Você já ouviu falar em holding de investimentos? Quem busca por proteção patrimonial e planejamento sucessório pode ficar interessado em constituir essa empresa. No entanto, para entender se a alternativa vale a pena, é preciso conhecer seus benefícios e também as desvantagens.

Afinal, a holding traz alguns custos e tem um procedimento próprio para a abertura. Por isso, apesar de trazer vantagens claras, para muitos investidores ela pode não ser a solução ideal para os aportes e planejamento em relação às finanças.

Para esclarecer suas dúvidas e facilitar sua avaliação, nesse conteúdo nós, da Genial Investimentos, explicamos o que é uma holding de investimentos e suas características. Confira!

O que é uma holding?

Antes de entender a modalidade voltada para investimentos, você precisa saber o que é uma holding. Nesse contexto, elas se caracterizam como uma pessoa jurídica com a finalidade de reter outras empresas ou patrimônios.

A expressão holding, em inglês, significa segurando, detendo. Então a holding é uma empresa voltada para a administração e controle de outras empresas ou bens patrimoniais de seus criadores e sócios.

Dessa forma, essa sociedade normalmente não serve para comercializar produtos e não tem outras finalidades lucrativas. A ideia é que ela sirva como uma espécie de conglomerado, sendo dona de outras companhias.

Existem diversos exemplos famosos de holdings, como a Alphabet — que é conhecida por ser a controladora do Google, uma das maiores empresas do mundo. No Brasil, é possível citar a Itaúsa, que tem capital listado na bolsa de valores e detém o banco Itaú Unibanco, Itautec e Alpargatas.

Em relação às holdings patrimoniais, qualquer pessoa pode criar a sua própria ao avaliar que ela é vantajosa para a situação. Nesse caso, o objetivo da constituição da pessoa jurídica visa administrar os bens pessoais dos sócios, como imóveis, veículos, capital investido, entre outros.

Como funciona uma holding de investimentos?

Agora que você já sabe o conceito de holding, fica mais fácil conhecer as holdings de investimentos. Elas são aquelas empresas conhecidas como patrimoniais, que têm o principal objetivo de administrar bens e direitos.

Desse modo, após a abertura da holding, os bens são transferidos para a empresa. Portanto, todo o patrimônio integralizado deixa de ser da pessoa física. Mas é preciso seguir os parâmetros legais, como assinatura do estatuto social e registro na junta comercial.

Assim, todos os bens que forem incorporados ao capital social da holding passarão a ter como proprietária a própria empresa. Os sócios continuam administrando esses bens, mas eles não estão mais em seu nome.

Não há restrições legais para o patrimônio que pode ser alocado em nome da holding, desde que não haja intenção de fraude. Logo, ações, cotas de fundos, títulos, bens imóveis, marcas, direitos de recebimento e autorais podem compor esse patrimônio.

É bastante comum que as holdings sejam formadas por pessoas da mesma família. Nesse caso, o patrimônio de um sócio ou de todos eles é integralizado ao capital social, e cada um terá uma cota proporcional de participação.

Essas cotas representam frações ideais do patrimônio consolidado. Ou seja, um sócio não será dono de determinados bens ou direitos. Ele terá participação em 10% de todos eles, por exemplo, sem determinação específica.

Quais são os tipos de holdings?

Depois de conhecer as holdings de investimentos, também chamadas de patrimoniais, é preciso saber quais são os tipos de holdings. Afinal, no momento de constituir uma empresa e confeccionar o estatuto social, é preciso ter atenção a esse ponto.

Confira quais são os principais tipos de holding:

  • pura: esse tipo tem o objetivo de participar do capital social de outras companhias;
  • mista: essas holdings unem a participação acionária em outras empresas com uma atividade empresarial visando lucros;
  • patrimonial ou de investimentos: como você viu, ela visa formar um patrimônio próprio com bens e direitos dos sócios;
  • familiar: essa holding é caracterizada pela união de parentes para gerenciar os bens integralizados no capital social e controlar a sucessão patrimonial;
  • administrativa: esse tipo de holding tem o objetivo de trazer mais eficiência para o controle de empresas, fornecendo uma forma de administração profissional de companhias.

Vale ressaltar que muitos desses tipos de holdings não se excluem entre si. Uma holding patrimonial pode ser familiar e pura, por exemplo.

Ademais, vale lembrar que, seja qual for o seu tipo, as holdings servem para deter patrimônios e o controle de empresas. Por isso, elas devem operar com legalidade e não podem ser utilizadas para evasão fiscal ou outras fraudes em relação à legislação.

Quais são as vantagens e desvantagens das holdings de investimento?

Para avaliar se a constituição de uma holding para consolidar seus investimentos vale a pena, é essencial conhecer suas principais vantagens e desvantagens. Os benefícios mais relevantes dessas empresas dizem respeito ao planejamento tributário e blindagem patrimonial.

Em relação aos tributos, vale saber que todo o patrimônio integralizado na holding será sujeito às regras para pessoas jurídicas. Então é possível optar pelo regime de lucro presumido, por exemplo, reduzindo a base de cálculo de diversos rendimentos.

Ademais, quando há sucessão patrimonial, como no caso de falecimento de um dos sócios, não incide o imposto referente à herança sobre os bens da holding. O procedimento é realizado por meio de sucessão de cotas, que têm regras próprias.

Outra vantagem é a blindagem patrimonial. Como regra geral, os bens de uma empresa não se comunicam com a pessoa física. Isso significa que, se um dos sócios tiver problemas de inadimplência, os bens da holding não são utilizados para pagamento.

Contudo, é fundamental entender que essa situação não pode ser utilizada como uma forma de fraudar credores. Se ficar comprovado que a holding foi constituída ou serviu de ferramenta para não honrar pagamentos, ela pode sofrer uma execução.

Em relação às desvantagens, as principais envolvem os custos e a burocracia do procedimento para abrir uma empresa. Para isso, é preciso contratar diversos profissionais, como advogado e contador, além de fazer requerimentos, confeccionar documentos e realizar o registro.

Entendeu como funciona uma holding de investimentos? Elas podem trazer redução de custos e facilidade em procedimentos. No entanto, é preciso se planejar e entender todas as suas regras para avaliar se a abertura de uma empresa vale a pena para você.

Quer contar com uma corretora de valores para realizar seus aportes? Então abra sua conta na Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!