CDB 220% do CDI com liquidez diária.

O crédito imobiliário consiste na disponibilização de recursos para a aquisição de imóveis — ou utilizando-os como garantia. Mas você sabia que também é possível investir com base neles? Isso ocorre por meio da letra hipotecária (LH).

Esse investimento de renda fixa se assemelha a outros da mesma classe. Contudo, tem determinadas particularidades. Portanto, conhecer bem o funcionamento desses títulos é essencial para tomar uma decisão informada.

Neste artigo, nosso time da Genial Investimentos separou o que você precisa saber sobre as letras hipotecárias. Continue a leitura e confira!

O que são letras hipotecárias?

A letra hipotecária é um título de renda fixa que tem lastro em créditos imobiliários. O funcionamento dela se baseia na emissão do título por instituições que tomam emprestado recursos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Logo, a LH pode ser emitida tanto por bancos múltiplos quanto por associações e companhias especificamente voltadas para a oferta de crédito imobiliário. Além desse ponto, é preciso conhecer outros aspectos sobre essas aplicações financeiras.

Veja as características principais!

Rentabilidade

A rentabilidade das letras hipotecárias acontece como em qualquer investimento de renda fixa. Com isso, ela pode ser:

  • prefixada: definida por uma taxa fixa;
  • pós-fixada: baseada no desempenho de um indicador financeiro;
  • híbrida: composta por uma taxa fixa mais a variação de um índice.

No caso do rendimento pós-fixado, ele pode estar atrelado ao Certificado de Depósitos Interbancários (CDI). Já nos títulos híbridos é comum acompanhar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação.

Porém, os títulos também podem envolver outros indicadores, como o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). Por isso, é preciso avaliar quais são as regras de rentabilidade.

Liquidez

Outro aspecto importante a conhecer nas letras hipotecárias é a liquidez, que representa a facilidade de conversão do título em dinheiro. No geral, o período mínimo de resgate costuma ser de 6 meses. Para as letras hipotecárias atreladas a índices de preço, o prazo pode ser maior.

Segurança

A respeito da segurança, a LH é um título protegido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). A entidade paga a investidores em caso de falência do emissor. O teto é de R$ 250 mil por CPF e instituição, com limite global de R$ 1 milhão, renovável a cada 4 anos.

Tributação

Um dos destaques da letra hipotecária é o fato de ela ser isenta de Imposto de Renda (IR). Com isso, pode oferecer uma rentabilidade líquida mais atraente em relação a investimentos tributados. Entretanto, é preciso comparar as opções para ter mais segurança sobre isso.

Quais as diferenças para outros títulos de renda fixa?

Pensando no funcionamento geral do investimento, as letras hipotecárias são semelhantes a outras aplicações financeiras da renda fixa. Contudo, existem pontos relevantes de diferenciação.

Um deles é a rentabilidade. Quando comparada com alternativas pouco vantajosas, como a poupança, os rendimentos das letras hipotecárias tendem a ser mais altos.

Vale ficar atento, ainda, a diferenças em relação a títulos com nomes semelhantes. É o caso da letra de crédito imobiliário (LCI). Na prática, as LCIs financiam projetos diversos do setor de imóveis, enquanto LHs são focadas, exclusivamente, em operações com hipotecas.

Quais as vantagens e desvantagens da letra hipotecária?

Para decidir se vale a pena investir em letras hipotecárias, você pode considerar vantagens e desvantagens do título. Um dos pontos positivos é a segurança. Além da proteção do FGC, os títulos têm garantia real, porque a hipoteca se baseia na oferta de crédito tendo o imóvel como garantia.

Como vimos, outra vantagem é a oportunidade de rendimento acima de outros títulos da renda fixa. Isso se deve, especialmente, ao prazo mais longo e à liquidez menor. Ainda, há a vantagem da isenção de Imposto de Renda.

Em relação às desvantagens, há o risco de liquidez, devido ao prazo mínimo para o resgate. Além disso, existe o risco de crédito, que é atrelado ao emissor. Porém, esse risco pode ser reduzido tanto pela atuação do FGC quanto pela escolha de instituições sólidas.

Como investir em LH?

Se você avaliar o investimento em letras hipotecárias e tiver interesse nele, o primeiro passo é analisar seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros. O título pode atender tanto a conservadores quanto moderados e arrojados, dependendo dos interesses.

Sobre os objetivos, foque nas metas de médio e longo prazo. Por conta da liquidez baixa, a LH não é adequada para manter a reserva de emergência, por exemplo. O ideal é alocar o dinheiro para metas a serem realizadas próximas do prazo de vencimento.

Para realizar a aplicação, o próximo passo é buscar uma corretora de valores. Abra uma conta para ter acesso às oportunidades que compõem o portfólio da instituição financeira. Na hora de escolher uma LH, é preciso conferir dados como:

  • emissor;
  • avaliação de risco (rating) do título;
  • rentabilidade oferecida;
  • prazo mínimo de resgate;
  • período total de investimento;
  • aplicação mínima exigida;
  • taxas e outros.

Após transferir o dinheiro para a sua conta na corretora, você poderá adquirir a letra hipotecária de interesse. Também é possível considerar o investimento indireto por meio de fundos imobiliários (FIIs) de papel.

No caso dos fundos, os gestores investem a maior parte dos recursos em títulos ligados ao mercado imobiliário. Por exemplo, as LHs, LCIs e também certificados de recebíveis imobiliários (CRI).

Como declarar a letra hipotecária no Imposto de Renda?

Apesar de a LH não ter rendimentos tributáveis, ela deve ser declarada anualmente em seu Imposto de Renda. Para tanto, você deve recorrer à aba “Bens e Direitos” e incluir o código 45, referente à renda fixa. Também é necessário incluir o montante aplicado e os dados da corretora de valores.

No caso da rentabilidade, use a aba “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” e selecione a opção 12, referente a rendimentos da LH. Preencha o quanto você obteve ao longo do ano da declaração, inclua o tipo de beneficiário e os dados da fonte pagadora.

Como você aprendeu, a letra hipotecária é um investimento da renda fixa que tem lastro em créditos imobiliários. Se fizer sentido para o seu perfil e para a sua estratégia, é possível aproveitá-la diretamente ou por meio de fundos imobiliários de papel.

Gostou desse conteúdo? Se quiser aproveitar as LHs, os FIIs ou outras oportunidades, abra sua conta na Genial Investimentos!

Comentários