Se você faz parte da parcela de brasileiros que ainda pensa na caderneta de poupança como a alternativa mais segura e rentável para o seu dinheiro, é bom começar a abrir os olhos. Os patamares mínimos históricos da taxa Selic não têm favorecido a rentabilidade da caderneta, e as expectativas são para o Comitê de Política Monetária (Copom) continuar reduzindo a Selic no curto prazo. E aí surge a pergunta: o rendimento da poupança em 2020 vale a pena?

Vamos mostrar abaixo como, em vez de proteger os seus recursos, a poupança pode estar jogando contra a sua reserva financeira, já que sua remuneração pode ser menor do que a inflação.

Rendimento da poupança em 2020

O rendimento da poupança está atrelado à variação da Taxa Selic. No Brasil, existem duas regras para o cálculo da caderneta: a da poupança nova e a da poupança antiga. Os depósitos feitos a partir de 4 de maio de 2012 são considerados da poupança nova. Os anteriores a essa data seguem a rentabilidade da poupança antiga. Entenda abaixo como funciona.

Poupança antiga:

  • 0,5% ao mês + Taxa Referencial (TR)
  • Se tem valores na poupança antiga, você recebe uma excelente remuneração e não vale a pena retirar os seus rendimentos, a não ser que precise.

Poupança nova:

  • Quando a Taxa Selic é igual ou inferior a 8,5%, a poupança paga 70% da Selic + a Taxa Referencial (TR), que nos últimos anos tem sido zero.
  • Quando a Taxa Selic é superior a 8,5%, a poupança paga 0,5% ao mês + a Taxa Referencial (TR).

A última reunião do Copom (em 17 e 18 de março de 2020) reduziu a taxa Selic para 3,75% a.a. e, atualmente, a TR está zerada. Logo: se a poupança paga 70% da Selic (3,75%) + a Taxa Referencial (zero), o seu dinheiro depositado na poupança nova irá render 70% de 3,75% ao ano, ou seja, 2,45% ao ano ou 0,202% ao mês.

Para a próxima reunião do Copom (em 5 e 6 de maio de 2020) a expectativa é de mais uma queda na taxa Selic.

Você pode perder dinheiro com o rendimento da poupança

A situação de quem tem dinheiro na poupança é pior do que parece. Para calcular o rendimento real da caderneta é necessário ainda descontar a inflação do período. Assim, a rentabilidade da caderneta em 2020 pode ser facilmente próxima de zero. 

Para se ter uma ideia, a inflação acumulada nos últimos 12 meses – entre março de 2019 e março de 2020 – é de 3,30%, conforme os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ou seja, neste momento, a poupança está longe de ser um investimento com chances de boa rentabilidade.

Outro aspecto que vale ser destacado é que a poupança rende apenas uma vez ao mês. Desta forma, os recursos resgatados antes da data de aniversário não são remunerados.

Segurança e praticidade

A pergunta que fica é: “Se a poupança rende tão pouco, o que leva muitos brasileiros a optarem por ela?”

A caderneta ainda oferece a muitas pessoas a sensação de segurança e a praticidade das transações, já que podem ser feitas diretamente no caixa eletrônico. Mas os principais motivos de ainda ser tão popular são a alta concentração bancária do Brasil e a falta de conhecimento sobre outros investimentos igualmente seguros, práticos e que podem oferecer rentabilidade muito maior.

e-book tesouro direto

Conheça algumas alternativas ao rendimento da poupança

Os títulos de renda fixa vinculados à Selic ou ao CDI são as melhores alternativas para a reserva de imprevistos. Nesta modalidade, os riscos são muito menores quando comparados à renda variável, além disso, as operações também podem ser simples e práticas. Na renda fixa, o investidor pode comprar títulos públicos ou privados, obtendo lucro pelo pagamento de juros desses papéis.

Tesouro Direto: os títulos públicos contam com a garantia do Tesouro Nacional, logo, são considerados os investimentos mais seguros que o mercado pode oferecer. Além da segurança, o Tesouro Direto também é acessível para aplicações de pequenas quantias, com cotas de títulos negociadas a partir de R$ 30.

A rentabilidade do Tesouro Direto irá variar conforme o tipo de título. Basicamente, existem três diferentes categorias: os indexados ao Índice de Preço ao Consumidor (IPCA); os indexados à Selic; e os prefixados. Confira:

  1. Indexados ao IPCA: rendem uma taxa fixa de juros + o IPCA, logo, já garantem que o retorno sempre será superior à inflação, desde que o investidor mantenha o título até o vencimento.
  2. Indexados à Taxa Selic: rendem de acordo com a Selic, atualmente em 3,75%, mais uma taxa de juros fixa.
  3. Prefixados: pagam um percentual previamente acordado no momento da compra do título, e esta será a remuneração do investidor caso ele mantenha o investimento até o vencimento.

Certificados de Depósito Bancário (CDB): são títulos de dívida emitidos por bancos. Uma opção também segura e, no geral, oferece rentabilidade superior à da caderneta de poupança. O rendimento do CDB costuma estar atrelado à Taxa DI (CDI), rendendo uma porcentagem desse índice.

Para efeitos comparativos, a remuneração atual da poupança é de aproximadamente 70% do CDI. Por isso, uma boa dica é optar por CDBs que ofereçam rendimento a partir de 100% do CDI, de forma a assegurar um melhor desempenho em comparação à caderneta, uma vez que é preciso considerar o desconto do Imposto de Renda (IR).

A cobrança do IR é regressiva, ou seja, quanto mais tempo você deixar o seu dinheiro sem movimentação, menor o valor a ser pago.

Fundos de Renda Fixa: são compostos por diferentes investidores (cotistas) e mantêm 80% das aplicações em renda fixa, que podem ser títulos do Tesouro Direto, CDBs, dentre outros. Os fundos são administrados por um profissional do mercado capacitado para tomar decisões técnicas e gerir o portfólio.

Assim, os fundos de renda fixa oferecem diversificação, gestão profissional e praticidade para o investidor por um baixo valor inicial de investimento. Mas para serem de fato uma boa opção à poupança, além de remunerarem pelo menos 100% do CDI, o fundo deve ter também uma taxa de administração baixa.

Como escolher a melhor opção

Agora você já sabe: há outras oportunidades tão seguras quanto a poupança e bem mais rentáveis. Para sair da poupança e experimentar ativos com rentabilidade maior, basta abrir uma conta em uma corretora de valores, como a Genial Investimentos.

Na Genial, a abertura de conta é gratuita e os clientes têm acesso a assessores de investimento, que sanam dúvidas e traçam estratégias seguras e adequadas de aplicação para cada planejamento financeiro.

Aprenda a cuidar melhor do seu dinheiro e garanta um futuro mais tranquilo para você e sua família. Venha hoje mesmo ser Genial!

Abra sua conta na Genial Investimentos!

Publicado por Genial Investimentos

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *