O investimento sustentável já é uma realidade no mercado financeiro atual, diante de uma sociedade que, cada vez mais, dá atenção ao tema. Nesse sentido, o investimento em um fundo verde pode ser adequado a essa finalidade. 

Por meio desse veículo, existe a chance de expor seus recursos a ativos que atendem a critérios de sustentabilidade. Sendo assim, seus ganhos podem estar atrelados ao desenvolvimento sustentável da economia. 

Para saber como funciona o investimento, veja quais são as características de um fundo verde e entenda a sua estratégia! 

O que é ESG? 

Para falar em sustentabilidade nos investimentos, é essencial conhecer a estratégia ESG. Ela prevê três pilares que devem orientar a tomada de decisão na seleção de ativos e produtos financeiros, de modo a compor uma carteira sustentável.  

A sigla é formada por três elementos: 

  • E — environment ou meio ambiente; 
  • S — social; 
  • G — governance ou governança. 

A ideia é priorizar ativos que apresentem essas características em altos níveis. Dessa forma, pode-se garantir uma atuação focada em questões que não são apenas financeiras, mas que também avaliam os impactos gerados no meio ambiente e na sociedade. 

Como funcionam os investimentos sustentáveis? 

Considerando a estratégia ESG, pode-se dizer que ela é o principal direcionador para a tomada de decisão dos investimentos sustentáveis. Nesses casos, o objetivo é unir desempenho econômico a boas práticas que ajudem a atingir uma atuação sustentável. 

Pense, por exemplo, em uma empresa. Se o negócio utilizar matérias-primas com responsabilidade, tiver programas para o descarte correto de resíduos e investir em energia limpa, é sinal de que ela é ambientalmente sustentável. 

Já o aspecto social envolve sua relação com a comunidade e também com a força de trabalho. Por fim, a governança inclui a relação com acionistas, a transparência e um gerenciamento de qualidade. Reunindo os três aspectos, diz-se que o negócio atende aos pilares de sustentabilidade. 

Os investimentos sustentáveis buscam, então, oportunidades do mercado financeiro que cumpram esses requisitos. Logo, a busca não é apenas pelas alternativas mais rentáveis, mas por aquelas que também atendem a tais critérios. 

Entre as principais características desses fundos de investimento, estão: 

  • escolha de ativos com potencial de retorno, mas que atendam às regras ESG; 
  • suporte a iniciativas socioambientais e/ou de governança; 
  • possível redução da volatilidade; 
  • foco no longo prazo. 

Qual o direcionamento de um fundo sustentável? 

O investimento sustentável pode ser feito de maneira individual, quando o próprio investidor analisa as possibilidades disponíveis e escolhe as que julga serem mais sustentáveis. Porém, também é possível recorrer a uma modalidade coletiva, como é o caso do investimento em um fundo verde. 

Ele recebe esse nome porque foca na seleção de alternativas sustentáveis para o portfólio. Contudo, não é uma classificação em si. Na prática, é uma estratégia definida para o veículo. Portanto, existe a chance de encontrar um fundo verde que seja de ação, de índice (ETF), multimercado etc. 

Nesses casos, a gestão do fundo fica responsável por selecionar ativos que cumpram os fatores esperados para um investimento sustentável. É possível encontrar, por exemplo, títulos privados ligados a iniciativas de sustentabilidade, conhecidos como green bonds. 

Também existe a possibilidade de investir em ações de empresas que cumpram os critérios de sustentabilidade. No caso dos ETFs, utilizam-se índices ligados a essa característica. 

O fundo multimercado pode trazer tanto alternativas do mercado externo quanto escolhas de investimento no exterior. Dependendo do risco associado, títulos públicos podem integrar a carteira para fins de diversificação, em contraponto aos investimentos de renda variável. 

Quais as vantagens do investimento em fundo verde? 

A escolha de um fundo verde ou sustentável pode trazer benefícios para a sua carteira. O primeiro deles é que essa decisão está associada ao investimento com propósito. Mais que obter ganhos no mercado, você passa a atuar com foco no cuidado socioambiental, por exemplo. 

Essa também é uma forma de financiar iniciativas e apoiar empresas que buscam trazer impactos positivos para a sociedade e o meio ambiente. Na prática, isso pode estimular mais companhias a se comprometerem com essas práticas, o que pode ser benéfico para todo o planeta. 

Deve-se considerar, ainda, que o investimento em fundo verde é feito em ativos que dão indícios de consolidação. Com a mudança no comportamento de compra, empresas com atuação verde tendem a crescer e se fortalecer.  

Logo, pode ser uma forma de investir com foco no longo prazo e com a oportunidade de conquistar ganhos elevados. Ademais, o acesso não é complicado. Muitos desses fundos têm cotas disponíveis na bolsa brasileira. Os demais podem ser encontrados no portfólio de uma boa corretora de valores, por exemplo. 

Além disso, o investimento em um fundo, por si só, ajuda a diversificar a carteira, traz praticidade e permite contar com uma gestão profissional. Por não ser preciso fazer os investimentos, você economiza e tem que se dedicar menos a análises. 

Vale a pena investir em um fundo sustentável? 

Mesmo com todas as vantagens, a decisão pelo investimento em fundo verde é totalmente particular. É preciso ponderar qual é o seu perfil de investidor e quais são os seus objetivos para encontrar um fundo que seja adequado. 

A boa notícia é que há tipos variados de fundos que adotam a proposta sustentável. Sendo assim, há grandes chances de encontrar um veículo que atenda às suas necessidades, se esse for o caso. 

Como você viu, com o investimento em um fundo verde, há a chance de aliar a busca por rentabilidade a um propósito. Para tanto, é preciso avaliar se esse veículo faz sentido para a sua carteira e, em caso afirmativo, escolher o tipo adequado para você. 

Para entender tudo sobre a estratégia de sustentabilidade, veja em nosso e-book todos os detalhes sobre o que é ESG!

Comentários