Para investir em ações, é preciso considerar diversas características dos papéis. Além disso, você deve conhecer suas particularidades como investidor. Se você deseja seguir o setor bancário brasileiro, por exemplo, pode avaliar as ações do Banco do Brasil (BBAS3).

Esse é um dos bancos mais tradicionais em nosso país, sendo conhecido pela maioria dos brasileiros. Logo, muitos se interessam por esse investimento, tendo em vista que as pessoas já têm um relacionamento mais próximo com a instituição.

Quer saber se vale a pena investir em ações do Banco do Brasil e conferir outras informações importantes sobre o assunto? A seguir você acompanha um conteúdo completo.

O que significa BBAS3?

BBAS3 é o ticker que identifica as ações ordinárias do Banco do Brasil na bolsa de valores brasileira, a B3. Dessa maneira, quem deseja investir nesse banco pode fazer isso por meio da compra dos papéis negociados no mercado.

Isso acontece porque as ações representam uma fração ideal do capital social de uma empresa de capital aberto. Portanto, ao comprar um papel, você se torna um pequeno sócio do negócio. Nesse contexto, os acionistas possuem diversos direitos, que variam de acordo com o tipo de ação.

Ademais, com a compra de ações, você está exposto às movimentações da cotação desses ativos. O preço varia conforme a oferta e demanda do mercado. Ou seja, quanto mais interessados na compra, maior tende a ser o preço. Por outro lado, quando há um alto volume de vendas, o preço cai.

Os resultados da empresa, no caso o Banco do Brasil, podem influenciar indiretamente no preço das ações. Isso acontece porque o mercado costuma se movimentar conforme os resultados das companhias, suas projeções e gestão.

Quando há bons resultados e expectativas positivas para o futuro, mais pessoas podem se interessar pela compra de ações. Isso faz com que o preço suba. Por outro lado, quando há prejuízos e notícias negativas, é comum que investidores queiram se desfazer dos papéis, trazendo o preço para baixo.

Além da exposição ao preço, há direito de recebimento de dividendos. Eles são a divisão de lucros de um período realizada pela empresa aos acionistas. O pagamento de dividendos é uma obrigação legal, trazida pela Lei das Sociedades Anônimas.

Não há um patamar mínimo para os dividendos, cada empresa determina uma porcentagem de lucros que são direcionados aos acionistas. Ainda, pelo menos a cada ano fiscal, o pagamento deve ser realizado, desde que existam lucros.

Como funcionam as ações do Banco do Brasil?

Além dos detalhes que você viu até aqui, vale a pena aprender outras características próprias das ações BBAS3. Confira!

Tipo de ação

As ações emitidas pelas empresas podem ser de diversos tipos. Existe uma diferenciação entre os tipos de papéis, considerando que eles podem acarretar direitos diferentes para os acionistas.

Os tickers que terminam com o número 3 representam as ações ordinárias (ON), como é o caso do BBAS3. Esse tipo de ação garante ao acionista o direito à participação e voto em assembleias deliberativas e eleições da empresa.

Isso significa que é possível ter uma gerência mais próxima sobre os rumos da companhia, votar em temas importantes e afetar suas decisões. No entanto, vale saber que esse direito ao voto é proporcional à quantidade de ações de cada investidor.

Desse modo, cada ação garante o direito a um voto em assembleias. Assim, quanto mais ações um acionista tiver, maior é a sua participação nas decisões da empresa. Por isso, o direito pode não ser tão relevante para investidores menores.

As ações ordinárias também garantem o direito ao tag along de, no mínimo, 80%. Essa garantia serve para que os acionistas minoritários estejam protegidos se houver a venda de controle acionário da empresa.

Imagine a situação em que os controladores da companhia vendem sua participação e poder de controle. Nesse cenário, o tag along garante que os acionistas minoritários (com ações ordinárias) possam vender seus papéis e receber, pelo menos, 80% do preço que os controladores receberam por ação.

Existem empresas que determinam um tag along ainda maior. O mesmo acontece com as empresas que têm alto índice de governança corporativa na B3, já que existem exigências específicas para cada segmento de listagem. No BBAS3, em 2022, o tag along era de 100%.

Ações preferenciais

Como você aprendeu, o BBAS3 é o ticker de uma ação ordinária do Banco do Brasil. A instituição financeira também tinha outros tipos de ações, como o BBAS4, que é um papel preferencial (PN). Contudo, em 2002, as ações preferenciais do Banco do Brasil tornaram-se ordinárias.

Vale destacar que as ações preferenciais não dão direito aos acionistas votarem em assembleias deliberativas ou eleições da empresa. Dessa forma, elas trazem menos possibilidade de interferir nos rumos do negócio. Também não há a obrigação de garantir o tag along a acionistas minoritários.

Isso traz consequências em um cenário de mudança do controle acionário da companhia. Afinal, quem possui ações preferenciais não tem a garantia de que conseguirá vender seus papéis com um preço compatível ao vendido pelos controladores.

No entanto, as ações PN garantem que o acionista tenha preferência no recebimento de dividendos. Ainda, há preferência no reembolso de capital em situações de falência ou de liquidação da empresa emissora. Então quem tem uma estratégia de recebimento dos lucros do negócio costuma optar por esse tipo de ação.

Principais características das ações do Banco do Brasil

Além de saber quais são os tipos de ações que existem, você pode se interessar pelas características do BBAS3. Um ponto central sobre o assunto é entender mais sobre o Banco do Brasil. Ele é uma sociedade de economia mista. Isso significa que ele tem capital privado e público.

Na prática, o Governo precisa ter o controle acionário da empresa, enquanto investidores privados podem negociar o restante das ações. Dessa maneira, o funcionamento do Banco do Brasil costuma estar vinculado a determinações governamentais.

A abertura de capital do Banco do Brasil na bolsa de valores brasileira ocorreu no começo do século XX, mais especificamente em 1906. E, como você já aprendeu, em 2002 todas as ações preferenciais da companhia se tornaram ordinárias.

Outra característica que atrai os investidores é a distribuição de proventos feita pelo banco. Historicamente, o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) é mais comum.

Os JCP são outro tipo de proventos e eles também representam uma distribuição de lucros do Banco do Brasil. Contudo, essa distribuição não é obrigatória por lei, sendo uma deliberação da própria empresa.

Também vale saber que, enquanto os dividendos são isentos de Imposto de Renda para os acionistas, os JCP possuem essa cobrança. Se você quer saber mais sobre o pagamento de proventos do BBAS3, vale a pena buscar um gráfico e documentos oficiais sobre o assunto.

Qual é a história do Banco do Brasil?

O Banco do Brasil foi fundado em outubro de 1808, sendo o primeiro banco a operar no país. A primeira agência ficava no Rio de Janeiro e ele foi o quarto banco emissor do mundo.

A instituição foi liquidada em 1833, mas logo retornou às atividades em 1851. Já em 1893 houve a fusão com o Banco da República dos Estados Unidos do Brasil. Nesse ano, ele passou a se chamar Banco da República do Brasil.

Contudo, em 1905 a companhia voltou a se chamar Banco do Brasil. Vale saber que até a criação do Banco Central — em 1964 —, o Banco do Brasil foi o banco oficial do Governo.

Qual o cenário do setor bancário no Brasil?

O Banco do Brasil, apesar de possuir outros tipos de serviços, se insere no setor bancário. Desse modo, as movimentações da área impactam os resultados da instituição financeira, tendo em vista que o cenário macroeconômico e setorial é fundamental para as empresas.

Conforme um relatório da Moody’s, o cenário do setor bancário no Brasil em 2022 se manteve estável. Entretanto, a agência de classificação de risco citou que havia um ambiente operacional mais fraco.

Vale saber que a inadimplência no país estava bastante alta. Esse é um fator que afeta negativamente o resultado dos bancos, considerando que uma de suas funções é ofertar crédito à população e às empresas.

No entanto, os bancos tendem a ter provisões elevadas, o que traz mais robustez em momentos de crise e inadimplência. Ademais, eles adotam práticas de gestão de riscos, mitigando os possíveis problemas com crédito.

Por isso, a Moody’s determinou que o cenário para o futuro é de fundamentos sólidos. Ou seja, instituições como o Banco do Brasil tendem a se manter estáveis, mantendo seu caixa e receitas constantes, ainda que ocorra pequenos movimentos de queda.

A agência também salienta que o baixo crescimento da economia no Brasil, que estava inferior à média mundial, pode trazer reflexos aos bancos. Porém, as instituições financeiras podem apresentar bons resultados, considerando o aumento de taxas de empréstimos ou investimentos em títulos públicos.

O que avaliar antes de investir nas ações do Banco do Brasil?

Se você tem interesse em investir em ações de bancos, o BBAS3 pode ser uma das alternativas. Mas é fundamental saber o que avaliar antes de realizar o aporte. Primeiro, você pode analisar a empresa e o seu ativo.

Confira a seguir os pontos de atenção ao pensar nessa análise:

Histórico de preços e dividendos (BBAS3) Banco do Brasil

Uma boa forma de basear a sua análise é avaliar o histórico de preços do BBAS3, que você pode acessar facilmente no site da Genial. Observando o gráfico de preços de forma histórica, é possível ter uma ideia de como o ativo se comportou nos últimos tempos.

