Confira nossa live sobre O primeiro ETF de cripto do Brasil #HASH11

Provavelmente você já ouviu que o mercado de criptoativos está em pleno crescimento. Sabia que, para investir nele, a aquisição direta de moedas não é a única alternativa – e nem a mais vantajosa?  

Após receber aprovação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o HASH11 é uma possibilidade inédita. Esse ETF permite que você aloque recursos indiretamente em criptomoedas e apresenta algumas vantagens. Ao mesmo tempo, é uma escolha que exige atenção. Afinal, é preciso entender como ele funciona e que características apresenta. 

Para que não restem dúvidas sobre o assunto, nosso time, da Genial Investimentos, preparou um guia completo. Continue a leitura e veja quais são as informações relevantes sobre o HASH11! 

O que é e como funciona um ETF? 

Sigla para exchange traded fund, o ETF também é conhecido como fundo de índice. Esse é um fundo de investimento que, assim como os outros, funciona na forma de condomínio financeiro. Os investidores adquirem cotas e passam a ter direito de participar dos resultados coletivos. 

A gestão da carteira é de responsabilidade de um profissional, que define como a alocação de recursos deve ser realizada e executa as operações. No caso do ETF, entretanto, a gestão não faz escolhas por conta própria. Ao invés disso, a intenção é replicar a carteira teórica de um indicador. 

Então, um ETF investe nos mesmos ativos e produtos financeiros e na mesma proporção apresentada por um índice de mercado. Como consequência, sua performance, antes de taxas e impostos, é semelhante à do índice. 

O que é o mercado de criptomoedas? 

As criptomoedas são ativos que só existem de maneira digital. Tudo começou quando Satoshi Nakamoto, um pseudônimo, publicou um whitepaper que marcou a criação do bitcoin enquanto moeda digital. 

No trabalho, estão todas as regras, os números e as questões ligadas ao funcionamento do ativo digital. O funcionamento do Bitcoin utiliza a tecnologia de blockchain e atua de modo descentralizado, sem estar subordinado a uma entidade ou país. 

Desde que ocorreu essa criação, outras moedas digitais foram desenvolvidas. Algumas delas possuem a mesma tecnologia do Bitcoin, enquanto outras têm uma proposta de evolução e aprimoramento. 

O preço que é atribuído a elas depende das negociações no mercado. Então, as que são negociadas em maior volume tendem a apresentar maior capitalização e maior preço unitário por moeda. Em relação aos investimentos, os criptoativos podem ser uma alternativa interessante. 

Além do potencial de valorização, também há a expectativa do que as moedas digitais podem representar no longo prazo. Muitas pessoas acreditam que elas são o futuro do dinheiro — e investir desde já poderia ser vantajoso. Contudo, isso não é garantido e os riscos são altos. 

O que é Hashdex? 

A Hashdex é uma gestora de fundos de criptoativos que atua de acordo com todas as regras previstas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O foco da empresa está no mercado de criptomoedas, que ainda não dispõe de uma regulamentação no Brasil.  

Assim, por meio das alternativas de investimento da Hashdex, é possível contar com mais segurança institucional ao investir no mercado de criptoativos. Nos fundos, há produtos que compõem uma cesta de ativos na qual é possível investir de modo indireto. 

O que é o HASH11? 

O HASH11 é o ticker que representa o primeiro ETF de criptomoedas aprovado para negociação na B3, a bolsa de valores brasileira. O nome completo da modalidade financeira é Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice.  

Seu desenvolvimento aconteceu pela parceria entre a gestora Hashdex e a bolsa americana Nasdaq. O anúncio de sua criação foi feito em setembro de 2020. Até então, ele estava listado apenas na bolsa de Bermudas.  

Com a aprovação no Brasil, o fundo de índice — que fez sua estreia na bolsa em abril de 2021 — poderá compor a carteira de quem deseja explorar o mercado de criptoativos sem abrir conta em instituições internacionais. 

Como ele funciona? 

Como você viu sobre o funcionamento dos ETFs, esse tipo de fundo visa replicar a carteira teórica de um indicador de referência. No caso do ETF da Hashdex, o índice é o Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela bolsa norte-americana. 

Para que as operações sejam possíveis, a custódia das criptomoedas adquiridas é feita por exchanges internacionais com autorização e regulamentação de funcionamento nos EUA. 

Periodicamente, o fundo é rebalanceado, de modo a se manter representativo do mercado de criptomoedas. Para tanto, a negociação dos criptoativos é realizada em instituições igualmente autorizadas. 

Nesse investimento, a remuneração será obtida pela venda das cotas por um preço médio maior que o custo médio de aquisição. Já a tributação segue as mesmas regras previstas para qualquer outro tipo de ETF. 

Qual é a composição da carteira do HASH11? 

Para saber no que o HASH11 investe, efetivamente, é necessário conhecer qual é a composição do indicador de referência. Nesse sentido, o NCI é composto por: 

  • Bitcoin (BTC); 
  • Ether (ETH); 
  • Litecoin (LTC); 
  • Chainlink (LINK);
  • Bitcoin Cash (BCH); 
  • Stellar (XLM). 

Essas são consideradas as criptomoedas mais representativas do mercado, que é um dos pontos usados para a formação do indicador. Então, vale destacar que, apesar de o HASH11 ser visto por algumas pessoas como o ETF de Bitcoin, ele não investe apenas nessa criptomoeda. 

Em relação aos critérios de escolha, os criptoativos tiveram que respeitar alguns pontos para que fossem incluídos. São eles: 

  • Negociação da criptomoeda em, pelo menos, três bolsas regulamentadas;
  • Ter suporte mínimo de dois custodiantes; 
  • Apresentar preço flutuante para a negociação; 
  • Ser representativo de, no mínimo, 0,5% do mercado. 

Periodicamente ocorrem rebalanceamentos, de acordo com os movimentos acumulados de alta ou de queda. Então, se uma critpomoeda se torna mais relevante entre um rebalanceamento e outro, ela terá uma fatia maior na proporção de alocação de recursos — e vice-versa. 

Quais as vantagens de investir em criptomoedas pelo HASH11? 

Escolher fundos de criptomoedas, como o HASH11 da Hashdex, é uma alternativa que pode apresentar pontos positivos para a sua carteira. Conheça quais são os principais aspectos! 

Regulamentação 

O primeiro ponto é que fundos de criptoativos são maneiras regulamentadas de alocar seu dinheiro nessas possibilidades. Embora as moedas digitais não sejam regulamentadas individualmente, os fundos têm características bem definidas pela CVM e que devem ser observadas. 

Então, escolher o ETF permite ter mais segurança e tranquilidade, por se tratar de uma modalidade financeira que já tem suas regras. 

Custos menores 

Outro ponto interessante é que o HASH11, como quase todo fundo de índice, permite ter custos menores. Para começar, é necessário investir menos recursos do que seria exigido para comprar cada moeda. Então, ele se torna mais acessível. 

A taxa de administração também costuma ser menor que a cobrança de outros fundos. Afinal, a gestão é passiva. Assim, os custos mais baixos podem auxiliar na conquista de uma rentabilidade líquida maior.  

Praticidade 

Ao escolher esse ETF, você terá mais praticidade e facilidade para investir. Não será preciso executar as operações junto às exchanges e nem fazer o rebalanceamento, o que ajuda a economizar tempo. 

Além disso, você não terá que armazenar as chaves dos ativos digitais ou se preocupar com medidas de proteção contra fraudes ou invasões, por exemplo. 

Simplificação tributária 

Embora as moedas digitais não sejam regulamentadas na totalidade, já existem regras quanto à cobrança de Imposto de Renda. Na hora de fazer a declaração de IR, você pode se deparar com exigências complexas para apresentar tais investimentos para a Receita Federal. 

Com a escolha de um ETF, por outro lado, ocorre a simplificação tributária. Afinal, mesmo que seja de criptoativos, o ETF está sujeito a regras que já são conhecidas. 

Pode servir para iniciantes 

Para quem começa agora no mercado de criptoativos, o HASH11 tende a se destacar, já que não exige uma experiência tão grande. Mesmo que você não saiba muito sobre o mercado, poderá adquirir cotas e obter os primeiros resultados. 

Exposição cambial 

Não menos importante, o HASH11 conta com exposição cambial. Embora o investimento seja feito em reais, ele acompanha um índice norte-americano. Assim, pode ser uma forma de ter relativa proteção no caso de aumento do dólar, por exemplo. 

Diversificação de carteira 

O ETF tem uma vantagem ligada ao manejo de risco: ele investe em diversos criptoativos. Assim, você não concentra seu capital em apenas um. Além disso, o fundo de índice de criptomoedas permite que você diversifique sua carteira com investimentos descorrelacionados. 

Planejamento sucessório 

Quando você investe diretamente em criptoativos, o planejamento sucessório é prejudicado. Se não houver indicações claras sobre o acesso às chaves, os recursos podem ficar inacessíveis de modo definitivo. 

O ETF, por outro lado, faz parte do inventário como outros produtos e ativos financeiros tradicionais do mercado. Assim, os beneficiários poderão ter sua posse. 

Quais são os riscos do investimento? 

Pensando na segurança, você já viu que o HASH11 oferece mais proteção por ser um produto regulamentado e que dispõe de toda a infraestrutura — fato que reduz o risco operacional. 

Porém, é fundamental conhecer e avaliar os riscos de investimentos em fundos de criptoativos da Hashdex ou de outras gestoras. Nesse quesito, o risco de mercado é prevalente. Ele está associado à alta volatilidade do mercado, que traz momentos de aceleração e períodos de queda intensa. 

O fato de as criptomoedas serem muito recentes também aumenta o risco. O bitcoin surgiu no mercado em 2008 e, desde então, observou-se uma grande valorização no preço de negociação da moeda. 

Contudo, não é possível garantir que isso continuará a acontecer no futuro, o que eleva os riscos de perda de capital. É preciso estar ciente dessas questões para ser capaz de tomar uma decisão informada. 

Para quem esse ETF de criptomoedas pode ser adequado? 

Ao ponderar as características e, em especial, os riscos do HASH11, é importante saber para quem ele pode ser adequado. Em primeiro lugar, é preciso conhecer o perfil de investidor.  

Investidores moderados e agressivos podem estar mais alinhados com a exposição à volatilidade. Porém, investidores conservadores podem escolher a alternativa para diversificar uma pequena parte da carteira. 

Outra questão envolve os objetivos financeiros. Como o mercado de criptoativos ainda é relativamente recente, o recomendado costuma ser investir no longo prazo para que o setor possa amadurecer. 

Considerando tais pontos, o HASH11 pode ser visto como uma alternativa regulamentada e acessível para quem deseja entrar nesse mercado. Desde que os riscos estejam alinhados ao perfil e às expectativas, pode ser adequado para o investidor. 

Como investir no HASH11? 

Por ser um ETF, o HASH11 terá suas cotas negociadas na bolsa de valores. Portanto, o investimento depende da aquisição na B3, o que exige a criação de uma conta em uma corretora de valores. 

Genial Investimentos é uma das corretoras brasileiras que pode ser usada para o investimento em HASH11, por meio do home broker e com estrutura completa. Além disso, escolher a instituição permite que você tenha acesso ao nosso time certificado para tirar dúvidas. 

Depois de criar sua conta, é necessário transferir os recursos que serão investidos. Nessa parte do processo, é essencial considerar o quanto você pretende aportar. Por ser uma alternativa de alto risco, pode ser mais interessante investir um percentual menor do patrimônio. 

Na hora de realizar a compra das cotas, procure pelo ticker HASH11 e envie a ordem. Com a operação finalizada, você passará a investir em criptoativos. 

O processo é muito mais simples que o investimento direto em criptoativos. Nesse caso, seria preciso criar contas em exchanges, converter o câmbio, adquirir as moedas digitais, guardar suas chaves de acesso, entre outros passos necessários. 

Vale a pena investir em HASH11? 

Agora você sabe que o HASH11 é uma novidade no mercado brasileiro de ETFs. Com isso, é comum que surja a dúvida entre aproveitar ou não a oportunidade. A decisão precisa ser tomada de maneira individual. 

Em relação ao investimento direto em criptoativos, o ETF da Hashdex apresenta pontos positivos que podem favorecer a estratégia. Contudo, o mercado ainda é considerado incipiente e isso aumenta o nível de volatilidade e, portanto, de riscos. 

Para decidir, considere as dicas que viu aqui. Conheça seu perfil de investidor e objetivos, além da disponibilidade financeira e composição atual do seu portfólio. Assim, é possível definir se faz sentido ou não escolher a modalidade financeira. 

Como você pôde ver, adquirir cotas do HASH11 significa investir no primeiro ETF de criptomoedas aprovado da bolsa de valores brasileira. Antes de alocar os recursos, entretanto, é fundamental conferir se a decisão está alinhada com sua estratégia. 

Está pensando em aproveitar essa ou outras oportunidades? Abra sua conta na Genial Investimentos e conheça nossas possibilidades!

Comentários