Boa parte das empresas costuma buscar crédito para financiar seus projetos ou ajudar em sua situação financeira. Para tanto, é comum que o foco esteja em alternativas que não aumentem tanto o endividamento do negócio.

Uma das opções disponíveis são os títulos de crédito privado conhecidos como debêntures e que podem ser emitidos desde 1976. Para os negócios, essas aplicações ajudam a viabilizar diversos planos. Porém, do ponto de vista do investidor, será que vale a pena investir em debêntures?

Para entender como essa alternativa funciona e se é interessante investir nela, continue a leitura e esclareça as suas dúvidas.

Confira!

O que são debêntures?

A debênture é um valor mobiliário emitido por empresas e que representa uma dívida. Por ser uma aplicação de renda fixa, ela garante aos investidores o direito de crédito contra a companhia emissora, já que ela funciona como um empréstimo.

Assim, o investidor se torna um credor da companhia, tendo o direito de receber o valor investido mais uma remuneração no prazo de vencimento.

Ademais, a debênture é um instrumento que serve para um empreendimento captar recursos no mercado de capitais e financiar suas atividades. Então as empresas podem emitir esse título com objetivos variados, como compra de matéria-prima, reformas, troca de maquinários, expansão e outras possibilidades.

Para a companhia, a emissão de debêntures é uma forma de gerenciar melhor as suas dívidas. Afinal, a organização pode utilizar o capital levantado na venda desses títulos para quitar débitos que apresentam juros maiores do que aqueles que serão pagos aos compradores das debêntures.

Vale saber que essa modalidade de investimento surgiu a partir da Lei n.º 6404, de 1976, também chamada de Lei das Sociedades Anônimas. Ela foi criada com o objetivo de gerar liberdade e autonomia para as empresas emissoras em busca de financiamento.

Ao emitir uma debênture, a companhia tem a possibilidade de determinar as condições de pagamento, bem como o vencimento do título. Essa flexibilidade permite que as parcelas de amortização do empréstimo e a rentabilidade oferecida ao credor se ajustem ao fluxo de caixa da empresa.

Além disso, as debêntures são uma forma de driblar os altos custos previstos pelos bancos em caso de empréstimos e financiamentos. Por isso, ela é uma modalidade que costuma ser interessante para as companhias controlarem melhor suas dívidas.

Como esse investimento funciona?

Além de saber o que são as debêntures, é importante entender como é o funcionamento dessa aplicação. Desse modo, você pode verificar se vale a pena investir nessa alternativa.

A seguir, confira quais são os principais pontos para ter atenção!

Rentabilidade

Para começar, é fundamental compreender a rentabilidade desse título. Assim como as demais aplicações de renda fixa, as debêntures podem ter os seguintes rendimentos:

  • prefixado: segue uma taxa fixa definida previamente, desde que o investimento seja resgatado apenas no vencimento;
  • pós-fixado: acompanha as variações de um índice de referência do mercado — em geral, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI);
  • híbrido: além de uma taxa fixa, esse tipo segue um índice de referência do mercado. O mais comum é que o indicador seja o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Vencimento e carência

O vencimento é o prazo máximo em que o dinheiro pode ficar investido. Nessa data, o investidor recebe o capital junto ao rendimento combinado. No caso das debêntures, é comum que elas tenham prazo de, pelo menos, 2 anos para o resgate. Também é possível encontrar títulos com outros períodos, como 5 ou 7 anos.

Em relação à carência, ela é o período mínimo no qual o capital precisa ficar investido antes do resgate. Durante esse período, o investidor não pode pedir o resgate antecipado, mesmo que ele queira assumir um eventual prejuízo.

Liquidez

A liquidez se relaciona à velocidade e à facilidade de converter um investimento em dinheiro novamente. Nas debêntures, a liquidez costuma ser baixa, já que as empresas precisam do dinheiro para financiar seus projetos.

Nessas situações, você precisa negociar o título no mercado secundário se quiser se desfazer dele antes do vencimento. Nesse caso, vale saber que não há como garantir o pagamento do rendimento combinado no momento da alocação.

Afinal, alguns títulos sofrem a marcação a mercado, que define o preço praticado no momento do resgate antecipado. Com isso, mesmo que o investimento seja de renda fixa, podem ocorrer prejuízos financeiros se houver o resgate antecipado.

Aporte mínimo

O aporte mínimo de uma debênture, que é o menor valor para investir no título, pode variar de mil a milhões de reais, por exemplo. Dessa maneira, há títulos para investidores de todos os portes financeiros.

No entanto, é importante saber que algumas debêntures são exclusivas para investidores qualificados. Ou seja, para pessoas que detêm, no mínimo, R$ 1 milhão investido em próprio nome ou certificação profissional do mercado financeiro.

Quais são os principais tipos de debêntures?

Você sabia que existe mais de um tipo de debêntures? As classificações variam conforme características específicas e regras em relação às tributações. Por isso, é essencial conhecer cada uma delas.

Na sequência, veja os tipos de debêntures em relação à forma como a remuneração é paga ao investidor:

  • simples ou não conversíveis: o resgate é feito em dinheiro;
  • conversíveis: a empresa pode pagar os títulos em ações da companhia;
  • permutáveis: permite que a organização pague o investidor em ações de outras companhias.

Como você viu, as debêntures também podem ser classificadas conforme a sua tributação. Isso porque algumas delas podem ser isentas de Imposto de Renda (IR) por fomentar o desenvolvimento do país.

Nesse caso, as empresas emitem debêntures incentivadas para financiar as suas atividades de infraestrutura no Brasil. Contudo, esses títulos só podem ser do tipo não conversíveis.

Ainda, há as debêntures comuns, que são aquelas emitidas para financiar planos que não estão relacionados à infraestrutura do país. Dessa maneira, elas não oferecem isenção de IR e podem ser simples, conversíveis ou permutáveis.

Quais são os custos para realizar esse investimento?

Além de conhecer as condições das debêntures, é fundamental entender os custos para realizar esses investimentos. Com essas informações, é possível analisar se vale a pena ter esses títulos na carteira.

Como você aprendeu, existem as debêntures isentas de IR e aquelas em que o imposto incide sobre os rendimentos. No segundo caso, a alíquota varia conforme o tempo de aplicação, de acordo com a tabela regressiva. Funciona da seguinte forma:

  • até 180 dias: 22,5%;
  • de 181 a 360 dias: 20%;
  • de 361 a 720 dias: 17,5%;
  • acima de 720 dias: 15%.

Ademais, é preciso se certificar sobre outras taxas que podem ser cobradas pelas instituições que negociam os títulos, como a taxa de corretagem. No geral, custos como esses podem variar de acordo com a corretora.

Na Genial Investimentos, entretanto, você não precisa se preocupar, pois oferecemos taxa de corretagem zero para aplicações de renda fixa e diversas outras oportunidades do mercado.

Vale a pena investir nessa alternativa?

Até o momento, você concluiu que a emissão de debêntures é vantajosa para as empresas. Agora, é fundamental entender se essa é uma boa alternativa para o investidor. Na prática, a resposta para essa questão é singular e depende de diversos fatores individuais.

Portanto, somente ao analisar as suas características é possível entender se vale a pena investir em debêntures. Entre os pontos que devem ser observados, estão o perfil de investidor, os objetivos financeiros e o horizonte de investimentos.

No processo de avaliação, é imprescindível conhecer as vantagens e as desvantagens desse título. Isso pode ajudar a analisar se essas aplicações se alinham à sua estratégia.

Na sequência, confira as vantagens e as desvantagens das debêntures!

Vantagens

A principal vantagem das debêntures é a sua remuneração, que pode superar o rendimento oferecido por outras aplicações de renda fixa em condições semelhantes. Isso ocorre porque elas oferecem maiores riscos ao investidor, que são compensados com taxas mais atrativas.

Em contrapartida, ao comparar as debêntures com os ativos de renda variável, os riscos delas costumam ser menores por serem títulos de renda fixa. Afinal, você conhece previamente a lógica de remuneração, ao contrário do que acontece com as alternativas da renda variável.

Além disso, vale considerar que as debêntures podem ser uma alternativa para diversificar a carteira de investimentos. Essa estratégia é especialmente interessante para quem deseja ter uma boa rentabilidade sem encarar o risco de sofrer grandes prejuízos.

Com ela, você pode distribuir o patrimônio em investimentos com diferentes riscos. Com isso, o ganho de um investimento pode compensar eventuais prejuízos de outro ativo.

Desvantagens

Diferentemente de outros investimentos de renda fixa, as debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) em caso de falência da companhia. Dessa maneira, a principal desvantagem dessa aplicação é o risco de crédito, ou seja, de a empresa não pagar o valor combinado.

No entanto, esse risco pode ser amenizado ao avaliar o rating da companhia. Essa é uma nota concedida por agências avaliadoras com objetivo de definir o grau de risco do investimento. Desse modo, você tem uma base para analisar o risco de crédito da companhia emissora da debênture.

Também é possível mitigar o risco de crédito ao buscar debêntures com garantias, por exemplo. Elas podem oferecer prioridade no recebimento dos valores em relação a outros credores, o que pode ajudar a trazer mais segurança para o investimento.

Como investir em debêntures?

Após compreender se vale a pena incluir as debêntures na sua estratégia de investimentos, é importante saber como investir nesses títulos. Assim, você poderá aplicar seus recursos, caso isso faça sentido para você.

A seguir, veja quais etapas considerar para fazer esse investimento!

Considere seu perfil de investidor e objetivos financeiros

Antes de tomar qualquer decisão de investimento é essencial começar avaliando seu perfil de investidor. Para isso, você pode abrir uma conta em uma corretora de valores e realizar o teste de suitability ou Avaliação de Perfil de Investidor (API).

Essa etapa está relacionada aos riscos que você está disposto a correr. Com a identificação do seu perfil, há como minimizar as chances de investir em alternativas que apresentem riscos para as quais você não está preparado.

Também é preciso considerar os seus objetivos financeiros, que são as metas que você pretende atingir com o dinheiro investido. Desse modo, será mais fácil alinhar os prazos de vencimento da debênture com a data que você planeja resgatar o capital somado aos juros.

Ao verificar esses fatores antes de investir, você reduz o risco de perder dinheiro ao realizar resgates antecipados e pode aproveitar rentabilidades maiores nos objetivos de longo prazo.

Analise as condições das debêntures

O próximo passo é avaliar se as debêntures são alternativas adequadas para a sua estratégia de investimentos. Considere, principalmente, o prazo, a carência, a liquidez e a rentabilidade.

Outra dica é comparar as condições das debêntures incentivadas e das debêntures comuns. Isso porque, mesmo pagando imposto, a primeira pode ter condições mais atraentes que a segunda, dependendo das taxas de remuneração e de outras características.

Ao escolher uma debênture, estude a situação financeira da empresa emissora e leia o prospecto da oferta das debêntures Como você aprendeu, esse título apresenta o risco de crédito e é preciso analisar as chances de a emissora não realizar o pagamento combinado.

Abra sua conta em uma corretora de valores

Para investir nesse título, é fundamental procurar uma corretora de valores que negocie debêntures. Nesse sentido, vale a pena saber que a Genial Investimentos disponibiliza debêntures e diversos outros títulos de renda fixa, além de oportunidades da renda variável.

De modo geral, as debêntures são fáceis de comprar, mesmo para os pequenos investidores, já que é possível realizar as aplicações diretamente na plataforma da corretora. Depois, acompanhe o desempenho do seu investimento para manter a estratégia alinhada com as suas necessidades.

Neste post, você descobriu o que são debêntures e se vale a pena investir alternativas como essas. Essas informações podem ajudá-lo a analisar esses títulos, a fim de entender se as condições da aplicação são adequadas para o seu perfil e objetivos financeiros.

Ficou interessado em investir em debêntures? Se você quiser saber mais sobre esse tipo de investimento para começar a aplicar, abra sua conta gratuita na Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book de Renda Fixa

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!