Além disso, você também pode avaliar o pagamento de dividendos realizado durante o tempo para verificar se eles são adequados para suas expectativas. Essa avaliação é útil se a sua estratégia tem foco em conquistar uma renda passiva.

Mas vale ficar atento: os resultados históricos não garantem retornos para o futuro. Lembre-se de que as ações são ativos da renda variável, então os preços podem variar livremente conforme a negociação dos investidores.

Da mesma forma, os dividendos distribuídos no futuro podem não ser os mesmos que foram pagos antes, já que dependem dos lucros da companhia. Logo, a avaliação histórica serve apenas como uma base de informações, e nunca como a única alternativa para a tomada de decisão.

Ainda assim, a análise de comportamento pode ser bastante interessante para fazer sua escolha. Você consegue visualizar, por exemplo, se tem uma resistência suficiente aos riscos desse mercado e mais especificamente, do BBAS3.

Afinal, as oscilações são incontroláveis — e a partir do momento que você tiver o ativo em carteira estará exposto a elas. Por isso, é necessário compreender as movimentações, entender por que o preço aumenta ou diminui e estar disposto a manter a sua estratégia ao longo do tempo.

Fundamentos da empresa Banco do Brasil

Você já ouviu falar em análise fundamentalista? Ela é uma forma de avaliação de ativos para quem deseja investir a longo prazo. De forma geral, esse é o horizonte de tempo mais recomendável para o investimento em ações, principalmente para mitigação de riscos.

Como você percebeu, as oscilações são constantes e seguem os movimentos do mercado, interesse de investidores e outras questões. Contudo, no longo prazo a tendência é que essas oscilações no curto e médio período não sejam tão relevantes.

Assim, para traçar uma expectativa para o longo prazo, os investidores costumam realizar uma análise de fundamentos da empresa emissora dos papéis.

Na análise fundamentalista é possível verificar lucros, receitas, capacidade de caixa, como foi a gestão e suas expectativas, endividamento e outros aspectos. Com isso, é possível identificar se o negócio é sustentável e tem capacidade de crescimento.

Também é possível comparar esses números com cenários econômicos que influenciam o setor bancário, por exemplo. Ainda que os resultados na empresa não influenciem diretamente o preço dos papéis, eles têm uma conexão bastante relevante com o potencial de resultados.

Empresas com bons números contábeis e expectativas positivas para a gestão costumam atrair mais investidores. Com esse movimento de compra de papéis, no longo prazo tende-se a ter uma alta de preços, trazendo lucros.

Indicadores do negócio

Na análise fundamentalista, é possível utilizar indicadores para avaliar a empresa que emitiu as ações. Esses indicadores servem para trazer uma base comparável de números. Com eles, é possível verificar o desenvolvimento do negócio e seus resultados para realizar comparações com outras companhias.

Existem diversos indicadores fundamentalistas e cada um deles possui métricas e objetivos diferentes. Para definir quais você utiliza na avaliação, é preciso saber o que você deseja analisar na empresa.

Um indicador bastante utilizado pelos investidores é o LPA. A sigla significa lucro por ação e representa quanto de lucro a empresa recebeu em um período ao comparar com a quantidade de papéis negociados na bolsa.

O LPA serve para que os investidores saibam se a empresa consegue fornecer lucro aos acionistas e realizar comparações históricas. Por exemplo, é possível analisar o LPA ano a ano e descobrir se o lucro por ação vem aumentando ou diminuindo.

Outro indicador que pode ser utilizado é o P/L. O preço sobre lucro é resultado da divisão da cotação da ação pelo lucro da empresa nos últimos 12 meses. Um P/L de alto valor indica que o mercado paga mais caro pelos lucros da empresa.

Já um P/L mais baixo pode demonstrar que o preço da ação está reduzido em relação aos lucros. Nessa situação, pode-se identificar uma oportunidade de valorização, por exemplo.

Por fim, vale a pena conhecer a margem EBITDA. A sigla se traduz em lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. A ideia desse indicador é demonstrar a capacidade de geração de lucro em relação aos custos operacionais.

Como você pode ver, existem diversos indicadores para analisar. A ideia é escolher aqueles que fazem sentido para sua estratégia e o ajudem a entender mais sobre a empresa, além de fazer comparações.

Afinal, investir em BBAS3 vale a pena?

Agora você já aprendeu pontos a avaliar antes de investir no BBAS3, mas ainda pode estar com dúvidas se essa ação vale a pena, não é mesmo? Além de fazer a análise fundamentalista e histórica do ativo, você deve considerar suas características pessoais.

Confira a seguir os pontos de atenção ao decidir se o BBAS3 vale a pena para sua situação:

Objetivos financeiros

A sua primeira consideração para decidir se investir em BBAS3 vale a pena diz respeito a seus objetivos financeiros. Afinal, são as suas metas que devem basear os seus investimentos e a tomada de decisão ao montar uma carteira.

O investimento em um ativo sempre deve servir para alcançar um objetivo financeiro. Por exemplo, você pode querer proteger seu patrimônio da inflação, conseguir uma renda passiva para se aposentar etc.

Para ficar mais fácil se organizar, é essencial definir objetivos concretos e com um valor determinado. Por exemplo, não é recomendável que você pense apenas que quer ficar rico. É crucial entender qual é a sua medida de riqueza e de quanto você precisa.

Logo, sempre que definir um objetivo, busque metas reais e palpáveis. Por exemplo: comprar um carro no valor de R$ 100 mil, ter uma renda de R$ 10 mil na aposentadoria ou comprar um imóvel no valor de R$ 500 mil.

Com esses objetivos concretos, você conseguirá montar uma carteira com ativos voltados à conquista dos seus sonhos. Dessa maneira, é possível analisar e estudar ações que são adequadas para cada objetivo, conforme as suas necessidades.

Prazo

Outro aspecto para considerar ao entender se as ações do Banco do Brasil valem a pena é ter prazos certos para seus objetivos. É com essa métrica que você conseguirá se organizar e montar um planejamento financeiro para alcançar seus sonhos.

No momento de definir prazos, você precisa ser realista. Por isso, é fundamental ter um controle financeiro eficiente. Entenda quanto você pode investir, qual é a rentabilidade esperada de cada investimento e quanto capital você deseja acumular com o tempo.

Então você pode definir horizontes de tempo em cada investimento, já que os ativos podem fazer mais sentido para determinados prazos. As ações, como o BBAS3, costumam ser mais adequadas para o longo prazo.

Como você já viu, os investidores conseguem traçar expectativas de movimentos em um longo período. Com isso, os movimentos de curto e médio prazo — que podem ser causados por situações passageiras — não influenciam no resultado esperado.

Mas lembre-se: ainda que a adoção do longo prazo ajude a mitigar os riscos, isso não significa que você estará imune a perdas. Não deixe de considerar que uma boa análise traz expectativas mais sólidas, mas nunca garantia de rentabilidade.

Perfil de investidor para BBSA3

Falando sobre riscos, é muito importante que você considere o seu perfil de investidor para determinar se investir no BBAS3 vale a pena. O perfil de investidor é uma característica pessoal que determina como você lida com os riscos atrelados aos investimentos.

Os investidores com perfil conservador são aqueles com baixa resistência aos riscos. Portanto, eles priorizam a segurança nos seus investimentos, ainda que isso possa trazer uma rentabilidade menor ou limitada.

Já os investidores moderados possuem mais resistência aos riscos que os conservadores. Desse modo, apesar de ainda preferirem ativos seguros, eles conseguem suportar mais riscos em boas oportunidades, principalmente a longo prazo.

Por fim, o perfil arrojado tem investidores com alto apetite aos riscos. Seu foco é potencializar a relação entre risco e retorno, priorizando a rentabilidade — ainda que isso possa trazer perdas financeiras.

O investimento em ações pode ser mais adequado para quem tem um perfil moderado ou arrojado. Afinal, há variações de preços, possibilidade de perdas e pouca previsibilidade quando comparadas a investimentos mais seguros.

No entanto, mesmo os investidores conservadores podem investir nesses ativos em determinadas situações. Para isso, eles costumam reservar uma pequena parte da carteira, focar no longo prazo e procurar ações com baixa volatilidade.

Ajuda de profissionais

Outra prática interessante para definir a viabilidade de um investimento é contar com a ajuda de profissionais. A assessoria de investimentos, por exemplo, pode expandir seus conhecimentos sobre os ativos e apresentar análises de outros especialistas.

Ademais, contar com uma boa corretora de valores é essencial. Você precisa ter acesso a um amplo portfólio de alternativas para tomar uma decisão mais assertiva. Quanto mais oportunidades de investimentos existirem, mais oportunidades você terá para personalizar a carteira e buscar os seus objetivos.

Entendeu o que são as ações do Banco do Brasil (BBAS3) e todas as suas principais características? Como você viu, analisar as ações e conhecer o setor é fundamental para fazer uma boa escolha ao investir!

Ficou interessado em contar com uma corretora de valores para realizar seus investimentos? Então vem ser Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!