O grande diferencial dos investimentos em renda fixa em relação aos de renda variável é o fato de ser possível estimar o comportamento dos ativos, ou seja, nessa modalidade de aplicação, a rentabilidade ocorre dentro das expectativas.

Um dos investimentos mais populares dessa categoria é o Tesouro Direto, que oferece títulos com diferentes alternativas para o investidor. É possível escolher entre os títulos Prefixados (Tesouro Prefixado), Pós-fixados (Tesouro Selic), e híbridos (Tesouro IPCA+). Para examinar diferentes cenários, vamos simular os resultados do investimento de R$ 1 milhão em cada um deles.

Tesouro Prefixado

Nos títulos prefixados, a rentabilidade é determinada no ato da compra do ativo. Isso significa que, investindo no Tesouro Prefixado, você sabe quanto receberá na data de vencimento.

Dessa forma, aplicando o montante de R$ 1 milhão no Tesouro prefixado 2025, de acordo com o Simulador do Tesouro Direto, teremos um total de R$ 1.350.667,93, o que significa uma rentabilidade de R$ 350.667,93 em seis anos.

Analisemos agora a possibilidade de fazer a aplicação desse dinheiro em outros títulos para avaliar o desempenho do investimento em momentos diferentes. Imaginando uma rentabilidade definida de 8,05% ao ano, com o mesmo milhão, em 12 meses teríamos R$ 1.071.670,71, o que representaria uma rentabilidade de R$ 71.670,71 para o investidor.

Com mais tempo de aplicação, ou seja, fazendo com que esse mesmo aporte renda mais tempo sob o efeito de juros compostos, teremos, em 24 meses, o valor de R$ 1.154.312,99, rendendo R$ 154.312,99.

Utilizando como referência um período de longo prazo, de 360 meses, por exemplo, imaginando que a ideia do investidor seja fazer uso do dinheiro para a aposentadoria, chegaríamos aos R$ 10.881.788,02, com a aplicação rendendo R$ 9.881.788,02. Nesse cenário, seu montante praticamente foi multiplicado por dez.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título cuja rentabilidade é atrelada ao comportamento da taxa Selic. Essa é a taxa básica de juros praticada no Brasil, ou seja, ela é determinada pelo Copom em função de uma série de fatores.

Ainda segundo o Simulador do Tesouro Direto, investindo R$ 1 milhão no Tesouro Selic 2025, chegaríamos a R$ 1.379.699,76, com uma rentabilidade líquida de R$ 379.699,76.

Dessa forma, estimando uma rentabilidade de 6,50% ao ano, no período de 12 meses, teríamos R$ 1.050.252,80, com uma rentabilidade de R$ 50.252,80 sobre o investimento inicial.

Dobrando esse tempo, mas com o mesmo valor aplicado, ou seja, com R$ 1 milhão em 24 meses, teríamos R$ 1.106.852,20, o que faz com que a rentabilidade seja de R$ 106.852,20.

Em 360 meses, o montante chegaria a R$ 5.331.757,63, rendendo R$ 4.331.757,63 ao longo de 30 anos.

Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+  funciona com uma taxa prefixada e o cliente também recebe o acréscimo da variação acumulada da inflação durante o período contratado. Ou seja, é um investimento que jamais poderá ser menor que a inflação, portanto, quem investe nunca perderá poder de compra.

Para seguir a nossa simulação, podemos considerar o investimento de R$ 1 milhão no IPCA+ 2024, o que nos traria um montante final de R$ 1.319.747,52 e rentabilidade de R$ 319.747,52.

Assim, imaginando um índice de 3% ao ano, podemos estimar que em 12 meses, R$ 1 milhão aplicados cheguem a R$ 1.060.426,31, rendendo R$ 60.426,31 para o investidor.

Em 24 meses de aplicação, seguindo essa mesma referência, teríamos R$ 1.129.253,22, rendendo R$ 129.253,22.

Em 360 meses, o Tesouro IPCA+ acumularia um montante de R$ 7.491.263,85, o que, na prática, para o investidor, significa um ganho de R$ 6.491.263,85.

Qual título do Tesouro Direto escolher?

Cada opção apresenta um diferencial dentro do Tesouro Direto. O mais importante é o investidor observar esses fatores ao fazer a sua escolha.

O Tesouro Selic, embora apresente uma rentabilidade inferior às demais opções do Tesouro no longo prazo, aparece como uma alternativa viável em relação à poupança, uma vez que tem liquidez diária, ou seja, você não sai no prejuízo se precisar resgatar seu dinheiro antes do vencimento do título. Por isso ele costuma ser indicado para a formação de uma reserva de emergência.

Já o Tesouro IPCA+ oferece maiores garantias para o investidor de que o seu dinheiro não perderá poder de compra mesmo com o passar dos anos. Como ele está atrelado à inflação, ainda que ela aumente, haverá a chamada rentabilidade real em seu montante.

O Tesouro Prefixado se diferencia por dar ao investidor maior certeza em relação à rentabilidade. Como ele tem a taxa de juros previamente definida na compra do título, esse investimento é mais indicado para quem não necessita complementar a renda de imediato e pode deixar o dinheiro aplicado.

Vale destacar que é possível investir em todas as opções ao mesmo tempo para diversificar seus ativos.

Como funciona o Tesouro Direto na prática

O governo brasileiro faz empréstimos para financiar atividades relacionadas à educação, saúde, infraestrutura, entre outras. Quando você adquire um desses papéis ou uma fração deles, está emprestando dinheiro ao governo para que ele capte recursos para executar seus projetos. Em troca você recebe o dinheiro investido acrescido de juros.

Esse retorno pode se dar de formas diferentes, como visto, de acordo com a taxa Selic, seguindo o índice IPCA+ ou de maneira previamente fixada.

e-book tesouro direto

Por que trocar a Poupança pelo Tesouro Direto?

A Caderneta de Poupança costuma render menos que o Tesouro Direto, principalmente a longo prazo. Isso porque ela não oferece mecanismos de proteção à perda de poder de compra do investidor. É o contrário do que ocorre no IPCA+, por exemplo, como já explicamos.

Além disso, em relação à segurança, o Tesouro Direto também é mais interessante. A Poupança é garantida pelo Fundo Garantidor de Crédito, conhecido como FGC, no valor máximo de R$ 250 mil. Isso significa que, caso você deixe R$ 1 milhão na sua conta, esse fundo protege apenas parte do seu dinheiro, não importa o que aconteça. Assim, você perderia R$ 750 mil em caso de calote do banco.

Já no Tesouro Direto, como ele é garantido pelo governo brasileiro, a proteção é integral e ainda existe a vantagem de o governo poder emitir moeda, o que significa que as possibilidades de você não receber o seu dinheiro são significativamente menores.

De maneira geral, o Tesouro Direto tem se apresentado como uma das melhores opções em termos de renda fixa, seja para quem quer depositar pouco ou muito dinheiro. Quer conhecer outras alternativas? Então conheça o CDB e saiba como ele também pode render mais do que a Poupança.  Para ter acesso aos melhores investimentos, abra uma conta na Genial e comece a dar valor a seu dinheiro!

abra sua conta

 

Publicado por Leonardo Pinto

Leonardo é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, com passagens por grandes veículos da imprensa brasileira, como TV Cultura, Veja e Estadão. Especializou-se em jornalismo econômico, com aprovação pela FGV, no curso de trainee promovido pelo Grupo Estado.

Contentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *