Fundos cambiais são fundos de investimento abertos que investem em ativos atrelados a moedas estrangeiras. De modo geral, eles são indicados para proteger os recursos do investidor contra as flutuações de moedas fortes, como dólar e euro. Mas também podem ser usados para lucrar com a variação positiva da moeda.

O valor de investimento inicial dos fundos cambiais pode variar bastante, havendo opções no mercado para investidores de todos os portes. Mas esse tipo de investimento em geral só é recomendado para investidores com perfil de risco moderado ou arrojado.

Lembrando que, embora esses fundos tenham a rentabilidade atrelada à variação de uma moeda estrangeira, investimentos e resgates são sempre feitos em reais.

Neste artigo, vamos explicar em detalhes o que são fundos cambiais, como funcionam, em que tipos de ativos investem, seus custos, riscos e para quem são indicados.

Fundos de investimento

Fundos cambiais são fundos de investimento, veículos em formato de condomínio que possibilitam aos investidores unirem seus recursos para investir de forma mais diversificada, eficiente e em ativos com melhor relação risco-retorno do que um investidor individual normalmente conseguiria. Tudo isso com gestão profissional.

Em outras palavras, ao investir em um fundo, o investidor terceiriza a escolha da estratégia e as decisões de investimento a um profissional e paga uma taxa de administração por isso.

O montante de recursos mais elevado de um fundo permite que ele possa investir em ativos geralmente inacessíveis à pessoa física.

E o fato de o fundo ser um condomínio faz com que cada cotista (ou condômino) seja dono de uma quantidade de cotas proporcional ao valor que investiu. Assim, se cada cota tiver, em determinado momento, o valor de dez reais, um investidor que investir mil reais vai se tornar dono de cem cotas.

Seus custos e o direito a eventuais rendimentos distribuídos pelo fundo também serão proporcionais ao montante investido.

Neste artigo, falamos com detalhes sobre como funcionam os fundos de investimento: como é calculado o valor da cota, os custos, a forma de tributação, as instituições financeiras envolvidas, entre outras características.

Fundos cambiais

Os fundos de investimento podem ser classificados segundo diferentes critérios: abertos ou fechados, de curto ou longo prazo ou de acordo com os ativos em que investem, por exemplo.

Os fundos cambiais são fundos abertos, isto é, permitem aplicações e resgates. Se um investidor deseja entrar no fundo ou aumentar sua participação, o fundo emite novas cotas para ele adquirir. Se desejar sair, basta pedir o resgate para reaver os recursos. Em função disso, é bem fácil entrar e sair desses fundos a qualquer tempo.

É bem diferente do que acontece com um fundo fechado, em que aplicações e resgates não são permitidos. Nesses casos, os cotistas só conseguem investir quando o fundo está aberto para captação. Fora desses períodos, só é possível entrar e sair do investimento por meio da compra e venda de cotas entre os investidores.

Quanto à tributação, os fundos cambiais são classificados como de longo prazo, conforme a tabela regressiva de IR válida para as aplicações financeiras tributadas na fonte:

Tabela regressiva de fundos de longo prazo

Prazo da aplicaçãoAlíquota de IR
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20,0%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15,0%

Todos os fundos cambiais estão sujeitos ao come-cotas, forma de tributação mais comum dos fundos de investimento abertos. Nesses casos, o cotista deve pagar 15% de IR sobre os rendimentos a cada seis meses na forma de cotas. Na hora do resgate, ele pagará a diferença, se houver.

Saiba mais sobre como funciona o come-cotas.

Onde investem os fundos cambiais

Quanto aos ativos, os fundos cambiais devem investir pelo menos 80% da carteira em ativos de qualquer nível de risco de crédito relacionados a moedas estrangeiras, como o dólar ou o euro. A relação pode ser direta ou sintetizada por meio de derivativos.

Derivativos são ativos referenciados em outros ativos, como taxas de juros ou moedas, que permitem ao investidor, por exemplo, apostar na alta ou na queda de um ativo. São muito usados tanto para ganhar por meio da especulação quanto para proteção da carteira contra o sobe e desce de algum mercado.

Ou seja, fundos cambiais não investem em moeda estrangeira diretamente, como pode parecer à primeira vista. Eles investem em títulos referenciados em moeda estrangeira emitidos por bancos e empresas, fazem operações com derivativos atrelados a essas moedas ou operações que permitam replicar a variação cambial.

Os 20% restantes da carteira devem ser aplicados apenas em títulos e operações de renda fixa prefixada ou indexada à Selic e ao CDI.

O desempenho dos fundos cambiais tende a acompanhar o da moeda de referência, em geral o dólar ou o euro. Existem, ainda, fundos referenciados em cestas de moedas fortes, que incluem, por exemplo, a libra e o iene. Mas nem sempre a correlação entre o desempenho do fundo e o da moeda ou cesta de moedas que lhe serve de referência é perfeita.

Além disso, após o desconto da taxa de administração e do imposto de renda, o rendimento do fundo tende a ficar um pouco menor que a variação positiva da moeda, quando esta ocorre.

Em função disso, os fundos cambiais não são recomendados para quem tem objetivos de curto prazo relacionados à moeda estrangeira, como uma viagem para o exterior dentro de poucos meses.

Para quem são indicados: Fundos cambiais são recomendados para quem quer ter ganhos com a variação cambial – por exemplo, os investidores que acreditam que o dólar vai subir – e para quem quer se proteger das variações cambiais por conta de objetivos de médio e longo prazo.

Por exemplo, quem vai fazer uma viagem grande para o exterior daqui a um bom tempo e está se planejando com antecedência.

Mas, principalmente, para quem tem obrigações em moeda estrangeira, como a manutenção de uma conta ou de investimentos no exterior, o pagamento de um curso em uma data futura ou o sustento de um parente lá fora.

Riscos

Fundos cambiais costumam ser classificados como moderados ou arrojados/agressivos. Eles estão basicamente sujeitos ao risco de flutuação da moeda estrangeira de referência em relação ao real.

Assim, um fundo cambial de dólar está exposto à volatilidade da moeda americana, enquanto um fundo cambial de euro está exposto à volatilidade da moeda europeia.

O câmbio é um dos indicadores econômicos mais difíceis de se prever, mesmo para especialistas. Investir em fundos cambiais para lucrar com a valorização da moeda é uma atividade de alto risco, portanto. Trata-se de uma estratégia para investidores de perfil moderado ou arrojado que desejam diversificar a carteira de investimentos.

Mas se a intenção do investidor for tão somente proteger uma parte dos seus recursos do sobe e desce do câmbio – por exemplo, porque ele tem obrigações de longo prazo em moeda estrangeira – então a aplicação pode ser considerada de baixo risco.

Quanto à facilidade e rapidez de resgate, os fundos cambiais costumam ter alta liquidez. Os recursos normalmente ficam disponíveis para o investidor apenas poucos dias após o pedido de resgate. Entenda o mecanismo de resgate e liquidação dos fundos de investimento.

Conheça também: Bahia AM Maraú FIC de FIM

Custos

Como já mencionado, fundos cambiais sofrem a cobrança de taxa de administração para remunerar a gestão profissional. Pode ou não haver cobrança de taxa de performance, custo que incide sobre a rentabilidade que excede o indicador de referência do fundo, o chamado benchmark.

Por exemplo, um fundo referenciado em dólar poderia cobrar, digamos, 20% sobre os rendimentos que ficassem acima da variação positiva da moeda americana em um determinado ano.

Há, ainda, cobrança de imposto de renda na fonte conforme tabela regressiva, como já vimos, na forme de come-cotas.

Para quem fica no fundo por um prazo inferior a 30 dias, há cobrança de IOF conforme a tabela a seguir. Acima deste prazo, este imposto não é mais cobrado.

Número de dias decorridos após a aplicaçãoIOF (%)Número de dias decorridos após a aplicaçãoIOF (%)
1961646
2931743
3901840
4861936
5832033
6802130
7762226
8732323
9702420
10662516
11632613
12602710
1356286
1453293
1550300

Veja como declarar fundos de investimento no imposto de renda.

Como investir em fundos cambiais

Aqui na GENIAL, dispomos de uma variedade de fundos de investimento, de gestores renomados e voltados para diversos perfis. Conheça a nossa plataforma de fundos e abra a sua conta.

Genial

Genial

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Deixar um comentário