Investir na bolsa de valores de outros países é um processo, em geral, burocrático. No entanto, existem maneiras práticas de fazer isso, como por meio de ADR e BDR. As siglas se referem a certificados que representam ativos internacionais, mas são negociados nos mercados locais. 

Assim, eles trazem uma alternativa para diversificar a carteira e manejar melhor os riscos. Afinal, o investidor deixa de se expor apenas aos ativos nacionais, explorando outros mercados. Porém, é preciso entender como eles funcionam para definir se eles são adequados à sua carteira.  

Neste artigo, você entenderá o que são ADR e BDR e como é possível investir em outros mercados de forma simples e prática. Vamos lá? 

O que é ADR? 

Os ADRs (american depositary receipt) são títulos americanos lastreados em ações de outros países. Isso permite que ativos de empresas com capital aberto em bolsas fora dos EUA possam ser negociados no mercado norte-americano. 

Como são negociados diretamente nas bolsas americanas, os investidores utilizam contas locais e negociam em dólar. Portanto, a alternativa traz maior praticidade para quem deseja se expor ao mercado internacional. 

Afinal, a negociação de ativos em países estrangeiros pode ser complexa e de difícil acesso. O processo envolve, ainda, realizar operações com preços e moedas diferentes, o que pode ser mais custoso. Inclusive, foi pensando em facilitar esses investimentos que foram criados os ADRs. 

Como funciona? 

Para entender como funciona um ADR, imagine a seguinte situação: uma empresa brasileira deseja negociar as suas ações na bolsa de Nova Iorque, a NYSE. Nesse caso, a companhia pode decidir disponibilizar os ativos no país.  

No entanto, isso envolve emitir os papéis nos Estados Unidos e fazer todo o processo de abertura de capital na bolsa americana. Por outro lado, é possível simplificar esse processo por meio de ADRs lastreados nessas ações. 

Vale destacar que não se trata de um investimento diretamente nos ativos, mas em certificados lastreados neles. Além disso, os ADRs são comprados ou vendidos nas bolsas americanas, assim como acontece com outras alternativas de investimento.  

Dessa forma, um investidor americano pode investir na Petrobras, por exemplo, sem precisar de uma conta no Brasil. 

Saiba Mais: O que são ADRs? Descubra!

O que é BDR? 

Entendendo o conceito de ADR, fica mais fácil compreender o BDR. Nesse caso, o termo significa (brazilian depositary receipt), um recibo depositário brasileiro. Da mesma forma que acontece com os ADRs, quem investe em BDR não adquire os ativos propriamente. 

Porém, existem algumas diferenças. Nesse caso, eles podem ser lastreados em ações, ETF (exchange traded funds) e títulos de renda fixa estrangeiros, mas são negociados no Brasil. 

Como funciona? 

Primeiro, saiba que a emissão de valores mobiliários com lastro em ativos internacionais envolve uma instituição financeira depositária. Ela é a responsável por adquirir os ativos estrangeiros, além de garantir que eles sejam depositados e bloqueados na instituição custodiante. 

Também é a instituição depositária que recebe os dividendos, quando houver, que poderão ser distribuídos a quem comprou os BDRs. Outra função é acompanhar os relatórios financeiros e de gestão dos ativos, repassando as informações para os investidores brasileiros.  

Para garantir a segurança, o procedimento é regulamentado e fiscalizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Outro ponto importante sobre os BDRs trata de seu tipo. Eles podem ser patrocinados e não-patrocinados.  

O primeiro tipo envolve o interesse da própria empresa emissora de ações. É ela quem contrata uma instituição depositária para ter seus papéis oferecidos na bolsa de valores brasileira, a B3. 

Já o lançamento do BDR não patrocinado é de interesse da instituição brasileira e não envolve a participação da companhia emissora das ações. Esse é o tipo mais comum encontrado na bolsa brasileira.

Saiba Mais: BDRs: Entenda como funcionam e como investir

Quais são as principais diferenças entre investir em ADR e BDR? 

Como você viu, ADRs e BDRs são recibos de ativos estrangeiros e têm diversas semelhanças. Porém, é importante entender o que muda entre eles para que não restem dúvidas no momento de investir.  

A primeira diferença é que os ADRs são negociados nos Estados Unidos enquanto os BDRs são negociados no Brasil. Ou seja, para um brasileiro investir em um ADR, é necessário abrir conta em uma corretora americana.  

Depois, o dinheiro deve ser transferido para lá, o que inclui custos com IOF (imposto sobre operações financeiras), além da conversão do câmbio, por exemplo. Já a compra e venda de BDRs são feitas em reais, diretamente na bolsa de valores brasileira. 

Portanto, a decisão sobre em qual alternativa investir depende dos seus objetivos. Porém, vale lembrar que, para acessar ativos brasileiros, você pode adquirir diretamente as ações no mercado nacional, facilitando o processo.

Quais são as vantagens de investir em BDR? 

Depois de entender o que é e como funciona o BDR, é importante conhecer suas vantagens. A principal delas é proporcionar diversificação para a sua carteira. Ter parte dos investimentos lastreados em outros países ajuda a mitigar os riscos de se expor a apenas um mercado. 

Além disso, uma parcela do seu capital pode ficar exposto a economias mais fortes, como a americana. Essa também é uma forma de proteger o portfólio ao atrelar os seus ganhos a outras moedas.  

Isso acontece porque investimentos de outros países e moedas costumam ser descorrelacionados com a bolsa brasileira. Ou seja, quando a B3 está em queda, eles podem apresentar valorização, equilibrando a carteira.  

Outra vantagem do BDR é a praticidade. Como você viu, investir diretamente em outros países envolve custos e processos diferenciados e bastante burocráticos. Já os certificados podem ser adquiridos em reais, com negociações na própria bolsa brasileira. 

Ao investir em BDRs você também poderá participar dos resultados de grandes empresas internacionais. Se elas distribuírem dividendos, por exemplo, você pode também receber parte do lucro dessas companhias. 

Como investir em BDRs? 

Ficou interessado em investir com lastro no exterior por meio de BDRs? Desde 2020, qualquer investidor pode ter acesso a esses ativos. Contudo, o investimento pode estar mais alinhado às características de pessoas com perfil moderado e arrojado. 

Afinal, trata-se de uma alternativa de renda variável, e que envolve riscos. Ademais, a escolha pode ser mais adequada para quem deseja diversificar e aproveitar o hedge internacional. Lembre-se de de que a aquisição desses ativos permite ter exposição ao dólar, por exemplo. 

Caso você decida investir em BDR, saiba que o processo é bastante simples. Basta ter conta em uma corretora de valores para ter acesso ao home broker. Depois, é preciso fazer uma transferência do dinheiro que será utilizado para investir.  

No sistema, busque o código de negociação do BDR que deseja investir. O ticker do certificado é formado por quatro letras que identificam a companhia ou ativo estrangeiro. Elas são seguidas por dois números, que indicam o tipo de BDR. Por fim, emita a ordem de compra. 

Agora que você sabe a diferença entre ADR e BDR, pode ampliar suas opções de investimentos. Muitas empresas que estão listadas e que estrearam na bolsa americana, por exemplo, podem ser encontradas no Brasil por meio dos BDRs. Assim, você consegue se expor ao mercado internacional. 

Quer diversificar e internacionalizar a sua carteira? Abra a sua conta na Genial Investimentos e conheça as oportunidades de investimento disponíveis!

Comentários