As incertezas em relação à classe de investimentos de renda variável podem trazer inseguranças para os investidores. Quando se fala em aportar recursos em ações, é comum ficar em dúvida se vale a pena continuar investindo no longo prazo. 

Entender como essa estratégia funciona é essencial para ter condições de responder esse questionamento. Ademais, conhecer detalhes sobre a abordagem ajuda a direcionar seus investimentos e a atingir os seus objetivos financeiros. 

Então, se você ainda não sabe se faz sentido construir seu portfólio com ações no longo prazo, este artigo pode ser útil. Continue a leitura e descubra se a abordagem faz sentido para sua carteira! 

Genial Investimentos - Abra sua conta

O que são ações e quais os tipos?  

As ações representam a menor fração do capital social de uma empresa, transformando quem as adquire em um sócio do empreendimento. Logo, ao se tornar um acionista, o investidor aloca seus recursos e passa a participar dos seus resultados e riscos.  

Assim, essa participação concede direitos, mas também pode implicar em responsabilidades. No entanto, a quantidade de ações detidas não é a única consideração, pois o tipo de papel influencia a relação entre sócio e empresa. 

Por isso, vale a pena entender quais são os tipos de ações. Veja! 

Ações ordinárias 

As ações ordinárias (ON) proporcionam aos investidores o direito de voto nas assembleias da empresa. Essa participação ativa permite influenciar decisões fundamentais, como a eleição da diretoria e alterações societárias.  

Além disso, as ações ordinárias vêm com o benefício do tag along, garantindo uma compensação justa em casos de mudança de controle da companhia. Nesse cenário, os acionistas minoritários podem vender seus papéis pelo preço semelhante ao pago aos antigos sócios controladores.  

Ações preferenciais 

As ações preferenciais (PN) proporcionam prioridade na distribuição de proventos e no reembolso de capital em cenários de falência ou liquidação. Apesar de elas não concederem inicialmente o direito de voto, as ações PN podem adquiri-lo sob condições específicas, como a falta de pagamento de dividendos por um período prolongado. 

Units 

Além de ações ordinárias e preferenciais, existem as units, que consistem em uma cesta de ativos, incorporando tanto ações ON quanto PN da mesma empresa. Logo, elas podem ser uma forma conveniente para os investidores obterem os benefícios de ambos os tipos de papéis em uma única compra. 

Como funciona o investimento em ações?  

Como você viu, ao comprar ações, o investidor passa a ter direitos em relação àquela empresa, que variam com o tipo de ativo comprado. Ademais, é importante entender as maneiras de obter ganhos com os papéis. 

Na prática, o investimento permite a participação nos eventuais lucros da organização. Desse modo, uma parte dos ganhos gerados pelo negócio é repassada aos acionistas em forma de proventos, como os dividendos.  

Com isso, as ações podem ser fontes de renda passiva, tendendo a se tornar uma forma de buscar retorno constante ao longo do tempo. Por esse motivo, muitos investidores optam por compor seus portfólios com empresas que possuem histórico sólido de distribuição de proventos. 

Outra possibilidade para ganhar no mercado acionário é vender suas ações quando elas se valorizarem. Assim, os investidores podem adquirir papéis de empresas com potencial de crescimento, vislumbrando a venda dos ativos quando suas cotações alcançarem níveis vantajosos. 

Nesse contexto, vale saber que essa valorização pode ocorrer ao longo de semanas, meses ou anos, mas também pode acontecer no mesmo dia da compra. Logo, existem duas abordagens para operar ações: investir em um horizonte de tempo maior e especular.  

A primeira implica comprar ações na visão de longo prazo para diluir os riscos da renda variável e aumentar o potencial de retorno — seja com a valorização dos ativos ou recebimento de dividendos. Enquanto isso, especular envolve a busca de lucros no curto prazo, muitas vezes, expondo-se de maneira mais intensa aos riscos do mercado. 

Contudo, podem ocorrer momentos em que a empresa na qual você investiu enfrente dificuldades. É preciso lembrar que o retorno não é garantido e que, inclusive, há o risco de prejuízo na renda variável. 

Por que investir em ações no longo prazo?  

Agora que você entende o que é e como funcionam as ações, é preciso saber por que pode ser interessante investir em papéis em um horizonte de tempo maior. No contexto de formação de carteira, as ações são consideradas investimentos de longo prazo. 

Afinal, como qualquer empreendimento, as estratégias das companhias demandam tempo para gerar resultados substanciais. Dessa maneira, o tempo tende a colaborar com a sua capacidade de gerenciar riscos de maneira mais eficaz.  

Períodos maiores ajudam a reduzir os efeitos da volatilidade, permitindo que o investidor passe pelas flutuações do mercado com mais tranquilidade. Para ter melhor compreensão dessa questão, vale a pena entender as vantagens de investir no mercado acionário visando o longo prazo. 

A seguir, confira os principais benefícios de investir em ações em um horizonte de tempo maior! 

Potencialização dos rendimentos 

Ao adotar uma perspectiva de longo prazo, os investidores têm a oportunidade de potencializar seus rendimentos. Isso porque o crescimento contínuo e a valorização dos ativos com o tempo são fatores essenciais que contribuem para o sucesso dessa estratégia.  

Assim, a paciência em aguardar esse crescimento sustentado é uma virtude que, muitas vezes, recompensa os investidores com ganhos mais expressivos. 

Aproveitamento dos juros compostos 

Uma das forças mais poderosas nos investimentos é o efeito dos juros compostos, que é a incidência de juros sobre os juros gerados e o capital aportado. No caso das ações, ao reinvestir os ganhos obtidos, é possível criar uma espécie de “bola de neve” financeira. 

Dessa forma, os retornos acumulados podem gerar mais ganhos, ampliando exponencialmente o patrimônio ao longo dos anos. Portanto, investir no longo prazo permite que os investidores aproveitem ao máximo o potencial dos juros compostos. 

Construção de patrimônio sustentável 

A paciência associada a essa abordagem permite que os investidores resistam aos altos e baixos do mercado, mantendo o foco no crescimento constante ao longo dos anos. A construção de patrimônio é a base para uma segurança financeira duradoura. 

Quais são as estratégias de investimento a longo prazo? 

Entendendo as vantagens de investir em ações no longo prazo, é fundamental compreender as principais estratégias utilizadas nessa abordagem.  

Na sequência, veja as principais formas de investir no longo prazo! 

Buy and hold 

A estratégia buy and hold, também conhecida como comprar e manter, é uma metodologia considerada simples. Os investidores que a adotam compram ações de empresas sólidas e mantêm os ativos por um período muito longo, muitas vezes, décadas.  

Desse modo, o foco principal é no potencial de crescimento com o tempo e na resistência às flutuações do mercado de curto prazo. A ideia é colher os benefícios da valorização dos ativos em longos períodos, aproveitando os juros compostos. 

Value investing 

A estratégia de value investing, ou investimento em valor, concentra-se na identificação de ações que estão subvalorizadas em relação ao seu valor intrínseco. Os investidores que seguem essa abordagem buscam empresas que, por diversos motivos, têm seus papéis negociados a preços abaixo do que realmente eles valem. 

O conceito busca investir nessas oportunidades antes que o mercado reconheça seu verdadeiro valor, esperando que, ao longo do tempo, o preço das ações alcance seu potencial real. Vale destacar que a estratégia é associada a investidores renomados, como Warren Buffett

Dividend growth investing 

A estratégia de dividend growth investing (investimento em crescimento de dividendos) é voltada para a construção de uma carteira com ações de empresas boas pagadoras de dividendos. Além disso, ela considera o histórico de aumentar esses pagamentos ao longo do tempo. 

Aqui, os investidores buscam empresas estáveis com boas perspectivas de crescimento e que possam oferecer uma fonte crescente de renda passiva. Logo, a abordagem é especialmente atraente para aqueles que desejam construir um fluxo de caixa consistente ao longo dos anos. 

Por onde começar a investir em ações no longo prazo? 

Se você considera que vale a pena investir em ações a longo prazo, é preciso saber como escolher as empresas. Afinal, nem sempre as maiores ou mais conhecidas do mercado trarão os resultados esperados por cada investidor. 

A seguir, você conhecerá os pontos que devem ser analisados para essa decisão. Confira! 

Identifique o seu perfil de investidor 

Independentemente da alternativa escolhida, investir no mercado financeiro é arriscado, e a disposição para lidar com os riscos varia entre as pessoas. Por esse motivo, é importante identificar o seu perfil de investidor — uma classificação que reflete as preferências e a tolerância ao risco de cada um.  

Essa categorização, derivada das características individuais, orienta as escolhas de investimentos. Assim, conhecer o seu perfil facilita a definição de estratégias alinhadas às suas necessidades e expectativas.  

Existem 3 principais tipos de perfil de investidor: 

  • conservador: apresenta menor tolerância aos riscos, podendo preferir alternativas da renda fixa; 
  • moderado: tem um nível equilibrado de tolerância aos riscos, buscando proteger seu capital, por exemplo, na renda fixa, mas aproveitando melhores oportunidades de rendimentos na renda variável;
  • arrojado: tolera melhor os riscos, encontrando estratégias que otimizem o potencial de retorno, tendendo a se concentrar na renda variável. 

Embora os investidores moderados e arrojados tenham maior afinidade com os investimentos em ações, o longo prazo pode fazer o ativo se alinhar às estratégias do perfil conservador. Para isso, pode ser interessante recorrer à diversificação da carteira para proteção do patrimônio. 

Defina seus objetivos 

Depois de identificar seu perfil de investidor, é preciso definir seus objetivos financeiros. Trata-se de uma etapa essencial para entender quais investimentos estão mais alinhados às metas que você pretende alcançar com o dinheiro investido. 

O investimento em ações no longo prazo costuma se alinhar a objetivos que visam a compra de bens de alto valor, aposentadoria, renda passiva e outros. Mas ele pode ser complementado com estratégias que contemplem outros horizontes de tempo, conforme as necessidades do investidor. 

Foque na diversificação da carteira 

Quando se fala em investimentos, uma boa estratégia é direcionar seus recursos a investimentos que reajam de maneira diferente a cenários distintos. No caso das ações, elas podem sofrer variações de preços de acordo com diversos fatores.  

Dessa forma, situações que influenciam negativamente o preço de determinada ação podem não afetar outro papel. Então, ao diversificar, você dilui os riscos e evita que todo o seu capital fique relacionado à oscilação de apenas um ativo.  

No entanto, para colocar a diversificação em prática, é preciso ter atenção — não basta investir em empresas diversas, por exemplo. Procure diferenciar os setores, áreas de atuação e, até mesmo, países. Assim, você evita investir em negócios distintos, mas que estão expostos aos mesmos riscos. 

Outra dica relevante é incluir diferentes tipos de investimentos na carteira. Ter títulos de renda fixa ou cotas de fundos pode ampliar a diversificação, ajudando a equilibrar a carteira.  

Pronto para descobrir o Genial Analisa?

Dê um passo em direção ao seu sucesso financeiro! Explore análises detalhadas, educação financeira de qualidade e insights exclusivos no Genial Analisa. Descubra como você pode tomar decisões de investimento mais informadas e estratégicas.

Clique aqui para começar sua jornada rumo ao conhecimento financeiro!

Analise o histórico dos ativos 

Outro ponto a considerar é o investimento em companhias que possuam um bom histórico financeiro. Empresas que apresentam lucros recorrentes e que contam reconhecidamente com uma boa gestão e governança podem ser mais atrativas, a depender da sua estratégia.  

Mas é preciso ficar atento a essa análise, já que o histórico de rendimentos de uma empresa não garante resultados positivos no futuro. Dessa maneira, utilize esse fator como um indicador, mas ele não deve ser o único ponto a considerar ao fazer suas escolhas. 

Acompanhe as carteiras recomendadas 

Se você quer investir em ações, mas tem dúvidas quanto às escolhas que deve fazer, pode se beneficiar das carteiras recomendadas. Elas são oportunidades indicadas por profissionais com amplo conhecimento do mercado financeiro. 

Essa pode ser uma solução interessante para quem ainda não tem conhecimentos aprofundados, mas deseja dar os primeiros passos. Mesmo investidores mais experientes podem aproveitar a estratégia, caso não queiram despender tanto tempo na análise de ativos. 

Vale destacar que a Genial possui recomendações de analistas atualizadas constantemente. Os profissionais são certificados no mercado financeiro e montam carteiras que podem ser seguidas pelos investidores. Desse modo, com os relatórios divulgados, é possível entender as estratégias e o histórico do portfólio. 

Qual é o papel das análises no investimento em ações? 

Ao investir no mercado acionário, você pode se deparar com a necessidade de analisar as empresas antes de alocar seus recursos nelas. Na prática, existem 2 principais tipos de análises que ajudam a decidir quais papéis comprar. 

Na sequência, entenda mais sobre elas! 

Análise técnica 

Como você viu, os preços dos ativos podem variar constantemente, até no mesmo dia. Assim, encontrar padrões relacionados a determinados períodos ajuda o investidor a identificar tendências — que podem ser traduzidas na forma de gráficos. 

Não é à toa que a análise técnica também é chamada de análise gráfica, pois se concentra no estudo dos preços e do volume negociado no mercado de ações. Ela se baseia em catalogar os resultados que os ativos apresentaram para dar aos investidores condições de presumir movimentos futuros e optar por ações com maior potencial de lucro. 

Com as informações geradas na análise técnica, é possível estimar os comportamentos dos ativos com maior precisão e investir em busca de retorno rápido. Por esse motivo, ela costuma ser mais usada para investimentos de curto prazo, como as operações de day trade, que se concentram em um único pregão da bolsa. 

Análise fundamentalista 

Se a análise técnica se baseia nos números, a análise fundamentalista, por sua vez, avalia a realidade das empresas. Com ela, é possível verificar como anda a saúde financeira da companhia, projetar cenários e, consequentemente, atribuir preços adequados às ações em questão. 

Para isso, fatores externos à empresa, como taxa de juros e inflação, e situações internas, como balanços e governança corporativa, são examinados criteriosamente. A partir do entendimento desses aspectos, é feita uma projeção da movimentação da companhia na bolsa de valores. 

De maneira geral, a análise se baseia nos fundamentos da empresa e é extremamente importante para quem pretende comprar ações de companhias bem administradas. Por ter foco nas perspectivas para o futuro, a análise fundamentalista é tida como mais adequada para investimentos a longo prazo.  

Qual análise pode ser mais interessante para investimentos de longo prazo? 

Você conheceu os dois tipos de análises usadas para operações na bolsa de valores, que podem ser úteis tanto para quem está investindo em ações no longo quanto no curto prazo. Mas como você viu, a análise fundamentalista tende a oferecer projeções mais robustas do que a análise técnica em relação ao longo prazo.  

Ela permite escolher empresas de acordo com diferentes critérios, como a gestão e os impactos dos produtos e serviços na vida do consumidor. Afinal, com a análise fundamentalista você tem como avaliar índices, demonstrações e outros fatores.  

Portanto, ela oferece embasamento ao seu investimento em um tipo de mercado em que os resultados podem superar os obtidos renda fixa, por exemplo. Vale lembrar que mesmo as análises não são suficientes para dar garantia do retorno esperado, certo? 

Como fazer a análise fundamentalista para investir em ações? 

Entendendo que a análise fundamentalista pode ser a mais adequada para investir em ações no longo prazo, é possível que você tenha interesse em saber como realizar esse processo. Na prática, esse é um processo complexo. 

Isso porque ele se baseia no entendimento das demonstrações financeiras das empresas, que costumam ser divulgadas trimestralmente nos seus sites oficiais. Entre elas, estão: 

  • balanços patrimoniais, que refletem o posicionamento financeiro empresarial no período em questão; 
  • demonstrações dos resultados do exercício, que revelam se houve lucro ou prejuízo no ano. 

De posse desses documentos, você tem como estimar diversos parâmetros, como: 

  • valor da empresa; 
  • margem bruta; 
  • comparação de preços de ações com o valor patrimonial; 
  • taxas de retorno. 

Ademais, é possível mensurar a liquidez, conferir se há endividamento, entre outras informações. A reunião desses indicadores permite ter um panorama completo sobre a situação econômica da empresa e, a partir dele, fazer escolhas mais assertivas no mercado financeiro. 

Para o investidor menos experiente, é possível se valer das análises oferecidas pelas corretoras de valores. Essa é uma solução para quem pretende investir com base nesse método, mas ainda não conta com o devido conhecimento para lidar com um volume tão grande e complexo de informações.  

Quais recursos e ferramentas podem ser úteis no processo? 

Além da análise fundamentalista, outros recursos podem ser utilizados como apoio para realizar melhores escolhas para a sua carteira de investimentos. Portanto, quem pretende se manter investindo em ações no longo prazo, deve conhecer essas ferramentas e usá-las na busca por decisões acertadas. 

Entenda o que pode ajudar na sua jornada de investimentos! 

Corretora e home broker 

No contexto do investimento em ações a longo prazo, a seleção cuidadosa da corretora de valores e do home broker — sistema usado para negociar na bolsa de valores — é uma decisão estratégica para os investidores. Afinal, existem elementos que influenciam diretamente a efetividade das operações ao longo do tempo. 

A eficiência na execução de ordens de compra e venda de ações, por exemplo, é fundamental, pois uma plataforma que oferece rapidez na operação permite aproveitar oportunidades de mercado no momento certo. Portanto, a estabilidade do home broker ajuda a minimizar quaisquer atrasos. 

Além disso, a diversificação de ativos é uma estratégia para reduzir riscos e explorar oportunidades variadas no horizonte de investimento, certo? Então a escolha de uma plataforma que ofereça acesso a diversas alternativas deve ser considerada. 

Suporte profissional  

O acesso a suporte profissional é essencial, especialmente para investidores que desejam uma compreensão mais profunda dos mercados. Consultar um assessor de investimentos proporciona insights personalizados e informações para ajudar a montar estratégias alinhadas com o perfil do investidor. 

Livros sobre o tema 

Outra dica é aprimorar seus conhecimentos por meio da leitura de obras sobre o mercado de investimentos e ações.  

Por exemplo, a obra “Investindo em Ações no Longo Prazo”, de Jeremy Siegel, fornece insights valiosos sobre estratégias de investimento em horizontes mais amplos. Desse modo, o livro oferece uma base sólida para aqueles que desejam construir uma carteira resiliente voltada para o futuro. 

Contudo, a busca por conhecimento no campo financeiro vai além de uma única obra, então vale pesquisar outras recomendações de leitura. Somada à literatura, a educação continuada desempenha um papel fundamental nesse processo.  

Logo, participar de cursos relacionados ao tema proporciona uma compreensão mais profunda do mercado. Também é válido acompanhar o noticiário sobre o setor e as mudanças macroeconômicas que podem influenciar os seus resultados. 

Como você viu, investindo em ações no longo prazo, é possível minimizar riscos e otimizar o potencial de rendimentos. Porém, antes de tomar qualquer decisão, é preciso considerar as características do investimento, a análise fundamentalista e suas próprias necessidades. 

Quer começar a investir em ações? Abra a sua conta na Genial Investimentos e tenha a melhor plataforma e suporte para suas operações! 

Genial Investimentos - Abra sua conta
Taxa de Juros

Filipe Villegas

Filipe Villegas é responsável pelas carteiras recomendadas da Genial e relatório GENOMA. Ele é pós-graduado em administração de empresas pela FGV e tem MBA em engenharia financeira pela POLI-USP. Está no mercado há mais de 10 anos.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!