As empresas estão sempre em busca de formas alternativas para se financiar, principalmente, opções que não custem caro para elas. Isto é, opções nas quais as contrapartidas, como os juros para a geração da dívida, não sejam altas. 

Por isso, desde 1976, as companhias brasileiras contam com a opção de emitir debêntures para viabilizar projetos que resultem no crescimento do negócio. Mas diferente de pegar um empréstimo no banco, essa emissão favorece não só a companhia, mas também a um número maior de investidores.

Abaixo, você vai entender o que são debêntures e vai descobrir se vale ou não a pena investir nesse tipo de produto financeiro. 

O que são debêntures?

A debênture é um valor mobiliário emitido por empresas que representa um dívida. Esse papel assegura aos seus detentores o direito de crédito contra a companhia emissora. É um instrumento de captação de recursos no mercado de capitais para financiar um empreendimento. É uma forma também de melhor gerenciar dívidas corporativas.

Dessa forma, o comprador torna-se um credor dessa empresa, com direito a uma remuneração no vencimento do prazo do título. Em outras palavras: debênture é um título de crédito privado em que os debenturistas são credores da empresa e recebem juros periódicos.

As debêntures são títulos de renda fixa que funcionam de forma semelhante aos CDBs, que são títulos de dívida emitidos pelos bancos com a mesma finalidade de gerar fluxo de caixa e movimentar recursos para outros projetos.

Essa modalidade de investimento surgiu a partir da Lei nº 6404, de 1976, também chamada de Lei das Sociedades Anônimas. Além de fugir dos custos muitas vezes altos demandados pelos bancos em caso de empréstimos, a liberdade e autonomia das debêntures são os principais fatores que fazem as empresas optarem por esse tipo de financiamento.

Ao emitir uma debênture, a companhia tem a possibilidade de determinar as condições de pagamento, bem como o vencimento. Essa flexibilidade permite que as parcelas de amortização do empréstimo e a rentabilidade oferecida ao credor se ajustem ao fluxo de caixa da companhia. Por isso é uma ótima alternativa para controlar melhor suas dívidas.

Investir em debêntures é vantajoso?

Até o momento você pôde concluir que a emissão de debêntures é algo vantajoso para as empresas. Mas e para o investidor; é uma boa opção aplicar em debêntures? A resposta é sim.

Em geral, a remuneração oferecida pelas debêntures supera a oferecida por outras aplicações de renda fixa com prazo de vencimento parecido. Isso tem a ver, é claro, com os riscos envolvidos nesse tipo de investimento. Vale lembrar que, diferentemente de outros investimentos de renda fixa, as debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) em caso de falência da companhia. Por isso, as debêntures são consideradas investimentos de maior risco.

Mas exatamente por ser um investimento de renda fixa, ou seja, um ativo no qual a remuneração e o prazo são definidos no momento da contratação, os riscos são menores do que os envolvidos nos produtos de renda variável, o que torna as debêntures um bom investimento para uma pessoa com perfil moderado.

Outro benefício para quem investe é a possibilidade de diversificação da sua carteira de ativos. É sempre bom lembrar: para quem deseja ter uma boa rentabilidade sem grandes prejuízos, praticar a máxima de “não colocar todos os ovos na mesma cesta” é fundamental. Isto é, distribuindo seu dinheiro em diversos tipos de investimentos, a depender do seu perfil de investidor, você consegue que o ganho de uma aplicação compense o eventual prejuízo de outra.

O investimento mínimo em uma debênture pode variar de R$ 1000 a milhões de reais. Ou seja, há títulos para investidores de todos os portes financeiros, para todo tipo de pessoa. Algumas emissões são exclusivas para investidores qualificados, que detêm, no mínimo, um milhão de reais em aplicações financeiras, enquanto outras são direcionadas ao público em geral.

As debêntures podem ter remuneração balizada por diversos indicadores. O indexador mais comum é a DI, taxa com rendimento diário cujo valor sempre fica próximo à taxa Selic. Mas também há debêntures podem ser remuneradas de acordo com o  DI+spread, ou seja, a taxa DI acrescida de um valor a ser informado pela empresa emissora de debêntures. Outros indicadores menos comuns são o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), o índice oficial que mede a inflação e o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), que também afere a inflação e é usado para corrigir os contratos de aluguel.

Para quem tem interesse em investir em debêntures, primeiramente, é importante descobrir o seu perfil de risco. Bancos, corretoras e plataformas de investimento possuem questionários que podem facilitar essa descoberta e esses solicitam que você atualize as informações periodicamente. A partir disso, são feitas as indicações do produto financeiro mais adequado para você e para seus objetivos.

Como investir em debêntures

A Anbima, associação que representa as empresas do mercado de capitais, sugere que você comece avaliando seu perfil de investidor e os objetivos que tem para o dinheiro que pretende aplicar.

O próximo passo é avaliar se as debêntures são alternativas adequadas. Considere principalmente o prazo de investimento, o risco de crédito e a rentabilidade. Saiba que muitos tipos de debêntures envolvem cobrança de Imposto de Renda, com exceção das chamadas debêntures incentivadas (cuja captação é destinada para projetos de infraestrutura). 

É fundamental procurar uma instituição financeira, como uma corretora de valores, que negocie debêntures. A máxima de comparar os custos (taxas de negociação e custódia) antes de decidir pela instituição financeira também é muito importante.

Ao escolher uma debênture, estude a situação financeira da empresa emissora. Certifique-se de todas as condições lendo a escritura da emissão e o prospecto da oferta das debêntures. Depois de investir, acompanhe suas debêntures por meio das informações prestadas pela empresa emissora e pelo agente fiduciário.

De modo geral, debêntures são fáceis de comprar, mesmo pelos pequenos investidores. Vários bancos e plataformas de investimento, como a Genial Investimentos vendem esse tipo de produto.

Ficou interessado em investir em debêntures? A Genial Investimentos disponibiliza aplicações em diversos títulos de renda fixa, como as debêntures. Se você quiser saber mais sobre esse tipo de investimento para começar a aplicar já, abra sua conta gratuita na Genial. 

abra sua conta

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *