Para operar day trade, é importante compreender as diferentes movimentações do mercado financeiro. Nesse sentido, pode ser útil conhecer o indicador MACD. Afinal, esse instrumento de análise gráfica permite ter maior clareza sobre as tendências dos ativos e derivativos.

Contudo, para que o indicador seja utilizado de forma adequada, é necessário conhecer seu conceito e funcionamento. Além disso, visto que o MACD é utilizado para perceber movimentos na renda variável, é preciso considerar os riscos e cuidados na hora de usá-lo em suas operações.

Quer saber o que é o indicador MACD e como ele pode ser útil no day trade? Então continue a leitura deste artigo!

O que é o indicador MACD?

A sigla MACD quer dizer Moving Average Convergence Divergence. Em tradução livre, ela é conhecida como o indicador de média móvel convergente e divergente da análise técnica.

Logo, o MACD está ligado às médias móveis. Elas consistem em indicadores que demonstram as oscilações de preços de um determinado ativo ou derivativo. Para isso, é preciso estabelecer um intervalo de tempo a ser analisado.

É comum que os traders utilizem essas métricas com o objetivo de avaliar as alterações de tendência nas cotações dos ativos que estão analisando. Portanto, o MACD permite que o operador aprimore sua análise gráfica.

Isso porque o indicador considera duas médias móveis exponenciais (MMEs). Assim, o MACD permite que o trader visualize as movimentações de maneira mais completa. Afinal, a partir dessas médias móveis, é possível perceber convergências ou divergências nas variações de preços.

Como ele funciona?

Como você viu, o indicador MACD pode ser bastante útil para os traders nas suas análises técnicas. Para entender como se valer desse instrumento em suas análises e planejamentos no mercado financeiro, é necessário compreender seu funcionamento.

Nesse sentido, existem três ferramentas essenciais para que o MACD seja utilizado corretamente. São elas:

  • média móvel longa;
  • média móvel curta;
  • linha de sinalização.

A média móvel é um indicador que representa o cálculo da média de cotações de um ativo em determinado período, escolhido pelo trader. Com ela, o operador tem meios para identificar melhor as tendências de alta ou de baixa, além de pontos de suporte ou resistência.

As chamadas médias móveis curtas avaliam as tendências menores — de 12 dias, por exemplo. Já aquelas que são consideradas longas consideram intervalos de tempo maiores, como 26 dias.

Embora esses sejam períodos comuns de análise, você pode escolher analisar aqueles mais adequados à sua estratégia. Portanto, é possível personalizar os períodos para se adequar às suas necessidades na especulação.

A partir da diferenciação entre as médias curtas e longas, você terá a linha do MACD no gráfico. Em cima dela pode ser calculada a linha de sinalização, retratando a média móvel exponencial de 9 dias.

Ao comparar as relações entre esses três indicadores, é possível ter melhores condições de tomar suas decisões na especulação. O motivo é que, a partir dessa análise, as tendências mais fortes para o curto prazo serão percebidas com maior clareza.

O que é o histograma do MACD?

Ao estudar o indicador, também é necessário conhecer o chamado histograma MACD. Esse pode ser um mecanismo útil para rastrear as tendências existentes no gráfico de ativos e derivativos ao fazer as suas análises.

Na prática, o histograma permite uma visualização diferente entre as linhas MACD e de sinalização. Isso ocorre a partir da apresentação das variações entre elas por meio de um gráfico de barras, que considera uma linha central, chamada de linha zero.

Quando as barras ficam posicionadas abaixo da linha zero, elas são consideradas negativas e representam uma forte tendência de baixa. Por outro lado, se elas se posicionarem acima da linha central, a tendência de alta é mais forte.

Também vale a pena notar que o histograma pode indicar uma reversão, à medida que as barras se aproximam da linha zero.

Qual a importância do indicador MACD?

Agora que você entende as principais características do indicador MACD e como ele funciona, vale a pena compreender sua importância. Na verdade, utilizar o MACD em suas análises permite aproveitar diferentes vantagens. Veja só!

Antecipar movimentações

Uma das principais vantagens que o indicador MACD traz para suas análises é a possibilidade de antecipar movimentações na bolsa de valores. Para quem opera no curto prazo, é fundamental conseguir interpretar bem as dinâmicas do mercado para obter lucros.

Por isso, o MACD pode fazer com que o trader tenha maior clareza sobre as tendências de determinado ativo ou derivativo. Logo, o indicador auxilia sua decisão de como se posicionar no mercado.

Adaptar estratégias

Outro benefício que o indicador MACD traz é a capacidade de adaptá-lo à sua estratégia. Como você viu, embora as linhas móveis de 12 e 26 dias sejam mais comuns, você não precisa utilizá-las. Isso significa que é possível adaptar os intervalos de acordo com a sua estratégia para operar na bolsa.

Controlar riscos

É importante lembrar que não é possível prever os resultados das negociações no mercado de renda variável. Nesse sentido, o MACD pode ser utilizado como instrumento que amplia sua análise, permitindo uma leitura mais apurada do mercado.

Como ele ajuda a ampliar a sua compreensão do mercado, o indicador colabora com o controle dos riscos da especulação.

Como utilizar o indicador MACD no day trade?

Depois de conhecer o indicador MACD e sua importância, é hora de entender de que forma ele pode ser utilizado em suas operações de day trade. Para isso, é preciso compreender o que significa esse tipo de operação.

O day trade é uma das diversas operações de especulação que podem ser realizadas na bolsa de valores. Em termos gerais, quem faz negociações na bolsa pode ser um investidor (cujo foco está no longo prazo) ou um especulador (que busca ganhos em prazos menores).

No caso daqueles que optam pelo day trade, eles são considerados especuladores, já que procuram resultados diários. Assim, o trader realiza operações que começam e terminam no mesmo dia, com o intuito de lucrar a partir das oscilações de curtíssimo prazo no mercado.

O intuito é que, ao longo do mês, a soma dos resultados seja positiva, garantindo uma renda a partir das transações na bolsa de valores. Porém, vale destacar que também existem outras estratégias de especulação que podem se valer desse indicador — como o swing trade.

Aplicação do MACD no day trade

Uma vez que o day trade consiste em operações de curto prazo, realizadas em apenas um dia, é necessário utilizar diferentes instrumentos para basear as decisões. O indicador MACD pode ser um deles, uma vez que auxilia na análise de tendências de alta ou de queda dos ativos ou derivativos.

Em termos práticos, com a visualização tradicional do indicador, caso a linha do MACD esteja posicionada acima da linha de sinal, é possível perceber a tendência de alta.

Já no caso do histograma, esse momento poderá ser percebido quando as barras indicativas estiverem acima da linha zero. Por outro lado, se a linha de sinal estiver acima, a principal tendência será de baixa.

Quais cuidados ter na hora de usar o MACD nas operações?

Embora o indicador MACD possa servir de diferentes formas em suas operações, é preciso considerar que são necessários certos cuidados no seu uso. Afinal, a renda variável pode ser imprevisível e envolver riscos elevados, principalmente no curto prazo.

Nesse sentido, o primeiro ponto de atenção é que o MACD não deve ser utilizado como um instrumento absoluto. Afinal, qualquer indicador apresenta limitações, não sendo suficiente para ter todas as informações que você precisa para operar.

Portanto, o MACD é um indicador relevante, mas não é o único que você deve utilizar. Sua avaliação deve incluir outras ferramentas de análise técnica, bem como outras informações e dados que possam auxiliar suas tomadas de decisão.

Uma das principais limitações do MACD, por exemplo, é que ele não permite a comparação de médias móveis de ativos distintos. Esse aspecto pode ser desvantajoso, visto que avaliar diferentes oportunidades para operar pode enriquecer sua análise.

Além disso, existe a possibilidade de o indicador MACD apontar falsos sinais de divergência. Quando isso ocorre, se o trader considerar apenas esse indicador ou não estiver ciente de suas complexidades, ele pode assumir uma posição equivocada, ampliando os riscos de perdas.

Quais outros indicadores podem ser usados em conjunto com o MACD?

Como foi possível notar, o indicador MACD tem grande relevância para o day trade, mas não deve ser o único instrumento utilizado para embasar as suas decisões. Para que suas análises sejam apuradas, é válido considerar outros indicadores técnicos no processo.

Confira alguns que vale a pena considerar!

Médias móveis

As médias móveis são calculadas com base nos preços dos ativos ou derivativos percebidos ao longo de um período específico. Dessa maneira, o especulador consegue analisar quais os valores médios dos preços nesse tempo determinado.

O intuito de utilizá-las é compreender o comportamento do preço em um período de interesse — analisando, por exemplo, a variação para além do dia de operação. Essa é uma maneira de identificar tendências, ou suas interrupções, auxiliando a decisão de entrada ou saída de uma posição.

Vale notar que a média móvel pode ser calculada de modo simples ou exponencial. Na primeira, é feito um cálculo em que todos os preços têm o mesmo peso. Já no segundo caso, os preços mais recentes recebem um peso maior. Assim, a volatilidade pontual tende a gerar maior impacto.

Índice de força relativa

Também conhecido como IFR, o índice de força relativa é um indicador de análise técnica muito utilizado pelos traders. Isso ocorre principalmente porque ele permite notar os pontos de saturação de um ativo ou derivativo.

O indicador varia entre 0 e 100 e serve para avaliar a disposição que o mercado apresenta em relação à compra e venda da alternativa em questão. Dessa forma, se o IFR estiver muito alto, há a chamada sobrecompra. Por outro lado, caso o valor seja muito baixo, ocorre a sobrevenda.

Quando ocorre a sobrecompra, isso aponta que a força compradora está saturada e, provavelmente, enfraquecerá antes de continuar o movimento. Já no caso da sobrevenda, ela indica que o volume de vendas está saturado, trazendo a perspectiva de que haja uma reversão.

Bandas de Bollinger

As bandas de Bollinger são obtidas com base na relação entre os preços de negociação atual e médio de um determinado ativo ou derivativo. Para isso, um cálculo estatístico é realizado, permitindo compreender de que forma o preço atual se comporta.

Em termos de composição, a construção desse indicador envolve uma banda inferior, uma banda superior e uma banda móvel. À medida que as negociações ocorrem, as bandas de Bollinger podem se afastar ou se aproximar do mercado. Quanto maior a expansão, maior a volatilidade percebida.

Volume financeiro

Um dos principais fatores avaliados na análise técnica é o preço. No entanto, ele não é o único elemento que deve ser considerado em suas decisões. Também é preciso avaliar indicadores que analisam o volume financeiro, pois representam a intensidade com a qual ocorrem as negociações.

Quando há um maior volume de compra ou de venda, isso pode significar a formação ou reversão de uma tendência. Assim, a análise desse indicador permite que o trader confirme ou não os dados notados com outros indicadores, tornando a análise técnica mais bem fundamentada.

Estocástico

O estocástico, também conhecido como stoch, auxilia o reconhecimento de possíveis reversões nas tendências. Nesse caso, é feito um cálculo que considera o preço de fechamento e o intervalo de movimentação em um período específico.

Em geral, quando há um preço próximo do máximo, isso é interpretado como existência de uma tendência de alta. Já no caso oposto, se o preço está próximo do mínimo, espera-se um movimento de baixa. Entretanto, se houver afastamento entre esses pontos, pode ser o sinal de uma reversão.

Você compreendeu o que é o indicador MACD? Como visto, ele é um importante instrumento de análise técnica, que pode apontar tendências de alta e queda, auxiliando sua operação no day trade. No entanto, é preciso somá-lo a outros índices para que suas avaliações sejam mais apuradas.

Quer saber mais sobre como melhorar suas operações na bolsa? Então acompanhe nossos conteúdos no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube!

Caroline Rosa

Há 12 anos no mercado financeiro e com forte desejo de encorajar mais mulheres a construírem sua liberdade financeira, Caroline Rosa é sócia e gerente comercial na Genial Investimentos. Além disso, coordena o HUB de educação financeira, a Genial Educação, onde sua missão é democratizar o acesso ao conhecimento dentro do mercado financeiro de forma simples, acessível e objetiva.

Ver todos os artigos
E-book Trader

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa