Segundo pesquisa recente da Anbima, 88% dos brasileiros ainda persistem em investir na poupança. A caderneta, de fato, é um sucesso quando o assunto é dinheiro no Brasil. Ela existe há mais de 100 anos, tendo sido criada ainda na época do Império, em 1861, junto com a Caixa Econômica Federal. Realmente, ela é bastante antiga e tradicional.

Mas nem toda a tradição precisa ser regra, afinal, a poupança hoje é uma aplicação conservadora que rende muito pouco em comparação a uma gama de investimentos da mesma categoria que são muito mais vantajosos.

Por que os brasileiros ainda insistem em investir na poupança?

Você tem dinheiro guardado na conta-corrente e não sabe qual a melhor forma e a mais segura de ver ele crescer? Saiba que você não está sozinho. Milhões de brasileiros têm a mesma dúvida e se perguntam: afinal, ainda vale a pena investir na poupança? A pergunta que não quer calar tem muito mais a ver com a descoberta de novos investimentos do que, de fato, uma comparação.

O mercado financeiro cresceu muito por causa da desbancarização. As corretoras e plataformas de investimento surgiram cada vez mais e estão oferecendo investimentos muito mais rentáveis do que os oferecidos pelos bancos, que priorizam a poupança em muitos casos.

Mas por que tanta gente ainda opta por investir na poupança, que apresenta baixo rendimento comparado aos títulos públicos do Tesouro Direto e a outros títulos de renda fixa?

Há duas possíveis hipóteses: desconhecimento de outros produtos e conservadorismo extremo na hora de investir. Por isso, é fácil entender que, naturalmente, o brasileiro escolha a opção mais conservadora, conhecida, tradicional e, além de tudo, praticamente sem riscos de perder dinheiro.

A poupança tem quatro vantagens que vão além da tradição e fazem os brasileiros escolherem a caderneta: liquidez, segurança, facilidade e isenção de Imposto de Renda. Repare que em nenhum momento citamos rentabilidade, já que a poupança, em muitos anos, esteve abaixo da inflação, o que fez o brasileiro perder dinheiro.

Desmistificando a caderneta

Como mencionamos anteriormente, há quatro vantagens que, aos olhos da maioria dos brasileiros, fazem da poupança uma aplicação imbatível. Mas, aqui, nosso dever é mostrar os mitos da poupança e como há outros investimentos que têm praticamente as mesmas características e são mais rentáveis.

1) Mito da liquidez

Ao investir, 77% das pessoas levam em consideração a liquidez de uma aplicação financeira – possibilidade de resgatar o valor a qualquer hora. E a caderneta realmente tem ótima liquidez, pois é possível ter o dinheiro à disposição imediatamente.

No entanto, é importante lembrar que essa liquidez não leva em conta a rentabilidade, já que o rendimento só é válido na poupança quando esta completa o seu aniversário mensal. Por isso, há uma liquidez artificial. Em outras palavras, você pode ter o dinheiro investido a qualquer momento, no entanto, a rentabilidade no mês só conta quando vira o mês.

E já há investimentos no mercado, como os CDBs de liquidez diária, que têm a mesma liquidez da poupança e rendem todos os dias. Portanto, esse é um grande mito que as pessoas ainda acreditam.

2) Mito de investimento mais seguro

A poupança realmente é um investimento muito seguro. No entanto, os títulos públicos do Tesouro Direto ultrapassam a caderneta nesse quesito, já que quem emite esses papéis é o próprio Governo Federal, considerado o melhor pagador do mercado.

E, caso você não queira investir no Tesouro, é possível encontrar investimentos com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), a mesma segurança da poupança.

3) Mito da facilidade ímpar de investir na poupança

Esse argumento de poupadores que são pró-poupança é facilmente derrubado, pois o que mais se encontra hoje no mercado financeiro é facilidade para investir.

As plataformas são todas digitais, então com apenas um toque no celular ou computador é possível investir em praticamente qualquer ativo, principalmente nos mais conservadores.

4) Mito da falta de isenção de IR em investimentos conservadores

Nem o fato de a poupança ser isenta de Imposto de Renda é uma característica única. Há investimentos de renda fixa e com a mesma segurança da poupança que oferecem isenção de IR, como as emissões bancárias LCIs e LCAs.

Ficou convencido de que a poupança não é um grande investimento? Então, saia dessa e comece a investir no que realmente vale a pena. Abra a sua conta na Genial Investimentos e encontre a melhor opção para você!

abra sua conta
Leonardo Pinto

Leonardo Pinto

Leonardo é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, com passagens por grandes veículos da imprensa brasileira, como TV Cultura, Veja e Estadão. Especializou-se em jornalismo econômico, com aprovação pela FGV, no curso de trainee promovido pelo Grupo Estado.

Deixar um comentário

Bitnami