Você já ouviu falar da litecoin? Essa criptomoeda tem se valorizado de forma significativa no mercado de ativos digitais desde o seu lançamento. Por isso, vem despertando o interesse de diversos investidores ao redor do mundo.

Porém, muitas pessoas não sabem o que ela é, quais são suas principais características e como ela se diferencia do bitcoin, seu antecessor. Por isso, vale a pena conhecer mais sobre o assunto para entender se a litecoin (LTC) é adequada para seu perfil e objetivos.

Para ajudá-lo, nós da Genial Investimentos, preparamos este conteúdo. Nele, você poderá conferir as principais informações sobre a litecoin.

Acompanhe!

O que é litecoin?

Litecoin é uma criptomoeda descentralizada, lançada em 2011 por Charlie Lee, ex-funcionário do Google. Como qualquer outra moeda digital, a litecoin tem a mesma funcionalidade do dinheiro físico. Isto é, ela pode ser utilizada para realizar transferências e pagamentos.

Devido ao seu alto potencial de valorização ao longo do tempo, a moeda também tem sido usada como um ativo financeiro. Por isso, a LTC vem atraindo muitos investidores, que têm interesse no mercado de moedas virtuais.

Como surgiu a litecoin?

O contexto de criação da litecoin partiu de outra moeda: o bitcoin (BTC). Charlie Lee havia reconhecido o grande potencial dela, mas notou limitações que restringiam o acesso ao público geral e frustravam os usuários. Por exemplo, os altos custos para utilizá-la e o processamento lento.

Então ele decidiu desenvolver uma versão melhorada. Assim, Lee alterou o código do bitcoin e o usou para lançar um novo tipo de criptomoeda: a litecoin. Por isso, elas possuem características semelhantes, apesar de apresentarem diferenças marcantes.

Por compartilhar do mesmo código do bitcoin, a LTC costuma ser comparada com a sua antecessora. Nessa comparação, a primeira moeda virtual é associada ao ouro, enquanto a litecoin é considerada a prata digital.

Como essa moeda funciona na prática?

Agora que você sabe o que é litecoin e conhece a sua história, deve estar se perguntando como ela funciona na prática. Como vimos, a LTC foi baseada no bitcoin. Portanto, elas possuem os mesmos fundamentos.

Ou seja, todas as negociações são realizadas em sistemas computacionais descentralizados. Portanto, as criptomoedas não são emitidas nem controladas por nenhuma instituição financeira ou Governo. Na verdade, quem faz a transferência de valor são os próprios usuários.

Para isso, eles utilizam um protocolo conhecido como blockchain. Trata-se de uma base de dados compartilhada, que armazena todas as negociações realizadas em blocos de informações. À medida que acontecem novas transações, os dados são armazenados em novos blocos.

Assim, eles formam uma cadeia organizada. A diferença é que a litecoin é mais rápida que o bitcoin. Isso é possível graças à tecnologia Segregated Witness (SegWit). Ela permite obter tempos de processamento de bloco mais rápidos.

Além disso, a LTC foi desenvolvida com a tecnologia Atomic Swaps. Com ela, a troca de diferentes criptomoedas se torna mais ágil. Portanto, essa criptomoeda tem uma capacidade de comunicação impressionante quando comparada ao bitcoin.

Qual a diferença entre litecoin e bitcoin?

Como visto, a litecoin compartilha do mesmo código do bitcoin e apresenta semelhanças em relação a ele. Porém, vale a pena saber mais sobre as melhorias realizadas por seu criador.

Confira!

Velocidade de Transações

Uma das barreiras para a utilização do bitcoin em transações comerciais refere-se ao tempo de processamento. Isso porque o fechamento do bloco demora em torno de 10 minutos. Por outro lado, na litecoin, novos blocos são acrescentados à rede a cada 2,5 minutos.

Taxa dos mineradores

Devido ao tempo de processamento do bitcoin, seus custos operacionais são considerados elevados — o que pode desestimular o uso. A litecoin, por sua vez, possui taxas mais acessíveis devido à sua capacidade de processamento menor.

Quantidade em circulação

Outra diferença entre bitcoin e litecoin refere-se ao limite do número de moedas disponíveis no mercado. O total de moedas a ser minerado no BTC é limitado a 21 milhões, enquanto a LTC pode alcançar até 84 milhões de unidades no ano de 2142.

Valorização

Por ser a primeira criptomoeda a ser lançada no mercado e ter uma quantidade menor à disposição ao público, o bitcoin é mais valorizado que a litecoin. Porém, isso não impede de obter ganhos com a oscilação de preços de Lotecoin também.   

Quanto vale a litecoin?

Se você tem interesse em saber mais sobre a litecoin, é preciso saber qual o seu preço. Por se tratar de uma criptomoeda, o preço do ativo costuma oscilar frequentemente — como você verá adiante. Logo, é importante buscar essa informação em tempo real antes de fazer seu aporte ou operação.

A volatilidade elevada a qual esse ativo está exposto tem relação com a descentralização da moeda. Por não se submeter a nenhum órgão, sua negociação é livre. Assim, o preço é formado conforme a demanda e oferta no mercado.

Para se atualizar sobre o preço, é possível recorrer a sites de acompanhamento do mercado de criptomoedas. Outra maneira de acompanhar as possíveis mudanças do preço da LTC é por meio do gráfico de cotação disponível diretamente na página do Google.

Desse modo, você pode analisar o comportamento da criptomoeda, e junto com outras informações, tentar encontrar tendências. Isso é especialmente importante para quem realiza especulação e busca ganhos com a diferença de preços no curto prazo.

Se for esse o seu interesse, vale ficar atento aos riscos que a as oscilações trazem. Afinal, a moeda pode se valorizar bastante, mas também pode apresentar quedas significativas e trazer prejuízo. Por isso, muitos investidores preferem focar no longo prazo para tentar diluir riscos.

Quais são as vantagens da litecoin?

Depois de saber qual a diferença da litecoin em relação ao bitcoin, é o momento de descobrir quais são as vantagens dessa moeda digital. Uma das mais importantes, sem dúvidas, é o baixo custo envolvido no processamento — o que a torna mais acessível em pequenas transações diárias.

Outro ponto positivo está relacionado ao suprimento mais alto. Com isso, a litecoin estaria mais prontamente disponível para o público. Ainda, a quantidade de moedas disponíveis faz com que seu preço esteja mais acessível para aqueles que desejam comprá-la.

A LTC também pode ser uma alternativa interessante para quem deseja diversificar seu portfólio além dos investimentos tradicionais. Afinal, ela é outra categoria de ativo que pode ajudá-lo a diluir os riscos da sua carteira e ainda proporcionar o crescimento do seu patrimônio no longo prazo.

Essas vantagens estimulam o seu uso, o que pode alavancar seu crescimento. E, como todo recurso financeiro que desperta interesse, pode haver valorização com o tempo. Logo, é possível obter ganhos com esse ativo — mas isso não é garantido, pois há riscos.

Quais os riscos da litecoin?

Ainda que o LTC possua diversas vantagens que podem torná-la atrativa — especialmente quando o assunto é investimento —, é fundamental estar atento aos riscos relacionados a essa moeda.

Por isso, veja os principais perigos de comprar litecoin!

Proibição em alguns países

Diversos países não permitem o uso de moedas digitais e até mesmo declaram ilegais as transações com criptomoedas em seu território.  Caso haja novas proibições de criptomoedas, a menor demanda por esses ativos pode impactar o seu preço, fazendo com que se desvalorizem.

Análise limitada dos ativos

Por ser um ativo considerado relativamente novo no mercado financeiro, o histórico da litecoin é limitado. Assim, sem dados mais completos sobre as criptomoedas, pode ser mais difícil antever os riscos e oportunidades envolvidos com o investimento em criptos.

Volatilidade elevada

A volatilidade, como você viu, se refere à intensidade e a frequência com que o preço de um ativo se movimenta ao longo de um determinado período. No caso das criptomoedas, ele oscila muitas vezes — o que pode trazer oportunidades de ganhos, mas também chances de perdas consideráveis.

Piratarias e fraudes

O crescimento e a popularidade das criptomoedas vêm atraindo a atenção não só dos investidores, mas também dos golpistas. Entre os principais golpes envolvendo as moedas digitais estão pirâmides financeiras e aplicativos falsos.

A maioria dos golpes ocorre na intermediação dos ativos, ou seja, no momento em que são negociados. Por funcionarem em um ambiente muito seguro, o de blockchain, criminosos se utilizam do momento e locais em que investidores negociam esses ativos para praticar fraudes e golpes.

Afinal, vale a pena investir em litecoin?

Para decidir se vale a pena investir em litecoin, você precisa avaliar se ela é uma boa escolha para o seu portfólio. Um passo importante para isso é entender melhor o mercado de criptoativos e seu funcionamento. Também é essencial conhecer as características dessa moeda digital.

Outro ponto importante para orientar a sua decisão é o seu perfil de investidor. Ele indica qual é a sua tolerância aos riscos. Portanto, essa classificação pode ajudá-lo a identificar os investimentos mais adequados para as suas características.

Há três perfis de investidores:

  • conservador: busca ter bastante segurança em sua carteira, pois sua tolerância ao risco é baixa. Logo, ele prefere os investimentos que ofereçam menos volatilidade;
  • moderado: esse tipo de investidor tem tolerância ao risco um pouco maior porque está em busca de investimentos com potencial mais alto de ganhos. Assim, ele costuma aceitar certo nível de volatilidade;
  • arrojado: são os investidores que possuem o maior nível de tolerância aos riscos, pois priorizam potencial de rentabilidade. Nesse sentido, os ativos com alta volatilidade se mostram opções interessantes.

Como visto, o investimento em litecoin tem uma volatilidade elevada. Logo, ele tende a ser mais adequado para os investidores que possuem perfil moderado ou arrojado. Por isso, você deve entender em qual perfil se encaixa para avaliar a oportunidade de forma mais estratégica.

Por fim, ainda cabe ressaltar a importância de considerar seus objetivos financeiros para chegar a uma conclusão mais assertiva. Isto é, você precisa saber o que pretende alcançar com um investimento para buscar opções que estejam mais alinhadas ao horizonte dos seus planos.

Como investir em litecoin de forma direta?

Existem diversas maneiras de expor parte do seu patrimônio a criptomoedas. Uma delas é por meio do investimento direto. Isto é, comprar e vender litecoin em plataformas de exchanges.

Porém, vale ter em mente que o mercado de criptoativos não é regulamentado no Brasil. Isso significa que, sem um órgão regulamentador, há maior risco de cair em golpes e operar em instituições falsas.

Além disso, é praticamente impossível reaver o dinheiro aplicado em investimentos fraudulentos. Mas saiba que há alternativas mais seguras e confiáveis de aproveitar os ganhos com uma potencial valorização da litecoin, como você verá a seguir.

Como investir em litecoin de forma mais segura?

Investir por meio de exchanges não é a única opção em criptomoedas. Você também pode ter uma carteira diversificada nesses ativos com maior segurança institucional. Isso acontece por meio de modalidades de investimento regulamentadas.

Elas são acessadas a partir de corretoras de valores, como a Genial Investimentos. Saiba mais sobre as opções!

Fundos multimercados de criptomoedas

Uma possibilidade para investir em criptomoedas, como a litecoin, é por meio de um fundo multimercado. Trata-se de uma modalidade de investimento que capitaliza recursos de diversos investidores e tem um gestor profissional para tomar as decisões de alocação.

Há diversos tipos de fundos de investimentos. Por exemplo, fundos imobiliários, fundos de ações e fundos cambiais. Como você pode perceber, cada portfólio foca em um mercado específico. No caso dos fundos multimercado, a alocação pode ser feita em diversos ativos e classes de investimento.

Assim, há aqueles que possuem parte de seus investimentos alocados em criptoativos, como é o caso dos multimercados com foco em criptomoedas. Nesse caso, o gestor responsável pelo fundo define quais são as estratégias de investimento e o percentual de exposição às moedas digitais.

Fundos de índice de criptomoedas

Os ETFs (exchange traded funds) — ou fundos de índice — também são fundos de investimento. Contudo, eles visam replicar o desempenho de um determinado índice. Logo, realizam aportes de acordo com uma carteira teórica.

Nesse sentido, existem ETFs que acompanham indicadores de criptomoedas. Por exemplo, o Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice. Ele usa como referência o Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela gestora Hashdex em parceria com a Nasdaq, a bolsa de Nova Iorque.

Esse benchmark é formado pelas principais moedas digitais do mercado de criptoativos, como litecoin, bitcoin e ether. Ele foi o primeiro ETF de criptomoedas listado na bolsa de valores brasileira, a B3, e é negociado sob o ticker HASH11.  Além dele, no entanto, existem outros ETFs ligados às criptos disponíveis no mercado brasileiro.

Agora que você sabe o que é litecoin pode analisar se essa opção é interessante para o seu portfólio. Mas não se esqueça de ponderar as vantagens e os riscos com seu perfil de investidor e objetivos financeiros para tomar uma boa decisão.

Para investir de maneira regulamentada nessas ou em outras criptomoedas, abra a sua conta na Genial!

Comentários