Investir na renda variável é uma possibilidade para diversificar a carteira, rentabilizar seus recursos ou até fugir da queda de retorno da renda fixa. Entre as alternativas disponíveis, é importante saber como comprar ações na bolsa de valores. 

Com esses ativos, você pode se tornar sócio de companhias de capital aberto, tendo direito a participar de seus resultados. Porém, mais que pensar nos possíveis benefícios, é preciso conhecer o investimento e saber como deve ser a tomada de decisão. 

Para facilitar sua procura, nós, da Genial Investimentos, separamos as informações que você precisa conhecer sobre o mercado de ações. Confira! 

Por que investir em ações? 

Começar a investir em ações pode ser uma forma buscar fazer seu dinheiro render dinheiro acima da poupança e de títulos de renda fixa, por exemplo. Como esses investimentos são mais seguros que as ações, eles pressupõem uma rentabilidade limitada. 

No caso da bolsa de valores, o risco é mais elevado, principalmente no curto prazo. Nesse período, a oscilação nos preços é maior. Contudo, esse não deve ser um entrave. Na verdade, investir em ações pode ser uma oportunidade para muitos investidores, pois prevê o aumento do potencial de ganhos. 

Mesmo quem tem um perfil de investidor conversador pode recorrer às ações, já que elas são capazes de ajudar na diversificação da carteira. Assim, consegue ter papéis compondo uma pequena parte do seu portfólio – especialmente no longo prazo, mantendo, também, aplicações seguras de renda fixa. 

Contudo, a versatilidade faz com que as ações sejam mais adequadas à investidores moderados e arrojados, que estão dispostos a correr mais riscos. No caso, a proporção de alocação em ativos da bolsa pode ser maior. 

Mais um motivo para investir em ações é o pagamento dos dividendos e outros proventos. Eles são a divisão do lucro e dependem do bom desempenho da companhia. Assim, podem dar origem à uma renda passiva ao longo do tempo. 

Como comprar ações na bolsa de valores de forma direta? 

Na hora de fazer o investimento em ações, a principal possibilidade envolve o acesso direto. Ou seja, você comprará os papéis e se tornará acionista do negócio de interesse, podendo participar dos resultados. 

Nesse cenário, pessoas físicas podem investir diretamente em ações na bolsa desde que tenham conta em uma corretora de valores. Então tudo começa com a escolha de uma instituição financeira que atenda a critérios de atuação registrada, qualidade e estrutura. 

As ordens de compra e venda são enviadas pelo telefone ou pela internet, por meio do home broker. Essa é a plataforma na qual são feitas todas as operações de compra e venda das ações, com apoio da corretora. 

Instituições financeiras de qualidade, como a Genial, contam com uma equipe sólida que auxilia o investidor individual, além de assessorias vinculadas que atuam nas orientações acerca dos investimentos.  

Para tomar boas decisões de investimento, é preciso também dispor de algum conhecimento sobre o mercado de ações. Além disso, é necessário conhecer as de seu interesse empresas para reduzir os riscos atrelados. Também é importante entender termos e conceitos ligados ao investimento.  

Confira a seguir algumas informações importantes para quem deseja saber como comprar ações na bolsa de valores! 

Quais são os principais tipos de ações disponíveis? 

Na hora de comprar ações, é preciso estar atento ao fato de que há mais de um tipo de papel disponível no mercado. Há duas classificações principais: ações ordinárias e preferenciais. 

As ações ordinárias (ON) são identificadas pelo número 3 ao final do ticker, que é o código de negociação dos ativos na bolsa de valores. Elas dão poder de voto ao acionista para deliberar sobre decisões que podem impactar os resultados. 

Já as ações preferenciais (PN) podem ser identificadas pelo número 4 ao final do ticker. Elas não dão direito ao voto, mas oferecem preferência na distribuição de proventos, como o pagamento de dividendos. 

É possível investir simultaneamente em ações ordinárias e preferenciais da mesma empresa, caso ambas estejam disponíveis. Também existem as units, que são espécie de pacotes compostos por ações ON e PN. O ticker das units costumam terminar com o número 11. 

Quais são as estratégias de investimento na bolsa de valores? 

Adquirir ações deve ser uma decisão que faça parte de uma estratégia maior. Afinal, a intenção é alcançar seus objetivos financeiros, respeitando o perfil de investidor. Entre as estratégias, uma das principais envolve o investimento a longo prazo. 

Por meio da abordagem conhecida como buy and hold, você mantém o ativo em sua carteira por um período mais longo. Além de aproveitar os resultados distribuídos ao longo do tempo, é uma forma de diminuir o impacto da volatilidade. 

Também é possível usar outros critérios para basear a estratégia. Escolher empresas com preço de ação descontado pode dar origem à uma maior valorização. Há, ainda, a chance de selecionar companhias sustentáveis, com baixa, média ou alta capitalização.  

Você pode compor uma carteira que faça sentido para os seus interesses. Além do longo prazo, há outros caminhos que envolvem a especulação ou o trade. Não é exatamente um modo de investir, mas envolve comprar e vender ação na bolsa, aproveitando as oscilações dos preços em busca de lucros. 

Uma das possibilidades é o day trade e o scalping, com operações que são abertas e fechadas no mesmo pregão. Há, também, o swing trade e o position trade, todos com prazos que variam dias, semanas ou meses. 

O que é um lote de ações? 

Ao tentar adquirir ações no mercado você verá que elas são negociadas em lotes. Os mesmos reúnem uma determinada quantidade de papéis, como se fossem pacotes. Normalmente, os lotes são de 100 ações. 

É importante conhecer o tamanho desses pacotes para entender qual é o investimento mínimo necessário. Imagine uma ação com cotação de R$20,00 e que é negociada em um lote de 100 ações. No caso, um lote demandaria um investimento de R$2.000. 

No entanto, também pode-se investir no mercado fracionário. Nele, é possível comprar unidades de ações. Assim, você pode adquirir apenas 1 ou qualquer quantidade de ativos. 

No entanto, é recomendável analisar as taxas que serão pagas sobre o valor investido e o retorno que a compra fracionária poderá oferecer. Em relação aos lotes padrão, o preço e a liquidez podem ser diferentes. 

Quais são os custos do investimento direto em ações? 

Para saber como comprar ações na bolsa de valores é essencial conhecer também os custos envolvidos. Os custos de investir diretamente em ações incluem: 

  • Taxa de corretagem (cobrada na compra e na venda das ações); 
  • Taxa de custódia; 
  • Impostos (cobrados pelo governo); 
  • Taxas específicas da bolsa – conhecidas como emolumentos; 
  • Imposto de Renda (IR), em determinados casos. 

Taxas  

Em termos de negociação, a taxa de corretagem é um dos menores custos. Ela pode ter um valor fixo ou ser variável, sendo cobrada de modo proporcional ao volume da operação. O valor varia entre as corretoras. 

A taxa de custódia é cobrada para que haja a manutenção das ações na carteira. Também muda bastante de uma corretora para outra, podendo até haver isenção da cobrança. 

Por sua vez, os emolumentos são as taxas pagas à bolsa de valores para cobrir os custos operacionais. Para as pessoas físicas que investem em ações, desconta-se uma taxa nas ordens de compra e venda. 

Imposto de Renda 

Já o Imposto de Renda incide sobre o lucro líquido de algumas operações de venda de ações. O ganho de capital é positivo quando o montante obtido com a venda é maior que o custo com a aquisição. 

No caso do IR, as operações comuns de venda de ações que somarem até R$20.000 no mês são isentas do imposto e o mesmo acontece com os dividendos em qualquer valor. Em vendas mensais que somem mais de R$20.000, os ganhos líquidos são tributados em 15%. 

Para os lucros obtidos com operações de day trade, não há faixa de isenção e a alíquota é de 20%. A apuração e o recolhimento do Imposto de Renda são de responsabilidade do investidor ou especulador. 

Quando houver cobrança de imposto, é necessário emitir um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). Nele, é possível apresentar todos os valores devidos quanto às operações. O prazo de pagamento é o último dia útil do mês seguinte ao da operação. 

Qual é o passo a passo para comprar ações na bolsa de valores? 

Agora que você já conhece os principais conceitos e termos mais relevantes do investimento em ações, é o momento de saber como investir. Após abrir sua conta na corretora, vá ao home broker. 

Basta escolher em qual empresa deseja investir e, após conferir o ticker e as informações, emitir a ordem de compra. Você precisará ter o dinheiro necessário na sua conta da corretora, para que a ordem seja executada. 

Para se desfazer das ações, basta emitir uma ordem de venda. Nesse caso, a diferença entre o preço de venda e o preço de compra determina a rentabilidade ou o prejuízo. 

Isso significa que, em relação à valorização dos papéis, o lucro só é realizado quando ocorre a venda. Do mesmo modo, se uma ação estiver em queda, você só perderá dinheiro, de fato, se decidir vender os papéis. 

De qualquer forma, após a ordem de venda das ações pelo home broker, será preciso esperar o tempo de liquidação da bolsa. Ele é de alguns dias úteis. Não há perigo de você não receber esse dinheiro, mesmo que a corretora venha à falência. 

Isso porque as ações ficam custodiadas no seu nome na Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Portanto, bastará migrar para outra instituição que seus investimentos em ações estarão seguros – fazendo parte do seu portfólio. 

Criamos um tutorial para você utilizar o Home Broker da Genial

Quais são as outras alternativas para investir em ações? 

Ao buscar dicas de como comprar ações na bolsa de valores, convém notar que o investimento direto não é a única possibilidade. Você também pode acessar esses ativos com outros veículos financeiros.  

A seguir, conheça as possibilidades! 

Fundos de investimento em ações 

Os fundos de investimento em ações são alternativas que funcionam de maneira coletiva. Diversos investidores adquirem cotas de participação, no estilo de um condomínio financeiro. O portfólio é movimentado e alocado por um gestor profissional. 

Ele define quais ações comprar e realiza as operações. A tomada de decisão acontece com base na estratégia definida. Essa pode ser uma alternativa interessante para quem não tem tanta familiaridade e deseja começar a investir em ações com suporte profissional. 

Afinal, é uma forma prática de ter os ativos na sua carteira, já que não é preciso ter conhecimento profundo ou tempo hábil, pois as decisões são do gestor. Também podem ajudar a diversificar a carteira e serem mais acessíveis.  

Muitas vezes, o preço de algumas cotas é menor que a aquisição de ações de todas as empresas que compõem o patrimônio do fundo. Quanto aos custos, costuma haver a cobrança de uma taxa de administração e, em alguns casos, de performance.  

A taxa de performance incide sobre o desempenho que superar o resultado apresentado pelo indicador de referência (benchmark).  

Ao resgatar seu dinheiro ou vender suas cotas, há a cobrança de 15% de Imposto de Renda sobre o retorno. No caso dos fundos de ações, não há incidência do imposto come-cotas. 

Fundos de Índices (ETFs) 

Depois de conhecer o fundo de ações, vale a pena descobrir, também, os exchange traded funds (ETFs) ou fundos de índice. Eles podem ser outra forma investir em ações de maneira coletiva, mas trazem uma proposta diferente. 

Nesse caso, a ideia é replicar a carteira teórica de um indicador de referência. Um ETF atrelado ao Ibovespa, por exemplo, investirá nas mesmas empresas selecionadas pelo índice e na mesma proporção. 

Por isso, dizemos que a gestão é passiva. Logo, a taxa de administração dos ETFs costuma ser menor que as de fundos tradicionais com gestão ativa. No entanto, as taxas de corretagem, custódia e de emolumentos podem ser cobradas da mesma maneira. 

Ao aprender como comprar ações na bolsa de valores e como o ambiente funciona, você terá mais segurança para tomar suas decisões. Antes de investir, avalie seu perfil de investidor e seus objetivos para ter a certeza de que a alternativa faz sentido para você! 

Você sabia que com a Genial Investimentos ficou muito mais fácil investir em ações? Abra sua conta e venha ser Genial!

Comentários