O mercado acionário oferece diversas oportunidades para quem deseja investir. Inclusive, há a possibilidade de negociar ativos em frações menores. Por isso, se você pesquisar pelas ações da WEG, por exemplo, perceberá que existem os códigos WEGE3 e WEGE3F.

Embora a diferença pareça sutil, ela é bastante relevante para os investidores — especialmente para aqueles que não têm capital suficiente para comprar os papéis em lotes de 100. Nesse sentido, é possível recorrer ao mercado fracionário.

Ficou interessado no assunto? Então continue a leitura deste artigo preparado por nós, da Genial Investimentos, e saiba qual é a diferença entre as ações WEGE3 e WEGE3F. Dessa forma, você terá mais consciência na hora de investir.

Não perca!

Como funciona o mercado acionário?

Primeiramente, é importante saber que as ações representam a menor parcela do capital social de uma empresa. Depois que o negócio abre capital na bolsa de valores, os papéis podem ser comprados e vendidos pelos investidores.

Ao comprar ações, você se torna um acionista da companhia e compartilha seus eventuais resultados e riscos. É possível lucrar com esses ativos de diferentes formas. Uma delas é pela valorização do preço dos papéis.

Outras possibilidades de obter resultados financeiros são alugar os ativos ou aproveitar o pagamento de proventos que as empresas realizam. Em relação aos proventos, os mais comuns são dividendos e juros sobre capital próprio.

Para entender como funciona o mercado acionário, também é preciso saber que os papéis são tradicionalmente negociados por meio de lotes. Eles funcionam como uma cesta composta por um conjunto de ativos da empresa.

Em geral, um lote de ações é composto por 100 papéis. Logo, ao negociar no mercado tradicional, você deve adquirir, pelo menos, uma centena de ações da mesma companhia.

Além de não ser possível comprar uma quantidade menor de papéis nesse mercado, a aquisição deve ocorrer em múltiplos de 100. Ou seja, você pode adquirir um, dois, três lotes em diante.

O objetivo da negociação em lotes é facilitar o cálculo dos preços na bolsa de valores brasileira (B3). Assim, ao acessar o home broker da sua instituição financeira, você verá a cotação unitária da ação. Contudo, ela deve ser multiplicada por 100.

Isso significa que um lote padrão de ações negociadas a R$ 10 na bolsa de valores será comprado por R$ 1 mil pelo investidor interessado. Mas se o montante é elevado para você, existe a possibilidade de adquirir os papéis no mercado fracionário.

Saiba mais a seguir!

Mercado fracionário

No mercado fracionário, os investidores podem negociar ações fora dos lotes padrões. Portanto, a B3 oferece a oportunidade de comprar e vender entre 1 e 99 papéis individualmente. O objetivo desse ambiente é tornar as negociações de ações mais acessíveis para o público.

Afinal, o investidor não precisará desembolsar o montante referente a um lote completo de papéis, caso não tenha disponibilidade financeira. Então se uma ação é negociada a R$ 10 na bolsa, é possível comprar apenas um ativo por esse preço. Interessante, não é mesmo?

Quais são as diferenças entre lote padrão e ações fracionadas?

Agora que você sabe o que o mercado de ações tradicional e o fracionário representam, fica mais fácil entender as diferenças entre eles. Como foi possível perceber, a principal distinção é a quantidade de papéis negociados.

Enquanto no ambiente tradicional é preciso adquirir um lote padrão com 100 ações, no fracionário você pode comprar os ativos individualmente. Além de baratear o total da compra, isso dá mais flexibilidade para montar uma carteira alinhada aos seus objetivos.

Outra diferença é que, geralmente, o mercado fracionário tem menos negociações que o tradicional. Como consequência, as cotações podem ser mais elevadas para a mesma ação — e o ativo pode ter menos liquidez.

O que é a WEG?

Após entender o funcionamento do mercado acionário, é hora de direcionar o estudo à WEG. Trata-se de uma empresa brasileira de equipamentos elétricos, estabelecida como sociedade anônima de capital aberto.

Ela atua principalmente com a produção de equipamentos elétricos e eletrônicos. A empresa foi criada em 1961 por Werner Ricardo Voigt, Eggon João da Silva e Geraldo Werninghaus. Inicialmente, ela era chamada de Eletromotores Jaraguá.

A história de expansão da companhia começou em 1964, quando houve a construção do seu primeiro parque fabril. Em 1970, a WEG passou a exportar para outros países, como Guatemala, Paraguai, Uruguai, Equador e Bolívia.

A partir da década de 1980, a companhia inaugurou a WEG Química e a WEG Automação. Com isso, ela criou filiais em diversos países, como Estados Unidos, Alemanha, França e Suécia. Em 2000, a WEG comprou suas primeiras fábricas no exterior, localizadas na Argentina e no México.

Cinco anos depois, ela abriu sua primeira fábrica na China. Com isso, iniciou sua produção internacional e está presente em todos os continentes e em mais de 30 países. Em 2012, a empresa adquiriu uma produtora de tintas e começou a oferecer tinturas especiais de repintura.

A maioria da produção da WEG é voltada para o mercado externo. Como consequência, a empresa tem uma receita recorrente em dólar. Isso costuma atrair a atenção dos investidores, especialmente quando a moeda norte-americana está mais valorizada que o real.

Qual é o setor de atuação da WEG?

Outro ponto relevante que você deve analisar antes de investir em uma empresa é o setor de atuação dela. Isso porque a B3 possui classificações que dividem as companhias de acordo com essas características.

As principais categorias envolvem os tipos de serviços ou produtos que os negócios oferecem no mercado. Ao conhecer os segmentos de atuação, você pode ter uma visão ampla sobre as empresas que tendem a ter comportamentos similares diante das mesmas condições da economia.

Isso ajuda a evitar que seu capital fique concentrado em empresas do mesmo setor, por exemplo, o que resultaria em uma falsa diversificação da carteira. Além disso, é possível comparar companhias que possam ter atividades diferentes, mas atuem em segmentos similares da cadeia produtiva.

Para definir a divisão em setores, a bolsa de valores considera os produtos e serviços que mais contribuem para a receita das empresas. Nesse sentido, a WEG é classificada no setor de bens industriais.

Essa área é uma das maiores e mais diversificadas da B3. Ela reúne organizações brasileiras que atuam em diferentes segmentos, como em transporte ferroviário e venda de maquinários e equipamentos de uso industrial.

No caso da WEG, sua atividade principal é a fabricação de equipamentos relacionados a distribuição de energia, comando e proteção, automação de processos e variação de velocidade. Entre eles, estão geradores, transformadores, motores elétricos e inversores.

Além dos equipamentos, a WEG ainda oferece distribuição de energia, gás natural, produtos prediais, vernizes e tintas industriais.

Quando a WEG abriu o capital na bolsa de valores?

Em relação à abertura de capital na bolsa de valores brasileira, a WEG realizou o processo em 1971. Pouco mais de duas décadas depois, em 1993, a empresa distribuiu participação nos lucros pela primeira vez.

Em 2007, a WEG conquistou a entrada no Novo Mercado, negociando suas ações WEGE3. Esse ambiente reúne as empresas com maior nível de governança corporativa da bolsa de valores brasileira.

Vale saber que a decisão de abrir capital na bolsa pode envolver diversos motivos. Em geral, ela está relacionada à necessidade de captar recursos para financiar a realização de projetos e o desenvolvimento da empresa.

A entrada na bolsa também pode ser uma forma de a companhia ganhar visibilidade no mercado nacional e internacional. O processo é chamado de IPO (initial public offering) ou oferta pública inicial.

Para abrir o capital, a empresa precisa cumprir as exigências da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Após a aprovação, a companhia disponibiliza suas ações para os investidores interessados.

Assim, os recursos arrecadados nesse processo são recebidos pela própria organização. Mas, com a finalização do IPO, as ações passam a ser negociadas no mercado secundário entre os investidores. Nesse caso, o dinheiro de vendas não é mais destinado para a empresa.

WEGE3 é considerada uma boa pagadora de dividendos?

Quando uma empresa abre capital na bolsa de valores, ela fica obrigada a distribuir parte dos seus lucros em forma de dividendos. O pagamento é feito em dinheiro e dividido entre os acionistas, de forma proporcional à participação de cada um deles.

Nesse sentido, algumas empresas são populares entre os investidores por serem boas pagadoras de dividendos e outros proventos.

Em geral, companhias menores não entram nessa lista, pois precisam reinvestir os lucros em suas operações e no seu desenvolvimento. Por esse motivo, normalmente elas não distribuem altos dividendos.

Embora a WEGE3 seja uma empresa que paga dividendos com regularidade, ela não é uma ação interessante para quem deseja montar uma carteira com o foco no recebimento de dividendos, pois possui um Dividend Yield muito baixo.

No entanto, vale ressaltar que pagamentos passados não são garantia de distribuições futuras. Afinal, é preciso que a empresa apure lucros para que ela possa repassar os valores aos acionistas.

Qual é a diferença entre a WEGE3 e WEGE3F?

Como você viu, WEGE3 é o código de negociação das ações (ticker) da WEG no mercado tradicional. Ele serve para identificar a empresa quando você acessa o home broker da sua corretora de valores, por exemplo.

Além disso, o número 3 ao final do código indica que se trata de ações ordinárias (ON). Esse tipo de ativo dá aos acionistas o direito a voto nas assembleias gerais da empresa. Assim, quando a WEG marcar uma reunião sobre um assunto de interesse dos acionistas, é possível opinar sobre o tema.

No entanto, a participação é proporcional ao número de ações que cada investidor possui. Por esse motivo, é mais difícil para o pequeno investidor influenciar nas decisões da companhia.

Outra característica importante das ações ON é o tag along. Essa proteção ao acionista é garantida pela lei das Sociedades Anônimas. De acordo com as regras, se a empresa for vendida ou houver alteração de controle, os investidores podem vender suas participações.

Aqueles que possuem ações ordinárias garantem o pagamento de, no mínimo, 80% do preço de venda dos sócios majoritários. Logo, o tag along oferece uma maior proteção para os acionistas que não desejam seguir com os papéis na carteira. No caso das ações da WEG, como elas fazem parte do Novo Mercado, esse tag along é de 100%.

Todas essas informações também são válidas para as ações WEGE3F. A diferença nesse código é que ele será utilizado para negociar os papéis no mercado fracionário. Então, se você deseja comprar ou vender entre 1 e 99 ativos, precisa buscar pelo ticker com a letra “F” ao final.

O que considerar antes de investir nessas ações?

Se você ficou interessado em investir em ações da WEG, precisa saber o que analisar antes de fazer o investimento.

Confira!

Perfil de investidor

O primeiro ponto que você deve considerar para entender se o investimento em ações está alinhado às suas necessidades é o seu perfil de investidor. Essa é uma forma de entender a sua tolerância aos riscos e saber se o investimento em ações está alinhado às suas expectativas e necessidades.

O perfil é dividido em conservador, moderado e arrojado. De maneira geral, os investidores moderados e arrojados têm mais tolerância aos riscos. Por isso, eles conseguem se expor um pouco mais à volatilidade da renda variável, principalmente a longo prazo.

Objetivos financeiros

Outro fator relevante é analisar se as ações fazem sentido para os seus objetivos financeiros. Afinal, os investimentos precisam ajudar você a cumprir suas metas e planos. Para tanto, você deve conhecer as características e o funcionamento dos ativos.

Por exemplo, se o seu objetivo é ter uma fonte de renda passiva no futuro, é preciso buscar alternativas com essa particularidade. No caso das ações, pode ser mais interessante recorrer a empresas que pagam dividendos frequentemente.

Capacidade financeira

Considere, ainda, a sua capacidade financeira no momento de investir em WEGE3 ou WEGE3F. Para tanto, verifique se o montante disponível para o investimento permite comprar um lote inteiro de ações ou se exige a compra fracionada.

Mas tenha em mente que, ao optar pelos papéis fracionados, pode ser necessário fazer mais operações na bolsa de valores. Isso pode encarecer os custos com emolumentos e corretagem, por exemplo. Portanto, esse é um fator relevante para quem investe.

Fundamentos da empresa

Quando uma empresa tem bons resultados ou boas perspectivas de crescimento no futuro, suas ações tendem a ter mais volume de negociação. Logo, elas atraem mais interessados e podem aumentar de preço.

Por isso, antes de investir, é válido entender se a empresa tem bons fundamentos, bem como apresenta qualidade financeira e organizacional. Para avaliar a companhia e compreender essas questões, você pode fazer uma análise fundamentalista.

Confira alguns dos principais indicadores fundamentalistas que você pode utilizar durante a análise:

P/L

O cálculo do preço sobre o lucro (P/L) considera a relação entre a cotação de cada ação dividida pelo lucro da empresa por ativo nos últimos 12 meses. Logo, ele pode ajudar a entender se vale a pena comprar esses papéis no momento.

P/VPA

O indicador preço sobre o valor patrimonial por ação (P/VPA) representa a relação do preço do papel dividido pelo seu valor patrimonial. Assim, ele é útil para entender se a cotação do ativo está igual, abaixo ou acima do seu valor justo.

Ebitda

Ebitda é a sigla para “earning before interest, taxes, depreciation and amortization”. Em português, esse indicador também é conhecido como lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Lajida).

Seu objetivo é apresentar o lucro da empresa antes do pagamento de juros, impostos e perdas com depreciação e amortização. Dessa forma, o indicador consegue medir a produtividade da organização, suprimindo os efeitos de financiamentos e outras questões contábeis.

ROE

O return on equity (ROE) relaciona o lucro líquido e o patrimônio líquido de uma empresa em determinado período.

DY

Outro indicador bastante importante é o dividend yield (DY). Ele ajuda a entender se a companhia é uma boa pagadora de dividendos porque mede o retorno pago pela empresa aos seus acionistas. O cálculo é feito pela divisão do montante pago em dividendos por ação nos últimos 12 meses pelo preço atual do papel.

Margem líquida

A margem líquida é dada pela divisão do lucro líquido pela receita líquida da empresa após a dedução dos impostos e tributos devidos.

Suporte profissional

Embora investir na bolsa de valores por conta própria seja totalmente viável, você não precisa fazer seus investimentos sozinho. É possível contar com suporte profissional no momento de fazer as análises e tomar as decisões.

Uma possibilidade é acessar a plataforma Genial Analisa e conferir os conteúdos financeiros publicados pelos nossos profissionais do mercado. Então você pode basear suas decisões para fazer as melhores escolhas.

Também vale a pena aproveitar para conferir análises de ações e carteiras recomendadas. Os conteúdos são elaborados por uma equipe de analistas qualificada. Portanto, você tem a certeza de que está acessando informações de qualidade para auxiliar em suas decisões.

Neste artigo, você entendeu qual a diferença entre WEGE3 e WEGE3F. Além disso, foi possível aprender como funciona o mercado acionário e o que considerar antes de investir nas ações da WEG. Então aproveite esse conhecimento para fazer escolhas melhores no momento de investir!

Quer investir em ações da WEG ou de outras empresas? Abra a sua conta e vem ser Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book Trader

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa