é importante conhecer esse tipo de especulação, como o swing trade funciona e quais podem ser os papéis mais propícios para negociar.

Quer saber quais são 10 das ações da bolsa brasileira que podem representar oportunidades no swing trade? Continue a leitura e descubra!

O que é swing trade e como funciona?

Antes de conhecer quais podem ser as ações para especular na bolsa, é essencial esclarecer o conceito de swing trade. Essa é uma estratégia especulativa, em que o operador realiza a compra e venda de um ativo ou derivativo visando lucrar em dias ou semanas.

Além das ações, há como especular com contratos futuros de commodities, opções, fundos imobiliários (FIIs), entre outros. Para isso, é comum se basear em análises gráficas, que podem indicar tendências.

Funciona da seguinte forma: se o especulador acredita que determinada ação tem potencial de valorização, ele pode abrir uma posição comprada para lucrar com a posterior venda, por exemplo.

Além disso, há oportunidade de lucrar com a baixa do mercado. Nesse caso, ao analisar uma propensão à queda, especulador — ou trader — pode abrir uma posição vendida. Logo, ele vende ativos esperando recomprá-los depois, por um preço menor.

Independentemente da escolha, o lucro é obtido com a diferença entre os preços de compra e venda do ativo ou derivativo.

Como analisar uma ação para fazer swing trade?

Agora que você sabe o que é swing trade, pode ser que se interesse por operar na bolsa e buscar lucrar no curto prazo. Contudo, para ter êxito na especulação de ativos e derivativos, é preciso estudar e conhecer o mercado.

Ademais, é necessário desenvolver uma boa estratégia de gerenciamento de risco. Afinal, a especulação está relacionada à maior volatilidade, o que eleva os riscos. Por esse motivo, o especulador precisa se basear em análises que ajudem a visualizar e projetar as tendências do mercado.

Logo, uma das principais ferramentas utilizadas por traders é a análise técnica — também chamada de análise gráfica. Ela se baseia na ideia de que os preços dos ativos e derivativos refletem os acontecimentos relevantes para o mercado financeiro — e se movem em tendências.

Assim, ao analisar um gráfico com os preços e o volume de negociações de determinada ação, é possível identificar tendências de subida ou descida. Como você viu, essa dinâmica auxilia a identificar projeções e a tomar decisões com o objetivo lucrar tanto com a queda quanto com a alta da bolsa.

Confira alguns fatores importantes na análise técnica, que devem ser analisados ao escolher uma ação para fazer swing trade:

Preço

Nos gráficos da análise técnica, um dos elementos que você pode acompanhar é a variação de preço de uma ação, por exemplo. Esse dado indica qual é o histórico de cotações do ativo e permite estabelecer, visualmente, as movimentações no gráfico, como os topos e vales.

Além disso, o especulador pode definir o tempo gráfico analisado, a depender dos seus objetivos. É possível trabalhar com minutos, horas ou semanas, por exemplo. No caso do swing trade, a estratégia permite o uso de tempos gráficos mais amplos, variando entre dias e semanas.

Volume de negociação

Outro aspecto para considerar sobre os papéis para swing trade é o volume de negociação. Ele serve para indicar a quantidade de ordens de compra e venda executadas sobre a ação em determinado momento.

De forma geral, um volume elevado indica uma tendência ou o início de um movimento. Por outro lado, um volume baixo pode indicar que a variação ocorreu apenas de modo pontual — ou, ainda, sinalizar o fim de uma tendência. Essas informações ajudam a identificar padrões e verificar se, de fato, existem tendências nos movimentos.

Com isso, o especulador pode analisar as informações do gráfico para prever certos comportamentos do ativo ou derivativo. Para compreender melhor, imagine que você identificou um movimento de subida no preço de uma ação.

No entanto, devido ao volume de negociação, é possível perceber que a força vendedora está se tornando maior que a compradora. Nesse caso, provavelmente haverá uma reversão de tendência e o preço do ativo cairá — mesmo que seja apenas para uma correção.

A estimativa de quando a queda ocorrerá deve considerar a repetição de certos padrões. Assim, embora não haja garantias de resultados, as informações ajudam na tomada de decisão do especulador.

Indicadores técnicos

Para aprofundar a análise, é interessante usar também os indicadores gráficos. Existem diversas alternativas, como médias móveis, suporte e resistência, índice de força relativa (RSI), bandas de Bollinger, entre outras.

Na prática, esses indicadores ajudam a analisar os movimentos do mercado com mais profundidade. Ademais, eles podem ser usados em conjunto para compreender melhor o cenário do mercado e projetar o comportamento dos preços com mais precisão.

Paralelamente, vale ressaltar que, no curto prazo, o mercado de ações é bastante volátil e imprevisível. Então, como você viu, mesmo ao avaliar tendências e ter perspectivas em relação aos movimentos dos ativos e derivativos, não há garantias de retorno positivo.

Na prática, o mercado pode ser afetado por fatores externos que, a qualquer momento, podem mudar a direção das oscilações do ativo ou derivativo avaliado. Por isso, é preciso atenção no momento de fazer suas operações na bolsa.

10 Ações para conhecer e fazer swing trade

Após entender que a análise técnica pode ajudá-lo a identificar uma ação para fazer swing trade, é importante ampliar seus conhecimentos. Para isso, você pode estudar alguns papéis disponíveis na bolsa de valores que possuem características que os tornam mais atrativos para operações especulativas.

Nesse sentido, pode ser interessante buscar ações com alto volume de negociação. Vale ressaltar que os papéis que você verá a seguir não são recomendações de compra ou venda, mas apenas alguns ativos que costumam ser buscados por especuladores no mercado brasileiro.

O ideal é que você pesquise os ativos com mais profundidade e escolha aqueles mais adequados às suas estratégias e expectativas no mercado.

Com isso em mente, conheça 10 das ações que podem ser interessantes para quem deseja fazer swing trade!

1. Gol (GOLL4)

A Gol é uma empresa aérea brasileira que, além de realizar o transporte de passageiros, é dona da Smiles, gestora de programas de fidelização. Ela também controla outras companhias e realizou sua oferta pública inicial de ações em 2004.

No mesmo ano, a Gol começou a oferecer voos internacionais. Em 2022, a empresa anunciou um acordo com a Avianca para a criação de uma nova holding, chamada Abra. O processo deve trazer benefícios e sinaliza uma tendência para o setor aéreo.

Além disso, a movimentação deve trazer vantagens competitivas para a companhia. Logo, as ações GOLL4 podem entrar no radar dos investidores interessados em realizar swing trade.

2. B3 (B3SA3)

Você sabia que a bolsa de valores brasileira (B3) negocia suas ações no mercado financeiro? A B3 tem sede em São Paulo e é a única bolsa de valores, mercadorias e futuros em operação no Brasil. Além disso, ela é uma das maiores bolsas do mundo.

A empresa também é a maior depositária de títulos de renda fixa da América Latina. As ações ordinárias da B3 (B3SA3) estão entre as mais negociadas do mercado e podem ser uma alternativa interessante para quem deseja lucrar no curto prazo.

3. Petrobras (PETR4)

A Petrobras foi criada em 1952 e é uma estatal brasileira cuja atividade principal é a exploração e produção de petróleo. Além disso, ela refina, comercializa e transporta petróleo e gás natural para todo o mundo.

Além da atividade principal, a empresa atua na produção de biocombustíveis, indústria petroquímica, fertilizantes e geração de energia elétrica. De forma geral, as tarefas secundárias são operadas por subsidiárias.

A companhia possui ações ordinárias (ON) e preferenciais (PN) negociadas na bolsa de valores. Contudo, as PN costumam ter maior liquidez no mercado — o que pode ser interessante para quem deseja especular.

4. Suzano (SUZB3)

A Suzano é uma empresa de base florestal que surgiu em 1924. Ela tem como principal atividade fabricar produtos diversos a partir do plantio do eucalipto. Parte das suas operações são verticalmente integradas, o que faz com que exista flexibilidade para ajustar a produção e as vendas segundo as mudanças do mercado.

Além disso, a planta da Suzano inclui fábricas integradas de celulose e papel, produção de celulose e melhoramento genético. Assim, a companhia é uma das maiores em estrutura para distribuição de papéis e produtos gráficos da América do Sul.

A empresa também é pioneira no plantio de eucalipto. Ademais, ela tem apenas ações ordinárias negociadas na bolsa de valores, mas seus ativos possuem bom volume de negociação.

5. Weg (WEGE3)

A Weg é uma multinacional de equipamentos eletrônicos. Fundada em 1961, a empresa atua principalmente no setor de bens de capital. Entre os produtos fabricados estão equipamentos para geração e transmissão de energia, eletroeletrônicos industriais, tintas, vernizes e outros.

Além disso, a Weg possui operações comerciais em mais de 30 países e a maioria da produção da empresa é voltada para o mercado externo. Por isso, parte de sua captação se dá em dólar.

Essas características fazem com que suas ações ordinárias (WEGE3) sejam bastante procuradas pelos investidores na bolsa de valores. Portanto, elas podem representar uma oportunidade também para quem deseja especular.

6. Grupo Carrefour (CRFB3)

O Grupo Carrefour Brasil é uma empresa varejista de produtos alimentares e não-alimentares. A companhia detém as marcas Atacadão e Carrefour e está presente em todos os estados brasileiros.

A empresa também possui farmácias, lojas de conveniência e postos de combustíveis, além de uma linha de crédito. No varejo, o grupo é pioneiro no formato de hipermercado no Brasil.

Ademais, as ações do Carrefour já representaram uma oportunidade de swing trade para os analistas da Genial Analisa. Embora análises e resultados passados não garantam oportunidades ou resultados futuros, essa pode ser mais uma opção de análise para os especuladores.

7. EDP Energias do Brasil (ENBR3)

A holding EDP Energias do Brasil atua no setor elétrico e possui investimentos nos segmentos de geração, distribuição, comercialização e serviços de energia elétrica. A companhia é controlada por uma das principais operadoras europeias no setor energético, a EDP Portugal.

Suas ações (ENEBR3) integram o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). Por ter um bom volume de negociação na bolsa, a alternativa pode ser interessante para o swing trade, desde que outras análises sejam realizadas por você antes da escolha.

8. Klabin (KLBN11)

A Klabin é uma empresa produtora e exportadora de papéis criada em 1889. A fabricação de seus produtos começou em 1902 e, entre 1930 e 1950, a companhia passou por uma grande expansão.

Conforme o país se desenvolvia, a Klabin também se expandiu para atender novos mercados. Atualmente, o empreendimento se organiza em quatro áreas de negócios: celulose, florestal, papéis e embalagens.

Em 2019, a empresa se tornou a maior exportadora de papéis do Brasil. Além disso, foi a primeira companhia do setor a receber a certificação Forest Stewardship Council (FSC), de manejo florestal sustentável.

Em relação às suas ações, as units (KLBN11) da Klabin são as mais negociadas no mercado. Esses são pacotes de ações compostos por ativos ON e PN, na proporção que a empresa definir.

9. Arezzo (ARZZ3)

Outra empresa para conhecer é a Arezzo. Essa organização de varejo atua no setor de calçados, bolsas e acessórios femininos. A companhia foi criada em 1972 e, com o crescimento, passou a deter outras cinco marcas: Schutz, Anacapri, Alexandre Birman, Fiever e Alme.

Todas as marcas possuem suas próprias lojas de e-commerce na internet. A Arezzo começou a ter ações negociadas na bolsa em 2011 e seus papéis tendem a atrair a atenção de quem se interessa pelo segmento varejista.

10. Santander (SANB11)

O Santander Brasil é um dos maiores bancos privados do mercado nacional. O foco está no segmento de varejo, mas a instituição também possui forte integração com o atacado.

Como varejista, o Santander atende pessoas físicas com investimentos variados, além de empresas com faturamento anual de até R$ 200 milhões. No atacado, sua atuação ocorre como banco global.

O Santander Corporate & Investment Banking oferece serviços personalizados e produtos de atacado com alto valor agregado. Ao longo de sua história, a instituição bancária realizou diversas aquisições, como a compra do Banespa, um banco do estado de São Paulo.

Apesar de possuir ações ordinárias e preferenciais (SANB3 e SANB4) na bolsa de valores, suas units (SANB11) têm maior volume de negociação.

Vale destacar que, além das ações que você acompanhou até aqui, existem inúmeras outras possibilidades para quem deseja especular na B3. Entre elas, estão os papéis de companhias como a Vale (VALE3), JBS (JBSS3), BTG Pactual (BPAC11), e muitas outras.

Agora você conhece 10 das ações da bolsa brasileira que podem ser usadas em operações especulativas. Lembre-se de que a Genial Investimentos descomplica a análise de ativos e derivativos e oferece materiais para quem busca oportunidades de investir ou especular na bolsa.

Quer se manter informado sobre o mercado financeiro? Então inscreva-se para receber todos os conteúdos lançados da Genial Analisa direto no seu e-mail!

Comentários