No mercado brasileiro, as ações da Vale costumam aparecer entre as mais negociadas. No geral, elas chamam a atenção tanto de investidores com foco no longo prazo quanto de especuladores. Mas você sabe quais são os motivos que colaboram para a popularidade desses papéis?

Existem diversos fatores que contribuem para o interesse do mercado — que vão desde o porte da empresa até o potencial de alcançar resultados. Desse modo, vale a pena explorar as principais características para avaliar se ele vale a pena para sua carteira de investimentos.

Neste conteúdo, nós, da Genial Investimentos, separamos as informações mais relevantes sobre a companhia. Com a leitura, você saberá a história Vale e verá como analisar se vale a pena incluir as ações da empresa na sua estratégia.

Acompanhe!

O que é o setor de mineração?

Antes de compreender mais sobre a Vale, é interessante entender mais sobre o setor de mineração. Afinal, ele é um dos mais relevantes para o funcionamento de todo o comércio global.

A mineração representa o ato de extrair minérios naturais para comercialização na forma de commodities. O minério de ferro é um desses exemplos, visto que ele é usado como matéria-prima em diversas indústrias ao redor do mundo.

Nesse sentido, uma empresa que atua com mineração faz a extração dos minérios para comercializá-los no mercado — geralmente, exportando para outros países, como a China. Além do minério de ferro, existem outras commodities nesse setor.

Com essas características, você pode perceber que o setor de mineração cumpre um papel relevante na política internacional. Além disso, ele pode influenciar as decisões econômicas de países relevantes na produção e negociação de commodities, como o Brasil.

Qual o cenário desse segmento no Brasil?

Como você viu, o setor de mineração é um dos mais relevantes globalmente na produção de commodities. Em vista disso, as empresas atuantes no setor têm um papel de destaque na economia do Brasil — que é referência na exportação de diversas matérias-primas.

Apenas em 2021, mesmo diante de todo o cenário de incertezas internacionais, o setor aumentou o seu faturamento em 62%. Foram mais de 300 bilhões de reais movimentados pelas empresas brasileiras no ano.

Ainda, com a retomada do comércio internacional, os números do setor podem continuar em uma crescente. Isso acontece porque a demanda por commodities, como o próprio minério de ferro, pode continuar aquecida nesse momento econômico.

No entanto, também existem desafios relevantes para as empresas do setor no mercado brasileiro. O principal deles se relaciona aos impactos negativos que a prática da mineração pode causar ao meio ambiente.

Existem diversos riscos envolvidos com a atividade, como a contaminação do solo e o assoreamento de rios. Logo, rever as práticas adotadas buscando formas de minimizar os impactos ambientais é uma das principais dificuldades para empresas brasileiras e internacionais que exploram minérios.

Qual a história da Vale?

Agora que você entendeu as características mais relevantes de um dos setores mais relevantes da economia brasileira, vale a pena conhecer uma das empresas líderes no Brasil: a Vale. Confira a história da companhia!

Surgimento

A Vale é uma multinacional brasileira com expertise na exploração e comercialização de commodities, em especial o minério de ferro. Ela foi fundada em Minas Gerais como uma empresa estatal, em 1942, sob o governo de Getúlio Vargas.

Chamada de Companhia do Vale do Rio Doce após sua fundação, ela rapidamente ganhou destaque internacional em seu mercado. Assim, além de ser a principal mineradora brasileira, ela passou a ser uma das maiores empresas do mundo no mercado.

O objetivo por trás da criação da empresa era explorar o potencial das reservas de minério vistas, especialmente, em Minas Gerais — que, até então, eram alvo de grandes discussões.

Durante os primeiros anos, a companhia se concentrou em fornecer matéria-prima para siderúrgicas nacionais. Foi a partir dos anos de 1950 que a Companhia do Vale do Rio Doce expandiu sua operação e passou a explorar novos mercados, internacionalizando a marca.

Durante as décadas seguintes, a empresa assumiu a liderança global na exportação do minério de ferro. Inicialmente constituída como uma empresa estatal, a Vale negocia suas ações na bolsa de valores desde os anos 1960.

No entanto, mesmo com a abertura de capital, o Governo Federal continuou ocupando o posto de controlador até a privatização da companhia.

Privatização

Apesar de ser uma das maiores empresas do Brasil, a Companhia do Vale do Rio Doce foi privatizada em 1997, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. A privatização integrou um processo de vendas de estatais visando a desinchar a máquina pública brasileira.

À época, o Governo vendeu o controle acionário da companhia por aproximadamente R$ 3,3 bilhões. Tanto a quantia envolvida na negociação quanto o processo de privatização foram alvo de grandes protestos no período.

