Você já avaliou o custo de oportunidade ao fazer investimentos? Ele é um fator muito importante que pode ajudar a definir se vale a pena realizar determinado aporte. Porém, é preciso entender como ele funciona. 

O conceito é um pouco subjetivo e muitas pessoas costumam ficar confusas ao pesquisar sobre ele. Por outro lado, aplicá-lo de maneira incorreta ou ignorá-lo pode trazer problemas e diminuir os seus ganhos. 

Neste conteúdo você aprenderá o que é custo de oportunidade e como considerá-lo nos seus investimentos. Acompanhe a seguir! 

O que é o custo de oportunidade? 

Basicamente, o custo de oportunidade é uma forma de determinar qual a diferença de valor entre uma escolha feita em detrimento de outra. É possível usá-lo tanto no âmbito financeiro quanto no pessoal, por exemplo. 

Para entendê-lo, imagine que você tem R$ 10 mil disponíveis e quer escolher entre fazer um investimento ou uma viagem com amigos. Se optar pelo investimento, deixará de aproveitar o descanso da viagem, o tempo com os amigos e outros benefícios, certo?  

Contudo, ao escolher a viagem, não conseguirá fazer o seu capital render e aumentar o patrimônio. Como podemos ver, cada opção tem suas vantagens e escolher uma em detrimento de outra também traz desvantagens.  

É exatamente esse o conceito de custo de oportunidade. Ou seja, o que você está deixando de ganhar ao fazer tal escolha, e não outra. Nos investimentos é semelhante: optar por um ativo ao invés de outro significa deixar de lado as oportunidades que a segunda escolha traria. 

Assim, utilizando o conceito é possível criar o hábito de pesar cada opção, tendendo a fazer a melhor decisão em determinado momento. Por isso, o custo de oportunidade deve ser utilizado pelos investidores frente a decisões importantes. 

Qual é a sua importância para investidores? 

Ao falar em investimentos, o custo de oportunidade é responsável por mostrar um caminho, dar um norte. Ele pode ajudar a definir os melhores investimentos em cada caso, mostrando quais são os benefícios mais relevantes para você. 

Ao ponderar duas alternativas diferentes, é preciso lembrar que os benefícios da opção rejeitada não serão aproveitados. Logo, é comum ficar com receio de fazer determinadas escolhas, com medo do que pode ser perdido. 

Considerar o custo de oportunidade permite que você recolha mais informações para embasar sua análise. Então fica mais fácil se desprender de arrependimentos e fazer escolhas lógicas. 

Imagine que você tem que escolher entre deixar seu dinheiro na Poupança, aproveitando a segurança ou investir em Ações. Apesar de a segunda conter mais riscos, a rentabilidade também costuma ser maior. 

Avaliando o custo de oportunidade, você define se abrir mão da segurança é mais vantajoso nesse caso. O resultado depende de cada investidor e seu momento na vida, mas considerar o custo de oportunidade é útil para seguir mais consciente. 

Por isso, sempre tenha em mente esse conceito. Pese as alternativas, avalie os efeitos e os benefícios de cada uma. E lembre-se de que ele não está ligado apenas à rentabilidade, mas a vantagens variadas. Por exemplo, liquidez, segurança etc. 

Como calculá-lo? 

Sabendo o conceito de custo de oportunidade, você imagina como calculá-lo? Infelizmente, não há uma fórmula predeterminada para alcançar a métrica. Isso acontece porque ele está ligado a conceitos abstratos.  

Ou seja, questões que não podem ser mensuradas por números e pesos. Não é possível medir a satisfação de viajar com a família, sair com os amigos, ter um tempo livre, por exemplo. Da mesma forma, nem sempre é possível ter certeza do custo de oportunidade de um investimento. 

Por isso, é difícil expressar o custo de oportunidade matematicamente. Contudo, na hora de avaliar um investimento há alguns parâmetros que são úteis. O mais comum é utilizar a taxa Selic ou o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) na comparação. 

Isso porque eles representam a rentabilidade das aplicações consideradas mais seguras. Consequentemente, ajudam o investidor a avaliar o custo de oportunidade entre aportar em um título seguro ou arriscar mais. 

Utilizando os indicadores você faz a correção do valor que será investido em determinado tempo. Assim, terá um parâmetro para conhecer o rendimento no período. O resultado pode ser utilizado para comparar se as alternativas escolhidas terão um retorno superior às descartadas.  

Por exemplo: se decidiu investir em um Fundo de Investimento e sua projeção de rentabilidade não se confirmou. A diferença entre o rendimento obtido com o fundo e a rentabilidade da Selic será o seu custo de oportunidade, pois foi o que deixou de ganhar investindo em outra alternativa. 

Como avaliar o custo de oportunidade? 

Como você viu, apesar de não existir uma fórmula própria, é possível calcular o custo de oportunidade em determinadas situações. Mas é muito importante ficar atento a elementos relevantes.  

Por exemplo, o retorno na renda variável envolve volatilidade. Por isso, considerar os rendimentos obtidos no curto prazo pode não oferecer informações seguras. Além disso, existem outros fatores que devem ser considerados ao avaliar o custo de oportunidade. 

Confira! 

Liquidez 

A liquidez se refere à rapidez com a qual você pode resgatar um investimento. Ao investir em um título sem boa liquidez, há a perda de chances de fazer aportes em outras opções até o vencimento. Assim, é fundamental avaliar se é uma boa escolha, considerando o retorno esperado. 

Segurança 

Como mostramos, a rentabilidade não é o único fator que importa ao investir. Se você tem aversão ao risco, por exemplo, não será interessante expor a maior parte do seu capital à renda variável. Logo, também é preciso comparar os investimentos em relação à segurança. 

Diversificação 

Por fim, a diversificação da carteira é uma forma de considerar o custo de oportunidade e mesclar diferentes características ao investir. Possuir tipos de investimentos com rentabilidades e prazos variados dilui os riscos e permite aproveitar mais oportunidades. 

Um exemplo é quando se tem uma reserva de emergência em investimentos seguros e com alta liquidez. Aliado a ela, o investidor pode ter aplicações de renda fixa com prazos variados e também investir em renda variável. Percebe como há uma combinação de possibilidades? 

Como você viu, o custo de oportunidade é um fator muito relevante para as suas escolhas pessoais e financeiras. Por isso, sempre o utilize ao fazer seus aportes, considerando a expectativa de resultados e seus objetivos! 

Agora que você já conhece esse conceito, esclareça suas dúvidas sobre onde investir e acompanhe os ativos em alta na pandemia! 

Published by Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *