Ao observar os investidores, é possível entender que cada um deles apresenta características e necessidades que os diferenciam um dos outros. Nesse contexto, há como classificá-los conforme seu apetite aos riscos e uma das categorias é o investidor arrojado.  

Esse tipo de investidor costuma apresentar qualidades que podem o ajudar a conquistar melhores rentabilidades. No entanto, para isso, ele se expõe aos riscos de forma calculada, utilizando de conhecimento e controle emocional. 

Quer entender melhor esse perfil? Continue a leitura e conheça as principais características do investidor arrojado! 

O que é perfil de investidor? 

O perfil de investidor é uma categorização atribuída a quem investe com base em sua disposição e tolerância aos riscos associados a investimentos. Essa classificação visa ajudá-lo a identificar as alternativas mais alinhadas às suas características, objetivos financeiros e necessidade de segurança. 

Desse modo, o perfil de risco, como também é conhecido, é fundamental para orientar as decisões de investimento. Afinal, as pessoas buscam maior ou menor nível de segurança ao investir, conforme as suas preferências em relação aos ganhos e grau de conhecimento do mercado financeiro. 

Vale destacar que o perfil de investidor não é uma característica fixa. Dessa maneira, ele pode se modificar ao longo do tempo com a ocorrência de mudanças nas circunstâncias financeiras, experiência de investimento e objetivos de vida, por exemplo. 

Como identificar o perfil de investidor? 

Agora você sabe que o perfil de investidor é importante para alinhar as suas estratégias à sua tolerância aos riscos. Mas como é possível identificá-lo? Na prática, essa determinação ocorre por meio de um teste chamado suitability ou análise de perfil de investidor (API). 

Essa avaliação é aplicada pela instituição financeira por meio de uma série de perguntas que abrangem temas como conhecimento do mercado, objetivos financeiros, patrimônio acumulado e renda. Ao responder essas questões, você fornece dados que ajudam a identificar sua resistência aos riscos. 

O teste de suitability pode classificar o investidor como conservador, moderado ou arrojado. Dessa maneira, é possível entender a configuração ideal da carteira de investimentos na hora de definir sua estratégia de alocação.  

Por essa razão, a aplicação da API é uma prática regulatória e ética no setor financeiro. Assim, todas as instituições financeiras que oferecem investimentos são obrigadas a realizar esse teste com novos clientes. 

Com o resultado dessa avaliação, a instituição pode oferecer alternativas financeiras mais adequadas à capacidade do investidor de assumir riscos. Além disso, o teste deve ser refeito, pelo menos, a cada 2 anos para garantir a atualização das informações conforme as mudanças nas circunstâncias do investidor. 

Genial Investimentos - Abra sua conta

Por que é importante investir conforme o seu perfil?  

Após saber como identificar o seu perfil de investidor, é fundamental compreender a importância dessa etapa. Na prática, ela traz uma série de benefícios que têm impacto direto nas decisões e resultados da sua jornada de investimentos. 

Saber o seu perfil de investidor possibilita alinhar os riscos da sua carteira com a sua disposição para aceitá-los. Desse modo, é possível evitar investimentos excessivamente arriscados ou a perda de oportunidades de rentabilizar o seu patrimônio, por exemplo. 

Outro benefício é o alinhamento com os objetivos, que são o norte das suas escolhas no mercado financeiro. Logo, compreender o seu perfil permite fazer a seleção de alternativas alinhadas às diferentes metas, garantindo que cada movimento esteja direcionado para o que você pretende conquistar. 

Além disso, conhecer bem a sua tolerância ao risco garante uma base sólida para tomar decisões financeiras mais embasadas. Assim, você pode evitar escolhas impulsivas baseadas em emoções momentâneas ou tendências de mercado passageiras, por exemplo. 

Nesse contexto, a gestão de riscos efetiva é uma consequência desse conhecimento. Ao tomar decisões embasadas no seu perfil, é mais fácil diversificar a carteira, equilibrando os diferentes ativos para maximizar o potencial de retorno e reduzir o perigo geral do portfólio. 

Essa abordagem não apenas contribui para o sucesso financeiro, mas também proporciona tranquilidade. Isso porque investir conforme o perfil oferece uma sensação de segurança, sabendo que as escolhas estão alinhadas com suas preferências, metas e situação financeira. 

Quais são as características do investidor arrojado?  

Agora que você entendeu o que é o perfil de investidor e como identificá-lo, é o momento de saber mais sobre o tipo arrojado. Como foi possível entender, ele tem maior tolerância aos riscos, motivado pela busca por rentabilidades mais expressivas. 

Além disso, ele apresenta outras características específicas. Veja! 

Riscos calculados 

O investidor arrojado, como destacado, tem os rendimentos como sua prioridade. Diante disso, ele pode se atrair por investimentos mais arriscados, já que a rentabilidade é uma característica que tende a ter um potencial proporcional ao nível de riscos.  

No entanto, ao assumir riscos, o investidor arrojado não o faz de forma impulsiva. Pelo contrário, ele calcula cuidadosamente os perigos associados a cada investimento, escolhendo alternativas alinhadas a seus objetivos e horizonte temporal. 

Dessa forma, esse perfil busca maximizar os rendimentos sem comprometer integralmente seu patrimônio. 

Composição da carteira 

Por conta da sua busca por rendimentos maiores, o perfil arrojado se destaca por ter uma parcela significativa de sua carteira em renda variável. Afinal, os ativos dessa classe são conhecidos por sua capacidade de oferecer maiores rentabilidades em relação à renda fixa, embora envolvam maior volatilidade e não tenham garantia.  

Contudo, o investidor arrojado também pode alocar parte de seus recursos em investimentos mais conservadores, garantindo segurança a uma parcela do patrimônio e atendendo a objetivos de curto prazo, por exemplo. 

Inteligência emocional 

A inteligência emocional é uma característica fundamental desse perfil, pois permite ao investidor manter a calma diante das flutuações do mercado. Consciente de que as perdas podem ser temporárias, essa tranquilidade impede a tomada de decisões impulsivas que poderiam resultar em prejuízos ao vender ativos em momentos desfavoráveis. 

Abordagem informada 

Além da capacidade de manter a calma durante as quedas do mercado, o perfil arrojado tende a tomar decisões racionais baseadas em análises técnicas (em especulação) e fundamentalistas (para o longo prazo). Desse modo, ele faz os aportes com base em informações sólidas. 

Ademais, como esse perfil se mantém informado sobre o mercado financeiro, ele tende a reagir mais rapidamente a eventos importantes. Logo, essa abordagem ativa e consciente contribui para escolhas mais acertadas e uma gestão de riscos mais eficaz.  

Aprendizado contínuo e adaptabilidade 

O investidor arrojado valoriza o aprendizado contínuo e a capacidade de adaptação às mudanças nos mercados. Essas características são importantes para que ele consiga enfrentar os desafios dinâmicos do ambiente financeiro, garantindo que as estratégias permaneçam relevantes e eficazes ao longo do tempo. 

Quais são as principais estratégias de investimento para esse perfil?  

A compreensão das características do investidor arrojado contribui para que você possa identificar de que maneira esse perfil se comporta no dinâmico cenário do mercado financeiro. Com isso, é possível identificar suas principais estratégias de investimentos. 

A seguir, confira mais informações sobre o comportamento do perfil arrojado! 

Foco no longo prazo 

Como forma de gerenciar os riscos, o investidor arrojado costuma direcionar sua atenção para investimentos de longo prazo, com horizontes temporais de 5 anos ou mais. Essa estratégia aproveita os benefícios dos juros compostos e da economia real, minimizando os impactos das oscilações de curto prazo no mercado. 

Diversificação estratégica 

A estratégia de diversificação é fundamental para o investidor arrojado. Ela consiste em distribuir seus recursos em ativos com diferentes características, como classes, setores e regiões geográficas. Essa abordagem reduz a exposição a riscos específicos, proporcionando resiliência ao portfólio. 

Nesse contexto, o investidor arrojado pode explorar ativos mais voláteis, como moedas estrangeiras, commodities e até mesmo ativos alternativos, como fundos de private equity, hedge funds e criptoativos. 

Visão estratégica em momentos desafiadores 

Em períodos de declínio do mercado, o investidor arrojado pode adotar uma abordagem estratégica. Ele é capaz de enxergar essas situações como oportunidades de compra e pode aumentar suas posições a preços mais atrativos, confiante na recuperação dos ativos. 

Gestão ativa e monitoramento constante 

Como você viu, o investidor arrojado adota uma postura de gestão ativa, monitorando de perto sua carteira de investimentos. Essa abordagem inclui o rebalanceamento periódico e a realocação de ativos com base nas mudanças das condições do mercado.  

Consideração de ativos não convencionais 

Muitas vezes, o investidor arrojado está disposto a explorar investimentos não convencionais, como criptoativos e outros ativos alternativos. Essas alternativas oferecem oportunidades de rentabilidade e diversificação que podem não estar disponíveis em opções tradicionais. 

Como o perfil arrojado se diferencia do conservador e moderado?  

Você aprendeu que existem outros dois perfis além do arrojado, que são o conservador e moderado. Nesse cenário, fatores como gestão de riscos, inteligência emocional e busca por rentabilidade se manifestam de maneira única em cada um deles. 

Logo, essas variações têm implicações significativas na forma como cada investidor lida com riscos e constrói sua carteira. Como você viu, o investidor arrojado, caracterizado por uma alta tolerância ao risco, busca ativos mais voláteis e arriscados, visando retornos maiores.  

Assim, sua carteira, muitas vezes, é dominada por renda variável, com uma propensão a explorar alternativas não convencionais. Além disso, o horizonte de investimento costuma ser de longo prazo, e a inteligência emocional o ajuda a lidar com as flutuações do mercado. 

Por outro lado, o investidor moderado prioriza uma abordagem equilibrada entre segurança e risco. Desse modo, sua carteira mantém uma distribuição ponderada entre renda variável e fixa, buscando diversificação para reduzir riscos.  

Já o investidor conservador prioriza a segurança e a estabilidade financeira. Com uma tolerância mais baixa ao risco, ele opta por uma estratégia mais cautelosa, tendo sua carteira predominantemente composta por investimentos de renda fixa, priorizando a preservação do capital. 

Vale destacar que essas diferentes abordagens refletem não apenas preferências pessoais, mas também metas financeiras e horizontes temporais distintos.  

Quais são os principais investimentos para o investidor arrojado? 

Até o momento, você entendeu que o investidor arrojado tem uma carteira diversificada, mas com foco em investimentos de renda variável. Por isso, é interessante conhecer mais dessas alternativas antes de investir. 

Na sequência, veja os principais investimentos que costumam chamar a atenção do investidor arrojado! 

Ações 

As ações são a menor parte do capital social de uma empresa, proporcionando aos investidores a oportunidade de se tornarem acionistas do negócio. Elas conferem direitos nos eventuais lucros da companhia e possibilitam a influência em decisões, dependendo do tipo de papel escolhido. 

Existem três categorias principais de ações: ordinárias (ON), preferenciais (PN) e Units. As primeiras garantem direito a voto nas assembleias, as PN oferecem prioridade no recebimento de proventos e as units agregam os 2 outros tipos de papéis em um único pacote. 

Para lucrar com ações, os investidores podem adotar diversas estratégias. A principal delas é por meio da valorização do ativo, quando o preço da ação sobe após a compra, permitindo a realização de vendas com lucros.  

Além disso, os investidores podem receber proventos, como os dividendos, que são parte dos lucros distribuídos pela empresa. Contudo, vale saber que investir em ações não é um processo isento de riscos. 

O risco de mercado, por exemplo, está relacionado às variações nos preços devido a diversos fatores. Já o risco setorial está ligado ao desempenho do setor em que a empresa atua. Também existem riscos associados à saúde financeira da empresa. 

Fundos de investimentos 

Os fundos de investimento são veículos financeiros que reúnem recursos de diversos investidores com objetivo de investir em alternativas em comum. Eles são administrados por um gestor profissional, que elabora a carteira conforme a política de investimentos do fundo. 

Existem diferentes tipos de fundos de investimento no mercado financeiro. Confira quais são os principais! 

Fundos de ação 

Os fundos de ações focam em papéis de empresas listadas na bolsa. O seu lucro deriva da valorização dos ativos e do recebimento de proventos, que são reinvestidos, aumentando o preço das cotas. Além disso, eles estão sujeitos à volatilidade do mercado de ações e a eventos específicos das empresas.  

Fundos multimercado 

Há também os fundos multimercado, que permitem investir em diversos investimentos, como ações, títulos de renda fixa, câmbio, entre outros. A rentabilidade e os riscos desses fundos variam conforme a estratégia adotada pelo gestor, proporcionando uma maior diversificação. 

De modo geral, os fundos de investimentos oferecem a oportunidade de diversificação mesmo para investidores com montantes menores. Isso porque com a compra de uma cota você pode se expor a uma cesta de ativos. 

Contudo, é importante destacar que os fundos de investimento também apresentam riscos a depender da composição da carteira. Também é preciso considerar o risco de liquidez. Ele está relacionado com a possível dificuldade em vender as cotas rapidamente. 

O horizonte de investimento em fundos varia conforme o tipo de veículo. Mas, em geral, quando se trata de alternativas de renda variável, é comum investir com foco no longo prazo, como você aprendeu. 

Fundos imobiliários 

Também vale conhecer os Fundos Imobiliários (FIIs), que investem em ativos ligados ao mercado imobiliário, como imóveis comerciais ou residenciais, títulos ligados ao setor ou cotas de outros FIIs. Esses veículos podem ter ganhos com o recebimento de aluguéis, por exemplo. 

Conforme a lei, 95% dos lucros deve ser repassado aos cotistas na forma de dividendos. Também há oportunidades de ganhos com a negociação das cotas. Em relação aos riscos, eles estão relacionados a questões como vacância, desvalorização imobiliária, liquidez e condições econômicas. 

ETFs  

Os exchange Traded Funds (ETFs) são fundos de investimento negociados em bolsa que buscam replicar o desempenho de um índice de referência específico. Como exemplos de indicadores estão o Ibovespa no Brasil ou o S&P 500 nos Estados Unidos.  

Para alcançar esse objetivo, o gestor do fundo busca investir nas mesmas alternativas e em proporções semelhantes aos da carteira teórica do índice de referência. Para lucrar com esse fundo, os investidores podem se beneficiar da valorização das cotas. Além disso, alguns ETFs distribuem dividendos.  

Também existe o risco de liquidez, especialmente em ETFs menos negociados, o que pode dificultar a compra ou venda no mercado secundário. Outros riscos incluem a variação cambial, no caso de fundos que replicam índices estrangeiros, e os custos associados às taxas de administração. 

BDRs  

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são certificados emitidos e negociados no Brasil e lastreados em ativos estrangeiros, como ações. Assim, eles permitem internacionalizar a carteira sem a necessidade de negociar diretamente nos mercados internacionais.  

Ao investir em BDRs, os investidores podem se beneficiar da valorização dos ativos estrangeiros. Se as ações ou títulos de empresas internacionais se valorizam, por exemplo, os preços dos certificados também tendem a acompanhar esse movimento. 

Além disso, alguns BDRs proporcionam o recebimento de dividendos. Contudo, é importante estar ciente dos riscos associados a esses ativos. Por exemplo, há o risco cambial, pois as variações nas taxas de câmbio podem afetar os retornos dos investidores.  

Ademais, os eventos e condições econômicas nos mercados internacionais podem influenciar diretamente o desempenho dos investimentos estrangeiros aos quais os BDRs estão lastreados.  

Ao longo deste post, foi possível conhecer o perfil de investidor arrojado. Se você se encaixa nessa classificação, considere utilizar essas informações para compreender melhor as suas características e estratégias. 

Independentemente do seu perfil de investidor, é necessário ter uma conta em uma corretora para realizar seus investimentos. Aproveite para abrir a sua conta e venha ser Genial

Genial Investimentos - Abra sua conta

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!