Fazer seu dinheiro render é uma forma inteligente de atingir seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo. Porém, realizar apenas o investimento inicial pode não ser a alternativa mais eficiente. Se você quiser elevar seus resultados, vale a pena considerar o aporte mensal. 

Com essa prática, há como obter diversas vantagens para a composição da sua carteira e construção do patrimônio. Para isso, é importante saber como se planejar e como adotar esse hábito para aproveitar todo o seu potencial. 

Para ajudar na sua estratégia, nosso time, da Genial Investimentos, preparou este artigo que mostra como o aporte mensal afeta seus investimentos e de que forma fazê-lo para que seu dinheiro renda mais. 

Continue a leitura e confira! 

O que é um aporte mensal? 

O significado de aporte financeiro se relaciona ao dinheiro que um investidor adiciona à sua carteira de investimentos. Então, se você investe R$ 500 em um ativo, esse foi um aporte financeiro. Logo, fica simples compreender que o aporte mensal consiste no investimento feito todos os meses.  

Se um investidor compra R$ 200 em ações todos os meses, o aporte mensal dele é de R$ 200 no mercado acionário. Assim, a realização de aportes mensais integra uma estratégia de investimentos recorrentes. Nesse caso, o foco está em estabelecer uma regularidade na alocação de dinheiro no mercado financeiro. 

Qual é o impacto positivo dos aportes mensais nos investimentos?  

Após entender o que é o aporte mensal, vale a pena saber que realizá-lo pode fazer a diferença nos seus investimentos. Inclusive, os impactos que esse hábito pode causar aos seus ganhos tornam essa prática tão relevante para os investidores. 

Na sequência, descubra quais são os principais efeitos dos aportes mensais nas suas aplicações! 

Maior potencial de acúmulo de retorno 

Um dos impactos mais importantes de fazer aportes mensalmente é o aumento do potencial de acúmulo de resultados dos investimentos. Na renda fixa, por exemplo, isso acontece devido à mecânica dos juros compostos

Eles também são chamados de juros sobre juros porque incidem sobre o valor atualizado, em vez de serem calculados sobre o montante inicial. Portanto, quanto maior for o tempo de investimento, mais alto é o acúmulo gerado pelos juros compostos. 

Esse efeito fica ainda mais intenso se você realizar aportes recorrentes, já que essa medida amplia o montante sobre o qual as taxas incidem. Para perceber melhor a diferença causada pelas alocações mensais, vale considerar um exemplo. 

Imagine que você decide investir R$ 10 mil por 24 meses, com uma taxa de juros mensal de 0,5%.  Ao final do período, você terá R$ 11.271,60, sem incluir eventuais descontos de taxas e impostos. 

Agora, pense na situação em que há aportes mensais de R$ 100. Nesse caso, o total investido será de R$ 12,4 mil, e na virada do mês, você terá R$ 13.814.79. 

No segundo exemplo, seu total ganho em juros terá sido de R$ 1.414,79, contra R$ 1.271,60 do primeiro caso. Logo, fica mais fácil perceber como fazer essas alocações mensais aumentam o seu potencial de ganhos, concorda? 

Na renda variável, os juros compostos não incidem diretamente, já que não há previsibilidade de ganhos. No entanto, os aportes mensais ajudam a elevar o patrimônio investido, o que também ajuda a ampliar os ganhos que podem ser obtidos com as posições assumidas. 

Facilidade para balancear a carteira 

Outro impacto positivo da regularidade dos aportes é que essa prática pode auxiliar a balancear a carteira ao longo do tempo. Como você fará novas operações todos os meses, é possível avaliar o andamento dos seus investimentos e definir quais devem ser os próximos passos da estratégia com mais facilidade. 

Com os aportes mensais, há como aproveitar oportunidades pontuais do mercado ou ajustar o nível de risco do portfólio em certo momento. Ao adotar essa estratégia, você consegue ter mais controle sobre o seu dinheiro investido. 

Aceleração no alcance de objetivos 

Como você viu, investir mensalmente é uma forma eficiente de aumentar o seu patrimônio investido. Considerando que isso pode levar a retornos mais significativos, você tem a chance de acelerar a conquista dos seus objetivos. 

Se você deseja obter uma quantia em até 10 anos, terá possibilidades de alcançá-la mais facilmente ao investir todos os meses, em vez de fazer apenas o aporte inicial. Dependendo dos resultados obtidos, você poderá atingir o valor desejado antes do prazo estipulado como meta. 

Consolidação de bons hábitos financeiros 

Ao fazer aportes mensais, você consegue desenvolver um hábito financeiro positivo. Afinal, é preciso dispor de recursos todos os meses para fazer essas operações com regularidade ao longo do tempo. Isso pode ajudar a usar seu dinheiro de forma mais consciente e estratégica. 

Ao desenvolver esse hábito, você pode tomar decisões melhores, o que tende a aumentar sua capacidade de investimento. Além disso, ao usar bem o seu dinheiro, há menos chances de ser necessário fazer resgates antecipados, ajudando a evitar perdas. 

Por que é preciso ter persistência ao investir mensalmente? 

Conforme você acompanhou, a realização de alocações mensais pode ter impactos positivos nos seus investimentos e nas suas finanças, de modo geral. Porém, esses resultados tendem a ser melhores se você mantiver a consistência, efetuando operações regulares. 

Por isso, o ideal é ter persistência nesse hábito para que ele se consolide. A ideia é ter uma visão de longo prazo, já que quanto mais vezes você investir, maiores poderão ser os retornos financeiros acumulados. 

Para diminuir as chances de não investir conforme o planejado, você deve manter o foco nos seus objetivos. Pense que cada aporte mensal feito é como se fosse um tijolo adicionado à construção do seu patrimônio. Desse modo, você conseguirá ter mais persistência para realizar essas operações. 

Como calcular qual deve ser o valor do aporte mensal? 

Agora que você sabe por que vale a pena fazer aportes mensais, é interessante entender como chegar a esse valor. Cada pessoa tem uma realidade diferente, então não existe uma quantia ideal para investir. Na prática, você deve descobrir o que funciona para a sua estratégia. 

Continue a leitura e aprenda a calcular o aporte mensal de acordo com suas possibilidades! 

Defina seus objetivos financeiros 

Os seus objetivos financeiros são as principais diretrizes para os seus aportes mensais. Assim, quanto maior for o valor desejado ou quanto menor for o tempo disponível, mais alto deve ser o investimento mensal. 

Por outro lado, se você estiver pensando em um investimento de longo prazo, o montante necessário tende a ser menor. Afinal, o valor mensal para juntar R$ 20 mil em 1 ano será diferente da quantia para conseguir R$ 20 mil em 5 anos, por exemplo. 

Analise o rendimento do investimento 

Outro aspecto para considerar nesse cálculo é o rendimento da alternativa. Quanto maior for a taxa mensal, menor precisará ser o seu aporte para alcançar um objetivo financeiro específico. De forma semelhante, um rendimento alto com uma aplicação mensal elevada tende a potencializar os resultados. 

Pense no caso de dois investimentos: o primeiro tem um rendimento de 1% ao mês e o outro, de 0,5% ao mês. Se você quiser juntar a mesma quantia, o aporte mensal no segundo terá que ser maior que no primeiro, concorda? 

Identificar esse valor, ainda que de forma aproximada, é mais fácil no caso dos investimentos de renda fixa, já que a lógica de rentabilidade é sabida previamente. Na renda variável, você pode utilizar estimativas como referência para o cálculo — mas lembre-se de que não há garantias quanto ao retorno, nesse caso. 

Faça simulações 

Após avaliar as características anteriores, é interessante fazer simulações para descobrir qual deve ser o seu aporte mensal para cada objetivo. Para isso, você pode usar ferramentas como a Calculadora do Cidadão, do Banco Central (Bacen). 

Na versão de aplicação com depósitos regulares, há os seguintes campos: 

  • número de meses; 
  • taxa de juros mensal; 
  • valor do depósito regular; 
  • valor obtido no final. 

Só é preciso preencher 3 desses campos para encontrar o valor do restante. Então, se você inserir o número de meses, a taxa de juros e o aporte mensal, será possível verificar o quanto poderá obter de rendimento. 

Porém, se você deixar apenas a quantia do depósito regular em branco, a calculadora indicará quanto é preciso poupar por mês para alcançar o valor final desejado. Logo, você pode fazer diversas simulações para entender qual configuração faz mais sentido para o seu planejamento. 

Como se planejar para investir todos os meses? 

Para investir mensalmente, é necessário cuidar do seu planejamento financeiro. Desse modo, você conseguirá dispor da quantia calculada para adotar essa estratégia de maneira consistente. 

Na sequência, confira como se preparar para começar a investir todos os meses! 

Conheça as suas finanças 

Avaliar a sua situação financeira atual é fundamental para determinar se você é capaz de investir mensalmente. Ao analisar os gastos e os ganhos mensais, fica mais simples perceber se sobra dinheiro ao final do mês. 

Essa etapa também envolve monitorar suas dívidas pendentes, se houver. Em caso afirmativo, a prioridade deve ser quitar esses débitos para conseguir investir com mais tranquilidade. Dessa forma, você poderá aproveitar melhor os benefícios que essa estratégia pode oferecer. 

É hora de cuidar das suas finanças e a Genial quer te ajudar! Baixe agora uma cópia da nossa planilha de controle financeiro pelo QR-CODE ou através do link baixo.

Encontre oportunidades de economizar mensalmente 

Depois de fazer um diagnóstico da sua situação financeira, é essencial buscar formas de organizar melhor o seu dinheiro. Isso significa, principalmente, criar oportunidades de poupar todos os meses, de modo a direcionar esses recursos para os investimentos. 

Para tanto, vale a pena criar um orçamento mensal, definindo como o dinheiro deve ser usado. Isso ajuda a ter mais controle financeiro, evitando gastos por impulso ou desnecessários. Também é válido realizar ajustes para aumentar a sua capacidade financeira. 

Uma forma de fazer isso é buscar gastos supérfluos que podem ser reduzidos ou mesmo eliminados. A ideia é ajustar o seu padrão de vida para viabilizar o investimento recorrente, sempre tendo em mente os seus objetivos, certo? 

Invista antes de gastar 

Mesmo com um plano financeiro, muitas pessoas encontram dificuldade para aportar dinheiro todos os meses nos investimentos. Isso é bastante comum quando há o hábito de “investir o que sobra” do orçamento, já que isso dificulta manter a regularidade. 

Para lidar com essa situação, o ideal é inverter a lógica e investir o dinheiro antes de começar a gastá-lo. Uma ideia é considerar o investimento como se fosse um compromisso financeiro com vencimento no início do mês. 

Vale a pena investir a quantia definida por mês assim que receber o seu principal rendimento, como o salário. Isso evita que você use no dia a dia o dinheiro que deveria ser alocado para começar a render. 

Não se esqueça da reserva de emergência 

Além das dicas anteriores, é fundamental pensar na reserva de emergência antes de considerar fazer outros investimentos. Essa estratégia consiste em juntar um montante que deve ficar disponível para você acessar os recursos diante de imprevistos financeiros. 

É comum que o valor dessa reserva seja de, no mínimo, 6 meses da média do seu custo de vida. Desse modo, você poderá manter as suas contas pagas mesmo diante de situações atípicas, sem precisar comprometer o seu orçamento. 

A existência da reserva de emergência também contribui para o hábito de realizar aportes mensais. Sem ela, uma situação inusitada poderá fazer com que você use o dinheiro que seria investido para outra finalidade. Isso ainda pode afetar a sua organização financeira e dificultar a consolidação do hábito de investimento. 

Com a reserva, por outro lado, você consegue resolver eventuais imprevistos, ao mesmo tempo que mantém os aportes mensais conforme planejado. Logo, vale a pena montar a sua antes de começar a investir com recorrência em outras aplicações. 

Inscreva-se no nosso canal do YouTube

Como montar uma estratégia de investimentos com aportes mensais? 

Com as informações que você conferiu até aqui, foi possível aprender como preparar o seu orçamento para investir mensalmente. Com o dinheiro disponível, o próximo passo consiste em definir uma estratégia para realizar essas alocações recorrentes. 

Quer saber como fazer isso? Continue a leitura e veja como montar seu plano de aportes mensais! 

Avalie seu perfil de investidor 

Antes de considerar qualquer investimento, é preciso entender qual é o seu grau de tolerância ao risco. Portanto, você deve identificar o seu perfil de investidor, que pode variar entre conservador, moderado ou arrojado. 

Essas três classificações contemplam desde a menor até a maior capacidade de correr riscos, respectivamente. Com base nessa informação, você terá uma ideia de quais oportunidades do mercado financeiro são mais adequadas para ter na sua carteira. 

Independentemente disso, qualquer tipo de investidor pode aproveitar as vantagens do aporte mensal. Quem é mais conservador e prioriza a renda fixa, por exemplo, explora o potencial exponencial dos juros compostos ao investir todos os meses. 

Já quem foca a renda variável (em geral priorizada pelos perfis moderado e arrojado) consegue diluir parte dos riscos no longo prazo, e ainda aproveita a capacidade de expandir o patrimônio com mais rapidez. 

Encontre os investimentos ideais para a estratégia 

Após identificar qual é o seu perfil de investidor, é necessário buscar as oportunidades do mercado que podem receber os investimentos mensais. Há alternativas especificamente voltadas para essa estratégia, tanto na renda fixa quanto na renda variável, então vale a pena conhecê-las. 

Veja quais são algumas das oportunidades! 

Títulos públicos 

Os títulos públicos do Tesouro Direto são emitidos pelo Tesouro Nacional para captar recursos para o Governo Federal. Eles são integralmente garantidos pelo Tesouro e têm liquidez diária, o que faz com que essas aplicações sejam consideradas as mais seguras do mercado. 

Entre os tipos existentes no mercado, há o Tesouro Prefixado, que rende no vencimento de acordo com uma taxa fixa definida previamente. Já o Tesouro Selic acompanha a taxa básica de juros da economia, que é a Selic. 

Outro título que pode ser interessante é o Tesouro IPCA+. Ele tem rentabilidade híbrida, composta por uma taxa fixa, mais a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com isso, ele tem um rendimento acima da inflação no vencimento. 

Embora todos esses títulos permitam a realização de aportes mensais, o Tesouro RendA+ se destaca por ter sido criado com essa função específica. Ele tem um rendimento do tipo híbrido e apresenta vencimentos a partir de 2030. No resgate, o pagamento do montante investido ocorre em parcelas mensais ao longo de 20 anos. 

Com isso, o foco do Tesouro RendA+ envolve a realização de investimentos periódicos para compor o montante que servirá ao resgate em parcelas. Por isso, ele oferece até a programação de aplicações recorrentes, o que pode facilitar a adoção do seu plano de investimentos. Por outro lado, ele tem carência de 60 dias antes de permitir o resgate e garantir a liquidez diária. 

Ações 

Na renda variável, as ações podem ser alternativas interessantes para quem deseja adotar uma estratégia de investimento com aporte mensal. Elas representam a menor parte do capital social de uma empresa, então adquiri-las permite que você se torne sócio da companhia. 

Para investir mensalmente, você pode adquirir ações da mesma companhia, aumentando sua participação nos resultados. Se os papéis forem comprados por um preço menor, ainda é possível reduzir o preço médio das ações na sua carteira, o que pode favorecer sua rentabilidade. 

Também há a possibilidade de investir mensalmente em companhias diferentes. Ao adotar essa estratégia, você pode diversificar seu portfólio de ações. Mas lembre-se de que o investimento em ações é considerado mais arriscado em relação ao retorno, que pode ser positivo ou negativo, conforme as oscilações do mercado. 

Fundos de investimento 

Os fundos de investimento são veículos financeiros cuja participação dos investidores depende da aquisição de cotas. Além disso, há um gestor profissional que define como os recursos devem ser movimentados, conforme a estratégia conhecida na contratação. 

No geral, existem fundos de renda fixa e de renda variável, e alguns deles permitem realizar aportes recorrentes. Entre as alternativas, estão os veículos cujas cotas são negociadas na bolsa de valores, como os fundos de índice (ETFs) e os fundos de investimentos imobiliários (FIIs). 

Nesses casos, você só precisa adquirir novas cotas por meio da bolsa para concluir a operação mensal. O processo é semelhante ao que acontece com os investimentos mensais em ações. 

Nos fundos disponíveis nas plataformas de investimento, você poderá adquirir novas cotas de fundos abertos ou cotas no mercado secundário, no caso de fundos fechados. 

Previdência Privada 

Outro investimento que permite a realização de aportes recorrentes é a Previdência Privada. Essa alternativa prevê a alocação em investimentos de renda fixa ou renda variável, dependendo da estratégia adotada. 

Além disso, ela é composta por duas fases principais. A primeira delas é o período de acumulação, que prevê a realização de investimentos periódicos. Já a segunda etapa envolve o resgate do investimento, o que pode ser feito de uma só vez ou em pagamentos mensais. 

Considere reinvestir os rendimentos 

No seu plano de investimentos mensais, também é importante contemplar a possibilidade de reinvestir os rendimentos obtidos. Ou seja, em vez de resgatar ou vender um investimento e utilizar o dinheiro, a ideia é usar os recursos para aumentar ou iniciar novas posições no mercado. 

Na renda fixa, essa estratégia costuma se relacionar ao prazo dos investimentos. Se você investir em uma aplicação com vencimento em 4 anos e seu planejamento for mais longo, no momento do resgate, é possível usar o rendimento obtido para realizar outros aportes. 

Na renda variável, o reinvestimento dos rendimentos também envolve os dividendos. Esses são proventos pagos por empresas e por alguns fundos a seus investidores, e consistem em uma parte do lucro líquido dividido entre os acionistas ou cotistas. 

Como os dividendos são pagos em dinheiro e podem ser distribuídos periodicamente, é possível reinvestir esses proventos com foco no longo prazo. Assim, você pode usá-los para completar a quantia investida por mês ou até para aumentar a sua capacidade de alocação. 

Atualize os valores investidos 

Ao investir, é preciso considerar que a inflação afeta o desempenho do seu dinheiro e pode impactar o poder de compra do seu patrimônio. Por isso, em vez de alocar o mesmo valor ao longo dos anos ou décadas, o ideal é fazer a correção monetária dos recursos investidos. 

Considere corrigi-los de acordo com a inflação anual, pois isso ajudará a compor investimentos que superem a alta de preços ao longo do tempo. Se o seu salário for reajustado com base no índice inflacionário, fazer essa correção no valor alocado costuma ser simples. 

Caso você queira potencializar a sua capacidade de investimento, é possível atualizar os aportes acima da inflação. Por exemplo, é possível começar investindo R$ 200 por mês e trabalhar buscando formas de aumentar a quantia até conseguir alocar R$ 1 mil mensais. 

Diversifique a carteira ao investir 

A diversificação é uma das estratégias mais importantes no mundo dos investimentos, porque graças a ela, é possível diluir parte dos riscos e aumentar a segurança. Ela consiste em distribuir seus recursos entre investimentos com diferentes tipos e níveis de risco. 

Nesse sentido, é interessante pensar em questões como a exposição a classes, ativos e setores diversos. A medida ajuda a evitar a concentração da carteira, mitigando os riscos de um cenário negativo afetar todo o seu patrimônio da mesma forma. 

Ao chegar até aqui, você descobriu que o aporte mensal consiste em investir periodicamente, o que ajuda a reforçar os resultados positivos para o seu patrimônio. Com um bom planejamento financeiro e um plano de investimentos, você poderá obter os benefícios dessa estratégia. 

Quer aproveitar as diversas oportunidades disponíveis no mercado? Abra sua conta na Genial Investimentos!

Genial Investimentos - Abra sua conta

Perguntas Frequentes (FAQ):

O que são aportes mensais?
Aportes mensais referem-se a investimentos regulares feitos em intervalos mensais. Essa estratégia ajuda a construir o hábito de poupar e pode aproveitar o efeito do custo médio do dólar, potencialmente reduzindo o risco de mercado.
O que significa fazer um aporte?
Fazer um aporte significa contribuir com uma quantia de dinheiro para um investimento. É uma forma de adicionar capital a um investimento existente ou iniciar um novo.
O que quer dizer a palavra aporte?
A palavra “aporte” vem do termo em latim “apportare”, que significa “trazer”. No contexto financeiro, refere-se ao ato de trazer ou adicionar fundos a um investimento.
Como fazer aportes mensais?
Para fazer aportes mensais, você deve escolher um investimento e decidir sobre o montante a ser investido regularmente. Em seguida, pode configurar transferências automáticas do seu banco para o investimento escolhido.
O que é aporte financeiro?
Aporte financeiro é o ato de investir dinheiro em um ativo financeiro com o objetivo de obter retorno futuro. Pode ser feito de uma só vez ou em intervalos regulares, como mensalmente.
Como posso fazer aportes mensais no Tesouro Direto?
Para fazer aportes mensais no Tesouro Direto, você precisa ter uma conta em uma corretora autorizada que ofereça o serviço. Após o cadastro, você pode programar a compra automática de títulos todo mês.
Qual é o significado de aporte mensal?
Aporte mensal é um valor que você decide investir em um ativo financeiro de forma recorrente todo mês. Isso ajuda a diluir o risco do investimento ao longo do tempo e pode contribuir para o crescimento do patrimônio devido ao efeito dos juros compostos.
É possível fazer aportes mensais em CDB?
Sim, é possível fazer aportes mensais em CDBs, dependendo das condições oferecidas pela instituição financeira. Alguns CDBs permitem aportes adicionais, enquanto outros podem ser de aplicação única.
Como os aportes mensais impactam o valor futuro dos meus investimentos?
Aportes mensais podem ter um impacto significativo no valor futuro dos seus investimentos devido ao efeito dos juros compostos. Quanto mais cedo e mais regularmente você investir, maior pode ser o crescimento do seu patrimônio ao longo do tempo.

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!