A venda da Vale aconteceu por um leilão na bolsa de valores e o vencedor foi o Consórcio Brasil. Ele era liderado pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), privatizada anos antes, com participação de fundos de investimento e de pensão.

Poucos anos após sua privatização, a empresa demonstrou números significativos em termos de faturamento e lucro — consolidando sua posição como uma das principais companhias do país. Em 2007, ela passou a se chamar apenas Vale S.A.

Áreas de atuação

Até aqui, você já entendeu que a Vale é uma companhia com grande expertise na exploração e exportação do minério de ferro. Inclusive, ela é a principal referência global na comercialização dessa commodity.

Entretanto, a atuação da empresa não se limita a essa área. A Vale também opera com a exploração de outros minérios que são matérias-primas relevantes para indústrias, como manganês, alumínio, ferroliga e cobre.

Outra área forte de atuação da empresa é o setor de logística. Ela é responsável pela administração de uma rede complexa, integrando minas, ferrovias, navios e portos — inclusive em outros países —, facilitando o transporte das suas produções.

O setor de energia elétrica é mais uma área de foco da empresa. Além de contar com sistemas próprios de geração de energia, a Vale participa de consórcios internacionais focados na administração de usinas hidrelétricas.

Por último, a atuação da empresa também engloba a área de siderurgia. Ela faz parte de joint ventures explorando as oportunidades que o segmento oferece na economia brasileira e internacional.

Polêmicas

Além dos pontos que você entendeu, existe um elemento sobre a operação da Vale que merece destaque: as polêmicas da empresa. Isso porque ela esteve diretamente envolvida em duas das maiores tragédias ambientais do país.

O primeiro deles foi o desastre na cidade mineira de Mariana, em 2015. Uma barragem de rejeitos de mineração da Samarco — empresa que tem a Vale como uma de suas controladoras — rompeu, vitimando dezenas de pessoas e causando o maior desastre ambiental do país.

Em 2019, houve o rompimento de outra barragem em Minas Gerais, dessa vez na cidade de Brumadinho. A mina era controlada pela própria Vale e causou uma tragédia que vitimou mais de 200 pessoas. Com isso, o incidente foi um dos maiores desastres ao meio ambiente brasileiro.

Ambas as tragédias afetaram significativamente os resultados financeiros da Vale — gerando desvalorização e perdas de acionistas. Ainda, houve uma demanda significativa do mercado financeiro de respostas por parte da empresa.

Desde então, a Vale deu início a um trabalho de fortalecimento da sua marca perante o mercado e assumiu o compromisso de adotar ações com foco em evitar novos desastres.

O que é a VALE3?

Após aprender mais sobre a história da Vale e identificar os aspectos mais relevantes da sua trajetória, é interessante conhecer as suas ações. Na bolsa de valores do Brasil, a B3, elas são negociadas a partir do ticker VALE3.

O número 3 no final do código significa que os papéis são ordinários (ON), garantindo direito ao voto e participação nas assembleias aos acionistas. A empresa não conta com ações preferenciais (PN) em negociação na bolsa de valores.

Além disso, os papéis estão listados no segmento Novo Mercado da B3. Nele, estão as empresas de capital aberto que, voluntariamente, adotam as melhores práticas de governança corporativa e transparência.

Saiba também que a Vale é considerada uma blue chip. O termo é usado para designar as empresas de mais alta capitalização da bolsa de valores — normalmente, superando os US$ 10 bilhões.

As ações VALE3 também costumam estar entre os papéis mais relevantes da carteira teórica do Ibovespa (IBOV). Ele é o principal índice de ações da B3 e é tratado como termômetro para o mercado nacional.

Ademais, os papéis da Vale não são negociados apenas na bolsa de valores do Brasil. Os ativos da empresa estão listados na New York Stock Exchange (NYSE) e Latibex — bolsa de Madrid para alternativas latino-americanas.

Por que as ações da Vale são as mais buscadas da B3?

Entendeu o que é VALE3? Então confira os motivos que colaboram para as ações da empresa estarem entre as mais buscadas da bolsa de valores do Brasil!

Solidez da empresa

Primeiramente, a solidez da companhia é um dos fatores mais relevantes para o interesse crescente do mercado nas ações da empresa. Afinal, como você acompanhou, a Vale é uma das maiores empresas não apenas do Brasil, mas de todo o mundo.

Além disso, a Vale é uma empresa que já demonstrou força para responder à crise e cenários adversos. Isso pode ser exemplificado a partir das tragédias de Brumadinho e Mariana, em que ela conseguiu se recuperar após a desvalorização e crise institucional.

Outro ponto de destaque é que a Vale assumiu voluntariamente o compromisso de adotar boas práticas de governança para estar listada no Novo Mercado da B3. Logo, o cenário pode indicar que a empresa está empenhada em assegurar transparência perante os acionistas.

Liquidez das ações

A Vale também chama a atenção dos investidores pela alta liquidez das suas ações. No mercado financeiro, o conceito é referente à velocidade com que um investidor pode se desfazer das suas posições e transformar o investimento em dinheiro novamente.

Como a Vale é uma blue chip e uma das maiores empresas do mercado brasileiro, é natural que haja um alto interesse por ela na bolsa de valores. Portanto, isso gera uma alta liquidez, o que também é um dos motivos para posicionar a empresa entre as mais buscadas da B3.

Oportunidades no longo prazo

As ações da Vale também costumam ser buscadas por investidores com foco no longo prazo. Isto é, aqueles que consideram horizontes superiores a 5 anos para colher possíveis resultados positivos de suas movimentações no mercado financeiro.

Como você acompanhou, a Vale é uma das líderes mundiais no seu segmento de atuação. Ademais, ela opera em outras áreas relevantes significativas da economia. Logo, ela pode ter potencial de crescimento e, consequentemente, valorizar suas ações no futuro.

Outra oportunidade para investidores com foco no longo prazo se relaciona ao recebimento de renda passiva por meio de proventos — como dividendos ou juros sobre capital próprio (JCP). Historicamente, a Vale aparece na lista de melhores pagadoras da bolsa brasileira.

Contudo, lembre-se de que o investimento em renda variável não garante retornos. Então as informações passadas sobre distribuição de dividendos podem servir como projeção, mas não asseguram novos repasses.

Alternativa para especulação

Além das chances para investidores, as ações da Vale podem trazer oportunidades para quem quer especular no mercado financeiro. Afinal, apesar da solidez da empresa, seus papéis também sofrem com as oscilações no curto e curtíssimo prazo.

Nesse sentido, como a liquidez é alta e há interesse do mercado, traders podem aproveitar para operar com esses papéis. Dessa forma, eles podem encontrar boas perspectivas para assumir e se desfazer de posições rapidamente.

Como saber se vale a pena investir ou especular com VALE3?

Apesar das oportunidades que as ações podem oferecer, também existem riscos relacionados ao investimento na Vale. Portanto, independentemente do seu objetivo, existem pontos relevantes para você considerar e decidir se vale a pena negociar ações VALE3!

Saiba mais!

Investidores

Para quem deseja investir com foco no longo prazo, considerar o perfil de investidor e os objetivos financeiros é essencial. Afinal, dadas as características do ativo, o investimento na Vale pode ser adequado para aqueles de mais alta tolerância ao risco.

Além disso, as ações VALE3 costumam ser consideradas por investidores com foco em renda passiva. Isso acontece pelo fato de a empresa aparecer na lista de boas pagadoras de dividendos.

Nesse sentido, para avaliar se o investimento vale a pena para sua carteira, é pertinente analisar os indicadores fundamentalistas da empresa. Entre os exemplos relevantes para a sua análise, estão o dividend yield (DY) e preço sobre lucro (P/L).

Também pode ajudar na sua decisão encontrar o preço da ação sobre o valor patrimonial da ação (P/VPA). Ele representa a relação entre o preço alvo do papel e o patrimônio da empresa. Assim, você entenderá se a cotação de momento é justa, se está subvalorizada ou se está sobrevalorizada.

Porém, existem muitos outros indicadores que também podem ser considerados, já que eles fornecem informações importantes sobre a situação atual e as perspectivas da empresa. Ao avaliá-los em conjunto, você terá uma visão mais completa e realista sobre a companhia.

Traders

Já para os traders, em vez de fazer a análise fundamentalista, vale a pena usar a análise técnica para embasar a decisão. Ela consiste em um estudo de padrões gráficos e índices técnicos para entender o comportamento do mercado quanto ao ativo.

Ao identificar padrões, você avaliará se as ações da empresa estão em uma tendência de alta ou baixa e poderá assumir sua posição com base nessa leitura. Caso ela esteja correta, será possível consolidar ganhos.

Para controlar os riscos da operação, é pertinente avaliar o volume de negociações no intervalo. Desse modo, você terá mais dados para avaliar se a sua leitura condiz ou não com a realidade.

Também vale a pena usar mecanismos de automação, como stop gain e stop loss. Com eles, é possível fechar as posições automaticamente quando os ativos atingem certos preços. Assim, você pode evitar perdas maiores que a sua tolerância permite.

Quais são as outras blue chips da B3?

A Vale é uma das maiores empresas do Brasil e pode ser uma oportunidade para investidores e especuladores. Entretanto, há outras blue chips no Brasil que valem a pena que você conheça.

Saiba quais são as principais!

Ambev

A Ambev (ABEV3) é uma multinacional brasileira atuante no mercado de bebidas. Ela pertence ao grupo internacional Anheuser-Busch InBev (AB InBev), líder global no segmento e controla uma parcela significativa do mercado.

Ela foi fundada no Rio de Janeiro, em 1999, a partir da fusão entre Antarctica e Brahma — líderes do mercado brasileiro à época. A criação ocorreu pelas mãos dos empresários e investidores Jorge Paulo Lemann, Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira.

Desde então, a companhia deu início a um processo rápido de expansão, trazendo novas marcas nacionais e internacionais para o grupo. Em 2004, ela se fundiu com a belga Interbrew para criar a AB InBev.

Bradesco

O Bradesco (BBDC3 e BBDC4) é um banco privado brasileiro e um dos líderes no mercado de serviços bancários do país. Na bolsa brasileira, a instituição conta com ações ordinárias e preferenciais.

O banco foi fundado no interior paulista na década de 1940 e, durante os anos seguintes, deu início a um processo de expansão. O Bradesco atualmente está presente em todos os estados brasileiros e em quase todas as cidades do país.

Eletrobras

Assim como aconteceu com a Vale, a Eletrobras (ELET3 e ELET4) é uma empresa brasileira criada como estatal. A proposta era de Vargas, mas a fundação aconteceu no governo de Jânio Quadros. Ela era constituída como sociedade de economia mista, mas foi privatizada em 2022.

A Eletrobras é uma holding brasileira do setor de energia elétrica, operando com sua geração, transmissão e distribuição. Ela também é responsável por quase 1/3 da energia elétrica brasileira e atua em outros países da América Latina.

Itaú Unibanco

Outro banco privado considerado uma blue chip no Brasil é o Itaú Unibanco (ITUB3 e ITUB4). Ele surgiu após a fusão do Itaú com o Unibanco, em 2008, e se transformou em um dos maiores conglomerados do mercado financeiro do mundo.

Assim como o Bradesco, ele conta com ações ordinárias e preferenciais. Além de estar presente em quase todas as cidades do país, o Itaú Unibanco tem atuação internacional com serviços financeiros.

JBS

A JBS (JBSS3) é uma companhia brasileira atuante no agronegócio do país. Ela foi fundada nos anos de 1950, em Goiás, e tem expertise na pecuária — com carnes bovina, suína, ovina, de frango e de peixe. Ademais, ela trabalha com produtos “plant-based”.

A JBS é uma das líderes globais no mercado alimentício e tem forte atuação em outros países. Além disso, marcas como Seara, Friboi e Doriana fazem parte do conglomerado. Somando-se aos alimentos, a JBS atua nos mercados de biodiesel, higiene e limpeza.

Petrobras

Por fim, vale a pena conhecer a Petrobras (PETR3 e PETR4). Ela é uma sociedade de economia mista e tem o Governo Federal brasileiro como seu controlador e principal acionista. Assim como a Vale, ela foi fundada no governo de Getúlio Vargas.

A Petrobras é uma companhia que atua em quase todos os segmentos da exploração do petróleo e seus derivados. Ela opera, por exemplo, com exploração, produção, refino, comercialização e transporte do gás natural e do petróleo.

Como aproveitar as oportunidades com as ações da Vale?

Para finalizar a sua compreensão sobre a Vale, é interessante saber como aproveitar as oportunidades que ela pode trazer para a sua estratégia — seja investindo ou especulando. Se você identificar que existe alinhamento das ações com sua carteira e quiser negociar os papéis, escolha uma boa corretora de valores.

Priorize instituições sólidas e que ofereçam plataformas completas para as suas movimentações, como é o caso da Genial. Conosco, você tem acesso às principais soluções do mercado para investir ou fazer trade.

Para investir, por exemplo, você pode acessar o home broker e fazer todas as suas movimentações de maneira rápida e ágil. Já para especular, além do home broker, você tem outras ferramentas para auxiliar nas operações.

Ademais, você conta com atendimento 24 horas e ainda tem o suporte do time de analistas da Genial. Ou seja, há uma estrutura completa para ajudá-lo a realizar seus investimentos ou operações de curto prazo.

Como você acompanhou, as ações da Vale podem trazer oportunidades tanto para investidores quanto para especuladores. Portanto, avalie as características do ativo para identificar se eles apresentam alinhamento com sua estratégia no mercado financeiro. Quer contar com toda a estrutura da Genial Investimentos para suas movimentações? Então abra sua conta conosco!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!