Acompanhar o desempenho do mercado financeiro pode ser uma forma de entender o comportamento de investimentos e identificar oportunidades. No caso dos fundos imobiliários (FIIs), por exemplo, conhecer os veículos de destaque em 2022 pode embasar suas decisões.

Apesar de o histórico não ser garantia de resultado para o futuro, conhecer os resultados consolidados serve como um direcionamento para a sua estratégia. Além disso, será possível compreender o que esperar para os próximos anos, auxiliando em suas análises.

Quer entender melhor o cenário desses fundos em 2022? Nosso time da Genial Investimentos separou os melhores e piores FIIs do ano.

Acompanhe!

O que são os FIIs?

Os FIIs são fundos de investimento imobiliário. Eles são veículos coletivos que funcionam como um tipo de condomínio financeiro. Assim, os investidores participam deles por meio da aquisição de cotas — que, nesse caso, são negociadas na bolsa de valores brasileira (B3).

Além disso, todo fundo de investimento conta com a atuação de uma gestora, cujos profissionais são responsáveis por avaliar as oportunidades e realizar as operações no mercado. A intenção é compor um portfólio de acordo com a estratégia definida no regulamento do fundo no fundo.

No caso dos FIIs, o gestor deve investir em ativos relacionados ao mercado imobiliário. Por conta disso, há três principais tipos de fundos imobiliários. Veja:

  • fundos de papel: alocam os recursos, principalmente, em títulos de dívida relacionadas ao mercado de imóveis. Entre os exemplos de títulos estão a letra de crédito imobiliário (LCI) e o certificado de recebíveis imobiliários (CRI);
  • fundos de tijolo: priorizam a aquisição ou construção de imóveis físicos para locação ou venda posterior. Entre as possibilidades para compor o portfólio estão shopping centers, hospitais, hotéis, escritórios, prédios residenciais, galpões logísticos e outros;
  • fundos de fundos: também conhecidos como FoFs, eles se caracterizam por priorizar o investimento nas cotas de outros FIIs do mercado.

Ainda, é possível encontrar fundos imobiliários híbridos. Normalmente, eles são compostos tanto por imóveis físicos quanto por títulos com lastro no mercado imobiliário. Como você pode ver, há grande diversidade para atender às necessidades e objetivos dos investidores.

Como é avaliado o desempenho de um FII?

Após compreender o que são fundos imobiliários, é interessante entender como o desempenho desses veículos é avaliado. Para isso, é comum considerar duas formas principais de obter retorno: o ganho de capital e a distribuição de dividendos.

Saiba como é feita a avaliação de desempenho dos FIIs a partir desses critérios!

Ganho de capital

O ganho de capital com os FIIs é obtido quando ocorre a venda das cotas com lucro. Para tanto, é preciso que o preço de venda das cotas seja maior que o custo médio de compra delas. A diferença entre os montantes será o lucro obtido.

Em geral, o ganho de capital ocorre quando as cotas se valorizam ao longo do tempo — e isso pode estar relacionado à estratégia e à gestão do fundo. Uma das formas de avaliar o desempenho de um FII é pelo nível de valorização das cotas em determinado período. O FII que apresentar maior variação positiva em 12 meses, por exemplo, será considerado o veículo com maior rentabilidade no ano.

Distribuição de dividendos

Outra forma de obter retorno com os FIIs é pela distribuição de dividendos. Eles são um tipo de provento e consistem na divisão de parte dos lucros obtidos entre os cotistas. Assim, os investidores que detêm maior participação também recebem valores mais significativos na forma de dividendos.

Nesse sentido, é válido saber que os FIIs são legalmente obrigados a distribuir dividendos com regularidade para os cotistas do veículo. Esses fundos devem dividir, no mínimo, 95% do lucro no regime caixa.

Apesar de a frequência mínima de distribuição de dividendos estar relacionada ao semestre, os fundos podem fazer esse tipo de pagamento de modo mais frequente. É o caso dos FIIs que fazem distribuições mensais, por exemplo.

Para entender melhor como funciona esse processo, pense em um FII de tijolo que seja voltado para o aluguel dos imóveis. Nesse caso, o fundo tende a receber o valor do aluguel mensalmente. Com isso, a gestão pode escolher dividir os lucros com regularidade mensal.

Esse tipo de divisão se relaciona ao chamado dividend yield ou DY. Esse é um indicador que demonstra a relação entre o valor de dividendos distribuídos por cota no período e o preço da cota no momento. Logo, ele demonstra qual é o retorno do investimento na forma de dividendos.

Na prática, os FIIs com maior DY são aqueles que distribuem maiores valores de dividendos. Pensando nisso, é possível que a rentabilidade do fundo imobiliário seja calculada a partir da capacidade de distribuição de dividendos e o consequente resultado de DY.

Quais foram os melhores FIIs de 2022?

Agora que você sabe como o rendimento dos fundos imobiliários pode ser medido, chegou o momento de descobrir quais foram os destaques de FIIs em 2022, em termos de rendimento.

Logo, a ideia é conhecer tanto aqueles que tiveram maior valorização das cotas quanto aqueles que mais pagaram dividendos.

Com dados coletados até 30 de novembro de 2022 pela Smartbrain, veja quais FIIs apresentaram maior valorização acumulada dos preços das cotas ao longo do ano:

Fundo imobiliárioValorização anual até nov/2022
Fdo Inv Imob The One (ONEF11)34,82%
JPP Allocation Mogno – Fdo Inv Imob (JPPA11)29,75%
Fdo Inv Imob – FII Bm Brascan Lajes Corporativas (BMLC11)28,97%
Fdo Inv Imob – FII Shopping Jardim Sul (JRDM11)25,89%
Fdo Inv Imob – FIIHotel Maxinvest (HTMX11)23,71%
Riza Akin Fdo. Inv. Imob. FII (RZAK11)22,51%
Fdo Inv Imob Europar (EURO11)21,93%
Ourinvest Jpp Fdo Inv Imob – FII (OUJP11)21,73%
Rb Capital Recebíveis Imob. Fdo. Invest. Imob FII (RRCI11)20,11%
Malls Brasil Plural Fdo Inv Imob (MALL11)19,88%

Dividendos

Ao observar a evolução do pagamento de dividendos, entretanto, o cenário é um pouco diferente. Nesse sentido, confira quais foram os fundos com maior dividend yield (DY) nos últimos 12 meses, em novembro de 2022, segundo a Economatica:

Fundo imobiliárioDY entre nov/2021 e nov/2022
Ourinvest Jpp Fdo Inv Imob – FII (OUJP11)17,5%
Rio Bravo Oportunidades Imobiliárias FII (RBOP11)17,2%
BB Fdo Imob Progressivo (BBFI11)16,5%
Polo Cred Imob FII – Unica (PORD11)16,4%
Plural Recebíveis Imobiliários Fundo de (PLCR11)15,9%
FI Imobiliário – BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCI11)14,9%
Valora Cri CDI FII – Unica (VGIR11)14,8%
FII Tg Ativo Real (TGAR11)14,7%
Banestes Recebíveis Imobiliari-Unica (BCRI11)14,7%
Fundo de Investimento Imobiliário Ourinvest (OURE11)14,4%

Ao observar as duas tabelas, é possível notar que alguns fundos que se destacam pelo pagamento de dividendos também estão entre aqueles com maior valorização de cotas.

Isso pode acontecer porque, normalmente, o pagamento consistente de proventos atrai mais investidores. Pela lei da oferta e da demanda no mercado, isso tende a aumentar o preço das cotas de negociação.

Quais foram os piores FIIs de 2022?

Além de descobrir quais são os melhores fundos imobiliários, que se destacaram no mercado em 2022, vale saber quais foram os piores veículos desse tipo. Assim, é possível ter uma dimensão sobre os principais fundos detratores do mercado de FIIs, por exemplo.

Em relação à rentabilidade, há como citar 10 FIIs que mais apresentaram quedas, com base em informações que constam na nossa plataforma Genial Analisa.

Confira!

Fundo imobiliárioResultado anual até nov/2022
XP Properties (XPPR11)-53,88%
RBR Properties FII (RBRP11)-34,24%
Hospital Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11)-29,49%
REC Renda Imobiliária (RECT11)-27,56%
Tordesilhas EI (TORD11)-23,52%
Habitat Recebíveis Pulverizados (HABT11)-21,64%
BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11)-21,45%
XP Industrial (XPIN11)-20,77%
Hectare CE (HCTR11)-20,17%
Vinci Offices (VINO11)-18,81%

Também é possível fazer essa análise em relação ao pagamento de dividendos. Para isso, é necessário listar os FIIs com menor DY ao longo do ano. Eles foram os seguintes:

Fundo imobiliárioDY acumulado (12 meses)
Brazilian GraveyardDeath Care (CARE11)0%
Hospital Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11)6,62%
Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11)6,63%
Kinea Renda Imobiliária (KNR11)7,36%
VBI Prime Properties (PVB11)7,74%
Hedge Brasil Shopping (HGBS11)8,19%
Bresco Logística (BRCO11)8,23%
Vinci Shopping Centers (VISC11)8,39%
CSHG Renda Urbana (HGRU11)8,43%
XP Log (XPLG11)8,44%

Note que, dos fundos apresentados, apenas o CARE11 não distribuiu dividendos em 2022. Os demais fizeram o pagamento desses proventos em um patamar menor que outros FIIs do mercado.

Apesar disso, é válido perceber que muitos deles apresentaram valorização das cotas. Portanto, um DY mais baixo não faz com que um FII seja necessariamente ruim. Na verdade, a avaliação depende dos objetivos de cada investidor.

Qual foi o melhor resultado de FIIS por tipo?

Até aqui, você viu quais foram os melhores e os piores FIIs em 2022, considerando a valorização de cotas e o pagamento de dividendos. Mas como os resultados podem ser entendidos de acordo com o tipo de FII?

A seguir, veja quais foram os resultados de cada alternativa!

Fundos de papel

Os fundos de papel figuraram entre os melhores FIIs de 2022, segundo o levantamento divulgado pela Smartbrain. Esses foram os 5 principais fundos de papel que mais se valorizaram no ano:

Fundo imobiliárioValorização anual até nov/2022
JPP Allocation Mogno – Fdo Inv Imob (JPPA11)29,75%
Riza Akin Fdo. Inv. Imob. FII (RZAK11)22,51%
Ourinvest Jpp Fdo Inv Imob – FII (OUJP11)21,73%
Rb Capital Recebíveis Imob. Fdo. Invest. Imob FII (RRCI11)20,11%
Rio Bravo Credito Imob High Grade Fund De Invest (RBHG11)17,58%

Com base nesses dados, portanto, é possível afirmar que o melhor resultado entre os fundos de papel em 2022 foi uma valorização de 29,75%, obtida pelo JPPA11.

Fundos de tijolo

Os fundos de tijolo também apresentaram destaques ao longo do ano, considerando a valorização obtida pelas cotas. Confira os 5 fundos de tijolo com melhor desempenho em 2022:

Fundo imobiliárioValorização anual até nov/2022
Fdo Inv Imob The One (ONEF11)34,82%
Fdo Inv Imob – FII Bm Brascan Lajes Corporativas (BMLC11)28,97%
Fdo Inv Imob – FII Shopping Jardim Sul (JRDM11)25,89%
Fdo Inv Imob – FII Hotel Maxinvest (HTMX11)23,71%
Fdo Inv Imob Europar (EURO11)21,93%

Assim, o principal desempenho dos fundos de tijolo foi de 34,82% de valorização sobre as cotas do ONEF11. Além disso, vale destacar que, desses 5 tipos, 3 são de lajes corporativas. Os outros são de shopping e hospedagem.

Fundos de fundos

Apesar de aparecerem na lista de melhores FIIs com menos frequência, alguns fundos de fundos também apresentaram bom desempenho quanto à valorização das cotas.

No levantamento com os 20 melhores FIIs, dois FoFs se destacaram. O primeiro foi o Caixa Rio Bravo Fdo de Fdos Inv Imob II (CRFF11), com 18,58% de valorização nas suas cotas. Já o Fundo de Fdo Inv Imob Kinea FII (KFOF11) acumulou alta de 15,53%.

Setores específicos

De acordo com um estudo da Economatica, também é possível medir o desempenho dos fundos imobiliários de acordo com os setores aos quais eles estão expostos. Nesse sentido, são considerados tanto os fundos de tijolo quanto os fundos de papel.

Na análise realizada, a performance considerada é a evolução da mediana do dividend yield. Assim, é possível saber a quais setores pertencem os fundos com maior frequência de pagamento de dividendos.

Veja quais foram os resultados:

Tipo de FIIMediana do DY
Títulos e valores mobiliários (TVM)12,98%
Outros10,24%
Híbrido9,18%
Logística8,96%
Shoppings7,96%
Lajes corporativas7,56%
Hospital5,61%
Residencial1,99%
Hotel1,83%

De acordo com essa análise, em 2022 os FIIs que mais pagaram dividendos foram os fundos de papéis, seguidos de outras classificações e dos híbridos. Isso pode ser explicado devido ao potencial de retorno da renda fixa, o qual foi potencializado pela Selic elevada.

Já os piores pagadores de dividendos foram os fundos de tijolo de hotéis, residenciais e de hospitais. No entanto, assim como acontece com as demais apresentações de resultados, o histórico passado não é garantia de desempenho futuro.

O que esperar dos FIIs em 2023?

Como você viu, em 2022 muitos fundos tiveram resultados positivos, mas outros apresentaram uma desvalorização considerável. Ainda assim, o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) teve um desempenho acumulado positivo até dezembro de 2022.

Esse índice reúne os FIIs mais negociados na bolsa e, portanto, permite acompanhar os resultados gerais do mercado. Em média, o índice avançou pouco mais de 1% no ano. Agora, é preciso saber o que esperar para 2023 e para os próximos anos, considerando as perspectivas para o mercado.

Confira quais são os pontos principais, segundo os analistas da Genial!

Recessão global

Para 2023, existe uma expectativa ampla de recessão global. Isso se deve, principalmente, ao aumento das taxas de juros nos Estados Unidos e em países da Zona do Euro, na tentativa de conter a inflação.

Nos fundos imobiliários, os impactos dessa situação podem não ser tão altos quanto costuma ocorrer com as ações de empresas. Porém, o cenário tende a apresentar um aumento de incerteza e de volatilidade no setor de imóveis.

Isso significa que o investimento com foco no longo prazo pode se tornar ainda mais relevante, para mitigar os riscos pontuais. Ademais, o foco em fundos com uma boa gestão é essencial para ampliar as chances de obter bons resultados em momentos de crise.

Movimento dos juros

Se a inflação brasileira realmente ficar sob controle, após os sucessivos aumentos realizados na Selic ao longo de 2021 e de 2022, mercado de FIIs pode ser impactado.

Com taxas de juros menores, a renda variável pode se tornar mais atraente, já que o retorno da renda fixa cai nesse contexto. Logo, se houver maior procura dos investidores, as cotas dos FIIs podem se valorizar.

Em relação aos tipos, os FIIs de papel podem observar uma redução na rentabilização do patrimônio. Ainda assim, tende a ser interessante mantê-los na carteira para ampliar a diversificação do portfólio ao longo do tempo.

Por outro lado, os FIIs de tijolo podem se beneficiar de juros mais baixos, bem como todo o mercado de fundos imobiliários. Porém, é preciso observar como outros fatores macroeconômicos poderão interferir no desempenho desses veículos.

Diversidade de segmentos

Apesar das condições econômicas que causam apreensão para 2023, existem boas perspectivas quanto aos diferentes segmentos de FIIs — em especial, dos fundos de tijolo. É o caso dos fundos de shopping, já que existe a perspectiva de valorização desses imóveis diante da possível recuperação do varejo físico.

Também podem existir oportunidades com os fundos de tijolo relacionados à logística ou ao agro, por exemplo. Porém, é necessário avaliar cada oportunidade individualmente para ter a chance de encontrar bons investimentos.

Como começar a investir em fundos imobiliários no ano que vem? 

Caso o investimento em fundos imobiliários seja atrativo para a sua estratégia, é essencial saber como aproveitá-lo. Para tanto, você deve conhecer os pontos mais importantes para considerar antes de tomar essa decisão.

Veja o que fazer!

Saiba se o seu perfil de investidor é adequado para FIIs

Antes de realizar qualquer tipo de investimento, não deixe de compreender se o seu perfil de investidor está alinhado à oportunidade. No caso dos FIIs, é necessário lembrar que eles fazem parte da renda variável e são negociados na bolsa de valores.

Em relação ao perfil de investidor, a tolerância ao risco varia com as seguintes classificações:

  • investidor conservador: apresenta baixa capacidade de correr riscos, optando por alternativas mais seguras e previsíveis;
  • investidor moderado: está disposto a correr mais riscos, desde que isso ocorra de modo limitado e possibilite aumentar o retorno da carteira;
  • investidor arrojado: tem um alto nível de tolerância ao risco e é capaz de suportar as oscilações do mercado, em troca de maximizar a rentabilização do patrimônio.

Considerando as características do investimento em FIIs, é comum que esses fundos sejam mais alinhados aos investidores moderados e arrojados. Afinal, eles apresentam maior capacidade de absorver os riscos.

No entanto,os FIIs podem fazer parte da carteira de um investidor conservador que busca menos riscos em determinadas situações. No geral, esses fundos podem ser úteis para diversificar o portfólio — nesses casos, eles representam uma parte menor do patrimônio investido, diminuindo a exposição ao risco.

Defina os seus objetivos financeiros

Outro aspecto para considerar antes de investir em fundos imobiliários é o seu conjunto de objetivos financeiros. Nesse sentido, dois aspectos são os mais importantes: a forma de retorno que você espera obter e o prazo desejado para consolidar os ganhos.

Em relação ao período, o investimento em FIIs costuma ser mais adequado para o longo prazo. Dessa forma, pode ocorrer uma maturação do investimento e da estratégia do fundo. Um período superior a 5 anos também diminui a exposição à volatilidade de curto prazo, viabilizando uma redução dos riscos.

Além disso, vale pensar se você pretende buscar renda passiva com os fundos imobiliários, por exemplo. Caso esse seja um dos seus objetivos, é preciso priorizar FIIs com os maiores ou mais frequentes pagamentos de dividendos.

Ao compreender o que você deseja alcançar, é possível definir mais claramente qual é o papel que os fundos imobiliários devem ocupar na sua carteira. Desse modo, fica mais fácil aproveitar as oportunidades que eles oferecem.

Faça uma análise dos indicadores dos fundos imobiliários

Antes de investir em ações da bolsa, é recomendado realizar uma análise fundamentalista. Ela consiste em uma avaliação de indicadores sobre a saúde financeira e as perspectivas de desempenho da companhia ao longo do tempo.

Para os fundos imobiliários, também é importante realizar esse tipo de análise. Com ela, você poderá identificar quais podem ser os melhores FIIs listados para a sua estratégia.

A seguir, confira quais são os indicadores mais relevantes que você deve considerar!

Cap rate

O índice de capitalização, capitalization rate ou apenas cap rate é um dos principais indicadores para a avaliação de fundos imobiliários. Por meio dele é possível saber qual é o grau de retorno que um investimento oferece em relação ao montante alocado inicialmente.

Esse índice é especialmente usado no caso de imóveis físicos, então ele é bastante relevante quando você considera um FII de tijolo. Para entender melhor, considere um fundo imobiliário que, ao total, investiu R$ 10 milhões em imóveis.

Se as propriedades retornam R$ 1 milhão por ano em aluguéis, o cap rate é de 10% para o período de avaliação. Em geral, um cap rate maior significa que o fundo consegue rentabilizar melhor o próprio patrimônio. Esse pode ser um indicativo de uma situação financeira positiva e com potencial de desenvolvimento ao longo dos anos.

DY

Como você viu, o DY ou dividend yield é um dos indicadores para analisar FIIs. Como ele divide o valor pago em dividendos por cota pelo preço da cota, é possível saber quais fundos têm mais retorno em termos de proventos distribuídos.

Isso ajuda a evitar erros de análises, como o que aconteceria ao escolher apenas o FII que distribui o maior valor bruto de dividendos. Ao considerar o preço de negociação da cota, fica mais fácil entender qual é a melhor oportunidade disponível.

Ademais, a avaliação do DY permite criar uma base de comparação entre os fundos. Se o objetivo for obter mais renda passiva, por exemplo, você pode escolher o FII que, em condições equivalentes, .

Taxa de vacância

Outro indicador essencial para considerar sobre os FIIs de tijolos é a taxa de vacância. Ela pode ser do tipo física ou financeira. Ambas trazem informações relevantes sobre a atratividade de determinado fundo imobiliário.

Começando pela vacância física, ela corresponde à relação entre o espaço desocupado e a área bruta locável (ABL). Assim, ela representa os imóveis ou unidades que não estão gerando recursos, como aqueles que não estão alugados.

Já a vacância financeira representa o quanto o imóvel deixa de gerar de receita em relação ao que ele poderia render. Se um imóvel pode render R$ 100 mil, mas rende apenas R$ 80 mil, há R$ 20 mil de rentabilidade não aproveitada. Nesse caso, a vacância financeira é de 20%.

Vale notar que a vacância financeira pode decorrer da vacância física — já que um imóvel não ocupado tende a não gerar retorno. Porém, ela também pode decorrer de descontos temporários no aluguel ou mesmo da inadimplência.

Assim, um FII pode ter vacância física nula e ter vacância financeira. Isso indica a necessidade de analisar os dois componentes antes de investir.

Liquidez média

Também é possível conferir qual é o nível de liquidez média apresentado pelo fundo. Em geral, pode ser mais interessante buscar os FIIs cujas cotas sejam mais líquidas. Isso significa que elas são mais negociadas e que você pode ter mais facilidade para se desfazer do investimento, se necessário.

Ainda, uma liquidez elevada costuma demonstrar um interesse sólido do mercado em investir nesses fundos. Como consequência, esse pode ser um indício de que o fundo é mais interessante ou que tem melhor potencial de resultados ao longo do tempo.

Além desses indicadores, você pode avaliar os FIIs com base em outros índices, como o Preço da cota / Valor patrimonial sobre cota (P/VP) e esses múltiplos são úteis para avaliar a cotação do ativo.

Assim, você pode identificar quais são os fundos imobiliários mais baratos ou mais negociados, por exemplo. O importante é que a sua análise seja composta por variados indicadores, já que eles o ajudarão a ter uma visão mais completa da situação do veículo.

Conheça a estratégia e o portfólio do fundo

Além de avaliar os indicadores do fundo, é necessário considerar outras duas características: a estratégia e o portfólio do FII. Dessa forma, você poderá compreender como ele funciona e quais resultados ele pode oferecer ao longo do tempo.

Na estratégia, não considere apenas o tipo do fundo. É preciso pensar em outros elementos que orientam a tomada de decisão do gestor. Um FII de tijolo voltado para o agro, por exemplo, terá um resultado diferente de um FII direcionado a galpões logísticos.

Também é necessário considerar o portfólio do FII. Veja, por exemplo, quais são os tipos de títulos do FII de papel ou os imóveis do FII de tijolo. Os dados permitem entender se o portfólio é concentrado ou diversificado e qual é o potencial do fundo.

Embora não haja garantia de retornos, você pode usar essas informações e o histórico do FII para fazer uma simulação com os fundos imobiliários. Logo, há como ter uma ideia de quais podem ser os resultados gerados.

Faça escolhas diversificadas

Ao investir em FIIs, também é preciso ter atenção para não criar um portfólio muito concentrado — e possivelmente mais arriscado. Por isso, o ideal é realizar escolhas diversificadas, montando uma carteira mais robusta.

Ou seja, além de verificar a carteira do veículo, vale a pena investir em mais de um fundo imobiliário. Nesse cenário, você pode pensar em escolher tipos diferentes de FIIs. É o caso de mesclar fundos de tijolo e de papel, por exemplo.

O foco deve ser expor seu patrimônio a riscos diferentes. Desse modo, é possível aumentar seu grau de proteção, o que pode ajudá-lo a atingir seus objetivos financeiros. Ainda, vale considerar incluir outros ativos e títulos na sua carteira, ampliando a diversificação.

Abra sua conta na Genial Investimentos

Após analisar essas questões, você já sabe o que avaliar sobre os FIIs para investir neles. Com base nisso, agora é interessante entender como realizar as operações para investir em um fundo imobiliário.

Para isso, você precisa abrir conta em uma corretora de valores. Com a Genial Investimentos, você terá acesso ao home broker onde poderá negociar cotas de FIIs e outros investimentos disponíveis na bolsa de valores. Além disso, há como investir pela nossa plataforma em diversas oportunidades.

Ainda, você contará com suporte qualificado e poderá aproveitar as recomendações e análises do Genial Analisa. Desse modo, é possível contar com informações de qualidade para embasar suas decisões e realizar operações com tranquilidade.

Neste artigo, você descobriu quais foram os melhores e piores FIIs de 2022 e conferiu o que esperar para os próximos anos. Com uma análise robusta dos fundos imobiliários disponíveis, você poderá identificar quais são os melhores para a sua estratégia. Para aproveitar essas e outras oportunidades do mercado financeiro, abra sua conta conosco e seja Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book de Fundos Imobiliários (FIIs)

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa