Existem atualmente vários tipos de investimento no mercado. Cada ativo atende às necessidades e a um perfil de investidor diferente. Podemos afirmar que não existe o melhor investimento, mas opções que se adaptam à realidade financeira e momento da vida de cada pessoa. Por isso, ter conhecimento sobre os tipos de aplicação financeira disponíveis auxilia o investidor a fazer boas escolhas.

Para ajudar nessa tarefa apresentaremos nesse post as características dos tipos de aplicação financeira presentes no mercado: os de renda fixa e renda variável. Acompanhe a seguir:

Quais são os tipos de aplicação financeira?

Conforme dissemos, há dois tipos no mercado: renda fixa e renda variável. Na primeira categoria, a pessoa empresta o dinheiro a uma instituição financeira ou ao Governo (no caso dos títulos públicos, como Tesouro Direto) e, em troca, recebe uma remuneração acrescida de juros.

Na renda fixa, o investidor conhece a remuneração no momento da compra do ativo (nos investimentos prefixados) ou no momento do resgate (pós-fixados). Os papéis rendem de acordo com o desempenho  dos indexadores, que podem ser a Taxa Selic, CDI ou IPCA.

Pelo fato da pessoa conhecer a rentabilidade previamente, esses investimentos são considerados de baixo risco. E por isso, apresentam também rendimento mais baixo se comparados aos de renda variável. Os produtos de renda fixa podem também contar com diferentes condições de liquidez (facilidade para converter o ativo em dinheiro).

Na renda variável, os investidores não conseguem saber antecipadamente como será o desempenho de cada papel. A rentabilidade varia de acordo com as condições de mercado, ou seja, trata-se de um mercado com alta volatilidade.

Nessa categoria, o preço dos ativos, como as ações, sofre alterações a todo o momento. Eles são influenciados por várias situações. Entre elas: questões políticas, eventos ocorridos em cada empresa, crises econômicas etc.

ebooks de investimentos

Algumas aplicações de Renda Fixa

Tesouro Direto

Nesse tipo de aplicação financeira o investidor empresta dinheiro ao Governo e recebe em troca os juros das aplicações realizadas. Esse investimento é considerado acessível, uma vez que é possível começar com apenas R$30. É também  considerado um ativo de baixo risco.

Os principais títulos do Tesouro Direto são:

  • Tesouro Prefixado: são títulos públicos cuja rentabilidade é prefixada. Isso quer dizer que, ao investir, já se saberá quanto o dinheiro vai render. Nesse produto, caso o investidor queira vender o título antes do vencimento receberá rendimento conforme o valor de mercado na data vigente, e não baseado na rentabilidade previamente contratada.

  • Tesouro Selic: esse é um investimento pós-fixado que  rende de acordo com o desempenho da Selic, a taxa básica de juros da economia. Atualmente, ela está em 6,5% ao ano. É a aplicação mais conservadora dentre todas do Tesouro Direto e protegerá o seu patrimônio contra oscilações na economia. Isso porque, quando os juros sobem (isso é comum em situações de turbulências econômicas), o rendimento do título também aumentará. Por essa característica, esse investimento é indicado na composição da sua reserva de emergência;

  • Tesouro IPCA: a rentabilidade dessa aplicação acompanha o desempenho do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), considerada a inflação oficial do país. Dessa forma, o ativo ajuda a manter seu poder de compra e também é vantajoso na formação de uma reserva visando objetivos em médio e longo prazo. Isso porque, os ganhos do investimento sempre serão um percentual acima da inflação.

ebook tesouro diretoCDB

Nessa modalidade de investimento, você empresta dinheiro aos bancos e recebe os juros. A rentabilidade, prazo de vencimento, liquidez e risco variam, conforme cada ativo. É recomendável adquirir CDBs com remuneração superior a 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). É também um investimento seguro, garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Em caso de quebra do banco, a instituição ressarce os investidores com valores até R$ 250 mil por CPF instituição financeira.

LCI

Na modalidade Letras de Câmbio Imobiliário, o investimento é  destinado ao financiamentos do setor imobiliário. Por isso, o governo oferece isenção do Imposto de Renda, o que já é um grande ponto positivo.  Assim, como no CDB, é uma aplicação assegurada pelo FGC.

LCA

As condições são similares às das LCI. A única diferença é que a quantia arrecadada em Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) é destinada à expansão das atividades agrícolas no país.

Algumas aplicações de Renda Variável?

Ações

A ação faz referência à menor parte de uma companhia. Cada papel, portanto, representa um pequeno pedaço da empresa que as emitiu. Os detentores desses ativos são acionistas da empresa e os sócios têm direitos e deveres conforme o número de papéis que possuem.

A rentabilidade desse tipo de aplicação financeira oscila bastante. Ela pode apresentar grandes ganhos ao investidor, mas também pode proporcionar perdas. O desempenho desse das ações varia conforme vários fatores, entre eles, questões econômicas, políticas e a relação entre oferta e demanda. Sobre o último fator, quando há muitos investidores querendo comprar uma ação, o preço delas tende a subir. Por outro lado, se muitas pessoas querem vender, o valor do pode diminuir.

Quando uma pessoa deseja comprar ações de uma companhia, ela espera que os ativos se valorizem para obter bons lucros. Por isso, caso o investidor avalie que o ativo chegou ao patamar esperado ou atingiu o objetivo da aplicação, ele pode vender as ações e desfrutar dos lucros provenientes do investimento.

Câmbio

Assim como as ações, esse investimento também é de alto risco, pois as moedas podem se valorizar ou desvalorizar rapidamente, de acordo com questões políticas e econômicas de cada país.

Quem investe em câmbio aposta que a  moeda se valorizará e, assim, conseguirá lucros na aplicação. Quem apostou no dólar, em 2018, por exemplo, se deu bem. Em janeiro, por exemplo, a moeda norte-americana estava a R$3,20 e encerrou o ano em R$3,88, o que corresponde a uma valorização de 21,25%.

Como começar a aplicar?

Primeiramente, você precisa descobrir qual o seu perfil de investidor. Isso só é possível ao avaliar suas condições financeiras, seus objetivos, seu momento de vida e a disponibilidade para lidar com riscos.

Após entender que tipo de investidor você é, é recomendado que procure uma empresa de investimentos reconhecida para abrir sua conta e começar a aplicar. A Genial conta com uma equipe de profissionais experientes pronta para te ajudar a dar seus primeiros passos no mundo dos investimentos. Entre em contato e abra sua conta!

abra sua conta

Publicado por Genial

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Contentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *