A Ambev é sucessora da Companhia Cervejaria Brahma e da Companhia Antarctica Paulista Indústria Brasileira de Bebidas e Conexos — duas das cervejarias mais antigas do Brasil. A empresa se destaca como uma das maiores fabricantes de bebidas do mundo. Por isso, as Ações da Ambev estão entre as mais negociadas na bolsa de valores brasileira.  

A companhia é conhecida por ter um negócio consolidado, além de nome forte e alto valor de mercado. Seus papéis têm também alta liquidez e costumam ter um peso maior no índice Ibovespa. Mas, será que vale a pena investir nas Ações da Ambev?  

Continue a leitura e conheça mais sobre o histórico da companhia, as características dos papéis, como ganhar dinheiro com ABEV3 e outras informações relevantes para tomar uma decisão de investimento mais sólida. 

Vamos lá? 

Histórico da empresa 

A Ambev surgiu em 1999, a partir da união entre as centenárias Cervejaria Brahma e Companhia Antarctica. O principal negócio em que a empresa opera é o de cervejas. Ela é líder em diversos mercados com marcas como Antarctica, Brahma, Skol e Quilmes. 

Além disso, a Ambev também tem operações de refrigerantes, bebidas não alcoólicas e não carbonatadas. Inclusive, com marcas próprias — como Fusion e Guaraná Antarctica no Brasil. Fora do país, a operação ocorre através da parceria com a PepsiCo. 

Em 1997, a Cervejaria Brahma obteve os direitos exclusivos para fabricar, vender e distribuir os refrigerantes da Pepsi no nordeste do Brasil. Dois anos depois, ela expandiu o processo para todo o país. 

Desde outubro de 2000, a Ambev possui os direitos exclusivos de engarrafar e distribuir os refrigerantes da Pepsi no Brasil. Em janeiro de 2002, a empresa ampliou a parceria com a PepsiCo para fabricar, vender e distribuir também o Gatorade. 

Atualmente, o portfólio de bebidas não alcoólicas da Ambev inclui também marcas no mercado de águas com sabor, como H2OH!. Além disso, há marcas no mercado de chás gelados, como Lipton Ice Tea. Todas são vendidas sob licença da PepsiCo. 

O contrato de franquia com a PepsiCo no Brasil foi acrescido em outubro de 2018. Os novos termos do acordo foram aprovados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em dezembro do mesmo ano e o contrato valerá até 31 de dezembro de 2027. 

Expansão nas Américas 

A expansão da Ambev por outros países da América começou em 1994. Foi o ano em que a Brahma iniciou a sua presença internacional por meio de operações no segmento de cerveja na Argentina, Paraguai e Venezuela. 

Em 2003, a Ambev acelerou sua expansão fora do Brasil através de uma negociação com a Quinsa. Com isso, foi possível estabelecer uma presença de liderança nos mercados de cerveja da Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. 

No mesmo ano, e também ao longo de 2004, a Ambev realizou uma série de aquisições em marcados como Peru, Equador, República Dominicana e América Central. No ano seguinte, a companhia passou também a operar no mercado de cervejas do Canadá. 

Em maio de 2012, ocorreu a expansão das operações no Caribe. No fim de dezembro de 2016, a Ambev concluiu uma transação de troca de ativos com a AB InBev. As operações na Colômbia, Peru e Equador foram transferidas para o Panamá. 

Atualmente, a Ambev tem operações em 18 países. Entre eles Brasil, Canadá, Guatemala, Argentina, República Dominicana, Cuba, Barbados, Saint Vincent, Dominica e Antígua. 

Abertura de capital 

A Ambev, como é conhecida hoje, chegou à bolsa de valores brasileira em novembro de 2013. Nessa data, suas Ações passaram a ser negociadas com o código ABEV3. A companhia foi uma das principais empresas do setor de Alimentos e Bebidas e uma das maiores de capital aberto. 

No entanto, antes disso, na criação da empresa, em 1999, tanto a Antarctica quanto a Brahma eram negociadas na bolsa de valores. Na época, os acionistas minoritários puderam realizar as trocas de suas Ações para a AMBV4 em 1999 (Antártica) e em 2000 (Brahma). 

O ticker AMBV4 foi modificado com a mudança de nome da companhia. As últimas negociações dele ocorreram em novembro de 2013.  Com as transformações, a empresa passou a se chamar Ambev S.A — a partir de reestruturação na estrutura societária. 

A empresa também realizou a troca de seus papéis apenas para Ações ordinárias. Cada Ação dos investidores deu direito a 5 papéis ordinários. O objetivo foi aumentar a liquidez na bolsa e simplificar a estrutura societária, além de se alinhar mais com os acionistas. 

As modificações feitas na Ambev em 2013 também tinham como objetivo melhorar a governança corporativa. Com isso, foi possível obter ainda mais destaque na bolsa e atrair interessados em investir na companhia. 

Características da ABEV3 

Existem no mercado três principais tipos de Ações: preferenciais, ordinárias, units. Cada uma tem as suas características particulares. No entanto, nem todas as empresas oferecem todas aos investidores — como é o caso da Ambev. 

Como você viu, desde 2013, é possível encontrar apenas Ações ordinárias (ON) da Ambev na bolsa. Elas são negociadas sob o código ABEV3. Esse tipo de papel confere aos acionistas o direito de voto em assembleias. O direito é proporcional ao volume de Ações que cada investidor possui.  

Assim, os pequenos acionistas não terão participação tão influente nas decisões. Já os grandes sócios exercem maior influência sobre as deliberações do negócio, pois mantêm a posse de uma parte significativa do capital social da empresa. 

Apesar de não oferecer Ações preferenciais (que dão prioridade no recebimento de proventos), vale destacar que a os papéis ordinários também dão o direito de receber os lucros distribuídos pela companhia. Por exemplo, na forma de dividendos ou juros sobre capital próprio. 

Onde as Ações da Ambev são negociadas? 

Depois de saber mais sobre as Ações da Ambev, é hora entender onde adquiri-las. Elas são negociadas na bolsa de valores brasileira, a B3. Para ter acesso aos papéis, é necessário ter conta em uma corretora de valores da sua confiança. 

Assim, você poderá acessar o home broker e fazer as transações de compra e venda de ativos. A instituição financeira é responsável por intermediar as negociações entre quem quer comprar e quem deseja vender suas Ações. 

Além de ter papéis negociados na B3, a Ambev possui também Recibos Depositários Americanos — os chamados ADRs (American Depositary Receipt). Eles permitem que empresas brasileiras e de outros países sejam negociadas na bolsa dos Estados Unidos. 

A emissão dos ADRs acontece por meio de instituições financeiras estadunidenses. Elas adquirem as Ações internacionais e emitem títulos de certificados que serão oferecidos aos investidores. Logo, os ativos não são vendidos diretamente. O investidor adquire certificados lastreados nos papéis. 

Cada ADR corresponde a uma Ação ordinária da Ambev. Logo, a empresa não é acessível apenas para quem tem conta no Brasil. Estrangeiros também podem investir nela indiretamente. 

Como ganhar dinheiro com ABEV3? 

Existem diferentes formas de ganhar dinheiro com Ações da Ambev na bolsa de valores. Tudo vai depender, principalmente, dos seus objetivos com o investimento. Se o foco estiver no longo prazo, há duas formas básicas de lucrar com a renda variável. 

Ganho de capital 

O primeiro é por meio da valorização dos papéis ao longo do tempo. Normalmente, Ações de boas empresas tendem a se valorizar e resultar em lucro para os investidores. Então quem realiza a venda por um valor mais alto obtém ganho de capital. 

No entanto, é importante lembrar que a renda variável não tem garantias de lucro e também não é possível prever quanto você receberá quando vender suas Ações. Ao longo do tempo, os preços dos ativos passam por oscilações devido à volatilidade do mercado. 

Proventos  

Outra forma de ganhar dinheiro com os investimentos na bolsa é por meio do recebimento de proventos. A Ambev tem o histórico de ser uma boa pagadora de dividendos. Esse tipo de provento é compartilhado com os investidores geralmente na forma de dinheiro. 

Especulação  

Se o seu perfil de investidor é arrojado e você busca obter lucro no curto e curtíssimo prazo, não é preciso se limitar aos objetivos de longo prazo. Há a possibilidade de especulação. O foco desse tipo de operação está em aproveitar as oscilações nos preços da ABEV3 para obter lucro. 

A volatidade dos preços é a grande responsável por permitir que o especulador tenha lucro. Para isso, as operações são encerradas em pouco tempo. Por exemplo, em alguns minutos ou horas ou em prazo de poucos dias ou semanas. 

Uma das vantagens da Ambev para especuladores é sua liquidez. Como se trata de uma das maiores companhias da bolsa, é mais fácil encontrar interessados em fazer negócio com as Ações dela. 

Como estão os números da Ambev hoje? 

De acordo com os critérios do padrão contábil internacional (IFRS), a Ambev divulga trimestralmente seus resultados.  

No terceiro trimestre de 2020, o relatório da companhia trazia as seguintes informações aos seus acionistas: 

Destaques operacionais e financeiros 

De acordo com a empresa, a receita líquida aumentou 15,1% no período, com crescimento no volume de 12% e aumento na receita líquida por hectolitro de 2,8%. 

Ainda no terceiro trimestre de 2020 – em meio à crise causada pelo coronavírus, o EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 5.073,5 milhões. Isso corresponde a um crescimento orgânico de 1,4%, com margem bruta de 52,4% e margem EBITDA de 32,5%. 

O lucro líquido ajustado foi de R$ 2.495,9 milhões — 2,2% superior ao terceiro trimestre de 2019, devido ao maior EBITDA parcialmente compensado por maiores despesas financeiras. O lucro por Ação ajustado no trimestre foi de R$ 0,15 (3,2%). 

O fluxo de caixa das atividades operacionais foi de R$ 7.079,4 milhões (+99,3%) e os investimentos em CAPEX (despesas de capital) alcançaram R$ 1.144,8 milhões (-29,5%). No acumulado do ano, o fluxo de caixa das atividades operacionais totalizou R$ 10.462,2 milhões. 

Comentários da administração 

De acordo com a administração da Ambev, a empresa teve melhorias em todos os países. O resultado foi alcançado a partir do segundo trimestre, quando as restrições às medidas sanitárias da crise do coronavírus passaram a ser flexibilizadas. 

Apesar do cenário desafiador, a empresa se mostrou confiante no seu processo de tomada de decisão. E o objetivo é alcançar uma posição forte e estratégica para enfrentar as dificuldades que a crise traz às empresas. 

Vale a pena investir em Ações da Ambev? 

Após analisar todas as informações que apresentamos, você deve estar se perguntando se, de fato, vale a pena investir em Ações da Ambev. A resposta para essa pergunta é muito pessoal, pois depende do seu perfil e objetivos, além da análise de fundamentos da companhia. 

Normalmente, os investimentos em renda variável são mais adequados para quem tem uma maior tolerância ao risco. Seja para especular ou para investir no longo prazo, é preciso saber lidar com a volatilidade. 

Portanto, investidores de perfil moderado ou arrojado tendem a se sentir mais confortáveis com o investimento em Ações. Mas isso não significa que um perfil conservador não possa aportar em renda variável, caso seja de seu interesse diversificar com pequena parcela do capital. 

Em relação às vantagens de investir na Ambev, muitos investidores escolhem as Ações da empresa por conta do seu tag along (que protege o investidor minoritário) e pela resiliência em momentos de crise. Mas é preciso analisar com cautela. 

Lembre-se de que a análise fundamentalista é muito importante para o longo prazo. Ela busca avaliar os indicadores de qualidade da empresa e ajuda a identificar companhias sólidas para investir. 

Agora que você sabe mais sobre as Ações da Ambev pode analisar se o ativo faz sentido na sua carteira de investimentos. Antes de investir, no entanto, lembre-se de sempre avaliar o seu perfil de investidor e seus objetivos — além de conhecer a empresa! 

Quer investir em Ambev e em outras Ações disponíveis na bolsa de valores? Abra a sua conta na Genial Investimentos e tenha acesso aos melhores investimentos! 

Comentários