Antes de investir, é fundamental conhecer as características de cada alternativa que você pretende incluir na carteira. No caso dos fundos de investimento, existe um documento específico para conferir as informações dessa modalidade: a lâmina de fundos. 

Ela apresenta dados importantes para que os investidores entendam o seu funcionamento e tomem decisões mais acertadas. Assim, o documento permite identificar se o investimento está alinhado com o seu perfil e objetivos antes de incluí-lo em sua carteira.  

Continue a leitura e confira um passo a passo para analisar a lâmina de fundos de investimento. Vamos lá? 

O que é uma lâmina de fundos? 

A lâmina de fundos de investimento é um documento que apresenta as principais características operacionais do veículo. Nela, você terá acesso a informações como: 

  • objetivos; 
  • taxas — como a de administração e performance; 
  • rentabilidade acumulada; 
  • política de investimentos; 
  • valor mínimo para aplicação.  

Também é fornecido o histórico de desempenho, que apresenta indicadores importantes, como de rentabilidade e de risco. Além disso, há índices que medem a relação entre o preço das cotas e o retorno do investimento. 

O documento ainda costuma apresentar os fatores que podem influenciar a rentabilidade da carteira. Portanto, ela traz dados essenciais para quem deseja fazer uma análise aprofundada antes de investir.  

Para facilitar, o documento é organizado e redigido de maneira que permita ao investidor ter um bom entendimento dos dados. Assim, analisá-lo antes de investir possibilita evitar fundos que estejam desalinhados com as suas necessidades. 

Para que serve a lâmina de fundos? 

Todo investidor deve conhecer seus direitos e deveres. Para isso, o acesso à informação deve ser facilitado. Quando você se torna cotista de um fundo de investimento, por exemplo, é possível ter acesso aos dados por meio de diversos documentos.  

Os principais são: 

  • regulamento e prospecto; 
  • carta aos cotistas; 
  • formulários de informações complementares; 
  • lâmina do fundo; 
  • entre outros. 

Dessa forma, todo gestor de fundos de investimento abertos deve disponibilizar a lâmina para os futuros cotistas. Ela serve, então, para que você faça a consulta e compare documentos, o que ajuda na tomada de decisão sobre seus investimentos. 

Como analisar uma lâmina de fundos de investimento? 

Agora que você sabe o que são as lâminas dos fundos de investimento, é fundamental entender como analisá-la da forma correta. Lembre-se de que é preciso considerar todas as informações presentes no documento antes de fazer sua escolha. 

Confira o passo a passo para fazer essa avaliação: 

Conferir o tipo de fundo 

O tipo de fundo depende dos ativos presentes no portfólio. Fundos de renda fixa, por exemplo, alocam a maior parte dos recursos em produtos dessa classe de investimento. Já os fundos de ações têm o portfólio composto, majoritariamente, por ativos relacionados ao mercado acionário. 

Os fundos imobiliários (FIIs), por outro lado, focam seus recursos em títulos do mercado imobiliário, em imóveis físicos ou cotas de outros FIIs. Ainda existem outras opções, como os fundos cambiais e os multimercados, que podem se adequar à sua carteira, dependendo do seu perfil e objetivos.  

Avaliar a estratégia do fundo 

A lâmina indica qual é a estratégia utilizada para atingir o objetivo do fundo e o índice de referência. Também chamado de benchmark, ele apresenta um resultado que o gestor pretende alcançar ou superar. Nesse caso, dependendo da meta, a gestão pode ser ativa ou passiva. 

Um benchmark muito comum utilizado pelos fundos de investimento é a taxa CDI (certificado de depósito interbancário). Para os fundos de ações, por outro lado, é comum se deparar com o Ibovespa. Porém, existem outros indicadores de mercado que podem ser usados.  

Conhecer o perfil do fundo 

Conhecer o perfil de risco do fundo é fundamental para entender se ele é adequado à sua estratégia. Por exemplo, se você tem um perfil conservador e se interessa por um fundo arrojado, pode ficar desconfortável diante da volatilidade. 

Da mesma forma, fundos conservadores podem ser menos adequados para investidores arrojados. Isso porque eles tendem a se frustrar com a rentabilidade dessas alternativas. Logo, entender os níveis de risco do fundo ajudará a tomar decisões mais alinhadas.  

Além disso, é necessário considerar os seus objetivos. Fundos arrojados podem não ser adequados para investir a reserva de emergência, por exemplo. Por outro lado, quem tem objetivos de longo prazo pode ter rentabilidade limitada se optar por fundos conservadores. 

Identificar os agentes do fundo 

Outro passo importante para analisar uma lâmina de fundos de investimento é entender quem é o gestor, administrador, distribuidor e custodiante do fundo. O gestor, por exemplo, é responsável por implementar a estratégia indicada na lâmina. Assim, é ele quem seleciona e realiza os investimentos com os recursos dos cotistas. 

Dessa maneira, o desempenho dos fundos de investimento depende, entre outros fatores, da realização de um bom trabalho do gestor. Inclusive, vale analisar o histórico do fundo para entender melhor esse ponto, embora rendimento passado não seja garantia de rentabilidade futura. 

Verificar o aporte mínimo e taxas 

Como você viu, a lâmina dos fundos de investimento indica qual é o valor mínimo para fazer os aportes. Também podem existir regras referentes aos valores mínimos de movimentação e permanência no fundo. 

Antes de investir, analise se esses valores estão de acordo com o seu planejamento financeiro. Além disso, aproveite para avaliar as taxas cobradas pelo fundo. Em geral, é preciso pagar uma taxa de administração, que funciona como a remuneração do gestor. 

Em alguns casos, ainda há uma taxa de performance, cobrada quando o desempenho do fundo supera o benchmark. Como os custos afetam a rentabilidade, é preciso ter atenção às taxas para determinar se elas são adequadas ao que o investimento oferece — ou pode oferecer. 

Analisar os prazos 

Em relação aos prazos, um dos dados que a lâmina de um fundo apresenta é o de cotização da aplicação. Se for D+0, por exemplo, significa que o investimento é convertido em cotas no mesmo dia. Outro prazo importante é o de cotização de resgate. 

Nesse caso, é o período necessário para que as cotas sejam convertidas em dinheiro após solicitação do resgate. Após esse tempo, também é necessário aguardar o prazo de liquidação. Se a soma dos dois for D+30, significa que levará 30 dias para você resgatar o valor investido, por exemplo. 

Ao seguir esse passo a passo, você poderá fazer uma melhor análise da lâmina dos fundos de investimento. Portanto, antes de investir, considere essas informações em conjunto com o seu perfil e objetivos. Assim, será mais fácil escolher os fundos mais adequados para a sua carteira. 

Aproveite para complementar a leitura e entenda como analisar a rentabilidade de um fundo de investimento!

Comentários